Arquivo da categoria: Carências

Categoria criada a fim de listarmos aquilo que nos falta informações. E assim, quem sabe; finalmente conseguirmos eliminá-los de nossa lista!

Inédito!! Bento Ribeiro Football Club – Rio de Janeiro (RJ): existiu entre 1938 a 1949

Por: Sérgio Mello

O Bento Ribeiro Football Club foi uma agremiação da cidade do Rio de Janeiro (RJ). O Alviverde Bentoribeirense foi Fundado na quinta-feira, do dia 06 de Janeiro de 1938, graças ao Sr. Luiz Silva, um dos maiores comerciantes do local, que usou o seu prestigio para conseguir um grande número de adesões entre proprietários  e moradores, a fim de criar uma nova agremiação.

A sua Sede ficava localizada na Rua Gita, nº 2, no Bairro de Bento Ribeiro – Zona Norte do Rio (RJ). Dentre os comerciantes, que fazem parte do quadro social do Bento Ribeiro, estão: Arthur Esteves, Thomaz Castro Blanco, Manoel da Silva, Ezequiel Casimiro, Joaquim Louzada da Rocha, entre outros.

Antonio Aurino dos Santos, Raphael Palermo, José Bonilha, Roque Lazaroni, Aldevino Vasconcellos, Luiz Domingues, Donato Lanzoni e outros, são os proprietários que aderiram  a brilhante iniciativa de Luiz Silva.

A 1ª Diretoria foi constituída da seguinte forma: 

Presidente – Octacilio Thompson;

Secretário – Rodolpho  Martins;

Tesoureiro – Leoncio Ribeiro Machado;

Procurador – Manoel José de Mello;

Técnico – Luiz Domingues.

Obras de melhorias da Praça de Esportes da Rua Sapopemba

 Entre 1939 a 1940, o clube mandava os seus jogos na Praça de Esportes na Rua Sapopemba, s/n, em Bento Ribeiro. O local, apesar de amplo, tinha condições precárias.

Em 1940, disputou o Campeonato, organizado pela ASD (Associação Suburbana de Desportos). Visando ter um local de bom nível para os jogos, entre fevereiro a março de 1941, o clube fez obras de melhorias para ter uma Praça de Esportes de bom nível. Foram feitas melhoras, como por exemplo, o serviço de terraplanagem, cercar o terreno por meio de placar de cimento armado. 

Na quinta-feira, do dia 08 de maio de 1941, o Bento Ribeiro solicitou filiação a Federação Metropolitana de Football, para ingressar no Campeonato da Segunda Divisão da entidade.     

Entre o final de agosto e início de setembro de 1941, foi veiculado no jornal ‘A Manhã‘ uma possível fusão com o Estrela Futebol Clube também do bairro de Bento Ribeiro. O procurador dos “AmarelinhosOrlando Morais apresentou a sugestão a Diretoria do Estrela após entendimentos com o presidente do Bento Ribeiro, Sr. Nicolau Moreno.

No entanto, um dos vice-presidentes do Estrela, Sr. Artur Piedade Filho, se manifestou contrário a fusão,  conseguindo dissuadir os demais membros da diretoria. Assim, de forma oficial, o diretor do Estrela, Carlos Gomes Ribeiro afirmou que cada clube seguiria o seu caminho de forma independente.

A bandeira do clube do lado da bandeira do Brasil

1ª vez que o clube enfrentou uma equipe da Elite do Futebol Carioca

O Bento Ribeiro marcou um importante momento na sua história, no domingo, dia 05 de outubro de 1941, quando enfrentou, amistosamente, às 15h40min, o Madureira Atlético Clube, no Estádio da Rua Rolando Delamare (campo do Estrella Futebol Clube), em Bento Ribeiro.

Sob a presidência do Sr. Nicolau Moreno e o diretor Coronel João Rodrigues, foi a primeira peleja que a equipe Alviverde encarou um clube da Primeira Divisão do Rio. No final, melhor para o Alviverde Bentoribeirense que venceu o Tricolor Suburbano por 2 a 1.

No final de maio de 1942, o clube se filiou a FAS (Federação Athletica Suburbana).

Em amistoso, no domingo, do dia 06 de Dezembro de 1942, o Bento Ribeiro foi à Nilópolis e venceu o Nova Cidade por 2 a 0.

No fim de maio de 1943, o Alviverde Bentoribeirense se filiou na Federação Metropolitana de Football (FMF), na terceira categoria, “ad-referendum” da Assembléia Geral. Porém a FMF teria o compromisso de apresentar uma praça de esportes (própria ou arrendada).

