Arquivo da categoria: Paraná

Clube Esportivo Social União Medianeirense – Medianeira (PR): Campeão da Taça Paraná de 1972 e disputou o Estadual da 2ª Divisão

distintivo utilizado em 1972

O Clube Esportivo Social União Medianeirense ou CESUM ou União Medianeirense é uma agremiação  do município  de Medianeira (com 45.812 habitantes, segundo o censo do IBGE/2018), localizado no Oeste do estado do Paraná a 585 km da capital (Curitiba).

O CESUM foi Fundado na terça-feira, do dia 09 de Outubro do ano de 1956. A sua Sede social está situado na Avenida Brasil, nº 3.240, no Centro de Medianeira (PR). A sua praça de esportes é o Estádio Edgar Darolt, com capacidade para 2 mil pessoas.

Campeão da Taça Paraná de 1972

O União Medianeirense ganhou repercussão em âmbito estadual, quando faturou o inédito título da Taça Paraná de 1972, organizado pela Federação Paranaense de Futebol (FPF), a principal competição do futebol amador do estado brasileiro do Paraná.

Na Taça Paraná de 1972, o CESUM ficou no Grupo VIII, com Juventude Esporte Clube (Cascavel), Sociedade Esportiva Aliança (Palotina) e Mariluz Atlético Clube

A estreia aconteceu no dia 1º de outubro de 1972, quando o União Medianeirense venceu o Aliança por 3 a 1, no Estádio Edgar Darolt, em Medianeira. No outro jogo da chave, o Juventude, em casa, bateu o Mariluz, por 1 a 0.

EM PÉ (esquerda para a direita): Toninho, Ivo, Somis, Murilo, Edir, Darci, Cascata e Renê;
 
EM PÉ (esquerda para a direita): Rui, Pedrinho , Neri, Ivo Darolt, Paraguaio, Wanderlei e Pasim.

Na “entrega das faixas”, o CESUM enfrentou o Pinheiros, na tarde de domingo, do dia 28 de Janeiro de 1973, o Estádio Edgar Darolt, em Medianeira. Pelo jogo, o clube Alviceleste de Curitiba recebeu uma cota de 5 mil cruzeiros

Em 1988, se sagrou campeão da Taça Oeste. Após o título o clube recebeu o convite do presidente da Federação Paranaense de Futebol (FPF), Onaireves Nilo Rolim de Moura para disputar o Campeonato Estadual da 2ª Divisão na temporada seguinte. O CESUM aceitou o desafio.

Estadual da Segunda Divisão

Na esfera profissional, o União Medianeirense já disputou o Campeonato Paranaense da 2ª Divisão de 1976, organizado pela FPF (Federação Paranaense de Futebol).

Em 1989 e 1991, o MEC – Medianeira Esporte Clube. O MEC usou a vaga do CESUM. No início de 1992 o MEC foi fundado oficialmente, sendo desmembrado do CESUM. em 1993 fez uma parceria frustrada com o Foz do Iguaçu Esporte Clube, surgindo o FOZ-MEC. Em 1994 o MEC jogou o Estadual da 2⁰ Divisão sozinho. Em 1993, o CESUM/MEC não jogou a Segundona Paranaense.

Outra curiosidade, na temporada 1989 a equipe usava as cores do município, azul, branco, vermelho. O uniforme da equipe não possuía escudo. Em um canal no YouTube é possível ver um escudo na camisa de um dos goleiros, parecido com o escudo do Fortaleza, mas não é possível ver o “letreiro“.

A partir de 1990 passou a jogar com as cores verde, preto e branco. Um escudo no formato do antigo do Vila Nova, de Goiás. Em 1992, usava um escudo parecido com o do Santos. As cores permaneceram as mesmas. 1993, fez a fusão/parceria. Em 1994 não consegui fotos, mas em depoimento do ex dirigente, era o mesmo de 1992.

A sua primeira participação aconteceu em 1976, depois jogou em 1989, 1990, 1991, 1992 e 1993. Após a sua última participação, o União Medianeirense se licenciou até os dias de hoje das competições profissionais.

