Arquivo da categoria: Paraná

Foto Rara de 1971: Esporte Clube Pinheiros – Curitiba (PR)

Time base que jogou o Campeonato Paranaense de futebol em 1971

EM PÉ (esquerda para a direita): Lucas, Deda, Iran, Tadeu, Zezinho e Silvestre;

AGACHADOS (esquerda para a direita): Ismael, Alex, Nei, Orlando e Zé Roberto.

FONTES: site Harpya Leilões

Escudo raro, de 1991: Esporte Clube 9 de Julho – Cornélio Procópio (PR): seis participações no Estadual

modelos de 1991

Por Sérgio Mello

O Esporte Clube 9 de Julho é uma agremiação do município de Cornélio Procópio (população de 47.840 habitantes, segundo a estimativa do IBGE/2021), localizado a 440 km da capital (Curitiba) do Norte Pioneiro do estado do Paraná.

O “Orgulho do Povo” foi Fundado na terça-feira, do dia 10 de Dezembro de 1974, por grupo de desportistas liderados pelos senhores: Laurindo Miyamoto e José Lagana.

A sua antiga Sede ficava na Rua Minas Gerais, nº 272, no Centro de Cornélio Procópio. A Sede atual está situada na Rua Presidente Castelo Branco, nº 197, no bairro Jardim Vitória Régia, em Cornélio Procópio. A equipe procopense manda os seus jogos no Estádio Independência e o Estádio Municipal Ubirajara Medeiros, com Capacidade para 5 mil pessoas.

Ao longo da sua história o Esporte Clube 9 de Julho disputou a Elite do Futebol do Paraná, em seis oportunidades: 1976, 1977, 1978, 1979, 1990  e 1991.

camisa de 1991

Campeão da Segundona de 1975

O 9 de Julho debutou na esfera profissional no Campeonato Paranaense da 2ª Divisão de 1975, organizado pela FPF (Federação Paranaense de Futebol). Com uma excelente campanha, o  9 de Julho se sagrou campeão, assegurando o seu acesso para a Elite do Futebol Paranaense.    

Debutante na Elite, 9 de Julho fez uma campanha modesta

Na sua estreia no Campeonato Paranaense da 1ª Divisão de 1976, organizado pela FPF (Federação Paranaense de Futebol), a equipe procopense terminou na 11ª posição, com 17 pontos em 26 jogos: cinco vitórias, sete empates e 14 derrotas; marcando 25 gols, sofrendo 35 e um saldo de menos 10 tentos.

Com Coutinho no comando, o 9 de Julho não foi longe

O ex-atacante Coutinho, famoso parceiro do rei Pelé, no Santos, iniciou a carreira de treinador em 1977, comandando o Esporte Clube 9 de Julho. No Estadual daquele ano, a equipe ficou no Grupo B. Num total de oito clubes, o 9 de Julho terminou na 6ª colocação, com 10 pontos em 14 jogos: três vitórias, quatro empates e sete derrotas; marcando 12 gols, sofrendo 20 e um saldo de menos oito tentos. O clube jogou a repescagem, porém acabou não se classificando.  

No Campeonato Paranaense da 1ª Divisão de 1978, o “Orgulho do Povo” ficou no Grupo B, com sete equipes. No final, terminou em 4º lugar, com seis pontos em seis jogos: duas vitórias, dois empates e duas derrotas; marcando três gols, sofrendo quatro e um saldo de menos um. Com isso, o 9 de Julho ingressou no Grupo E, mas acabou na lanterna.

Clube acaba rebaixado

No Estadual de 1979, o Esporte Clube 9 de Julho voltou a fazer uma campanha discreta. Num total de 18 equipes, o clube ficou na 13ª posição, com 27 pontos em 34 jogos: oito vitórias, 11 empates e 15 derrotas; marcando 25 gols, sofrendo 42 e um saldo de menos 17 tentos.

O clube só retornou a elite do futebol paranaense 11 anos depois. No Campeonato Paranaense da 1ª Divisão de 1990, que contou com a participação de 22 equipes. O Esporte Clube 9 de Julho ficou no Módulo Azul (com 11 times), terminando na última colocação, com 12 pontos.

time posado do 9 de Julho de 1991

No Campeonato Paranaense da 1ª Divisão de 1991, que contou com a participação de 24 equipes. O Esporte Clube 9 de Julho ficou no Grupo B (com seis times), terminando na 3ª posição, com 10 pontos em 10 jogos: três vitórias, quatro empates e três derrotas; marcando 12 gols, sofrendo 12 e um saldo zero.

Assim, o 9 de Julho avançou para o Grupo E (com sete equipes), ficando na 2ª colocação, com 16 pontos em 12 jogos: cinco vitórias, seis empates e uma derrota; marcando 13 gols, sofrendo 11 e um saldo de dois.

Dessa forma, o clube passou para a Fase Final do Estadual, que reuniu 14 equipes. No entanto, o desempenho não foi bom, com o Esporte Clube 9 de Julho terminando na penúltima colocação, o que determinou o rebaixamento: com 15 pontos em 26 jogos: quatro vitórias, sete empates e 15 derrotas; marcando 15 gols, sofrendo 36 e um saldo negativo de 21.

Em 1992, a diretoria do Esporte Clube 9 de Julho solicitou o licenciamento junto a Federação Paranaense de Futebol. E até hoje não retornou.

último modelo de 2021

Curiosidade do escudo postado

Nessa postagem em destaque do História do Futebol, se refere ao ano de 1991, quando o Esporte Clube 9 de Julho fez a sua última aparição na esfera profissional.

Historicamente, o clube tricolor utilizava as cores em azul, branco e vermelho. No entanto, nesse ano, o clube virou Quadricolor, agregando a cor preta. O seu escudo recente a cor preta aparecia nas letras do distintivo.  

Sai… O “9 de Julho” e entra… O “Athletico Cornélio Procópio”

Nesse ano, no mês de maio, o Esporte Clube 9 de Julho alterou o nome, passando a se chamar: Club Athletico Cornélio Procópio. Assim como antigo distintivo era inspirado no Fortaleza (CE), o novo também é semelhante ao modelo alternativo da equipe cearense.

O intuito da mudança é uma estratégia para ter uma identificação com o município e atrair o interesse do torcedores procopenses. Se vai funcionar ou não,só o tempo dirá.

Clube trabalha para retornar ao futebol profissional

Após mudar o nome, o clube ressurge após um período de inatividade. No dia 13 de maio foi realizada a apresentação do futebol profissional da equipe. Depois de muito tempo sem um representante, Cornélio Procópio vê com expectativa o retorno à esfera profissional.

O processo começou em 2016. No ano seguinte, o Clube deu início aos treinamentos da categoria de base, fazendo desde o início, um trabalho social com os atletas. Em 2018, nas suas primeiras competições, sagrou-se campeão municipal das categorias sub 13 e sub 15, e representou a cidade nos jogos abertos e da juventude.

