Arquivo da categoria: Campeões Estaduais e Nacionais

S.E. Junak 8 – Irati/PR

Arte de Sergio Mello /históriadofutebol.com

A Sociedade Esportiva Junak 8 foi uma agremiação esportiva da cidade de Irati, estado do Paraná. A Equipe era ligada a Sociedade Polonesa Towarzystwo Wolnosc, fundada em 1916, hoje Sociedade Beneficente e Cultural Iratiense.

O JUNAK espalhou-se por outras sociedades também no interior. Em Irati o JUNAK 8 teve time de vôlei e basquete e foi o primeiro espaço em que se praticaram estas modalidades esportivas. O atletas do lado direito é o patriarca da família Ziembikiewicz, Sr. João, pai do Recho (João Ricardo Ziembikiewicz). Foto acervo da Sra. Maria Felícia Ziembikiewicz Havresko. Aproximadamente na década de 1930. Fonte: Facebook de Herculano Batista Neto, publicado em 30 de abril de 2016.

A Junak foi responsável pela introdução do Basquete e Volei na cidade de Irati, porém seus membros se envolviam em todas as atividades esportiva, sendo assim não poderia deixar de praticar o futebol.

Foto/Acervo: HERCULANO BATISTA NETO que inclusive esclarece que o penúltimo da esquerda para a direita é seu avô materno Boleslau Duda. Publicado no Facebook em 28 de abril de 2016.

Em 1937 a equipe, juntamente as equipes do Iraty S.C.; Palestra F.C, ambos de Irati, Guarany S.C. e Poço Bonito F.C, ambos de Rebouças, reorganizaram a Liga Esportiva Sul-Paranaense – LESP. Todas as equipes participaram do campeonato daquele ano, que teve o Iraty Sport Club como seu campeão, que assim garantiu o direito de disputar o título de campeão Paranaense de futebol contra os demais campeões das Ligas do Paraná (Curitiba, Ponta Grossa, Litoral e Paranaguá).

Fontes:
ORREDA, José Maria. O esporte em Irati. Edipar: Irati,1987.
Facebook de Herculano Batista Neto, consultado em 24 de março de 2020.
Facebook de Antonio Alceu Jacopetti, consultado em 24 de março de 2020.

Compartilhe...

Foto rara: Centro Sportivo Alagoano – C.S.A. – Maceió – Campeão alagoano do ano de 1974

 

Centro Sportivo Alagoano – C.S.A. – Maceió

 

Em pé, da esquerda para a direita: Espinosa, Dida, Valmir, Ricardo, Tadeu e Maurício.

Agachados, na mesma ordem: Jorge Siri, Valdecir, Djair, Soareste e Ênio.

 

Fonte: revista Placar

Compartilhe...

Ranking Histórico do Campeonato Mato-grossense – 1979 a 2017

 
Com a divisão de Mato Grosso em dois estados, a partir de 1979, cada um passou a ter seu Campeonato Estadual. Neste ranking estão computados os pontos ganhos por campeonato, de cada equipe durante o período de 1979 a 2017.
Foi adotado o seguinte critério: 
1979 a 1994 – Dois pontos por vitória, com exceção de 1989 que dava três pontos ao time que marcasse três ou mais gols no jogo.
1995 a 2017 – Três pontos por vitória.

 