COLABOROU: Rodrigo S. Oliveira

FOTOS: Acervos de Valdir Henrique Brod e Leila Grapiglia

FONTE: Wikipédia – Diário do Paraná (RJ)

Grêmio Esportivo Caramuru – Chopinzinho (PR): Campeão da Taça Paraná de 1982 e uma participação na Segundona de 1990

Por Sérgio Mello

O Grêmio Esportivo Caramuru é uma agremiação do Município de Chopinzinho, que fica no interior do estado do Paraná, a 400 km da capital (Curitiba). Fundado em 14 de dezembro de 1955, o município conta com uma população de 19.254 habitantes, segundo a estimativa do IBGE/2019.  

O “Velho Guerreiro de Chopinzinho” foi Fundado na quinta-feira, do dia 18 Junho de 1959. A sua Sede social fica na Rua Quinze de Novembro, s/n, no Centro da cidade. Já a sua modesta Praça de Esportes, está situado no final da Rua Mário Somensi, s/n, no bairro de Verdi.

Estreia na Taça Paraná

Debutou na XXI Taça Paraná de Futebol Amador, organizado pela FPF (Federação Paranaense de Futebol), em 1981, como o campeão  da Liga de Pato Branco. O clube chopinzinhense ficou no Grupo 10, com Grêmio Oeste (Guarapuava) e Sete de Setembro (Dois Vizinhos).

Caramuru enfrentou o Coritiba

Na tarde de domingo, do dia 17 de janeiro de 1982, o Coritiba Foot Ball Club ganhou a quantia livre de 200 mil cruzeiros para enfrentar o Grêmio Esportivo Caramuru, amistosamente, no município de Chopinzinho.

Apesar do calor, a partida foi boa no primeiro tempo. O Coxa se movimentou bem, chegando a perder dois gols claros. Porém, abriu o placar por intermédio de Claudinho aos 15 minutos, completando o trabalho de Tobi.

Seis minutos depois, após um descuido da defesa do Coxa, o atacante Fartura deixou tudo igual. Porém, aos 25 minutos, novamente, Claudinho recolocou o Coritiba em vantagem.

Na etapa final, com os jogadores cansados, os dois times trataram de tocar a bola. O Coritiba marcou o seu 3º gol, aos 25 minutos, com o atacante Peninha, após lançamento de André. O Caramuru, sem contar com os reservas, somente se defendeu em campo.  

EM PÉ (esquerda para a direita): Lori, Gica, Ênio, Papico, Nenê, Valdecir e Lauvir Giovani;
AGACHADOS (esquerda para a direita): Fumanchu, Chico Nissola, Quico Taffarel, Edson Tripa e Neilo.

G.E. CARAMURU (PR)                 1          X         3          CORITIBA F.C. (PR)

LOCALEstádio Municipal de Chopinzinho
CARÁTERMódulo Esportivo “Vicente Mike Júnior
DATADomingo, do dia 17 de janeiro de 1982
RENDACr$ 425.500,00 (quatrocentos e vinte e cinco mil e quinhentos cruzeiros)
PÚBLICONão divulgado
ÁRBITROKurt Walva (FPF)
CARAMURUGrando; Gringo, Ênio, Dalapiano e Lori; Nilton, Juarez e Sidney; Gica, Lona e Fartura. Técnico: Juca
CORITIBAJimenez; Dezinho, Vavá, Silvestre e Valdoir (Juresco); André, Tobi e Leomir (Rodinaldo); Gil (Peninha), Claudinho e Santos. Técnico: Luis Carlos de Oliveira, “Bolão”
GOLSClaudinho aos 15 e 25 minutos (Coritiba); Fartura aos 21 minutos (Caramuru), no 1º Tempo. Peninha aos 25 minutos (Coritiba), no 2º Tempo.

Título inédito da Taça Paraná

Na sua segunda participação veio a glória! Na XXII Taça Paraná de 1982, o Caramuru ficou no Grupo 11, juntamente com Comercial Esportiva Recreativa Cultural (Laranjeira do Sul) e Associação Atlética Batel (Guarapuava).

O clube avançou na primeira posição e na fase seguinte passou pelo Nacional (Santo Antonio do Sudoeste). Nas Quartas de finais, o Caramuru bateu o Trieste Futebol Clube, o maior vencedor do torneio.