Neste mesmo ano, participou também da copa londrinense, com uma ótima campanha, e conquistou o 3º lugar, sempre com muita responsabilidade e buscando auxiliar todas as crianças e jovens ao sonho de se tornar um atleta profissional.

Em 2019, um ano movimentado com duas avaliações técnicas, uma do Athletico Paranaense e outra do Clube de Regatas Flamengo (RJ), e através de uma parceria com o tricolor procopense, vários atletas se destacaram e foram avaliados em Curitiba e também no Rio de Janeiro.

Já em 2020, um ano atípico em todo o mundo pelo coronavírus, o clube ainda conseguiu sobressair perante as dificuldades, e o atleta Bruno Bianconi, revelado pelas categorias de base do clube, foi transferido para o Guarani de Campinas SP, e que hoje está integrado ao elenco profissional. O clube segue trabalhando com calma e buscando subir um degrau de cada vez até o retorno ao futebol profissional.   

Paraná Clube x 9 de Julho, em 1991

Algumas formações

Time base de 1977: Zico; Poli, Sidney, Luís Carlos e Nelson; Divino, Cacá e João Regina; Jonas, Ney e Wilson. Técnico: Coutinho.

Time base de 1978: Everton; Poli, Barra Mansa, Mirão e Rosquinha; Haroldo (Reinaldinho) e Chicão; Cacá, Jonas, João Luiz e Lourival (Roberto). Técnico: Maldana.

Time base de 1979: Rosaldo (Jabá ou Clarindo); Poli (Baltazar), Barra Mansa, Marmita e Nelson; Arnaldo (Mirão), Vassil (Nilson ou Menga) e Zé Antonio (Carlos Leite); Kleber (Mazinho), Paulinho (Lourival) e Ramirez (Batata). Técnico: Iracy Martins.  

Estádio Municipal Ubirajara Medeiros, com Capacidade para 5 mil pessoas.

Pesquisa, texto, desenho do escudos e uniformes: Sérgio Mello

FOTOS: Acervo de Rodrigo S. Oliveira

FONTES: site oficial do clube – PENEWS.com.br – Rsssf Brasil – Diário da Tarde (PR) – Diário do Paraná (PR)

Taça Paraná de 1972: C.E.S. União Medianeirense – Medianeira (PR) foi campeão!

Campeão de 1972

A principal competição do futebol amador do estado do Paraná é a Taça Paraná, organizado pela Superintendência da Federação Paranaense de Futebol (FPF), cujo responsável era Hugo Webr.

A edição de 1972, que contou com a participação de 32 equipes, foi realizado entre o domingo, às 15 horas, do dia 1º de Outubro de 1972 ao domingo, do dia 14 de Janeiro de 1973.

As 32 equipes foram distribuídas em oito grupos, com quatro times cada, onde se enfrentaram em turno e returno, dentro das suas chaves. Apenas o campeão de cada chave, avançou para as Quartas de Final, em jogos de ida e volta.

Se as equipes estiverem empatadas nos critérios de desempate, a decisão terá prorrogação de meia hora (15 minutos cada tempo). Se persistir o empate, será no saldo de gols, persistindo a igualdade o vencedor será definido na decisão por pênaltis.

Taças em disputa

O campeão recebeu o Troféu Presidente Jofre Cabral e Silva; enquanto o vice-campeão ficou com o Troféu Acelino Grande; por fim, a equipe mais disciplinada da competição ficaria com o Troféu Disciplina

A primeira fase contou com a participação de 32 equipes, divididas em oito grupos com quatro times cada.

Grupo I
Aquidaban Futebol Clube (Nova Esperança) Associação Esportiva Floraí (Floraí) Clube Atlético Loandense (Loanda) São Carlos Futebol Clube (São Carlos do Ivaí)

1ª Rodada (1º/10/72)

CA Loandense0X0São Carlos FCLoanda
Aquidaban FC5X2AE FloraíNova Esperança

2ª Rodada (08/10/72)

Aquidaban FCXCA LoandenseNova Esperança
São Carlos FC1X1AE FloraíParanavaí

3ª Rodada (15/10/72)

CA Loandense3X0AE FloraíLoanda
São Carlos FC2X1Aquidaban FCSão Carlos do Ivaí

4ª Rodada (22/10/72)

São Carlos FCXCA LoandenseSão Carlos do Ivaí
AE FloraíXAquidaban FCFloraí

5ª Rodada (08/10/72)

CA LoandenseXAquidaban FCLoanda
AE FloraíXSão Carlos FCFloraí

6ª Rodada (15/10/72)

AE Floraí0X6CA LoandenseFloraí
Aquidaban FCWOXSão Carlos FCNova Esperança
Grupo II
Esporte Clube São João (Jandaia do Sul)        DER  de Futebol e Regatas (Campo Mourão) Sociedade Esportiva Corinthians (Londrina) Sociedade Esportiva Recreativa Sabaudia (Astorga)

1ª Rodada (1º/10/72)

SE Corinthians1X0EC São JoãoLondrina
DER FCXSER SabaudiaCampo Mourão

2ª Rodada (08/10/72)

EC São João1X0DER FCJandaia do Sul
SER SabaudiaXSE CorinthiansAstorga

3ª Rodada (15/10/72)

SE Corinthians3X1DER FCLondrina
EC São João2X2SER SabaudiaJandaia do Sul

4ª Rodada (22/10/72)

EC São JoãoXSE CorinthiansJandaia do Sul
SER SabaudiaXDER FCAstorga

5ª Rodada (29/10/72)

DER FC1X0EC São JoãoCampo Mourão
SE CorinthiansXSER SabaudiaLondrina

6ª Rodada (05/11/72)

DER FC2X0SE CorinthiansCampo Mourão
SER Sabaudia3X0EC São JoãoAstorga
Grupo III
Associação Esportiva Santa Mariana (Santa Mariana) Clube Esportivo Agroceres (Jacarezinho) Esporte Clube Santa Rita (Planaltina) Mitacunhá Esporte Clube (Rolândia)

1ª Rodada (1º/10/72)

Mitacunhá EC2X2AE Santa MarianaRolândia
CE Agroceres3X2EC Santa RitaJacarezinho

2ª Rodada (08/10/72)

EC Santa RitaXMitacunhá ECPlanaltina
CE AgroceresXAE Santa MarianaJacarezinho

3ª Rodada (15/10/72)

Mitacunhá EC2X2CE AgroceresRolândia
AE Santa Mariana7X0EC Santa RitaSanta Mariana

4ª Rodada (22/10/72)

AE Santa MarianaXMitacunhá ECSanta Mariana
EC Santa RitaXCE AgroceresPlanaltina

5ª Rodada (29/10/72)