Na sexta-feira, do dia 23 de agosto de 1946, o presidente Nicolau Morenoconfirmou que a partir dessa data o Sr. José Canuto, o ‘Juca’ (centroavante do Alvinegro) passaria ser o novo Diretor Técnico (traduzindo: novo treinador da equipe).

Participou do CampeonatoOctacílio Resendede 1949, promovido pelo Esporte Clube União de Marechal Hermes, onde fez um bom papel. Conquistando resultados expressivos, como a goleada em cima do Estrela Nova por 9 a 2, no domingo, dia 17 de abril de 1949, no Estádio de Marechal Hermes (atualmente o local, que já foi o Estádio Mané Garrincha, pertence ao Botafogo). Neguinho e José marcaram quatro tentos cada um; Ari fez um tento; enquanto Pau Queimado e Barcelos fizeram os gols do Estrela Nova.

No domingo, no dia 1º de Maio de 1949, venceu o Aliados Futebol Clube, também de Bento Ribeiro, pelo placar de 2 a 1. A renda da partida superou os 1.700 cruzeiros

No domingo, no dia 15 de Maio de 1949, goleou o Universidade por 7 a 3. Boca de Fogo foi o destaque com três gols, enquanto Juca, Paulo, Devanir e Waldir (contra) completaram os tentos para o Bento Ribeiro Futebol Clube. Gordinho, duas vezes, e Nilo Prata marcaram para o Universidade.

No domingo, no dia 12 de Junho de 1949, nova goleada. Dessa vez a vitima foi o Progresso Futebol Clube, que tombou pelo placar de 6 a 2. Wanderlei e Erasmo marcaram duas vezes, Boca de Fogo e Odir, com um tento cada, completaram para o Bento Ribeiro. Lasqueiro e Walter fizeram os gols do Progresso.

A partir do começo da década de 50, infelizmente, não foi mais encontrado notícias do modesto clube de Bento Ribeiro. E assim, se dizer adeus a agremiação desapareceu em definido, deixando um vazio até hoje não preenchido para o simpático bairro homônimo.         

Carteirinha de Sócio do Bento Ribeiro Futebol Clube (FOTO): 1952, a sede ficava na rua Gita e o campo na rua Apodi, este o senhor Antônio Mariano, morador do outro lado da linha do trem.

Diversas formações ao longo dos anos

Time base de 1938: Osmar; Jurandyr e Tuta; Andrade (Elzo), Pilão (Durval) e Reynaldo (Decio); Jahu, José, Orlando, Tim e Passos.

Time base de 1939: Osmar (Dizinho); Jurandyr e Tuta; Elzo, Andrade (Ary) e Reynaldo (Decio); Jahu (Durval), José (João), Orlando (Benedcito), Tim (Emílio) e Passos (Oswaldinho).

Time base de 1940: Russo (Bililim); Laércio (Lourival) e Tuta; Charuto (Reynaldo), Quíquito (Fausto) e Gerson; Mirinho, Nalva (Juca), Annibal, Alfredo e Pacheco (Passos).

Time base de 1941: Russo(Bililim); Lourival (Macumba) e Tuta (Heitor I); Camboré (Reinaldo), Fausto (Ney) e Gerson (Oscarino); Mirinho (Tide), Alfredo (Heitor II), Bichinho (Djalma), Annibal (Lemos) e Passos (Juca).

Time base de 1942: Russo; Princeza e Tuta; Terrozo, Fausto (Annibal) e Gerson; Amaral (Mirinho), Heitor (Julinho), Vavá, Dentinho e Passos.

Time base de 1943: Paulo; Tuta e Aloísio; Altair, Pires e Didico; Amaro, Oscar, Juca, Valdo e Querozene.

Elenco de 1946: Paulo, Tuta, Vilas Boas, Marcelino, Paulista, Bengala, Waldemar, Jair, Devanir, Tuma, Zequinha, Hilton, Odilon, Malhado e Mineirinho.  

Elenco de 1948: Paulo, Odilon, Juca, Wilson, Valdir, Mario C., Venício, Hildo, Marcelino, Jair, Baiano e Devanir.  

Time base de 1949: Osmar (Malhado); Tuta (Mauro) e Juca (Walter); Bengala (Marcelino), Odir e Erasmo (Natalino); Ari, Hildo (Wanderlei), Neguinho (Zequinha), Boca de Fogo (José) e Devanir.

