Arquivo da categoria: Escudos

Inédito! Club Athletico Praiano – Rio de Janeiro (RJ): Fundado nos anos 30!

O Club Athletico Praiano foi uma agremiação da cidade do Rio de Janeiro (RJ). O Grêmio da faixa azul” foi Fundado no início da década de 30. A sua Sede ficava localizado no bairro de Ipanema, na Zona Sul do Rio.

Alguns presidentes: Sr. Ubiratan Napoleão (1933), Jorge Dias Vaz (1937). Além do futebol, o clube também possuía uma equipe de ciclismo, natação e atletismo.

O seu grande rival era o Oceano Football Club. Quando se enfrentavam os jornais destacavam o clássico como “O Fla-Flu de Ipanema”.

Em 1935 e 1936, disputou o Campeonato Carioca do Sport Menor (Campeonato Inter-Clubs), pela chave Zona Zona Sul, patrocinado pelo Gazeta de Notícias.

Uma das últimas notícias sobre o Club Athletico Praiano aconteceu no domingo, do dia 22 de maio de 1938, enfrentou o Ceres Futebol Clube, no bairro de Bangu, na Zona Rural (atual Zona Oeste).

Algumas Formações

Time de 1936: Geraldo; Marques e João; Severiano, Thomé e Elpídio; Odilon, Antônio, Cardeal, Soares e Sylvo.

Time de 1937 (Primeiros Quadros): Benedicto; Nacional e Nariz; Rapha (Mosquete), Thomé e Sylvio; Bahiano, Antonico, Dorico (Aurelio), Cardeal e Paulista.

Time de 1937 (Segundos Quadros): Geraldo; Torgado (Donô) e China (Mô); Jorge, Henrique e Cabral; Odilon (Albino), Artelino (Toni), Tião, Olegário (Mario) e Vivi.

 FOTOS: Álbum Bala Favorita de 1935 – Time posado (Gazeta de Notícias)

 FONTES: A Noite (RJ) – Beira-Mar: Copacabana, Ipanema e Leme (RJ) – Diário da Noite (RJ) – Gazeta de Notícias (RJ) – Jornal dos Sports (RJ)

Foto rara de 1978: No dia que o Leite Glória derrotou o poderoso America Football Club, do Rio (RJ)

Após o encerramento do Campeonato Carioca da 1ª Divisão de 1978, os clubes cariocas, como de costume naquela época, realizavam uma série de amistosos a fim de arrecadar dinheiro para manter e poder pagar o seu elenco. E, nesses jogos eram comuns os grandes clubes enfrentarem equipes menores no interior do Rio e, até equipes amadoras.    

E, no America Football Club – então treinando no Estádio Volnei Brauney, no bairro do Andaraí – confirmou uma série de amistosos, dentre eles, contra o Grêmio Recreativo Esportivo Glória.  

E quem era o GRE Glória ou Leite Glória? Foi uma agremiação Fundada em 1971, por funcionários da fábrica Leite em Pó Glória. A sua Sede e o campo ficavam localizados dentro da empresa, na Avenida Presidente Dutra, nº 733, na Cidade Nova, em Itaperuna, no Noroeste Fluminense do estado do Rio de Janeiro.  

O elenco do Leite Glória, todos trabalhavam na empresa, onde disputavam o Campeonato Citadino de Itaperuna, no qual lideravam o certame. E, convidaram o poderoso America do Rio para um amistoso.

A diretoria do Mecão acertou quatro amistosos: 7 de dezembro diante do Leite Glória, em Itaperuna; 10 de dezembro diante do Serrano, em Petrópolis; 14 de dezembro diante do Seleção de Três Rios, em Três Rios; 17 de dezembro diante do Volta Redonda, na cidade do Aço. O America recebeu Cr$ 120 mil por apresentação.

Clube da Campos Sales seguiu para O Noroeste do estado

A delegação americana seguiu num ônibus especial, às 8 horas da manhã da quarta-feira, do dia 06 de dezembro de 1978, onde ficou hospedado no Hotel Raposo, localizado a 20 km de Itaperuna. Hoje, com as estradas numa condição melhor, essa mesma viagem demora mais ou menos em 5 horas e 18 minutos, aproximadamente 318,2 km (via BR-116 e BR-393).

Para essa partida, o técnico Jaime Valente aproveitou para levar alguns jogadores juvenis: os zagueiros Zé Paulo, Lauro e Jorge Lima; o apoiador Duarte e o goleiro Jurandir. Completando os reservas: Álvaro, Peixoto e Silvinho, por terem nascido na cidade e o zagueiro Alex, foram homenageados pela Prefeitura de Itaperuna.