Mitacunhá ECXEC Santa RitaRolândia
AE Santa MarianaXCE AgroceresSanta Mariana

6ª Rodada (05/11/72)

CE Agroceres1X3Mitacunhá ECJacarezinho
EC Santa Rita1X3AE Santa MarianaPlanaltina
Grupo IV
DER Atlético Clube (Piraí do Sul) Guarani Esporte Clube (Arapoti/Castro) Guarani Esporte Clube (Irati) Monofill Esporte Clube (Ponta Grossa)

1ª Rodada (1º/10/72)

Guarani de Irati1X1DER ACIrati
Guarani de Arapoti2X1Monofill ECArapoti

2ª Rodada (08/10/72)

Guarani de Arapoti2X0Guarani de IratiArapoti
DER ACXMonofill ECPiraí do Sul

3ª Rodada (15/10/72)

Guarani de ArapotiXMonofill ECArapoti
DER ACXGuarani de IratiPiraí do Sul

4ª Rodada (22/10/72)

Monofill ECXDER ACPonta Grossa
Guarani de IratiXGuarani de ArapotiIrati

5ª Rodada (29/10/72)

Monofill ECXGuarani de ArapotiPonta Grossa
DER ACXGuarani de IratiPiraí do Sul

6ª Rodada (05/11/72)

Guarani de Irati6X1DER ACIrati
Monofill EC6X1Guarani de ArapotiPonta Grossa
Grupo V
Associação Atlética 31 de Outubro (Morretes) Clube Atlético Seleto (Paranaguá) Fanático Futebol Clube (Campo Largo) SOBE Iguaçu (Curitiba)

1ª Rodada (1º/10/72)

AA 31 de Outubro1X2Fanático FCMorretes
SOBE Iguaçu3X3CA SeletoCuritiba

2ª Rodada (08/10/72)

Fanático FC0X1SOBE IguaçuCampo Largo
CA Seleto5X1AA 31 de OutubroParanaguá

3ª Rodada (15/10/72)

AA 31 de Outubro2X0SOBE IguaçuMorretes
Fanático FC6X2CA SeletoCampo Largo

4ª Rodada (22/10/72)

SOBE IguaçuXFanático FCCuritiba
AA 31 de Outubro3X1CA SeletoMorretes

5ª Rodada (29/10/72)

Fanático FCXAA 31 de OutubroCampo Largo
CA SeletoXSOBE IguaçuParanaguá

6ª Rodada (04-05/11/72)

SOBE Iguaçu6X0AA 31 de OutubroCuritiba
CA Seleto1X1Fanático FCParanaguá
Grupo VI
Sociedade Esportiva Recreativa Almirante Tamandaré (Almirante Tamandaré) Trieste Futebol Clube (Curitiba) Clube Atlético Sãomateuense (São Mateus do Sul/ União da Vitória) São Bernardo Futebol Clube (União da Vitória)

1ª Rodada (1º/10/72)

Sãomateuense0X0São Bernardo FCSão Mateus do Sul
SER Almirante Tamandaré2X1Trieste FCAlm. Tamandaré

2ª Rodada (07/10/72)

São Bernardo FC1X0SER Almirante TamandaréUnião da Vitória
Trieste FC2X1SãomateuenseCuritiba

3ª Rodada (14/10/72)

Sãomateuense1X0SER Almirante TamandaréSão Mateus do Sul
Trieste FC2X0São Bernardo FCCuritiba

4ª Rodada (22/10/72)

SER Almirante TamandaréXSão Bernardo FCPilarzinho – Curitiba
SãomateuenseXTrieste FCSão Mateus do Sul

5ª Rodada (29/10/72)

São Bernardo FCXSãomateuenseUnião da Vitória
Trieste FCXSER Almirante TamandaréCuritiba

6ª Rodada (04 e 05/11/72)

São Bernardo FC4X0Trieste FCUnião da Vitória
SER Almirante TamandaréXSãomateuensePilarzinho – Curitiba
Grupo VII
Clube Esportivo Entre Rios (Guarapuava) Clube Esportivo União (Francisco Beltrão) Comercial Esportivo Recreativo Cultural (Laranjeira do Sul) Esporte Clube Itapejara (Pato Branco)

1ª Rodada (1º/10/72)

CE Entre Rios1X1CE UniãoGuarapuava
Itapejara4X0Comercial ERCPato Branco

2ª Rodada (08/10/72)

CE União0X0ItapejaraFrancisco Beltrão
Comercial ERC4X0CE Entre RiosLaranjeira do Sul

3ª Rodada (15/10/72)

CE Entre Rios0X3ItapejaraGuarapuava
CE União1X0Comercial ERCFrancisco Beltrão

4ª Rodada (1º/10/72)

CE UniãoXCE Entre RiosFrancisco Beltrão
Comercial ERCXItapejaraLaranjeira do Sul

5ª Rodada (1º/10/72)

ItapejaraXCE UniãoPato Branco
CE Entre RiosXComercial ERCGuarapuava

6ª Rodada (15/10/72)

Itapejara0X1CE Entre RiosPato Branco
Comercial ERC1X2CE UniãoLaranjeira do Sul
Grupo VIII
Clube Esportivo Social União Medianeirense (Medianeira) Juventude Esporte Clube (Cascavel) Mariluz Atlético Clube (Mariluz) Sociedade Esportiva Aliança (Palotina)

1ª Rodada (1º/10/72)

União Medianeirense3X1SE AliançaMedianeira
Juventude EC1X0Mariluz ACCascavel

2ª Rodada (08/10/72)

SE AliançaXJuventude ECPalotina
Mariluz ACXUnião MedianeirenseMedianeira

3ª Rodada (15/10/72)

Juventude EC1X2União MedianeirenseCascavel
Mariluz AC4X1SE AliançaMariluz

4ª Rodada (22/10/72)

Juventude ECXSE AliançaCascavel
União MedianeirenseXMariluz ACMedianeira

5ª Rodada (29/10/72)

Mariluz ACXJuventude ECMariluz
SE AliançaXUnião MedianeirensePalotina

6ª Rodada (05/11/72)

União MedianeirenseXJuventude ECMedianeira
SE AliançaXMariluz ACPalotina
Vice-campeão de 1972

QUARTAS DE FINAIS – Jogos de ida (19/11/72)

União MedianeirenseXItapejaraMedianeira
DER FCXCA LoandenseCampo Mourão
Monofill ECXAE Santa MarianaPonta Grossa
Fanático FC2X0Trieste FCCampo Largo

QUARTAS DE FINAIS – Jogos de volta (26/11/72)

Itapejara3X1União Medianeirense *Pato Branco
CA Loandense2X1DER FCLoanda
AE Santa Mariana4X2Monofill ECSanta Mariana
Trieste FC2X3Fanático FCCuritiba

* Prorrogação: União 1 a 0 Itapejara

SEMIFINAIS – Jogos de ida (10/12/72)

Fanático FC1X1União MedianeirenseCampo Largo
AE Santa Mariana5X1CA LoandenseSanta Mariana

SEMIFINAIS – Jogos da volta  (17/12/72)

União Medianeirense3X1Fanático FCMedianeira
CA Loandense *2X1AE Santa MarianaLoanda

* Prorrogação: Loandense venceu o Santa Mariana

FINAL – Jogos de ida (07/01/73)

CA Loandense2X1União MedianeirenseLoanda

FINAL – Jogos da volta  (14/01/73)

União Medianeirense*2 (1)X1 (1)CA LoandenseMedianeira

* Prorrogação: empate em 1 a 1. Nos pênaltis: União Medianeirense venceu o Loandense por 3 a 2.