FONTES: Jornal dos Sports – A Manhã – Diário Carioca  – Diário da Noite – Jornal do Brasil – Diário da Manhã – O Radical – O Jornal – Diário de Notícias – A Noite – Correio da Manhã – Sport Illustrado – Página no Facebook “Bento Ribeiro – Cultural”

Inédito!! America Suburbano Football Club  – Rio de Janeiro (RJ): 4 edições no Campeonato Carioca da 2ª Divisão, na década de 30

Por: Sérgio Mello

O America Suburbano Football Club foi uma agremiação do Bairro de Bento Ribeiro, situado na cidade do Rio de Janeiro (RJ). Fundado no sábado, do dia 22 de Julho de 1917, por um grupo de rapazes formados por: Annibal da Silva Cabral, Paulo da Silva, José Raymundo Maia, Misthon Galvão, Telmo Medeiros, Santos, Estanislau Cabral, Pedro Correa, Euclydes Martins, Antenor de Medeiros e Manoel Bonifácio. As suas cores era o vermelho e branco.

Campos e Sedes

O seu 1º Campo, em 1918, ficava na Rua Estrada de Sapopemba, nº 20, na estação Prefeito Bento Ribeiro. Depois, o seu 2º campo ficava na Rua Bento Ribeiro, próximo a Estação do bairro. A partir de 1927, adquiriu o terreno na Rua Rolando Delamare (antiga Rua Estrada de Sapopemba), n° 03, em Bento Ribeiro. Em outubro de 1930, o clube se mudou para a Sede provisória na Rua Emilia Ribeiro, nº 17, em Bento Ribeiro.

Ingressou na AAS e depois na LMDT

Ainda em 1918, ingressou na Associação Athletica Suburbana (AAS), faturando o título dos Terceiros Quadros, em 1919. O clube rubro ficou até 1927, quando se sagrou Campeão dos 1º Quadros (22 pontos em 16 jogos: com 10 vitórias, dois empates e quatro derrotas); nos 2º Quadros a campanha foi: 17 pontos em 17 jogos: com oito vitórias, um empate e oito derrotas; nos 3º Quadros a campanha foi: 22 pontos em 18 jogos: com nove vitórias, quatro empates e cinco derrotas.

Caiu nas semifinais

Em 1928, ingressou na Liga Metropolitana de Desportos Terrestres (LMDT). Na tarde de domingo, do dia 20 de Abril de 1930, o America Suburbano disputou o Torneio Início Carioca da Divisão Emmanuel Nery, da LMDT (Liga Metropolitana de Desportos Terrestres), patrocinado pela Associação Chronistas Desportivos, realizado no campo do Retiro Saudoso (propriedade do Mavilis), situado na Rua Carlos Seidl, no bairro do Caju.

Na estreia, com arbitragem de Honorato José Barbosa (do Brasil), o America Suburbano empatou sem gols com o Magno Football Club, mas superou nos escanteios: 1 a 0.

Nas semifinais, o America Suburbano acabou eliminado ao ser derrotado pelo Sport Club America (do bairro Méier e Lins), por 1 a 0, após uma bobeada do goleiro Princeza. O time formou com: Princeza; Bernardo e Botão; Álvaro, Mario e Euclydes; Allemão, Urbano, Nicastro, Abdias e Aristheu.

Praça de Esportes e a Sede inaugurados em 1931

Sob a presidência do Sr. Alfredo Luiz Pereira, a sua Praça de Esportes, localizado na Rua Rolando Delamare, n° 03 (próximo à Estação – Estrada Santa Isabel e Travessa D. Rosa), em Bento Ribeiro foi inaugurado no domingo, do dia 07 de Junho de 1931.

Na ocasião, o America Suburbano enfrentou, amistosamente, o Modesto, que venceu por 4 a 0. O jogo teve arbitragem de Haroldo .Dias da Motta. Nos Segundos Quadros, o Modesto também levou a melhor: 2 a 1.

Curiosidades: o terreno onde foi construído a Praça de Esportes era de propriedade do 2º tesoureiro e benemérito do clube: Annibal Cabral. O mesmo alugou o espaço do a construção do campo. (contrato estendido de 1932 a 1939).

Vale lembrar que o paraense Rolando De Lamare (natural de Belém do Pará, nasceu em 10 de novembro de 1988 e faleceu no Rio de Janeiro, em 20 de Julho de 1963), jogador e médico. Atuou pelo Botafogo, onde foi Campeão Carioca em três oportunidades: 1907, 1910 e 1912.

Rolando De Lamare se destacou e chegou a defender as cores da Seleção Brasileira de Futebol em 1914. Em 1912, se formou em Medicina pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ).