No domingo, do dia 23 de janeiro, de 1983, o Caramuru venceu, em casa, o Trieste por 4 a 2. No jogo da volta, no domingo, do dia 30 de janeiro, de 1983, foi um verdadeiro drama! No tempo regulamentar, o Caramuru tombou por 3 a 0. Pelo regulamento, a partida foi para a prorrogação, terminou sem gols. Aí, a decisão foi para os pênaltis. E o Caramuru superou o Trieste por 5 a 4.

Nas semifinais, pelo jogo de ida, no domingo, do dia 06 de fevereiro, de 1983, o Caramuru derrotou, em casa, o Incar (Santo Antonio do Sudoeste) por 1 a 0. No jogo da volta, no domingo, do dia 20 de fevereiro, de 1983, ficou no empate sem gols, avançando para inédita final.

EM PÉ (esquerda para a direita): Luiz Fontana (camisa azul), Branco, Lori, Grando, Ênio, Valdecir, Preto e Ilario Ceni (camisa xadrez);
AGACHADOS (esquerda para a direita): Chico Nissola,Papico, Juarez, Jolvani e Fumanchu.

No 1º jogo da decisão, na manhã de domingo, do dia 27 de fevereiro de 1983, numa melhor de três pontos, o Grêmio Esportivo Caramuru derrotou o AFC Jabur (Londrina), pelo placar de 1 a 0, no Estádio Municipal de Chopinzinho.

O árbitro foi Ivo Tadeu, com os auxiliares: Joel da Silva Ramos e Odimir Stolle. No jogo, aos 10 minutos, desabou um grande temporal, deixando as condições do gramado ruim para a prática do futebol. Melhor para o Caramuru que fez o seu gol por intermédio de Névio.

A partir daí, o Caramuru fez uma pressão em busca do segundo gol, mas o goleiro Nicola, do Jabur, fez grandes defesas, e, acabou sendo o destaque da partida.

G.E. Caramuru: Grando; Lambari, Ênio, Limeira e Lori; Nilton, Patico e Nenê; Gica, Névio e Edney. Técnico: Juca.

A.F.C. Jabur: Nicola; Gilberto, Paulinho, Izone e César; Dorival, Natal (Edivaldo) e Zinho; Berinha, Zé Suave (Lazaro) e Tiquira.

Na partida final, aconteceu no domingo, do dia 06 de março de 1983, o Caramuru viajou até o município de Ibiporã, precisando de um simples empate para ficar com o título. Infelizmente, não foi encontrado o resultado nos jornais disponibilizados. O que se sabe é que o Caramuru ficou com o inédito título da Taça Paraná de 1982!

Posteriormente, o que foi encontrado, em termos de participação na Taça Paraná, o Caramuru jogou em 1987.

Debutou no profissionalismo

EM PÉ (esquerda para a direita): Juca (técnico), Dudegica, Bonoto, Lori, Aladim, Nilton, Gringo, não identificado, Budine e Juca (treinador);
  AGACHADOS (esquerda para a direita): Miga, Sidney, Ediney, não identificado, Lona, Juarez, não identificado e não identificado.  

O Grêmio Esportivo Caramuru estreou no futebol profissional, quando participou no Campeonato Paranaense da 2ª Divisão de 1990, que contou com a presença de 32 equipes.

FOTOS: Acervos de Claudy Frana (time posado) – Reosmar Viola (diploma) – Neusa Piano – Vanderelei Lima (time posado com as faixas de campeão)

FONTES: Rsssf Brasil – Jogos Abertos do Paraná – Diário da Tarde (PR) – Correio de Notícias (PR) – Diário do Paraná (PR)

1º escudo: Esporte Clube Flamengo – Marechal Cândido Rondon (PR)

O Esporte Clube Flamengo foi uma agremiação do município de Marechal Cândido Rondon, que fica a 576 km da capital (Curitiba) do estado do Paraná. Com uma população de 54.031 habitantes, segundo a estimativa do IBGE/2021, a localidade em 06 de Julho de 1953, sob a Lei municipal nº 17, passou a ser um Distrito administrativo da cidade de Toledo, com o nome de Vila General Rondon.