União Medianeirense bate o Fanático e avança para a final

Público na grande final em Medianeira

No domingo, às 15 horas, do dia 10 de dezembro de 1972, aconteceu o jogo de ida da fase semifinal da Taça Paraná de 1972. No Campo Largo, o Fanático recebeu o União Medianeirense, mas acabou ficando no empate em 1 a 1.

O árbitro foi Célio Laudelino da Silva, auxiliado por Eloir Dias e Flavis S. Mendes. A Renda foi de Cr$ 1.518,00. Os gols só saíram no segundo tempo: Ruy abriu o placar para o União, enquanto Laurinho, de pênalti, deixou tudo igual.

Fanático: Nenon; Ari, Áureo, Pedroca e Algacir; Miltinho e Gerson; João Maria, Laurinho, Djair e Djalma.

União Medianeirense: Nadir; Somis, Murilo, Ivo Brod e Dard; Toninho e Nenê; Darolt, Ruy, Pedrinho, e Renê. Técnico: Gilmar Vencatto.

Uma semana depois, o União Medianeirense decidiu a vaga na final da Taça Paraná de 1972, nos seus domínios, diante do Fanático Futebol Clube (Campo Largo), no domingo, do dia 17 de dezembro de 1972.

O primeiro tempo, terminou com vantagem de 1 a 0 para CESUM: gol assinalado por Ruy. Na etapa final, Nenê ampliou para o União. O lateral Algacir diminuiu para o Fanático, mas Murilo, numa cobrança de falta magistral, deu o golpe de misericórdia, dando números finais: União Medianeirense venceu por 3 a 1, o Fanático de Campo Largo. O árbitro foi Plínio Duas (atuação regular), e a Renda foi Cr$ 7.860,00.

União Medianeirense: Nadir; Somis, Murilo, Ivo Brod e Dard; Toninho e Nenê; Darolt, Ruy, Wanderlei, e Renê. Técnico: Gilmar Vencatto.

Fanático: Nenon; Ari, Áureo, Pedroca e Algacir; Miltinho e Gerson; João Maria, Laurinho, Djair e Djalma.

DECISÃO DA TAÇA PARANÁ

No domingo, às 15 horas, do dia 07 de Janeiro de 1973, ocorreu o 1º jogo da grande final. E Loanda, o Clube Atlético Loandense fez valer o mando de campo, e venceu o Medianeirense por 2 a 1, saindo em vantagem.

Uma semana depois, no domingo, às 15 horas, do dia 14 de Janeiro de 1973, o União Medianeirense recebeu o Clube Atlético Loandense (Loanda), precisando reverter a vantagem do adversário, que jogava pelo simples empate para ficar com o título.

O Estádio Edgar Darolt, em Medianeira, estava completamente lotado, com cerca de 8 a 10 mil pessoas, transformando o palco num verdadeiro caldeirão! A partida foi uma gangorra de emoções. O União saiu na frente, mas os visitantes, com muito brio, alcançaram o empate. Mas na base da raça, o União voltou a ficar em vantagem, vencendo por 2 a 1, no tempo regulamentar.

Com a decisão foi para a prorrogação e as fortes emoções seguiram. Muitos jogadores desgastados sofriam com câimbras e jogaram além do limite. Nesse ritmo, o Loadense marcou um gol e fez o estádio ficar num profundo silêncio. Será que era o fim para o União?

Porém, a reação começou nas arquibancadas que voltaram a gritar e incentivar o Medianeirense. A energia dos torcedores deram um “gás extra” aos jogadores que partiram com tudo.

E numa narrativa hollywoodiana, restando três minutos para o fim da prorrogação, pênalti para o União! Somis assumiu a responsabilidade. Bateu forte, sem chances para Tica! Tudo igual!

A partir daí, os jogadores visitantes ficaram visivelmente abalados! Muito choro e partiram para cima do árbitro Plínio Duenas e dos seus auxiliares Pedro Salco e Leandro Facco. A polícia entrou em campo e conteve a fúria do Loandense.

A decisão foi definida nos pênaltis! O Loandense desperdiçou os três primeiros pênatis: Nadir defendeu a primeira batida, a segunda foi para fora e a terceira voltou a defender. Já o Medianeirense perdeu a primeira batida, mas no restante todos foram parar no fundo das redes!

No final, o União Medianeirense bateu por 3 a 2, se sagrando campeão de forma inédita, levando os torcedores ao delírio!  

União Medianeirense: Nadir; Somis, Murilo, Ivo Brod e Toninho; Darci e Nenê; Ruy, Renê, Ivo Darolt e Pedrinho. Técnico: Gilmar Vencatto.

Loandense: Tica; Durinho, Tião, Anísio e Amadeu; João e Tito (Chico); Zé Home, Dontato (Artista), Jair e Tonniho.

FONTE: Diário da Tarde (PR) – Diário do Paraná (PR)

Foto Rara, de 1975: Colorado Esporte Clube – Curitiba (PR)

EM PÉ (esquerda para a direita): Edson Madureira, Zé Carlos, Zequinha, Negri, Nenê e Bira;

AGACHADOS (esquerda para a direita): Thirso Del Corso, Galeno, Marinho, Téia, Neo e Genau.

FOTO: Acervo de José Carlos de Oliveira (Zequinha)

Clube Esportivo Social União Medianeirense – Medianeira (PR): Campeão da Taça Paraná de 1972 e disputou o Estadual da 2ª Divisão

distintivo utilizado em 1972

O Clube Esportivo Social União Medianeirense ou CESUM ou União Medianeirense é uma agremiação  do município  de Medianeira (com 45.812 habitantes, segundo o censo do IBGE/2018), localizado no Oeste do estado do Paraná a 585 km da capital (Curitiba).

O CESUM foi Fundado na terça-feira, do dia 09 de Outubro do ano de 1956. A sua Sede social está situado na Avenida Brasil, nº 3.240, no Centro de Medianeira (PR). A sua praça de esportes é o Estádio Edgar Darolt, com capacidade para 2 mil pessoas.