Longe dos gramados trabalhou como professor universitário e médico especialista em urologia. Nos anos 20, o então jogador recebeu uma homenagem no bairro de Bento Ribeiro, onde a Rua Estrada de Sapopemba, mudou de nome, passando a se chamar: Rua Rolando Delamare (atual Rua Sapopemba com a Rua Upiara), n° 03, em Bento Ribeiro.

No sábado, do dia 11 de Outubro de 1930, o clube inaugurou a sua nova Sede, situada na Rua Emília Ribeiro, nº 17, na Estação de Bento Ribeiro. A Sede foi inaugurada no sábado, do dia 20 de Junho de 1931, na Rua Rolando Delamare, nº 03, na Estação de Bento Ribeiro, onde ofereceu aos seus associados um grandioso baile.

Do campo do America Suburbano nada sobrou. Ficava entre as Ruas Sapopemba e Upiara

Curiosidades de 1932

Na segunda-feira, do dia 06 de Junho de 1932, a diretoria do America Suburbano foi na AMEA, a fim de inscrever o “center-half(médio-volante) Bernardino Lino. No entanto, Associação Metropolitana acabou recusando o registro, pelo fato do jogador ser analfabeto (não sabia ler e nem escrever).

Já no começo do mês de dezembro de 1932, alguns elementos do America Suburbano fundaram o bloco carnavalesco com um nome: “De Mim Ninguém Se Lembra“. 

Quatro participações na Segunda Divisão Carioca

Na terça-feira, do dia 24 de Março de 1931, ingressou na AMEA (Associação Metropolitana de Esportes Athleticos), onde disputou quatro edições do Campeonato Carioca da Segunda Divisão: 1931, 1932, 1933 e 1934.

A estreia aconteceu no Torneio Início da AMEA da 2ª Divisão de 1931, no domingo, do dia 19 de Abril, e o America Suburbano caiu diante do Engenho de Dentro por 2 a 0. O time jogou assim: Silva; João e Machado; Geraldino, Primeiro e Sylvio; Pedro Ary, Santos, Waldemiro, José e Braz.

Para a sequencia do campeonato, a diretoria trouxe um militar para reforçar o time: Waldomiro Bastos, o ‘Vavá’, vindo da Marinha de Guerra

No Torneio Início da AMEA da 2ª Divisão de 1934, no domingo, do dia 15 de Abril, realizado no campo do Rua Engenho de Dentro, o America Suburbano mesmo atuando com apenas 10 jogadores passou pelo Municipal por 1 a 0, gol de Landinho. O árbitro do jogo foi o Sr. Jacintho Macario Firmino dos Santos.

Time formou: Carlos; Escoteiro e Gaiola; Cheiro, Santana e Passarinho; Issú, Landinho, Bibinho e Mario.

Porém, na fase seguinte, o America Suburbano, ainda com um atleta a menos, deu adeus ao ser derrotado pelo o Brasil Suburbano pelo placar de 3 a 0. O árbitro foi Julio Gonzalez Fernandez.

Em 1933, a 1ª tentativa para mudar o nome

Na terça-feira, às 20 horas, do dia 30 de Setembro de 1933, foi realizado uma grande reunião com os sócios, na Rua Carolina Machado, nº 1.456 (sede do Club Recreativo Ala Direita), a fim de decidir a definição da nova diretoria e também mudança de nome da agremiação para Bento Ribeiro Football Club. A reunião foi remarcada para sexta-feira, às 20 horas, do dia 06 de Outubro de 1933, no mesmo endereço anterior.  

Em 1935, nova proposta para alterar o nome

Na quarta-feira, do dia 30 de Janeiro de 1935, foi realizado uma assembléia, às 20 horas, para tratar da fusão com o Gymnasio Bento Ribeiro. Contudo, devido a mal tempo foi transferida para a quarta-feira, dia 06 de Fevereiro de 1935, a Assembléia Geral, às 19 horas, na Sede social, na Rua João Vicente, nº 953 / Sobrado. Objetivo é a mudança de nome para Bento Ribeiro Football Club, e da fusão com outros clubes da localidade.

Reorganização do clube em 1936

No final do mês de outubro de 1936, após um período longe do futebol sofreu uma reorganização por meio de um grupo formado por João Moreira, o “Bocage”; Manoel Piedade; Apulchro Jacarandá; João Terra Nova; Annibal Cabral; João Annibal, o “Bohemio”; Estanisláo Cabral, Oswaldino Fernandes, Oswaldo Piedade, entre outros antigos associados reativaram a agremiação.