Isto posto, na segunda-feira, do dia 25 de Julho de 1960, o então governador do Paraná, Moisés Lupion, sancionou a Lei nº 4.245, emancipando 58 municípios, dentre eles a Vila General Rondon, que a partir dessa data, passou a ser denominada Marechal Cândido Rondon.

EM PÉ (esquerda para a direita): Auri Osmar Zart, Eloi Fischer, Ulli Henke, goleiro (não identificado), Armindo Schmidt, Norberto Schmidt, 7º (não identificado) e 8º (não identificado);
Agachados: nenhum identificado.

Sobre o clube, o “Rubro-Negro Rondonense” foi Fundado em 1958. A sua Sede ficava na Avenida Rio Grande do Sul, s/n, no bairro Flamengo, em Marechal Cândido Rondon.

O seu 1º jogo, aconteceu em 1958, quando o Esporte Clube Flamengo  recebeu a visita do Vasquinho, do município de Guaíra. No final, o rubro-negro estreou no futebol com o ‘pé direito’ ao golear o seu oponente pelo placar de 5 a 0.

Na segunda-feira, do dia 07 de setembro de 1959, o Esporte Clube Flamengo fez o seu 1º jogo Internacional, contra o time de futebol de Marangatu, do Paraguai.

Foto de 1959

Em 1971, foi eleito a nova diretoria do Esporte Clube Flamengo, composta pelos seguintes cargos e nomes:

Presidente de honra – Dealmo Selmiro Poersch;

Presidente – Alcídio Kempfer (reeleito);

Vice-Presidente – Alberto Nelson Krug;

Secretário – Clóvis Closs;

2º Secretário – Agenor Speck;

Tesoureiro – Helmuth Zart;

2º Tesoureiro – Harry Cassel;

Vice diretor social – Ariovaldo Luiz Bier;

Diretor esportivo – Eugênio Rockembach;

Diretor social – Ireno Pedralli;

Conselho Fiscal (Efetivos) – Mario Dilda, Gustavo Marzinskowski e Hans Marzinskowski e Nelson Castilho

Vice-campeão da Taça Paraná de 1986

 
Esporte Clube Flamengo, vice-campeão da Taça Paraná de Futebol de 1986
Acervo Ilário Radke Genz

Nos anos 80, o clube participou de algumas edições da Taça Paraná! Disputou a Taça Paraná de 1981, onde o rubro-negro ficou no Grupo 11, juntamente com o Sociedade Esportiva Aliança (São Miguel, em Toledo), Comercial Esportivo Recreativo Cultural (Laranjeira do Sul) e Cruzeiro Esporte Clube (Corbélia).   

O Flamengo estreou, fora de casa, no domingo, do dia 13 de Setembro, empatando em 1 a 1  com o Cruzeiro, de Corbélia. Pela 2ª rodada, novamente como visitante, no domingo, do dia 20 de Setembro, acabou derrotado pelo Aliança (Toledo) pelo placar de 2 a 1.

Na 3ª rodada, o Flamengo recebeu o Comercial (Laranjeira do Sul), no domingo, do dia 27 de Setembro, e, ficou no empate em 1 a 1, no Estádio Scheneider, em Marechal Cândido Rondon.

Pela 4ª rodada, no domingo, do dia 04 de Outubro, acabou derrotado pelo Cruzeiro (Corbélia)  por 1 a 0, no Estádio Scheneider, em Marechal Cândido Rondon. Sem chances de avançar para fase seguinte, o Flamengo e o Aliança (Toledo), desistiram as duas rodadas que faltavam.

Em 1986, a Federação Paranaense de Futebol patrocinou e organizou a 23ª Taça Paraná, com a participação de 58 equipes, em 16 grupos. Nessa edição, o Esporte Clube Flamengo fez a sua melhor campanha.

O Rubro-negro Rondonense chegou até a grande final, quando ficou com vice-campeão da Taça Paraná de Futebol. O jogo decisivo, aconteceu na terça-feira, do dia 24 de Fevereiro de 1987, quando o Flamengo acabou derrotado pelo Fanático Futebol Clube, de Campo Largo, por 3 a 2, no Estádio Pinheirão, em Curitiba.

O Esporte Clube Flamengo esteve presente também na Taça Paraná de 1987, onde ficou no Grupo XI, juntamente com o Clube Atlético Jesuítas (Jesuítas) e Esporte Clube São Jorge (Altônia).