Deu Leite Glória na cabeça!

 
EM PÉ (esquerda para a direita): Zé Luiz, Expedito, Célio, Mário Venâncio, Adênis e Capucha.
AGACHADOS (esquerda para a direita): Daniel, Pacote, Alcebíades, Fofinho e Adãozinho.

A partida foi realizada naquela noite (06/12/1978), às 21 horas, no Estádio Jair Bittencourt, no Centro de Itaperuna. E, para a surpresa de muitos, o time valente e aguerrido do Leite Glória acabou derrotando o America do Rio pelo placar de 2 a 1, levando o bom público presente ao delírio!

O America começou melhor e abriu o marcador aos 23 minutos, por intermédio de Léo Oliveira. A alegria só durou por nove minutos, quando o ponta direita Daniel deixou tudo igual aos 32 minutos. Sete minutos depois, pênalti a favor do Leite Glória! Fofinho, cobrou com categoria, estabelecendo a virada. Na etapa final, o America até tentou, mas esbarrou no bom sistema defensivo do GRE Glória.

Fim de jogo, e, certamente, o Grêmio Recreativo Esportivo Glória festejou a maior vitória da sua história. Após a partida, os donos da casa receberam o  Troféu Prefeito Orlando Tavares (então prefeito da cidade de Itaperuna, entre 1977 a 1983. Essa era a terceira vez que Orlando Tavares tinha sido prefeito da cidade. Antes foi prefeito em 1962 e 1967 a 1971).

O America, que recebeu a cota de Cr$ 60 mil (sessenta mil cruzeiros) pela partida, retornou ao Rio, na manhã da quinta-feira, dia 07 de dezembro de 1978. Para o Mecão apenas mais um amistoso, mas para os jogadores do Leite Glória uma eterna e linda lembrança!

America: Carlos Afonso; Zé Paulo (Alex), Heraldo, Jorge Lima e Jorge Valença; Wilson, Léo Oliveira e Silvinho; Hugo, Paulo César e Renato. Técnico: Jaime Valente.

GRE Glória: Adênis; Mário Venâncio, Expedito, Zé Luís e Capucha; Célio, Pacote e Alcebíades; Daniel, Fofinho e Adãozinho. Técnico: Ayres Lopes.

Colaborou: Orlindo Farias, de “Retratos do Futebol Fluminense”

FOTO: Acervo de Aryllion Magalhães Queres

FONTES: Jornal dos Sports (RJ) – O Fluminense (RJ) – Tribuna da Imprensa (RJ)

Inédito!! Penha Circular Football Club – Rio de Janeiro (RJ): Fundado em 1929

O Penha Circular Football Club foi uma agremiação da cidade do Rio de Janeiro (RJ). Fundado na quarta-feira, do dia 1º de Maio de 1929, com o nome de  Sport Club Penha Circular.

A sua Sede ficava localizada na Travessa Melchiades, nº 18, na Penha Circular, na Zona Norte do Rio, inaugurada na noite de sábado, do dia 29 de outubro de 1932. Posteriormente, se mudou para a Rua Francisco Ennes, nº 133, na Penha Circular, na Zona Norte do Rio.

Além do futebol, o Penha Circular ainda disputava as competições no Ping-Pong (Tênis de Mesa). Na terça-feira, do dia 13 de Julho de 1932, foi instalado uma Junta Governativa para dirigir durante algum tempos destinos do clube.

Presidente – Eleuterio Cavalcanti;

Thesoureiro – Alfredo Santa’Anna;

Secretario – Rubens Mendonça;

Procurador – Mario Seccarelli;

Diretor Sportivo – Humberto Magalhães.

Em agosto de 1933, estava participando das competições organizadas pela Liga Sportiva Athletica Leopoldinense (LSAL), com outras sete equipes: Athletico Club Cordovil, Rio de Janeiro Football Club, Magé Football Club (sede na Rua Magé, nº 8, na Penha), Alliados da Penha Football Club, Alliados do Ideal Football Club, Belisario Penna Football Club, Cortume Carioca Football Club (Penha).

No final, Magé ficou com o título, enquanto o Alliados do Ideal ficou com o vice. Nos Segundos Quadros, o campeão foi o Cordovil, enquanto o Magé terminou em segundo lugar. No Torneio Início da LSAL, Alliados do Ideal levantou a taça, quando bateu na final o Cordovil.