A diretoria foi constituída pelos seguintes membros:

Presidente – Zonostro dos Santos;

1º Vice-Presidente – Arthur Martins du Piedade;

2º Vice-Presidente – Bernardo Ferreira do Amparo;

1º Secretário – Floriano Casemiro Filho;

2º Secretário – Joaquim Dias Duarte;

1º Thesoureiro – Annibal da Silva Cabral;

2º Thesoureiro – Ernesto da Silva;

Commissão de Sports – João Moreira dos Santos, João Marques de Lima e João Annibal Bueno;

Commissão de Syndicancia – Apulchro Jacarandá, Estandislau da Silva Cabral e Antonio Garcia.

Ingressou na FAS em 1936

Na sexta-feira, do dia 18 de Dezembro de 1936, solicitou filiação à FAS (Federação Athletica Suburbana). O 1º reforço foi no gol: Waldemar Fausto dos Santos, mais conhecido por Princeza, que já figurou nos grandes clubes da cidade.

Campeão do Torneio Início de 1937

O America Suburbano faturou o seu 1º título após o retorno. No domingo, do dia 21 de Março de 1937, no campo da Rua João Pinheiro (propriedade do River), se sagrou Campeão do Torneio Início da FAS (Federação Athletica Suburbana), da Divisão Dr. João Machado.

No decorrer do Campeonato Carioca da FAS, a relação da diretoria para com a entidade foi se desgastando, por não concordar com a forma com a qual a competição estava sendo gerida.

Então, no dia 10 de Setembro de 1937, apesar do clube liderar tanto no 1º quanto nos 2º Quadros, a direção do America Suburbano comunicou o seu desligamento da FAS

 Na estreia, com arbitragem de Alvarino de Castro, o Alvirrubro venceu o Kosmos por 1 a 0. Na segunda fase, com Manoel da Silva Barbosa no apito, bateu o Avacelli também pelo placar de 1 a 0.

Na final, Agarino Sant’Anna foi o árbitro,  o America Suburbano venceu o Santíssimo pelo placar de 1 a 0, faturando um título inédito! O quadro campeão jogou com: Feliciano; Chico e Assis; Passarinho, Januário e Gaiola; Ary, Moacyr, Ernani, Delio (Walter) e Doca.

Algumas formações do America Suburbano

Time base de 1918: Mister (Cap. ou Antonio); Paschoal (Gabriel) e Anacleto (Horacio); Camello (Manoel), Nestor (Napoleão) e Julio (Maneco); Minas (Colou), Laurentino (Americano), Miguel (Aviador), Pé de Braza (Edmundo) e Nicotranco (Miguel).

Time base de 1919: Joca (Casemiro); Horacio e Gabriel; Napoleão (Cap.), Anacleto (Cantharina) e Miguel (Almeida); Americano, Dino, Meudo, Minas (Fausto) e Maneco (Oswaldino).

Time base de 1920: Affonso; Gabriel e Santos; Horácio, Durinho e Meudo; Oswaldino, Miguel, Boluca, Lima e Minas.

Time base de 1927: Euclides (Luiz); Arnaldo Silva (Oswaldino) e China; Dola, Mario e Neném; Marquellê, Gastão, Minas, Rubens e Adbias.

Time base de 1930: Princeza (Rubens); Ratto (Bernardo) e China (Bolão); Octacilio (Bom Cabello), Mario (Álvaro) e Euclydes (Aragão); Allemão (Mica), Tubano (Abdias), Nicastro (Gastão), Alcides (João) e Aristeo (Rubens Silva).

Time base de 1931: Chile (Durval); China (Oswaldo) e Aragão (Santos ou Machado); Pedro Ary (Waldemiro Bastos, o ‘Vavá’ ou Geraldino), Cirio (Mario ou Primeiro) e Galdino (Parafuso ou Sylvio); Braz (Mandureba), Manoelzinho (Gastão), Ernani (João), Reducino e Doca (José).

Time base de 1932: Chile (Euclydes ou Moyses); Waldomiro (Aragão) e Aganipio (Cap.); Mário, Mamede (Guimarães) e Oswaldo (Simão); Waldemar (Maria), Carioca (Roseira), Gereba (Faustino), Nelson Dolla (Landoleth) e Gastão (Ernani).

Time base de 1933: Chile (Durval); Aragão (Waldemiro) e Mário; Waldemar, China (Alamede) e Passarinho (Churria); Sobina (Moderato), Didinho (Donga), Peru (Gereba), Bola (Ernani) e Barton (Mario II).