1º participação no futebol profissional

Anos 70

O clube abriu o seu CNPJ em 06 de Junho de 1990, para se regularizar, a fim de debutar na esfera profissional. Assim, o Flamengo disputou o Campeonato Paranaense da Segunda Divisão de 1990.

A competição contou com a participação de 32 equipes. Chegaram na grande final, o União Operário Esportivo e Recreativo (Laranjeiras do Sul) e o Grêmio Esportivo Recreativo Goioerê (Goioerê). No jogo de ida, na quinta-feira, do dia 13 de Dezembro de 1990, O Grêmio Goioerê venceu, em casa, União Operário por 1 a 0.

No jogo da volta, em Laranjeiras do Sul, no domingo, do dia 16 de Dezembro de 1990, o União Operário bateu o Grêmio Goioerê por 2 a 0. No entanto, o saldo de gols não constava como critério de desempate, apenas o número de pontos.

Como cada um venceu o seu jogo, a decisão foi para a disputa de pênaltis. Após uma disputa dramática, quem levou a melhor foi o Grêmio Goioerê que ganhou por 9 a 8, ficando com o título do Campeonato Paranaense da 2ª Divisão de 1990.

Colaborou: Rodrigo S. Oliveira

FOTOS: Acervos Vane Jochims Hensel e Ilário Radke Genz

FONTES: Site Memória Rondonense – Página no Facebook “Memória Rondonense” – Diário da Tarde (PR) – Correios de Notícias (PR)

Taça Paraná de Futebol Amador: Todos os campeões e vices, entre 1964 a 2019

Maior vencedor com 10 títulos

A Taça Paraná é a principal competição do futebol amador do estado do Paraná. Organizado, anualmente pela Federação Paranaense de Futebol (FPF), esta competição tem o objetivo de reunir os campeões das ligas interioranas e também da capital e do litoral do estado em uma tradição que ocorre desde o ano de 1964.

O campeão é o representante do estado em algumas competições amadoras no Brasil e na América do Sul, como o Campeonato Sul-Brasileiro de Futebol Amador.

História
O futebol amador do Paraná se confunde com os grandes clubes do estado, pois desde 1917, já existiam torneios exclusivos para times de bairro e que alimentavam, em algumas oportunidades, os clubes de massa quando estes levavam para seus elencos, alguns jogadores.

Em Curitiba e nas principais cidades do estado, criaram-se varias ligas de futebol. Alguns campeões destas ligas chegaram a disputar algumas fases do Campeonato Paranaense de Futebol, bem como, vários clubes de várzea obtiveram acesso ao campeonato profissional.

Segundo maior campeão: 9 títulos

Em 1947, a Federação Paranaense de Futebol (FPF), começou a organizar, oficialmente, o futebol amador. No início da década de 60, a FPF fez algumas tentativas em um torneio estadual, porém, apenas na terça-feira, do dia 04 de Agosto de 1964, com a concepção da Taça Paraná, a federação obteve sucesso.

 A Taça Paraná foi criada pelo então superintendente da FPF, Hugo Weber (1918-2011), como sendo a principal competição amadora do estado, mantendo, até a atualidade, esta condição.

Os troféus da Taça Paraná recebem o nome de grandes personalidades do futebol amador do estado e são de posse transitória. Este troféu deixará de ser transitório quando uma mesma equipe for campeã em três ocasiões alternadas ou duas vezes consecutivas. O 1º campeão da Taça Paraná foi o Ferroviário Esporte Clube, de União da Vitória.

3º maior vencedor: 6 títulos

Foram realizados 56 edições da Taça Paraná, entre 1964 a 2019. Abaixo, todos os campeões e vices:

3º maior vencedor: 6 títulos

Antes da Federação Paranaense de Futebol (FPF), ter oficializado a criação da Taça Paraná de Futebol em 1964, foi realizado duas competições (1960 e 1962), embrionárias, denominada: “Campeonato Amador do Estado“.

O intuito da FPF foi de fazer os ajustes, a fim de colocar em prática a competição de forma definitiva, a partir de 1964. Na 1ª edição (1960), o campeão foi Real Esporte Clube, de Campo Largo; enquanto o União Barigüi Futebol Clube, de Curitiba, terminou com o vice-campeonato.

