Arquivo da categoria: Ceará

Torneio Início Cearense – 1944

Data: 04 de junho de 1944
Local: Fortaleza – CE

1º jogo – Ceará 0x0 Fortaleza (1×0 esc)
2º jogo – Maguari 3×0 Peñarol
3º jogo – Luso 2×0 Ferroviário
4º jogo – Maguari 1×0 Ceará
Final – Maguari 4×0 Luso

Campeão – Maguari Esporte Clube (Fortaleza – CE)

Fonte: Diário de Pernambuco – PE

Torneio dos Campeões de Futsal – 1960

PERÍODO: 25 A 29 DE MAIO DE 1960
	 05 A 07 DE AGOSTO DE 1960
LOCAL: GINÁSIO DO INSTITUTO DE EDUCAÇÃO, EM NATAL - RN

TURNO ÚNICO

25.05.1960	FLAMENGO(AL)    	4-1	CAMPINENSE(PB)
25.05.1960	BOLA PRETA(RN)  	4-3	FRANCISCO LORDA(CE)
26.05.1960	AMÉRICA(RN)     	7-2	FLAMENGO(AL)
26.05.1960	FRANCISCO LORDA(CE)	12-3	CAMPINENSE(PB)
27.05.1960	BOLA PRETA(RN)   	4-3	FLAMENGO(AL)
27.05.1960	AMÉRICA(RN)     	4-2	CAMPINENSE(PB)
28.05.1960	AMÉRICA(RN)       	4-3	BOLA PRETA(RN)
28.05.1960	FRANCISCO LORDA(CE)	10-3	FLAMENGO(AL)
29.05.1960	BOLA PRETA(RN)    	4-0	CAMPINENSE(PB)
29.05.1960	FRANCISCO LORDA(CE)	6-3	AMÉRICA(RN)

DECISÃO

05.08.1960	BOLA PRETA(RN)  	4-1	AMÉRICA(RN)
06.08.1960	FRANCISCO LORDA(CE)	5-4	BOLA PRETA (RN)
07.08.1960	FRANCISCO LORDA(CE)	9-4	AMÉRICA(RN)

CAMPEÃO - CLUBE ATLÉTICO FRANCISCO LORDA (FORTALEZA - CE)

Fonte: Diário de Natal - RN

Torneio Seletivo Cearense – 1971

EQUIPES PARTICIPANTES:

Nº	EQUIPE                  	CIDADE
001	CALOUROS DO AR FUTEBOL CLUBE	FORTALEZA
002	FERROVIÁRIO ATLÉTICO CLUBE	FORTALEZA
003	FORTALEZA ESPORTE CLUBE 	FORTALEZA
004	GUARANY SPORTING CLUB   	SOBRAL

TURNO ÚNICO

14.08.1971	FERROVIÁRIO	1-1	CALOUROS DO AR
14.08.1971	FORTALEZA	1-1	GUARANY
18.08.1971	FORTALEZA	2-2	CALOUROS DO AR
18.08.1971	FERROVIÁRIO	1-1	GUARANY
21.08.1971	CALOUROS DO AR	1-4	GUARANY
21.08.1971	FERROVIÁRIO	1-1	FORTALEZA

		         J	V	E	D	GP	GC	PG
01º	GUARANY 	03	01	02	00	06	03	04
02º	FORTALEZA	03	00	03	00	04	04	03
03º	FERROVIÁRIO	03	00	03	00	03	03	03
04º	CALOUROS DO AR	03	00	02	01	04	07	02

DECISÃO DA 2ª VAGA

28.08.1971	FERROVIÁRIO	3-0	FORTALEZA

# CAMPEÃO - GUARANY SPORTING CLUB (SOBRAL - CE)

Fonte: Eugenio Fernandes Fonseca

Torneio Breno Vitoriano – 1973

EQUIPES PARTICIPANTES:

Nº	EQUIPE                   	CIDADE
001	AMÉRICA FUTEBOL CLUBE     	FORTALEZA
002	ASSOCIAÇÃO ESPORTIVA TIRADENTES	FORTALEZA
003	MAGUARI ESPORTE CLUBE    	FORTALEZA
004	QUIXADÁ FUTEBOL CLUBE    	QUIXADÁ

TURNO ÚNICO

17.11.1973	MAGUARI    	2-1	TIRADENTES
17.11.1973	AMÉRICA 	1-1	QUIXADÁ
24.11.1973	MAGUARI 	3-2	QUIXADÁ
24.11.1973	TIRADENTES	3-1	AMÉRICA
01.12.1973	TIRADENTES	2-1	QUIXADÁ
01.12.1973	MAGUARI 	1-0	AMÉRICA

		        J	V	E	D	GP	GC	PG
01º	MAGUARI 	03	03	00	00	06	03	06
02º	TIRADENTES	03	02	00	01	06	04	04
03º	QUIXADÁ	        03	00	01	02	04	06	01
04º	AMÉRICA 	03	00	01	02	02	05	01