Já em 1934, o Magé Football Club ficou o título, com o Athletico Club Cordovil terminou com o vice. Nos Segundos Quadros as posições se inverteram: o Athletico Club Cordovil foi o campeão, enquanto o Magé Football Club ficou em segundo lugar.

Classificação Final (Primeiros Quadros)

CLUBESPGJVEDGPGCSG
Magé F.C.21121011   
Rio de Janeiro1212525   
Cordovil1012345   
Alliados do Ideal912336   
Penha Circular81248   
Belisario Penna512219   

Classificação Final (Segundos Quadros)

CLUBESPGJVEDGPGCSG
Cordovil2312111   
Magé F.C.1912912   
Alliados do Ideal1812741   
Rio de Janeiro1012426   
Penha Circular812246   
Belisario Penna612228   

Em 1935, disputou o Campeonato Carioca do Sport Menor, pela chave Zona da Leopoldina.

Em 1938, “Sport Club Penha Circular” era filiado a Liga de Sports da Penha, subordinado a Federação Athletica Suburbana (FAS). Participaram sete clubes: Maravilha Football Club (Penha), Associação Sportiva Penha, União da Penha Football Club, Em Cima da Hora Football Club, Fortaleza Football Club (Penha) e Sport Club Independente.

Algumas formações

Time base de 1930: Bahiano; Pedro e Ernani; Mario, Targino e Bacurau; Negrito, Humberto, Casanova, Oliveira e Gallo.

Time base de 1932 (Primeiros Quadros): Ramos (Waldemiro); Enéas (Antônio) e Broquella (Chatô ou Light); Armando (Mario), Neves (Odilon) e Corrô (Bacurau ou Bidiu); Helio (Bolão), Octacilio (Oswaldo), Jayme (Domingos), Tito (Barata ou Russo) e Gilberto (Caio).

Time base de 1932 (Segundos Quadros): Marcos (Propheta ou Maroca); Juca e Gaúcho (João II); Arthur II (Barcellar), Humberto (Mario) e Bahia (Bacellar); Negrito (Lecarelli), Mendes (Arthur I), Mendonça, João II (Cotocô) e Benjamin (Furquilha).

Time base de 1933 (Primeiros Quadros): Ramos (Cap. Ou Aymoré); Eduardo (Carola) e Chatô (Ismael); Mario, Odilon (Andrade) e Gallo; Armando (Bombeiro), Oswaldo (Humberto), Targino (Aguiar), Dominguinhos (Sabino) e Alfredo (Caio).

Time base de 1933 (Segundos Quadros): Vicente; Juca e Viz; Arthur, Nunes (Baptista) e Armando; Arlindo, Alcino, Delphim, Jayme e Geraldo.

Time base de 1934 (Primeiros Quadros): Waldemar; Caio e Andrade; Theophilo, Angelo e Walfrido; Bolão, Oswaldo, Alvarenga, Sabino, Gallo, Alcino e Mario I.

Time base de 1934 (Segundos Quadros): Arthur II; Antonio e Coelho; Carlos, Manoel e Nunes; Mario, Gilberto, João, Geraldo e Arthur I.

Time base de 1935: Moraes (Quincas); Bolinha e Eduardo (Arnaldo); Mario (Cap.), Humberto (Viz) e Walfrido; Bolão, Jayme, Ângelo, João e Gallo (Sabino).

Time base de 1936: Moraes (Joaquim); Bangu (Batico) e Walfrido; Estrella (Edwiges), Humberto (Mosquito ou Aloysio) e Mario II (Viz); Bolão (Barata), Mario I (Waldimiro), Jayme, João e Nilo (Netto).

Time base de 1937: Tinoco; Vadinho e Mineiro; Humberto, Cadinho e Barata; Bolão, Sabino, Jayme, João e Esquerdinha.

Time base de 1938: Moraes; Alfredo (Bebê) e Tamarino; Targino (Fernando), Joaquim e Ruy (Barata); Bolão, Cláudio, Jayme, Sabino (Russo) e Esquerdinha.

IMAGEM: Álbum Bala Favorita de 1935

FONTES: A Manhã (RJ) – Diário Carioca (RJ) – Diário da Noite (RJ) – Diário de Notícias (RJ) – Jornal do Commercio (RJ) – Jornal dos Sports (RJ) – O Jornal (RJ) – O Radical (RJ)

Amistoso Nacional de 1948: Sete de Setembro (MG) venceu o C.A. Ypiranga (SP), na capital mineira!