Campeão da Taça Paraná de 1972

O União Medianeirense ganhou repercussão em âmbito estadual, quando faturou o inédito título da Taça Paraná de 1972, organizado pela Federação Paranaense de Futebol (FPF), a principal competição do futebol amador do estado brasileiro do Paraná.

Na Taça Paraná de 1972, o CESUM ficou no Grupo VIII, com Juventude Esporte Clube (Cascavel), Sociedade Esportiva Aliança (Palotina) e Mariluz Atlético Clube

A estreia aconteceu no dia 1º de outubro de 1972, quando o União Medianeirense venceu o Aliança por 3 a 1, no Estádio Edgar Darolt, em Medianeira. No outro jogo da chave, o Juventude, em casa, bateu o Mariluz, por 1 a 0.

EM PÉ (esquerda para a direita): Toninho, Ivo, Somis, Murilo, Edir, Darci, Cascata e Renê;
 
EM PÉ (esquerda para a direita): Rui, Pedrinho , Neri, Ivo Darolt, Paraguaio, Wanderlei e Pasim.

Na “entrega das faixas”, o CESUM enfrentou o Pinheiros, na tarde de domingo, do dia 28 de Janeiro de 1973, o Estádio Edgar Darolt, em Medianeira. Pelo jogo, o clube Alviceleste de Curitiba recebeu uma cota de 5 mil cruzeiros

Em 1988, se sagrou campeão da Taça Oeste. Após o título o clube recebeu o convite do presidente da Federação Paranaense de Futebol (FPF), Onaireves Nilo Rolim de Moura para disputar o Campeonato Estadual da 2ª Divisão na temporada seguinte. O CESUM aceitou o desafio.

Estadual da Segunda Divisão

Na esfera profissional, o União Medianeirense já disputou o Campeonato Paranaense da 2ª Divisão de 1976, organizado pela FPF (Federação Paranaense de Futebol).

Em 1989 e 1991, o MEC – Medianeira Esporte Clube. O MEC usou a vaga do CESUM. No início de 1992 o MEC foi fundado oficialmente, sendo desmembrado do CESUM. em 1993 fez uma parceria frustrada com o Foz do Iguaçu Esporte Clube, surgindo o FOZ-MEC. Em 1994 o MEC jogou o Estadual da 2⁰ Divisão sozinho. Em 1993, o CESUM/MEC não jogou a Segundona Paranaense.

Outra curiosidade, na temporada 1989 a equipe usava as cores do município, azul, branco, vermelho. O uniforme da equipe não possuía escudo. Em um canal no YouTube é possível ver um escudo na camisa de um dos goleiros, parecido com o escudo do Fortaleza, mas não é possível ver o “letreiro“.

A partir de 1990 passou a jogar com as cores verde, preto e branco. Um escudo no formato do antigo do Vila Nova, de Goiás. Em 1992, usava um escudo parecido com o do Santos. As cores permaneceram as mesmas. 1993, fez a fusão/parceria. Em 1994 não consegui fotos, mas em depoimento do ex dirigente, era o mesmo de 1992.

A sua primeira participação aconteceu em 1976, depois jogou em 1989, 1990, 1991, 1992 e 1993. Após a sua última participação, o União Medianeirense se licenciou até os dias de hoje das competições profissionais.

COLABOROU: Rodrigo S. Oliveira

FOTOS: Acervos de Valdir Henrique Brod e Leila Grapiglia

FONTE: Wikipédia – Diário do Paraná (RJ)

Grêmio Esportivo Caramuru – Chopinzinho (PR): Campeão da Taça Paraná de 1982 e uma participação na Segundona de 1990

Por Sérgio Mello

O Grêmio Esportivo Caramuru é uma agremiação do Município de Chopinzinho, que fica no interior do estado do Paraná, a 400 km da capital (Curitiba). Fundado em 14 de dezembro de 1955, o município conta com uma população de 19.254 habitantes, segundo a estimativa do IBGE/2019.  

O “Velho Guerreiro de Chopinzinho” foi Fundado na quinta-feira, do dia 18 Junho de 1959. A sua Sede social fica na Rua Quinze de Novembro, s/n, no Centro da cidade. Já a sua modesta Praça de Esportes, está situado no final da Rua Mário Somensi, s/n, no bairro de Verdi.

Estreia na Taça Paraná

Debutou na XXI Taça Paraná de Futebol Amador, organizado pela FPF (Federação Paranaense de Futebol), em 1981, como o campeão  da Liga de Pato Branco. O clube chopinzinhense ficou no Grupo 10, com Grêmio Oeste (Guarapuava) e Sete de Setembro (Dois Vizinhos).

Caramuru enfrentou o Coritiba

Na tarde de domingo, do dia 17 de janeiro de 1982, o Coritiba Foot Ball Club ganhou a quantia livre de 200 mil cruzeiros para enfrentar o Grêmio Esportivo Caramuru, amistosamente, no município de Chopinzinho.

Apesar do calor, a partida foi boa no primeiro tempo. O Coxa se movimentou bem, chegando a perder dois gols claros. Porém, abriu o placar por intermédio de Claudinho aos 15 minutos, completando o trabalho de Tobi.

Seis minutos depois, após um descuido da defesa do Coxa, o atacante Fartura deixou tudo igual. Porém, aos 25 minutos, novamente, Claudinho recolocou o Coritiba em vantagem.

Na etapa final, com os jogadores cansados, os dois times trataram de tocar a bola. O Coritiba marcou o seu 3º gol, aos 25 minutos, com o atacante Peninha, após lançamento de André. O Caramuru, sem contar com os reservas, somente se defendeu em campo.  

EM PÉ (esquerda para a direita): Lori, Gica, Ênio, Papico, Nenê, Valdecir e Lauvir Giovani;
AGACHADOS (esquerda para a direita): Fumanchu, Chico Nissola, Quico Taffarel, Edson Tripa e Neilo.

G.E. CARAMURU (PR)                 1          X         3          CORITIBA F.C. (PR)

LOCALEstádio Municipal de Chopinzinho
CARÁTERMódulo Esportivo “Vicente Mike Júnior
DATADomingo, do dia 17 de janeiro de 1982
RENDACr$ 425.500,00 (quatrocentos e vinte e cinco mil e quinhentos cruzeiros)
PÚBLICONão divulgado
ÁRBITROKurt Walva (FPF)
CARAMURUGrando; Gringo, Ênio, Dalapiano e Lori; Nilton, Juarez e Sidney; Gica, Lona e Fartura. Técnico: Juca
CORITIBAJimenez; Dezinho, Vavá, Silvestre e Valdoir (Juresco); André, Tobi e Leomir (Rodinaldo); Gil (Peninha), Claudinho e Santos. Técnico: Luis Carlos de Oliveira, “Bolão”
GOLSClaudinho aos 15 e 25 minutos (Coritiba); Fartura aos 21 minutos (Caramuru), no 1º Tempo. Peninha aos 25 minutos (Coritiba), no 2º Tempo.