# CAMPEÃO - MAGUARI ESPORTE CLUBE (FORTALEZA - CE)

Fonte: Arquivos de Eugenio Fernandes Fonseca / CE

I Taça Continental de Futsal – 1981

EQUIPES PARTICIPANTES:

ARGENTINA: NEWELLS OLD BOYS, ROSÁRIO CENTRAL
BRASIL: ATLÉTICO(MG), CORINTHIANS(SP), FLAMENGO (RJ), FLUMINENSE(RJ), GERCAN(SP), GRÊMIO(RS), MONTE SINAI(RJ), OLÍMPICO(MG), PALMEIRAS(SP), SÃO PAULO(SP), SUMOV(CE), VASCO DA GAMA(RJ)
PARAGUAI: OLÍMPIA
URUGUAI: PEÑAROL

OBS.: TODAS AS PARTIDAS FORAM DISPUTADAS NO GINÁSIO DO IBIRAPUERA, EM SÃO PAULO - SP

1ª FASE

GRUPO A

18.07.1981	FLAMENGO	0-0	OLÍMPICO
19.07.1981	OLÍMPICO	2-1	OLÍMPIA
19.07.1981	SÃO PAULO	1-1	FLAMENGO
20.07.1981	SÃO PAULO	2-1	OLÍMPIA
21.07.1981	FLAMENGO	2-1	OLÍMPIA
21.07.1981	OLÍMPICO	3-1	SÃO PAULO

GRUPO B

18.07.1981	CORINTHIANS	5-0	ROSÁRIO CENTRAL
19.07.1981	VASCO DA GAMA	3-0	CORINTHIANS
19.07.1981	GRÊMIO	        3-0	ROSÁRIO CENTRAL
20.07.1981	VASCO DA GAMA	7-1	ROSÁRIO CENTRAL
20.07.1981	CORINTHIANS	3-1	GRÊMIO
21.07.1981	VASCO DA GAMA	1-1	GRÊMIO

GRUPO C

18.07.1981	GERCAN	        4-2	PEÑAROL
19.07.1981	GERCAN    	3-1	FLUMINENSE
19.07.1981	SUMOV    	4-0	PEÑAROL
20.07.1981	SUMOV    	4-0	GERCAN
20.07.1981	PEÑAROL 	3-1	FLUMINENSE
21.07.1981	SUMOV    	0-0	FLUMINENSE

GRUPO D

18.07.1981	PALMEIRAS	12-0	NEWELL'S OLD BOYS
19.07.1981	MONTE SINAI	5-0	NEWELL'S OLD BOYS
19.07.1981	PALMEIRAS	1-0	ATLÉTICO
20.07.1981	MONTE SINAI	4-1	ATLÉTICO
21.07.1981	ATLÉTICO	8-2	NEWELL'S OLD BOYS
21.07.1981	PALMEIRAS	1-1	MONTE SINAI

QUARTAS DE FINAL

23.07.1981	PALMEIRAS	2-1	GERCAN
23.07.1981	VASCO DA GAMA	2-0	FLAMENGO
24.07.1981	SUMOV    	2-2	MONTE SINAI (3-1 PEN)
24.07.1981	OLÍMPICO	2-2	CORINTHIANS (2-0 PEN)

SEMI FINAL

25.07.1981	PALMEIRAS	2-2	VASCO DA GAMA (3-1 PEN)
25.07.1981	OLÍMPICO	1-1	SUMOV (3-1 PEN)

FINAL

26.07.1981	PALMEIRAS	1-0	OLÍMPICO

# CAMPEÃ - SOCIEDADE ESPORTIVA PALMEIRAS (SÃO PAULO - SP)

Fonte: Arquivos do Autor

O ranking de patrimônio dos clubes do Nordeste via balanços oficiais em 2018

Arruda, Cidade Tricolor, Ilha do Retiro, CT Wilson Campos, Frasqueirão, Barradão, Gigante do Agreste, Ninho do Gavião etc. Entre estádios, centros de treinamento e sede sociais, 15 clubes do Nordeste possuem patrimônios físicos milionários. Uma forma segura para conseguir mensurar este cenário é através dos balanços fiscais publicados anualmente. Geralmente, os bens (entre imóveis e móveis) são contabilizados como ativos, no tópico ‘imobilizado’. Aqui, listo os dados divulgados em 2018 – ao menos entre os acessíveis na internet, pois clubes como CSA e Campinense, donos de estádios de menor porte, não exibiram os relatórios.