O Sete de Setembro de Futebol e Regatas comemorando seu 35º aniversário da sua gloriosa existência, fez realizar, na tarde de terça-feira, do dia 7 de Setembro de 1948 (data esta que também é comemorado o Dia da Independência do Brasil), um jogo de futebol entre seu esquadrão principal e o Clube Atlético Ypiranga, de São Paulo, quadro que desfruta de invejável cartaz na Paulicéia, dada a campanha regularíssima que vem cumprindo no certame bandeirante.

O inglês Mr. Dewine foi árbitro da partida

Além do encontro interestadual, o público teve outro atrativo: o árbitro deste embate será internacional, pois vem de ser escolhido Mr. Dewine para se exibir em Belo Horizonte/MG.

O representante da Federação Mineira obteve permissão do Colégio de Árbitros para a ida de um juiz britânico, tendo os três ingleses feito um sorteio entre si pera indicar – quem apitaria em Belo Horizonte. O indicado foi Mr. Dewine, que teve excelente atuação, segundo os jornais cariocas, enquanto os jornais paulistas classificaram como péssima.

Foto colorizada
Após a partida, os jogadores dos dois clubes, segurando a bandeira do Brasil, foram saudar os torcedores presentes no Estádio Alameda, em Belo Horizonte/MG

Sete venceu o Ypiranga

O Sete de Setembro marcouseu aniversário com brilhante e expressiva vitória sobre o Ypiranga, de São Paulo. O score de 3 a 1 diz bem do merecimento do triunfo do modesto, mas brioso conjunto mineiro que, agindo com  extraordinário entusiasmo logrou abater seu valoroso adversário, que vinha de invicta temporada na Bahia (3 a 1, no Vitória; 7 a 3, no Esporte Clube Ypiranga e 5 a 0, no Esporte Clube Bahia, campeão dos campeões do Nordeste) e ocupa o segundo posto do campeonato paulista.

O jogo, que leve por palco o Estádio da Alameda, em Belo Horizonte/MG, apresentou duas fases distintas. Uma, o primeiro tempo, falho e descolorido; outra, a fase complementar, com um Sete voluntarioso e cheio de fibra, suprindo com o “coração” algumas falhas técnicas de sua equipe.

Os “setembrinos“, contrariando todas as previsões, depois de um primeiro tempo igual, em que ambos os contendores se esforçaram sem êxito por abrir a contagem, assumiram, no período final, inteiro controle das ações e chegou a marcar dois a zero, dando mesmo a impressão de que marcaria ampla contagem.

O Ipiranga, entretanto, ante a ameaça de uma derrota desmoralizante, se lançou todo inteiro ao ataque, tanto que seu tento de honra foi logrado pelo zagueiro Alberto, por ocasião de um escanteio. O Sete de Setembro, no entretanto, voltou à carga e veio a obter mais um gol, com que se encerrou o marcador.

Mazinho e Pradinho, da linha média do Sete

Os gols da partida

O 1º gol somente veio a se registar aos 14 minutos do segundo tempo, por intermédio de Rui. Aos 20 minutos, Esmerindo aumenta a contagem e aos 26 minutos, Alberto, na cobrança de um escanteio. obtém o único tento do Ipiranga. Aos 39 minutos, novamente Esmerindo vence Rafael, que substituíra Osvaldo, dando números finais a peleja.

Foi esta sem dúvida, o melhor presente que poderiam oferecer os atletas setembrinos à sua operosa diretoria, capitaneada pelo vereador-presidente Antônio Lunardi, esportista que vem proporcionando ao clube da Floresta dias de gala e magnificas realizações.

A atuação do Sete de Setembro, um espetáculo à parte na magnifica tarde esportiva, foi perfeita, marcando com precisão e segurança. Pelo jogo, o Clube Atlético Ypiranga recebeu a cota de 30 mil cruzeiros livres de hospedagem e transporte.   