Título inédito da Taça Paraná

Na sua segunda participação veio a glória! Na XXII Taça Paraná de 1982, o Caramuru ficou no Grupo 11, juntamente com Comercial Esportiva Recreativa Cultural (Laranjeira do Sul) e Associação Atlética Batel (Guarapuava).

O clube avançou na primeira posição e na fase seguinte passou pelo Nacional (Santo Antonio do Sudoeste). Nas Quartas de finais, o Caramuru bateu o Trieste Futebol Clube, o maior vencedor do torneio.

No domingo, do dia 23 de janeiro, de 1983, o Caramuru venceu, em casa, o Trieste por 4 a 2. No jogo da volta, no domingo, do dia 30 de janeiro, de 1983, foi um verdadeiro drama! No tempo regulamentar, o Caramuru tombou por 3 a 0. Pelo regulamento, a partida foi para a prorrogação, terminou sem gols. Aí, a decisão foi para os pênaltis. E o Caramuru superou o Trieste por 5 a 4.

Nas semifinais, pelo jogo de ida, no domingo, do dia 06 de fevereiro, de 1983, o Caramuru derrotou, em casa, o Incar (Santo Antonio do Sudoeste) por 1 a 0. No jogo da volta, no domingo, do dia 20 de fevereiro, de 1983, ficou no empate sem gols, avançando para inédita final.

EM PÉ (esquerda para a direita): Luiz Fontana (camisa azul), Branco, Lori, Grando, Ênio, Valdecir, Preto e Ilario Ceni (camisa xadrez);
AGACHADOS (esquerda para a direita): Chico Nissola,Papico, Juarez, Jolvani e Fumanchu.

No 1º jogo da decisão, na manhã de domingo, do dia 27 de fevereiro de 1983, numa melhor de três pontos, o Grêmio Esportivo Caramuru derrotou o AFC Jabur (Londrina), pelo placar de 1 a 0, no Estádio Municipal de Chopinzinho.

O árbitro foi Ivo Tadeu, com os auxiliares: Joel da Silva Ramos e Odimir Stolle. No jogo, aos 10 minutos, desabou um grande temporal, deixando as condições do gramado ruim para a prática do futebol. Melhor para o Caramuru que fez o seu gol por intermédio de Névio.

A partir daí, o Caramuru fez uma pressão em busca do segundo gol, mas o goleiro Nicola, do Jabur, fez grandes defesas, e, acabou sendo o destaque da partida.

G.E. Caramuru: Grando; Lambari, Ênio, Limeira e Lori; Nilton, Patico e Nenê; Gica, Névio e Edney. Técnico: Juca.

A.F.C. Jabur: Nicola; Gilberto, Paulinho, Izone e César; Dorival, Natal (Edivaldo) e Zinho; Berinha, Zé Suave (Lazaro) e Tiquira.

Na partida final, aconteceu no domingo, do dia 06 de março de 1983, o Caramuru viajou até o município de Ibiporã, precisando de um simples empate para ficar com o título. Infelizmente, não foi encontrado o resultado nos jornais disponibilizados. O que se sabe é que o Caramuru ficou com o inédito título da Taça Paraná de 1982!

Posteriormente, o que foi encontrado, em termos de participação na Taça Paraná, o Caramuru jogou em 1987.

Debutou no profissionalismo

EM PÉ (esquerda para a direita): Juca (técnico), Dudegica, Bonoto, Lori, Aladim, Nilton, Gringo, não identificado, Budine e Juca (treinador);
  AGACHADOS (esquerda para a direita): Miga, Sidney, Ediney, não identificado, Lona, Juarez, não identificado e não identificado.  

O Grêmio Esportivo Caramuru estreou no futebol profissional, quando participou no Campeonato Paranaense da 2ª Divisão de 1990, que contou com a presença de 32 equipes.

FOTOS: Acervos de Claudy Frana (time posado) – Reosmar Viola (diploma) – Neusa Piano – Vanderelei Lima (time posado com as faixas de campeão)

FONTES: Rsssf Brasil – Jogos Abertos do Paraná – Diário da Tarde (PR) – Correio de Notícias (PR) – Diário do Paraná (PR)

1º escudo: Esporte Clube Flamengo – Marechal Cândido Rondon (PR)

O Esporte Clube Flamengo foi uma agremiação do município de Marechal Cândido Rondon, que fica a 576 km da capital (Curitiba) do estado do Paraná. Com uma população de 54.031 habitantes, segundo a estimativa do IBGE/2021, a localidade em 06 de Julho de 1953, sob a Lei municipal nº 17, passou a ser um Distrito administrativo da cidade de Toledo, com o nome de Vila General Rondon.

Isto posto, na segunda-feira, do dia 25 de Julho de 1960, o então governador do Paraná, Moisés Lupion, sancionou a Lei nº 4.245, emancipando 58 municípios, dentre eles a Vila General Rondon, que a partir dessa data, passou a ser denominada Marechal Cândido Rondon.

EM PÉ (esquerda para a direita): Auri Osmar Zart, Eloi Fischer, Ulli Henke, goleiro (não identificado), Armindo Schmidt, Norberto Schmidt, 7º (não identificado) e 8º (não identificado);
Agachados: nenhum identificado.

Sobre o clube, o “Rubro-Negro Rondonense” foi Fundado em 1958. A sua Sede ficava na Avenida Rio Grande do Sul, s/n, no bairro Flamengo, em Marechal Cândido Rondon.

O seu 1º jogo, aconteceu em 1958, quando o Esporte Clube Flamengo  recebeu a visita do Vasquinho, do município de Guaíra. No final, o rubro-negro estreou no futebol com o ‘pé direito’ ao golear o seu oponente pelo placar de 5 a 0.

Na segunda-feira, do dia 07 de setembro de 1959, o Esporte Clube Flamengo fez o seu 1º jogo Internacional, contra o time de futebol de Marangatu, do Paraguai.

Foto de 1959

Em 1971, foi eleito a nova diretoria do Esporte Clube Flamengo, composta pelos seguintes cargos e nomes:

Presidente de honra – Dealmo Selmiro Poersch;

Presidente – Alcídio Kempfer (reeleito);

Vice-Presidente – Alberto Nelson Krug;

Secretário – Clóvis Closs;

2º Secretário – Agenor Speck;

Tesoureiro – Helmuth Zart;

2º Tesoureiro – Harry Cassel;

Vice diretor social – Ariovaldo Luiz Bier;

Diretor esportivo – Eugênio Rockembach;

Diretor social – Ireno Pedralli;

Conselho Fiscal (Efetivos) – Mario Dilda, Gustavo Marzinskowski e Hans Marzinskowski e Nelson Castilho

Vice-campeão da Taça Paraná de 1986

 
Esporte Clube Flamengo, vice-campeão da Taça Paraná de Futebol de 1986
Acervo Ilário Radke Genz

Nos anos 80, o clube participou de algumas edições da Taça Paraná! Disputou a Taça Paraná de 1981, onde o rubro-negro ficou no Grupo 11, juntamente com o Sociedade Esportiva Aliança (São Miguel, em Toledo), Comercial Esportivo Recreativo Cultural (Laranjeira do Sul) e Cruzeiro Esporte Clube (Corbélia).   