O ranking, com quatro clubes pernambucanos nas quatro primeiras colocações, foi elaborado em duas linhas. Na primeira, o valor bruto do patrimônio, ou ‘valor de custo’, que considera o investimento dos clubes na aquisição ou construção. A ressalva é necessária porque o ativo exposto anualmente sofre uma depreciação, para estimar as vidas úteis de cada bem, com taxas de redução diferentes: 4% para imóveis, 10% para máquinas, móveis e utensílios e 20% para veículos. Na prática, nenhum clube se desfaz de imóveis (ou ao menos não deveria). Um ponto interessante sobre essa depreciação é o caráter meramente contábil, não relacionado, necessariamente, ao valor real de mercado. Como exemplo disso, o estádio do Santa Cruz.

Em 2017, a comissão patrimonial do tricolor encomendou uma avaliação independente do estádio, sem contar os terrenos do CT Waldomiro Silva, em Beberibe, e CT Ninho das Cobras, na Guabiraba (ambos sem estrutura). Nesta análise particular, o Mundão valeria R$ 274 milhões, num aumento de 330% em relação ao balanço oficial, com a cifra pregada há anos.

Pela falta de atualização, por decisão do próprio clube, o patrimônio coral ficou abaixo do Central – cujo estádio fica num bairro nobre de Caruaru, Maurício de Nassau, sendo avaliado em R$ 88 milhões e costumeiramente sondado por construtoras. Outro time do interior, o Sete de Setembro, aparece no top ten regional por causa do estádio – embora hoje dispute a Série A2 do Campeonato Pernambucano. Saindo do âmbito estadual, o Vitória não reavalia os seus imóveis desde 2006. O Barradão, por exemplo, aparece com o valor congelado de R$ 10,4 milhões, com as obras no CT do leão da barra estipuladas em 3,7 mi.

O patrimônio segundo o valor de custo (entre parênteses, os principais bens)*
1º) R$ 175.421.297 – Sport (Ilha do Retiro e clube, 110 mil m²)
2º) R$ 172.240.502 – Náutico (CT de 49 hectares, Aflitos e clube, 41 mil m²)
3º) R$ 96.400.000 – Central (Lacerdão e terreno)
4º) R$ 63.739.000 – Santa Cruz (Arruda e clube, 58 mil m²)
5º) R$ 38.391.000 – Bahia (CTs Fazendão e Cidade Tricolor)
6º) R$ 23.981.250 – Vitória (Barradão, CT e chácara da base)
7º) R$ 18.005.750 – Sete de Setembro (Gigante do Agreste e terreno)
8º) R$ 14.473.927 – América de Natal (terrenos e imóveis)
9º) R$ 10.386.613 – ABC (Frasqueirão e terreno)
10º) R$ 8.019.862 – Ceará (Cidade Vozão e imóveis)
11º) R$ 3.952.393 – Treze (PV e imóveis)
12º) R$ 3.297.760 – CRB (imóveis)
13º) R$ 2.990.648 – Porto (CT de 10 hectares)
14º) R$ 2.265.639 – Fortaleza (máquinas e benfeitorias em imóveis de terceiros)
15º) R$ 1.744.970 – América do Recife (sede)
* Entre os clubes acima de R$ 1 milhão, considerando os balanços na web entre 2013 e 2018

Considerando o G7 do Nordeste, formado pelos três grandes do Recife, os dois grandes de Salvador e os dois grandes de Fortaleza, chega-se a R$ 484.058.550. No entanto, o trio de ferro pernambucano representa 85% disso, com R$ 411.400.799 – os três possuem estádios centralizados. Já em Salvador o Bahia passou por um processo de incorporação em 2016, quando o patrimônio subiu 10 milhões, após um acordo com a OAS sobre a Cidade Tricolor.

Por outro lado, chama atenção a ausência dos centros de treinamento de Ceará e Fortaleza. No caso do vozão, o clube ainda está no processo de quitação do empreendimento – pagou 56 das 72 parcelas, ou R$ 4,4 mi dos R$ 5,7 mi. O blog considerou o CT no patrimônio do clube – com o valor total do CT na lista acima e o valor já pago na lista abaixo. A situação é incomum, mas não é exclusiva da capital alencarina. Em Pernambuco o Sport aparece à frente nos dois rankings mesmo sem citar o CT de Paratibe em seu patrimônio, pois o utiliza através de aluguel (R$ 2,1 mi por 90 anos) a uma organização ligada ao próprio clube rubro-negro.

O patrimônio segundo a depreciação acumulada até 2017*
1º) R$ 136.164.999 – Sport
2º) R$ 134.489.222 – Náutico
3º) R$ 63.739.000 – Santa Cruz
4º) R$ 37.083.000 – Bahia
5º) R$ 13.168.049 – Vitória
6º) R$ 9.985.781 – ABC
7º) R$ 6.596.598 – Ceará
8º) R$ 2.730.224 – Porto
9º) R$ 1.894.251 – Fortaleza
10º) R$ 1.699.669 – América do Recife
* Entre os clubes acima de R$ 1 milhão, considerando os balanços na web em 2018

Pesquisa de Cassio Zirpoli