Sete de Setembro F.R. (MG)     3        X        1        C.A. Ypiranga (SP)

LOCALEstádio Otacílio Negrão de Lima, “Alameda” (antigo campo do América MG), em Belo Horizonte/MG
CARÁTERTaça Sete de Setembro
DATATerça-feira, do dia 7 de setembro de 1948
HORÁRIO15 horas (de Brasília)
RENDACr$ 36.000,00 (trinta e seis mil cruzeiros)
PÚBLICONão divulgado
ÁRBITROO inglês, Mr. Dewine
AUXILIARESGeraldo Fernandes (FMF) e Graça Filho (FMF)
SETE DE SETEMBRORandolfo; Corsino e Oldack; Pradinho, Tim e Mazinho; Esmerindo, Ferreira, Rui, Nelsinho e Caldeirão. Técnico: Americo Tunes.
YPIRANGAOsvaldo (Rafael); Alberto e Giancoli; Reinaldo, Renato (Celso) e Belmiro; Liminha, Rubens, Silas, Bibe (Castro) e Valter. Técnico: Otavio Modolin.
GOLSRui aos 14 minutoa (Sete); Esmerindo aos 20 e 39 minutos (Sete); Alberto aos 26 minutos (Ypiranga), no 2º Tempo.

FOTOS: Acervo de Fabiano Rosa Campos, presidente do Sete de Setembro F.C.

FONTES: Sport Illustrado (RJ) – Jornal dos Sports (RJ) – Jornal de Notícias (SP)

Foto rara, de 1958: Seleção Catarinense Universitária

O Campeonato Brasileiro de Seleções Universitárias era uma tradição nas décadas de 50 e 60. A foto (abaixo) registra a Seleção Catarinense (FCDU – Federação Catarinense do Desporto Universitário) antes de jogo no estádio Adolfo Konder, em Florianópolis, em 1958.

O começo do desporto universitário no Brasil

Numa época de Glenn Miller, II guerra mundial e cultura da borracha, o Brasil ainda possuía muito do período dos barões do café, seus latifúndios e suas políticas intervencionistas na realidade nacional.

O esporte era algo deixado para poucos que ousavam se lançar em sonhos amadores, pelo simples prazer de tornar real do desejo de ver o Brasil ganhar alguma medalha olímpica, ou até mesmo (quem sabe?) uma copa do mundo de futebol. Tempos difíceis, doces tempos…

Em agosto de 1938, ocorreu a I Olimpíada Universitária Brasileira, na cidade de São Paulo. O evento contou com a participação de estudantes universitários cariocas, mineiros e paulistas, representando uma região de grande industrialização e forte poder político, onde se concentrava, também, a maior parte da população brasileira da época.

Esse é primeiro informe sobre a prática oficial de esportes no espaço universitário brasileiro, noticiado pela imprensa. Considerando-se a evolução do esporte no meio universitário neste período, os representantes de diversos estados da federação interessados no assunto apresentaram, no Congresso Nacional de Estudantes ocorrido na cidade do Rio de Janeiro, uma moção que teve aprovação unânime e que pode ser lida na sua íntegra, no box ao lado.

Corria, neste momento, o mês de agosto de 1939 e muito se trabalhou pelo esporte universitário nos elegantes salões do Hotel Suisso, localizado no mais carioca dos bairros, o da Glória.

EM PÉ (esquerda para a direita): Cláudio, não identificado, Torrado, Laudares, Élcio e Aníbal Gomes;
 
AGACHADOS (esquerda para a direita): Alberto, Toinho, Amante, Wirna e Erasmo.

Um pouco depois, precisamente a 28 de setembro de 1939, no Palácio dos Campos Elísios, em São Paulo, acontece o I Congresso Brasileiro de Desporto Universitário, patrocinado pelo Presidente da República e presidido pelo Interventor Federal do Estado.

O Congresso ficou reunido até o dia 04 de outubro do mesmo ano e efetivou, entre outras providências, a aprovação dos estatutos da entidade, o pedido de reconhecimento da entidade pelo governo federal, realizando ainda a eleição da diretoria para o biênio1940/42. Estiveram presentes a este congresso representações do Distrito Federal (Cidade do Rio de Janeiro), São Paulo, Minas Gerais, Paraná, Estado do Rio e Bahia.

FOTO: Acervo ‘Foto Anacleto/ND’

FONTES: Federação Catarinense do Desporto Universitáriosite ndmais.com.br

Foto rara, de 1958: Seleção de Governador Valadares (MG)

A foto (abaixo) em questão foi publicada na página no Facebook “Fotos Antigas de Governador Valadares MG”. Na Praça de Esportes, do Clube Atlético Pastoril, a Seleção Municipal de Governador Valadares se apresentou na quinta-feira, do dia 30 de janeiro de 1958, quando o munícipio estava comemorando o seu 20º aniversário de emancipação.

EM PÉ (esquerda para a direita): Marcelo Guzzella, Zirinho, Coelho, Jota, Bira, Pão Velho e Marinho;
AGACHADODS (esquerda para a direita): Lício, Wilson, Paulo Frauches, Paulo Bitaca, Carioca e o médico (não identificado).