Time base de 1934: Carlos (Rochinha); Escoteiro (Mario) e Gaiola (Ernani); Cheiro (Jayme), Santana (Virgilio) e Passarinho (Waldemar); Issú (Enéas), Landinho (Oliveira), Bibinho (Machado), Neto (Umbelino) e Waldemiro.

Time base de 1937: Princeza (Chico); Cheringa (Dantas) e Escoteiro (Dozinho); Sales (Jurandyr), Januário (Chico Preto) e Passarinho (Vicente ou Mario); Moderato (Escoteiro), Ary (Vieirinha ou Elmano), Passos (Gaiola), Ernani (Durval ou Rato) e Doca (Ismael).

FONTES: Google Maps – Página do Facebook: “Bento Ribeiro – Cultural” – A Batalha (RJ) – A Noite (RJ) – Correio da Manhã (RJ) – Diário da Noite (RJ) – Diário de Notícias (RJ) – Gazeta de Notícias (RJ) – Gazeta Suburbana (RJ) – Jornal do Brasil (RJ) – Jornal do Commercio (RJ) – Jornal dos Sports (RJ) – O Imparcial (RJ) – O Paiz (RJ) – O Radical (RJ)

Associação Athletica Suburbana (AAS) – Rio de Janeiro (RJ): Fundado em 1915

A Associação Athletica Suburbana (AAS), teve como 1ª Sede localizada na Estrada Real de Santa Cruz, nº 2.939, em Cascadura. Depois se mudou para a Rua Domingos Lopes, 213, na sobreloja, em Madureira. Foi Fundada na quinta-feira, do dia 27 de  Maio de 1915, por iniciativa do simpático e valoroso Metropolitano Football Club.

Na sede do clube foi idealizado a organização da AAS para os clubes não federados. As quatro agremiações que participaram foram: Pátria Football Club; Fidalgo Football Club; Opposição Football Club; Del Castilho Football Club. Outras oito equipes não compareceram, mas confirmaram que fariam parte da nova liga: Americano Football Club; Sport Club Tupy; Minas Football Club; Suburbano Football Club; Ideal Football Club; Bahia Football Club; Palmyro Football Club; Modesto Football Club

A 1ª Diretoria foi constituída da seguinte forma:                  

Presidente – Paschoal Nestro (do Pátria FC);

Vice-Presidente – Armandino de Moraes Costa (Del Castilho FC);

1º Secretário – Apollinario Garcez de Gralha (Metropolitano FC);

2º Secretário – Edgard Machado (Fidalgo FC);

Thesoureiro – Orlando Pereira Cardoso (Metropolitano FC);

Procurador a cargo de um representante do Opposição FC.

FONTE: Arquivo do autor

Leônidas da Silva, o “Diamante Negro” não foi craque só no futebol! Foi campeão Carioca da 2ª Divisão de Basquete pelo Bonsucesso F.C.

O craque Leônidas da Silva, o “Diamante Negro” construiu uma carreira brilhante pelos clubes onde passou. Aos 16 anos, já defendia as cores do São Cristóvão Athletico Club, onde marcou 31 gols em 29 jogos.

Entre 1930 a 1932, o jovem talento envergou a camisa do Bonsucesso Futebol Clube. Nesse período, marcou incríveis 55 gols em 51 jogos. Se no futebol, Leônidas era um gênio, em outra modalidade o “Diamante Negro” também era um dos melhores: Basquete.

A história que contaremos é o título do Campeonato de Basquete da 2ª Divisão da AMEA, de 1932, onde Leônidas da Silva foi um dos destaques do Bonsuça.   

Vamos contar um pouco desse feito do “Diamante Negro“!

O Basquete da 2ª Divisão da AMEA (Associação Metropolitana de Esportes Athleticos), que conta com a participação de 10 clubes, está, esse ano, cumprindo um dos campeonatos mais renhidos e brilhantes.

Com o resultado dos jogos da terça-feira, do dia  1º de Novembro de 1932, a colocação dos clubes concorrentes é a seguinte:

Nos Primeiros Teams, o torneio deverá ser decidido entre Bonsucesso e o Olaria, ambos com quatro pontos perdidos. O Bonsucesso medirá forças, na sexta-feira do dia  04 de Novembro de 1932, contra o Andarahy, o seu último embate, e o Olaria já jogou todas as partidas.

Na terça-feira, do dia  1º de Novembro de 1932, no campo do Edison, perante um numeroso público, o Bonsucesso obteve mais duas nítidas e brilhantes vitórias.

Nos Segundos Teams, em que o Edilson também era candidato ao título, saiu vencedor o Bonsucesso pela contagem de 13 a 6. O time formou com: João e Jorge; Adhemar, Delson e Pedro (Durval). Adhemar anotou 11 pontos e Delson fez dois.