POSIÇÃO CLUBE PTS J V E D GP GC
UNIÃO DE RONDONÓPOLIS 938 711 273 233 205 923 748
MIXTO 920 681 299 209 173 1027 764
CLUBE ESPORTIVO OPERÁRIO VARZEAGRANDENSE 680 493 231 154 108 673 423
BARRA DO GARÇAS 553 499 165 154 180 610 602
SINOP 545 405 161 112 132 533 435
DOM BOSCO 526 510 170 140 200 593 635
LUVERDENSE 431 243 122 65 56 418 266
VILA AURORA (RONDONÓPOLIS) 393 315 107 98 110 377 371
CUIABÁ 361 200 103 52 45 334 201
10º SORRISO 339 272 103 70 99 363 351
11º JUVENTUDE (PRIMAVERA DO LESTE) 297 195 86 61 48 296 220
12º GRÊMIO JACIARA 286 222 81 61 80 271 288
13º OPERÁRIO LTDA 194 140 52 38 50 207 208
14º CÁCERES 184 247 50 65 132 203 404
15º CACERENSE 173 145 45 38 62 162 220
16º RONDONÓPOLIS 128 107 32 32 43 156 164
17º PALMEIRAS (CUIABÁ) 125 201 38 34 129 175 399
18º ARAGUAIA 119 90 32 23 35 113 131
19º SANTA CRUZ (BARRA DO BUGRES) 104 89 26 26 37 103 134
20º EC OPERÁRIO 100 72 26 22 24 115 120
21º CRAC (CAMPO VERDE) 98 78 26 20 32 104 112
22º BARRA (BARRA DO GARÇAS) 88 80 23 19 38 91 114
23º SÃO JOSÉ (S.J. DO RIO CLARO) 63 60 20 18 22 62 69
24º TANGARÁ EC 58 62 18 16 28 74 88
25º PALMEIRAS (BARRA DO BUGRES) 57 44 15 12 17 48 46
26º SC TANGARÁ 54 56 12 18 26 50 91
27º AA SINOP 51 35 13 12 10 52 48
28º GABIROBENSE (ALTO ARAGUAIA) 51 60 17 17 26 47 68
29º UNIÃO GARIMPEIRA (NORTELÂNDIA) 46 49 15 12 22 33 64
30º BERGA (CUIABÁ) 44 35 12 8 15 69 65
31º NOVA XAVANTINA 36 40 10 8 22 46 83
32º MATO GROSSO EC 32 26 9 5 12 28 34
33º DIAMANTINO 30 20 7 9 4 29 20
34º COLIDER 23 23 8 7 8 25 26
35º ATLÉTICO MATOGROSSENSE 22 61 7 8 46 37 123
36º INDEPENDENTE (POXORÉU) 22 30 4 14 12 16 38
37º POCONÉ 20 24 6 2 16 30 44
38º UNIÃO (JUARA) 19 23 7 5 11 28 32
39º PARECIS 16 24 4 4 16 26 45
40º ÁGUIA PEIXOTENSE 15 17 5 5 7 15 17
41º AD MATO GROSSO (VÁRZEA GRANDE) 13 14 3 4 7 13 20
42º ARSENAL (SORRISO) 13 8 4 1 3 11 10
43º DIAMANTINENSE 13 26 3 7 16 16 38
44º PRIMAVERA (PRIMAVERA DO LESTE) 13 20 2 7 11 26 42
45º NOVA UBIRATÃ 12 12 3 3 6 11 20
46º TUBARÃO (RIO BRANCO) 12 16 2 8 6 9 16
47º UNIÃO (VERA) 11 26 2 7 17 17 56
48º LITRÃO (TANGARÁ DA SERRA) 10 14 4 2 8 19 26
49º ALTA FLORESTA 9 13 3 3 7 12 19
50º HUMAITÁ (CÁCERES) 9 22 2 5 15 14 63
51º INTERNACIONAL (CUIABÁ) 9 10 3 3 4 9 14
52º REAL COLIDER 9 14 2 5 7 6 23
53º AÇÃO (CUIABÁ) 8 10 2 2 6 14 26
54º TREMENDÃO (CÁCERES) 8 12 3 2 7 9 17
55º MIRASSOL 7 13 3 1 9 12 25
56º VASCO DA GAMA 7 10 1 5 4 6 9
57º FLÓRIDA (SÃO JOSÉ DO RIO CLARO) 2 6 0 2 4 3 13

 

Fonte: Arquivo Pessoal/Julio Diogo/Jornal O Estado de Mato Grosso/Jornal A Gazeta/Diário de Cuiabá
Compartilhe...

Blumenau E. C. campeão catarinense da Série C 2017

 

BLUMENAU ESPORTE CLUBE 
CAMPEÃO CATARINENSE SÉRIE C 2017

O Campeonato Catarinense da Série C de 2017 foi realizado no período de 21 de maio a 5 de agosto e teve como campeão o Blumenau Esporte Clube, que garantiu o acesso para a Série B de 2018. Além do Blumenau, participaram do certame as seguintes equipes: Curitibanos/Orleans, Caçador, Imbituba e Porto.

TABELA DE JOGOS

Turno

21/05/2017 – Imbituba 2 x 0 CEC/Orleans

21/05/2017 – Caçador 1 x 4 Blumenau

28/05/2017 – Porto 1 x 3 CEC/Orleans

28/05/2017 – Blumenau 3 x 1 Imbituba

04/06/2017 – Porto 2 x 1 Caçador

04/06/2017 – CEC/Orleans 2 x 2 Blumenau

11/06/2017 – Blumenau 3 x 0 Porto

11/06/2017 – Caçador 2  x 3 Imbituba

18/06/2017 – Imbituba 2 x 2 Porto

18/06/2017 – CEC/Orleans 1 x 0 Caçador

Returno

25/06/2017 – Porto 2 x 4 Imbituba

25/06/2017 – Caçador 0 x 2 CEC/Orleans

02/07/2017 – Porto 0  x 0 Blumenau

02/07/2017 – Imbituba 2 x 0 Caçador

08/07/2017 – Caçador 1 x 2 Porto

10/07/2017 – Blumenau 5 x 0 CEC/Orleans

16/07/2017 – CEC/Orleans 1 x 0 Porto

16/07/2017 – Imbituba 0 x 0 Blumenau

23/07/2017 – CEC/Orleans 2 x 0 Imbituba

23/07/2017 – Blumenau 5 x 0 Caçador

Final

30/07/2017 – CEC/Orleans 2 x 2 Blumenau

05/08/2017 – Blumenau 4 x 2 CEC/Orleans


FONTE

Federação Catarinense de Futebol

Compartilhe...