Colaborou: Fabiano Rosa Campos

FONTES: página no Facebook “Fotos Antigas de Governador Valadares MG”

Esporte Clube Avro Paulista – São Paulo (SP): Campeão do Campeonato Paulista de Amadores da Capital de 1947

O Esporte Clube Avro Paulista foi uma agremiação da cidade de São Paulo. Fundado em Setembro de 1945, graças ao esforços dos funcionários do Serviço de Obras da 4ª Zona Aérea. Constituída a Primeira Diretoria, com os seguintes membros:

Presidente – Major Alberto Rodrigues Gomes;

Vice-Presidente – Tenente Humberto dos Santos Maito;

Secretário Geral – Ciro José Monteiro Brizola;

1º Secretário – Edmur Alvarez Machado;

2º Secretário – José Maciel;

Tesoureiro – Henrique Maia.

No começo da agremiação, possuíam dois departamentos: futebol e bola ao cesto (basquetebol). No futebol foram formados os Primeiros e Segundos Quadros, onde realizaram diversos amistosos contra as equipes de Fuselagem do Parque de Aeronáutica de São Paulo, da Contabilidade da Estrada de Ferro Sorocabana e do Banco Cruzeiro do Sul, estando invicto nesses jogos.  

Na quarta-feira, do dia 13 de fevereiro de 1946, o Departamento Amador da Federação Paulista de Futebol, admitiu na Segunda Divisão, os clubes: Vila Esperança Futebol Clube (campeão da Divisão Varzeana de 1945) e o Avro Paulista.  

Campeão do Torneio Início de 1946

A estreia aconteceu no Torneio Início da 2ª Divisão Amadora da Capital, diante do União Vila Esperança Futebol Clube, no domingo, às 13 horas, do dia 7 de abril de 1946, realizado no campo do Clube Atlético Juventus. O Avro Paulista. Fez uma bela campanha, conquistando o seu primeiro título em sua curta história.

Na estreia do Campeonato Paulista Amador da 2ª Divisão de 1946, o Avro Paulista não tomou conhecimento do Clube Atlético Vila Mazzei e goleou, em casa, por 3 a 0. Os gols foram assinalados por Waldemar, duas vezes, e Vale.

O time formou assim: Mandi; Alemão e Vale; Nunes, Barbosa e Quati; Aranha, Jayme, Waldemar, Laine e Pavão.

Nos Segundos Quadros, o Avro Paulista também venceu pelo placar de 3 a 2.

Campeão da 1ª Divisão de Amadores da Capital de 1947

A maior conquista do Esporte Clube Avro Paulista aconteceu em 1947, quando se sagrou campeão da 1ª Divisão de Amadores da Capital. A competição contou a participação de 10 agremiações:  

Clube Atlético Vila Mazzei;

Clube Esportivo Macabi;

Clube Recreativo Maria Zélia;

Clube Atlético Silvicultura;

Esporte Clube Avro Paulista;

Esporte Clube Vigor;

Lauzane Paulista Futebol Clube;

Minas Gerais Futebol Clube;

Oliveira Futebol Clube;

União Vila Esperança Futebol Clube.

O Jornal de Notícias (SP), contou assim: “No campo do C. E. Rae, na Ponte Pequena, realizou-se na tarde de ontem (domingo, do dia 21 de setembro de 1947) o prélio entre os quadros do E. C. Avro Paulista e os respectivos do C. A. Vila Mazzei.

O prélio, cujo desenrolar decorreu bastante animado, veio a terminar com o triunfo favorável ao Avro Paulista pela contagem de 3 a 2, que desta forma sagrou-se campeão da 1ª Divisão de Amadores da Capital de 1947. Pavão duas vezes, e Jaime, foram os marcadores dos tentos do ‘onze’ principal vencedor que alinhou: Mandi; Waldemar e Vale; Carde, Barbosa e Bala; Ivo, Orlando, Jaime, Claudio e Pavão. Na partida dos Segundos Quadros verificou-se empate de 1 a 1”.

Classificação Final (Primeiros Quadros)

CLUBESPGJVEDGPGCSG
E.C. Avro Paulista2816124472027
União Vila Esperança F.C.2216943391920
E.C. Vigor2116934361521
Lauzane Paulista F.C.2016844332211
C.R. Maria Zélia171673633303
C.A. Vila Mazzei15166372627-1
Oliveira F.C.13164573337-4
Minas Gerais F.C.51621311648-32
E.C. I.B. Macabi3161141226745
Obs.: O Clube Atlético Sivicultura foi desclassificado. O Minas Gerais Futebol Clube desistiu do Campeonato no final do returno.   