O Flamengo estreou, fora de casa, no domingo, do dia 13 de Setembro, empatando em 1 a 1  com o Cruzeiro, de Corbélia. Pela 2ª rodada, novamente como visitante, no domingo, do dia 20 de Setembro, acabou derrotado pelo Aliança (Toledo) pelo placar de 2 a 1.

Na 3ª rodada, o Flamengo recebeu o Comercial (Laranjeira do Sul), no domingo, do dia 27 de Setembro, e, ficou no empate em 1 a 1, no Estádio Scheneider, em Marechal Cândido Rondon.

Pela 4ª rodada, no domingo, do dia 04 de Outubro, acabou derrotado pelo Cruzeiro (Corbélia)  por 1 a 0, no Estádio Scheneider, em Marechal Cândido Rondon. Sem chances de avançar para fase seguinte, o Flamengo e o Aliança (Toledo), desistiram as duas rodadas que faltavam.

Em 1986, a Federação Paranaense de Futebol patrocinou e organizou a 23ª Taça Paraná, com a participação de 58 equipes, em 16 grupos. Nessa edição, o Esporte Clube Flamengo fez a sua melhor campanha.

O Rubro-negro Rondonense chegou até a grande final, quando ficou com vice-campeão da Taça Paraná de Futebol. O jogo decisivo, aconteceu na terça-feira, do dia 24 de Fevereiro de 1987, quando o Flamengo acabou derrotado pelo Fanático Futebol Clube, de Campo Largo, por 3 a 2, no Estádio Pinheirão, em Curitiba.

O Esporte Clube Flamengo esteve presente também na Taça Paraná de 1987, onde ficou no Grupo XI, juntamente com o Clube Atlético Jesuítas (Jesuítas) e Esporte Clube São Jorge (Altônia).

1º participação no futebol profissional

Anos 70

O clube abriu o seu CNPJ em 06 de Junho de 1990, para se regularizar, a fim de debutar na esfera profissional. Assim, o Flamengo disputou o Campeonato Paranaense da Segunda Divisão de 1990.

A competição contou com a participação de 32 equipes. Chegaram na grande final, o União Operário Esportivo e Recreativo (Laranjeiras do Sul) e o Grêmio Esportivo Recreativo Goioerê (Goioerê). No jogo de ida, na quinta-feira, do dia 13 de Dezembro de 1990, O Grêmio Goioerê venceu, em casa, União Operário por 1 a 0.

No jogo da volta, em Laranjeiras do Sul, no domingo, do dia 16 de Dezembro de 1990, o União Operário bateu o Grêmio Goioerê por 2 a 0. No entanto, o saldo de gols não constava como critério de desempate, apenas o número de pontos.

Como cada um venceu o seu jogo, a decisão foi para a disputa de pênaltis. Após uma disputa dramática, quem levou a melhor foi o Grêmio Goioerê que ganhou por 9 a 8, ficando com o título do Campeonato Paranaense da 2ª Divisão de 1990.

Colaborou: Rodrigo S. Oliveira

FOTOS: Acervos Vane Jochims Hensel e Ilário Radke Genz

FONTES: Site Memória Rondonense – Página no Facebook “Memória Rondonense” – Diário da Tarde (PR) – Correios de Notícias (PR)

Taça Paraná de Futebol Amador: Todos os campeões e vices, entre 1964 a 2019

Maior vencedor com 10 títulos

A Taça Paraná é a principal competição do futebol amador do estado do Paraná. Organizado, anualmente pela Federação Paranaense de Futebol (FPF), esta competição tem o objetivo de reunir os campeões das ligas interioranas e também da capital e do litoral do estado em uma tradição que ocorre desde o ano de 1964.

O campeão é o representante do estado em algumas competições amadoras no Brasil e na América do Sul, como o Campeonato Sul-Brasileiro de Futebol Amador.

História
O futebol amador do Paraná se confunde com os grandes clubes do estado, pois desde 1917, já existiam torneios exclusivos para times de bairro e que alimentavam, em algumas oportunidades, os clubes de massa quando estes levavam para seus elencos, alguns jogadores.

Em Curitiba e nas principais cidades do estado, criaram-se varias ligas de futebol. Alguns campeões destas ligas chegaram a disputar algumas fases do Campeonato Paranaense de Futebol, bem como, vários clubes de várzea obtiveram acesso ao campeonato profissional.

Segundo maior campeão: 9 títulos

Em 1947, a Federação Paranaense de Futebol (FPF), começou a organizar, oficialmente, o futebol amador. No início da década de 60, a FPF fez algumas tentativas em um torneio estadual, porém, apenas na terça-feira, do dia 04 de Agosto de 1964, com a concepção da Taça Paraná, a federação obteve sucesso.

 A Taça Paraná foi criada pelo então superintendente da FPF, Hugo Weber (1918-2011), como sendo a principal competição amadora do estado, mantendo, até a atualidade, esta condição.

Os troféus da Taça Paraná recebem o nome de grandes personalidades do futebol amador do estado e são de posse transitória. Este troféu deixará de ser transitório quando uma mesma equipe for campeã em três ocasiões alternadas ou duas vezes consecutivas. O 1º campeão da Taça Paraná foi o Ferroviário Esporte Clube, de União da Vitória.

3º maior vencedor: 6 títulos

Foram realizados 56 edições da Taça Paraná, entre 1964 a 2019. Abaixo, todos os campeões e vices:

3º maior vencedor: 6 títulos

Antes da Federação Paranaense de Futebol (FPF), ter oficializado a criação da Taça Paraná de Futebol em 1964, foi realizado duas competições (1960 e 1962), embrionárias, denominada: “Campeonato Amador do Estado“.

O intuito da FPF foi de fazer os ajustes, a fim de colocar em prática a competição de forma definitiva, a partir de 1964. Na 1ª edição (1960), o campeão foi Real Esporte Clube, de Campo Largo; enquanto o União Barigüi Futebol Clube, de Curitiba, terminou com o vice-campeonato.