Nos Primeiros Teams, também os louros da vitória couberam ao Bonsucesso pelo significativo placar de 26 a 2. O Bonsuça formou com: Marcello e Eurico (Walter); Almir, Teixeira e Leônidas. Almir foi o cestinha da partida com 16 pontos, seguido por Leônidas com oito pontos e Teixeira com dois.

Os juizes das partidas foram Carmo Arcuri e Guilherme Gomes, do Sport Club Mackenzie, que agiram com  imparcialidade e firmeza.

Decisão ficou entre os rivais suburbanos

A decisão do Campeonato de Basquete da 2ª Divisão da AMEA, ficou entre Bonsucesso e Olaria, numa melhor de três jogos. O Jornal dos Sports destacou como Leônidas da Silva era visto como jogador de duas modalidades esportivas:

Leônidas é um astro no Football e também magnífico jogador de Basketball fez um apelo aos sócios e torcedores do Bonsucesso:

Realiza-se nesta sexta-feira, às 21 horas e 30 minutos, do dia  18 de Novembro de 1932, o primeiro embate de melhor de três, com o Olaria, faço um veemente apelo a todos os sócios e torcedores do Bonsucesso para que não deixem de comparecer a campo do Fluminense e de animar a atuação dos jogadores que defendem as cores do rubro-anil.

Sendo uma partida de grande responsabilidade e que decidirá do campeonato de basketball da Segunda Divisão. Acredito que o presente apelo seja por todos atendido e que, no transcorrer do jogo, não se canse a entusiástica torcida bonsucessense de aplaudir as jogadas de nossa turma“.

Bonsuça saiu n frente

No 1º jogo, o Bonsucesso bateu o Olaria por 26 a 16, no ginásio do Fluminense, no bairro das Laranjeiras, na zona sul do Rio. A torcida do Bonsucesso lotou as dependências do ginásio.

Uma grande caravana de torcedores do Bonsuça vieram em três ônibus da light, que não se cansaram de animar e aplaudir as jogadas da turma de Leônidas.

O árbitro foi Haroldo Oést (Sport Club Brasil) e o fiscal Armando Paiva (Carioca Football Club). O Bonsucesso jogou: Teixeira (Eurico) e Marcello; Leônidas, Almir e Oliveira (Durval). O Olaria formou: Cotta e Pierre; João, Lobo e Chiamarelli.  

Almir foi o cestinha com 13 pontos; seguido por Leônidas com cinco pontos, Durval com quatro pontos, Oliveira e Marcello com dois pontos cada um.         

Bonsuça é Campeão da Segunda Divisão de Basquete de 1932

O 2º jogo, aconteceu na segunda-feira, às 21 horas e 30 minutos, do dia  21 de Novembro de 1932, no ginásio do Fluminense, no bairro das Laranjeiras, na zona sul do Rio. O árbitro foi Haroldo Oést (Sport Club Brasil) e o fiscal Loris Cordovil (Sport Club Brasil).

O Bonsucesso Futebol Clube voltou a vencer o Olaria Atlético Clube por 18 a 13, e ficou com o título da 2ª Divisão de Basquete da AMEA. A campanha foi 17 vitórias em 18 jogos.

Almir foi o cestinha com 10 pontos; seguido por Leônidas com quatro pontos, Josias e Oliveira com um ponto cada um. Segundo o Jornal dos Sports Almir e Leônidas tiveram atuações destacadas.

O Bonsucesso jogou: Eurico e Marcello; Josias (Oliveira, depois Durval e por fim entrou Teixeira), Almir e Leônidas.  

Os dez jogadores campeões dos Primeiros Teams:

Leônidas da Silva;

Álvaro Teixeira;

Marcellino Nascimento;

Almir Garcia;

Eurico Teixeira;

Adolpho de Oliveira Júnior;

Durval Caldeira Martins;

Josias Leal;

Henrique de Oliveira Filho;

Walter Nunes da Silva.

Rubro-anil também ficou com o caneco dos Segundos Quadros

Vale registrar que o Bonsucesso também ficou com o título nos Segundos Teams. Os jogadores campeões foram os seguintes:

Jorge Salles;

João Garcia;

Delson Fabrício;

Adhemar Moreira;

Pedro Guimarães;

Albino Carneiro;

Carlos Fernandes;

Fernando de Oliveira;

José de Alvarenga.