Classificação Final (Segundos Quadros)

CLUBESPGJVEDGPGCSG
C.R. Maria Zélia28161321541242
Lauzane Paulista F.C.27161231461234
C.A. Vila Mazzei17167361933-14
E.C. Avro Paulista171665537334
União Vila Esperança F.C.16165651924-5
Minas Gerais F.C.13165382021-1
E.C. Vigor10163491729-12
E.C. I.B. Macabi91641112864-36
Oliveira F.C.71623111820-2

Posteriormente, o Esporte Clube Avro Paulista disputou ainda em 1947, o Torneio dos Campeões Amadores da Capital, com outras cinco equipes: Sociedade Esportiva Palmeiras, Associação Atlética Vila Deodoro, Salada Futebol Clube, Cerâmica Futebol Clube e Esporte Clube União S. Teles.  A competição foi em turno único, e o Palmeiras foi o campeão, com a Vila Deodoro ficou em segundo.

De 1942 a 1958, o Torneio dos Campeões Amadores da Capital foi disputado entre os vencedores do Campeonato Amador da Capital, os vencedores do Campeonato Varzeano da Capital, os vencedores da Associação Classista de Esportes Atléticos (ACEA, Associação Atlética Desportiva de Classe), e os vencedores da Liga Esportiva de Comércio e Indústria (LECI, Liga Desportiva do Comércio e Indústria).

Classificação Final

CLUBESPGJVEDGPGCSG
S.E. Palmeiras10551129
A.A. Vila Deodoro6532811-3
Salada F.C.45231394
E.C. Avro Paulista452310100
Cerâmica F.C.4523610-4
E.C. União S. Teles2514511-6

Na quinta-feira, do dia 22 de Julho de 1948, o clube, com a competição em andamento, solicitou o seu afastamento do Campeonato da Divisão Principal da Série B, alegando dificuldade na ordem técnica. O Departamento Técnico da Federação Paulista de Futebol aceitou, mas pelo regulamento o Avro Paulista acabou rebaixado para o Departamento Varzeano da FPF.

Time base de 1946: Mandi (Walter); Erasto (Dotti ou Alemão) e Zuza (Afonso ou Vale); Quati (Zelão), Barbosa e Nunes (Claudio); Waldemar (Aranha ou Pascoal), Tico (Silva), Tavares (Fevereiro), Jayme (De Pato ou Laine) e Antoninho (Pavão).

Time base de 1947: Mandi; Waldemar e Vale; Carde, Barbosa e Bala; Ivo, Orlando, Jaime, Claudio e Pavão.

Time base de 1948: Fubá; Alemão e Anibal; Waldemar, Barbosa e Bala; Ivo, Orlandinho, Jaime, Cláudio e Pavão.

Colaborou: Rodrigo S. Oliveira

FOTO: Escola de Aviação São Paulo – Brasil “Papel Pega-Mosca” (28/09/1946) – Arquivo Campo de Ação

FONTES: Correio Paulistano (SP) – Jornal de Notícias (SP) – Diário da Noite (SP)

Inédito!! Sport Syrio Horizontino – Belo Horizonte (MG): três edições do Campeonato Mineiro na década de 20!

O Sport Syrio Horizontino foi uma agremiação da cidade de Belo Horizonte (MG). Não uma riqueza de informações relacionada ao Syrio. A sua fundação consta duas datas: no domingo, do dia 16 de abril de 1922 ou na terça-feira, do dia 17 de abril de 1923, por um grupo da colônia sírio-libanesa.

As cores escolhidas foram da bandeira da Síria, mas não atual, mas sim a que existia naquela época (imagem abaixo). As imagens encontradas do uniforme, em suma, possuíam duas formas (ambos listrados na vertical): verde e branco ou verde e preto.

Algumas sedes foram encontradas ao longo da sua existência: na Rua Tamóios; altos da Casa Saliba, no Centro de BH; Rua Caethés, no Centro, em BH; na Av. Afonso Pena, no Centro dois endereços: números 316 e 1.846.

Campeão do Torneio Início de 1926

O Syrio Horizontino debutou no futebol, disputando o Torneio Início de 1926, e de cara chegou na final e derrotou o Palestra Itália (atual Cruzeiro), se sagrando campeão!