Estrela do Mar Esporte Clube – João Pessoa-PB

 

Estrela do Mar: o clube campeão paraibano de futebol em 1959 surgiu aproximadamente em 1953. 

A matriz do Rosário mais o Convento São José possuía agremiações religiosas como a Cruzada (Liga Infanto-Juvenil) e a Congregação Mariana. A primeira era composta por meninos que ajudavam nos ofícios religiosos, além de se reunirem para assistirem palestras e ensinamentos relativos à fé católica.  A segunda –  a Congregação Mariana – compunha-se de jovens adolescentes e adultos que assistiam e participavam das missas, novenas, etc. e, também se reuniam em grêmios literários que promoviam encontros e palestras.Como diversão eles tinham a prática do futebol campinho que ficava atrás da Igreja. Esse campinho tinha uma trave junto ao muro que dá para a Avenida Vasco da Gama e, a outra ficava colada à parede da marcenaria da igreja. Depois que o campo mudou sua posição, e ficou maior, junto àquela parede foi construída uma quadra de futebol de salão. Várias equipes se revezaram naquele pequeno espaço, sob o comando de Frei Albino. (…)

Os mais velhos tinham os “bate-bolas” nos sábados à tarde. Dessas peladas, e de jogos contra equipes visitantes, surgiu a ideia de se formar uma equipe a fim de pelejar com outras dos bairros vizinhos, e do próprio bairro de Jaguaribe. Assim apareceu o Estrela do Mar Esporte Clube, nome originário de uma revista religiosa que circulava entre os paroquianos. A denominação do clube foi sugerida por um componente de grupo que se reuniu para discutir qual o nome da que daria a nova agremiação futebolística. “Baú”, apelido do irmão do excelente jogador do Botafogo e Seleçao Paraibana de nome Eugênio, foi a pessoa que apresentou o nome ESTRELA DO MAR e que logo recebeu a aprovação de todos.

 

As cores do novo clube foram com base nas vestes da Virgem Maria – o azul celeste e o branco – , que ainda hoje continuam inalteradas, mas na lembrança dos apaixonados pelo clube. Frei Albino, um dos fundadores e incentivadores da prática desse esporte, era a mola-mestra, o esteio que sustentava a agremiação. De um pequeníssimo campo e uma sede precária, o frade conseguiu transformar tudo aquilo. Com esforço e dedicação conseguiu verbas na Alemanha, destinadas à agremiação para construir o prédio que serviu de sede do clube e, também, autorização para ampliar a área esportiva (como esteve por muitos anos à vista de todos).

 

Em 1956 o clube participou do campeonato de amadores promovido pela Federação (não havia segunda divisão naquela época), sendo campeão invicto da temporada. Dessa jornada participaram: Brandão, André, Pinheiro, Hélio, Breno Formiga, Gilberto Cara de Gato, Hermes Taurino, Caju, J. Heráclito, Roberto Biribita, Izinho, Valdecir Pereira, Adjamir, Carrinho e Lauro Almeida.

 

O Estrela do Mar foi tri-campeão aspirante nos anos 58/59/60. No ano de 1957 o clube passou a disputar o Campeonato Paraibano de Profissionais. Foi vice-campeão paraibano em 1958, e, em 1959, sagrou-se campeão estadual (Imagem 1), utilizando nessa temporada os seguintes atletas: Jola, Carrinho, Davi, – Gilberto Cara de Gato, Tem. Gilberto e Aderbal Pitombeira (goleiros), Hermes Taurino e Teófilo Luna, Coelhinho, Caju, Lúcio Câmara, Izinho (Antenor Pereira), Emilson Adjamir, Valdecir Pereira, Celso Piaba (Imagem 2). Os diretores: Severino Holanda, mais conhecido por “Viu” e Lucemar Navarro; Pedro Gomes; Rômulo Camboin, a que todos o chamavam Senhor Pila e João Batista Cruz, foram os colaboradores eficientes na vida do clube. Depois deles, os antigos pupilos – “as crias de casa” -, conduziram, bem ou mal, os destinos do clube até o ano de 2003 quando foi extinto.

 

Imagem 1. Notícia publicada no jornal “A União” em 1959

Imagem 2. Atletas que faziam parte do time campeão paraibano de futebol de 1959

O clube, desde a morte de Frei Albino, passou a ser dirigido por sócios-atletas, isto é, pelos jovens de antigamente, a exemplo de Marcos Macena, de José Freire, de Carlos Pereira (Carrinho), de Emilson, de Roberto Oliveira, de Jobério Martins, de Gladston Castro (Estaca) que foi o último presidente. *[1]

 

* Trecho retirado do livro  “Retratos De Jaguaribe: Um Passeio Histórico” de autoria de Emilson Ponce de Leon Ribeiro.

[1] RIBEIRO, E. P. L.  Retratos De Jaguaribe: Um Passeio Histórico. 2ed. João Pessoa: Mídia Gráfica e Editora, 2012, v.1, 350 p.

 

Fonte: Estrela do Mar Esporte Clube e Jornal “A União”.

Compartilhe...