Na edição de 1962, o Clube Atlético Monte Alegre, de Telêmaco Borba, se sagrou campeão. O vice-campeão foi o Real Esporte Clube, de Curitiba. Abaixo os clubes campeões pelo número total de conquistas ao longo das temporadas:

TODOS OS CAMPÕES ENTRE 1964 a 2019

ANOSCAMPEÕESVICE-CAMPEÕES
1964Ferroviário EC (União da Vitória)CE Agroceres (Jacarezinho)
1965Trieste FC (Curitiba)SC Corinthians (Londrina)
1966Trieste FC (Curitiba)Grêmio Oeste (Guarapuava)
1967SC Corinthians (Londrina)SOBE Iguaçu (Curitiba)
1968Fanático FC (Campo Largo)Paraná SC (Londrina)
1969Trieste FC (Curitiba)EC Cachoeira (São Sebastião Amoreira)
1970Trieste FC (Curitiba)Sociedade Desportiva Uraí (Uraí)
1971Trieste FC (Curitiba)CA Loandense (Loanda)
1972CES União Medianeirense (Medianeira)CA Loandense (Loanda)
1973SOBE Iguaçu (Curitiba)EC Municipal (Cambará)
1974CER Aymoré (Matelândia)SE Palmeiras (Pato Branco)
1975XV de Novembro FC (Londrina)CES União Medianeirense (Medianeira)
1976Fanático FC (Campo Largo)SER Premol (Ibiporã)
1977Demafra FC (Paranavaí)SOBE Iguaçu (Curitiba)
1978Fanático FC (Campo Largo)CA Loandense (Loanda)
1979Fanático FC (Campo Largo)Ypiranga FC, de Água Verde (Curitiba)
1980Internacional EC (Campo Largo)EC Sete de Setembro (Dois Vizinhos)
1981Internacional EC (Campo Largo)AFC Jabur (Londrina)
1982GE Caramuru (Chopinzinho)AFC Jabur (Londrina)
1983Fanático FC (Campo Largo)Luiziana FC (Luiziana)
1984Trieste FC (Curitiba)EC Sete de Setembro (Dois Vizinhos)
1985Trieste FC (Curitiba)CA Municipal (Jacarezinho)
1986Fanático FC (Campo Largo)EC Flamengo (Marechal Cândido Rondon)
1987EC Sete Setembro (Dois Vizinhos)Trieste FC (Curitiba)
1988Trieste FC (Curitiba)SER Entre Rios (Marechal Cândido Rondon)
1989Vila Fanny FC (Curitiba)CA Loandense (Loanda)
1990Trieste FC (Curitiba)EC Andiarense (Andirá)
1991Vila Fanny FC (Curitiba)CA Jesuítas (Jesuítas)
1992AA Palmeira (Palmeira)AE Jacarezinho (Jacarezinho)
1993EC Flórida (Nova Esperança)GER 13 de Maio (Verê)
1994Pitanga FC (Pitanga)AA VASP (Boa Esperança)
1995Ipiranga FC (Palmeira)SER Real (Realeza)
1996Internacional EC (Campo Largo)CES União Medianeirense (Medianeira)
1997Combate Barreirinha FC (Curitiba)EC Ouro Verde, do Distrito de Nova Sarandi (Toledo)
1998Combate Barreirinha FC (Curitiba)AE Danúbio, do Distrito de Entre Rios (Guarapuava)
1999Combate Barreirinha FC (Curitiba)AC Marialva (Marialva)
2000Combate Barreirinha FC (Curitiba)GER Madeirit (Guarapuava)
2001SBR Colombo EC (Colombo)Mamborê EC (Mamborê)
2002Combate Barreirinha FC (Curitiba)Vila Hauer EC (Curitiba)
2003AER Eng. Beltrão (Eng. Beltrão)Combate Barreirinha FC (Curitiba)
2004GER Madeirit (Guarapuava)Milan FC (São José dos Pinhais)
2005Combate Barreirinha FC (Curitiba)Ypiranga FC (Palmeira)
2006Trieste FC (Curitiba)Combate Barreirinha FC (Curitiba)
2007CA Loandense (Loanda)Combate Barreirinha FC (Curitiba)
2008AE São Manoel (São Manoel)ACE Urano (Curitiba)
2009ACE Urano (Curitiba)Associação Atlética Recreativa Rondon (Rondon)
2010AE São Manoel (São Manoel)Colombo FC (Colombo)
2011Internacional EC (Campo Largo)EC Ana Terra (Colombo)
2012Internacional EC (Campo Largo)União Operário ER (Laranjeiras Sul)
2013Internacional EC (Campo Largo)SOBE Iguaçu (Curitiba)
2014Bandeirantes EC (Colombo)Fanático FC (Campo Largo)
2015Fanático FC (Campo Largo)Bandeirantes EC (Colombo)
2016Fanático FC (Campo Largo)Internacional EC (Campo Largo)
2017Fanático FC (Campo Largo)SOBE Iguaçu (Curitiba)
2018SOBE Iguaçu (Curitiba)Atalanta FC (São José dos Pinhais)
2019SOBE Iguaçu (Curitiba)Trieste FC (Curitiba)

RANKING DOS CAMPEÕES

CLUBESCIDADESTÍTULOSANOS
Trieste FCCuritiba101965, 1966, 1969, 1970, 1971, 1984, 1985, 1988, 1990 e 2006
Fanático FCCampo Largo091968, 1976, 1978, 1979, 1983, 1986, 2015, 2016 e  e 2017
Internacional ECCampo Largo061980, 1981, 1996, 2011, 2012 e 2013
Combate Barreirinha FCCuritiba061997, 1998, 1999, 2000, 2002 e 2005
SOBE IguaçuCuritiba031973, 2018 e 2019
Vila Fanny FCCuritiba021989 e 1991
AE São ManoelSão Manoel do Paraná022008 e 2010
Bandeirantes ECColombo012014
ACE UranoCuritiba012009
CA LoandenseLoanda012007
GER MadeiritGuarapuava012004
AER Engenheiro BeltrãoEngenheiro Beltrão012003
SBR Colombo ECColombo012001
Ipiranga FCPalmeira011995
Pitanga ECPitanga011994
EC FlóridaNova Esperança011993
AA PalmeiraPalmeira011992
EC Sete de SetembroDois Vizinhos011987
GE CaramuruChopinzinho011982
Demafra FCParanavaí011977
XV de Novembro FCLondrina011975
CER AymoréMatelândia011974
CES União MedianeirenseMedianeira011972
SC CorinthiansLondrina011967
Ferroviário ECUnião da Vitória011964
CA Monte AlegreTelêmaco Borba011962
REAL ECCampo Largo011960

COLABOROU: Rodrigo S. Oliveira

FONTES: Wikipédia -Nelson Schepiura “Futebol do Paraná: 100 anos de história”, de Heriberto Ivan Machado e Levi Mulford Chrestenzen – Federação Paranaense de Futebol – Sidney Barbosa – Diário da Tarde (PR) – Correios de Notícias (PR) – pesquisador Laércio Becker – Diário do Paraná (PR)