Depois, no Campeonato Mineiro da 1ª Divisão de 1926, começou vencendo os quatro primeiros jogos: América Football Club (9 de maio – 2 a 1); Sport Club Calafate (6 de junho – 3 a 1); Guarany Foot Ball Club (27 de junho – 4 a 0); Palmeiras Foot Ball Club (29 de junho – 3 a 1).

Na sequência veio a primeira derrota: Atlético Mineiro (14 de julho – 5 a 2); fechando o turno com empate em 2 a 2 diante do Sete de Setembro Football Club.

O Syrio Horizontino terminou o primeiro turno na vice-liderança com 9 pontos (quatro vitórias, um empate e uma derrota), só atrás do Atlético Mineiro com 11 pontos (cinco vitórias e um empate).

No returno – no domingo, do dia 29 de agosto – começou empatando com o América (1 a 1). Contudo, logo após desistiu de disputar os cinco jogos restantes. Em razão disso, a Liga Mineira de Desportos Terrestres (LMDT), que organizava a competição, anulou todos os resultados do Syrio.

Primeira partida em nível nacional

No domingo, do dia 31 de outubro de 1926, realizou o seu 1º jogo nacional, diante do Syrio Libanez Athletico Club, do Rio de Janeiro. Após ir para o vestiário perdendo por 4 a 1, a equipe mineira tentou esboçar uma reação, mas acabou derrotado pelo time carioca por 6 a 4.

Campanha aquém 

Em 1927, o clube fez uma campanha ruim. Das 11 equipes participantes, o Syrio Horizontino terminou na 10ª posição (uma vitória, um empate e oito derrotas; marcando 16, sofrendo 35 e um saldo negativo de 19 tentos).

Syrio abandona competição e só retorna em 1930

Em 1928, disputou o 1º Turno somando três pontos (uma vitória, dois empates e seis derrotas; marcando 14, sofrendo 36 e um saldo negativo de 22 tentos).

Porém, desistiu, novamente, de disputar o returno alegando não ter campo para treinar. Ainda em 1928, o clube paralisou as suas atividades. Retornou dois anos depois (setembro de 1930).

Syrio foi excluído da LMDT

Um duro golpe, aconteceu quando a Liga Mineira de Desportos Terrestres (LMDT), por intermédio do presidente Anibal de Mattos, na quinta-feira, do dia 22 de outubro de 1931, eliminou sete clubes (America, Villa Nova, Sete de Setembro, Syrio Horizontino, Montes Claros, Uberaba e Vespasiano).

O motivo foi em decorrência de todos os clubes terem participado da ocupação na sede da Liga na segunda-feira, do dia 28 de setembro de 1931, onde assinalaram a ata de posse da diretoria proclamada pelos sete clubes que promoveram a deposição dos diretores da LMDT atual.

O time do Syrio de 1931: Tonico; Vevê e Jorge; Cruvina, Dazinho e Caria; Adolpho, Mundico, Cutão I, Canhoto e Mineiro.

Clube faz parte na criação de nova Liga

Na segunda-feira, do dia 7 de março de 1932, ajudou a Fundar a União Mineira de Esportes Geraes (UMEG), realizado na Sede do Palestra.  Os clubes que participaram da criação da nova liga foram os seguintes:

Societá Sportiva Palestra Itália (atual: Cruzeiro Esporte Clube);

Fluminense Football Club;

América Football Club;

Sete de Setembro Football Club;

Alves Nogueira Football Club;

Associação Mineira de Athletismo;

Uberaba Esporte Clube;

Sport Syrio Horizontino;

Vespasiano Football Club;

Esporte Clube Athletic;

Industrial Football Club;

Grêmio Ludopedio Calafate.  

Últimos passos

Após fundar a nova liga, a diretoria do Syrio Horizontino, no ano seguinte, desativou o seu departamento de futebol em razão da homologação do profissionalismo em 1933.

Em março de 1948, a União Síria Brasileira chegou a discutir a volta do futebol no Syrio, porém sem êxito. Três meses depois, o clube se filiou a Federação Mineira de Vôlei. Naquele momento, a quadra do Syrio ficava nos fundos da sua sede, localizado na Avenida Augusto de Lima, nº 1.255, no bairro Barro Preto, em Belo Horizonte/MG.

Colaboraram: Gerson Rodrigues e Fabiano Rosa Campos

FONTES: O Paiz (RJ) – O Imparcial (RJ) – Risos e Sorrisos (MG) – A Noite (RJ) – O Dia (PR) – Diário da Noite (RJ) – Rsssf Brasil – Henrique Ribeiro