FONTES: Wikipédia – Jornal dos Sports

Escudo Raro de 1966: Clube Atlético Bragantino – Bragança Paulista (SP)

O Clube Atlético Bragantino (atual Red Bull Bragantino) é uma agremiação da cidade de Bragança Paulista (população de 172.346 habitantes, segundo o censo do IBGE/2021), localizado no interior do estado de São Paulo a 88 km da capital.

O “Massa Bruta” foi Fundado no domingo, do dia 08 de Janeiro de 1928, nas cores preto e branco. A sua Sede e o Estádio Nabi Abi Chedid (Capacidade para 15.010 pessoas), estão localizados na Rua Emílio Colela, nº 225, no bairro Jardim Nova Bragança, em Bragança Paulista (SP).

EM PÉ (esquerda para a direita): Ronaldo, Luisão, Lever, Hamilton, Walter e Luisinho;
AGACHADOS (esquerda para a direita): Osmar, Paraguaio, Aloísio, Toninho, Felício e Wilsinho.

O Bragantino teve um ápice no começo dos anos 1990, quando foi Campeão Paulista de 1990 e chegou à final do Campeonato Brasileiro de 1991, ficando com o vice.

Em março de 2019, associou-se à multinacional de bebidas energéticas Red Bull (sediada na Áustria Red Bull), mudando sua identidade para Red Bull Bragantino em 2020, onde inseriu a cor vermelha em seu tradicional uniforme alvinegro.

Estádio Nabi Abi Chedid — Foto: Divulgação/Red Bull Bragantino

Colaborou: Rodrigo S. Oliveira

FOTOS: Amauri Donizete Oliveira – Red Bull Bragantino

FONTES: Wikipédia – Site do clube

Amistoso estadual de 1956: Seleção de São Gonçalo (RJ) 6 x 1 Olaria Atlético Clube (RJ)

Seleção de São Gonçalo x Olaria Atlético Clube

A Seleção Gonçalense de Futebol amador, campeã do Campeonato de Seleções municipais do Estado Rio de Janeiro, enfrentou o time misto do Olaria Atlético Clube, do Distrito Federal conseguiu a sensacional goleada pelo escore 6 tentos a 1.

Após a partida, o atacante da Seleção Gonçalense, Cizinho foi convidado a treinar no clube da Rua Bariri. Porém, após alguns treinos o jogador acabou dispensado, retornando para o selecionado Gonçalense.  

SEL. SÃO GONÇALO (RJ) 6      X       1       OLARIA A.C. (RJ)

LOCALEstádio da Estação, em São Gonçalo/RJ
CARÁTERAmistoso Estadual de 1956
DATADomingo, do dia 1º de Abril de 1956
HORÁRIO15 horas (de Brasília)
RENDACR$ 4.000,00
ÁRBITROAntonio Gomes Moreira (FMF) Boa atuação
SÃO GONÇALODionísio; Vicente (Kleber) e Dilon; Edgar, Pururuca e Cid (Elisio); Nilo (Vavá), Airton, Lóza (Pequerrucho), Cizinho e Amaro (Jaime).  
OLARIACastilho (Antoninho); Didico e Antonio II; Antonio, Hildes e Wilson (Olavo); Jair, Humberto (Tião), Guaraci (Maxwell), Carlos e Esquerdinha.
GOLSNilo, Cizinho e Lóza (São Gonçalo); Carlos (Olaria), no 1º Tempo. Cizinho (de pênalti), Lóza e Airton (São Gonçalo), no 2º Tempo.  

FONTE: Arquivo pessoal – Noite (RJ)

Fotos Raras: Esporte Clube Comercial – Campo Grande (MS), Campeão estadual de 1975

EM PÉ (esquerda para a direita): Aranha, Higino Gamarra, Nandes, Henrique Pereira, Diogo e Jorge Carraro;
AGACHADOS (esquerda para a direita): Copeu, Dante, Bife, Golê e Carlinhos.
O treinador era José Carlos Bauer
EM PÉ (esquerda para a direita): Aranha, Waldir, Higino Gamarra, Henrique Pereira, Lulinha e Diogo;
AGACHADOS (esquerda para a direita): Zezé, Dante, Bife, Golê e Corisco.
O treinador era José Carlos Bauer

EM PÉ (esquerda para a direita): Aranha, Lulinha, Higino Gamarra, Henrique Pereira, Diogo e Jorge Carraro;
AGACHADOS (esquerda para a direita): Carlinhos, Juarez, Dante, Golê e Tonico.
O treinador era José Carlos Bauer

FOTOS: Acervos José Leôncio Carvalho – José Pupula da Silva – Elton da Costa Pinto