Na edição de 1962, o Clube Atlético Monte Alegre, de Telêmaco Borba, se sagrou campeão. O vice-campeão foi o Real Esporte Clube, de Curitiba. Abaixo os clubes campeões pelo número total de conquistas ao longo das temporadas:

TODOS OS CAMPÕES ENTRE 1964 a 2019

ANOSCAMPEÕESVICE-CAMPEÕES
1964Ferroviário EC (União da Vitória)CE Agroceres (Jacarezinho)
1965Trieste FC (Curitiba)SC Corinthians (Londrina)
1966Trieste FC (Curitiba)Grêmio Oeste (Guarapuava)
1967SC Corinthians (Londrina)SOBE Iguaçu (Curitiba)
1968Fanático FC (Campo Largo)Paraná SC (Londrina)
1969Trieste FC (Curitiba)EC Cachoeira (São Sebastião Amoreira)
1970Trieste FC (Curitiba)Sociedade Desportiva Uraí (Uraí)
1971Trieste FC (Curitiba)CA Loandense (Loanda)
1972CES União Medianeirense (Medianeira)CA Loandense (Loanda)
1973SOBE Iguaçu (Curitiba)EC Municipal (Cambará)
1974CER Aymoré (Matelândia)SE Palmeiras (Pato Branco)
1975XV de Novembro FC (Londrina)CES União Medianeirense (Medianeira)
1976Fanático FC (Campo Largo)SER Premol (Ibiporã)
1977Demafra FC (Paranavaí)SOBE Iguaçu (Curitiba)
1978Fanático FC (Campo Largo)CA Loandense (Loanda)
1979Fanático FC (Campo Largo)Ypiranga FC, de Água Verde (Curitiba)
1980Internacional EC (Campo Largo)EC Sete de Setembro (Dois Vizinhos)
1981Internacional EC (Campo Largo)AFC Jabur (Londrina)
1982GE Caramuru (Chopinzinho)AFC Jabur (Londrina)
1983Fanático FC (Campo Largo)Luiziana FC (Luiziana)
1984Trieste FC (Curitiba)EC Sete de Setembro (Dois Vizinhos)
1985Trieste FC (Curitiba)CA Municipal (Jacarezinho)
1986Fanático FC (Campo Largo)EC Flamengo (Marechal Cândido Rondon)
1987EC Sete Setembro (Dois Vizinhos)Trieste FC (Curitiba)
1988Trieste FC (Curitiba)SER Entre Rios (Marechal Cândido Rondon)
1989Vila Fanny FC (Curitiba)CA Loandense (Loanda)
1990Trieste FC (Curitiba)EC Andiarense (Andirá)
1991Vila Fanny FC (Curitiba)CA Jesuítas (Jesuítas)
1992AA Palmeira (Palmeira)AE Jacarezinho (Jacarezinho)
1993EC Flórida (Nova Esperança)GER 13 de Maio (Verê)
1994Pitanga FC (Pitanga)AA VASP (Boa Esperança)
1995Ipiranga FC (Palmeira)SER Real (Realeza)
1996Internacional EC (Campo Largo)CES União Medianeirense (Medianeira)
1997Combate Barreirinha FC (Curitiba)EC Ouro Verde, do Distrito de Nova Sarandi (Toledo)
1998Combate Barreirinha FC (Curitiba)AE Danúbio, do Distrito de Entre Rios (Guarapuava)
1999Combate Barreirinha FC (Curitiba)AC Marialva (Marialva)
2000Combate Barreirinha FC (Curitiba)GER Madeirit (Guarapuava)
2001SBR Colombo EC (Colombo)Mamborê EC (Mamborê)
2002Combate Barreirinha FC (Curitiba)Vila Hauer EC (Curitiba)
2003AER Eng. Beltrão (Eng. Beltrão)Combate Barreirinha FC (Curitiba)
2004GER Madeirit (Guarapuava)Milan FC (São José dos Pinhais)
2005Combate Barreirinha FC (Curitiba)Ypiranga FC (Palmeira)
2006Trieste FC (Curitiba)Combate Barreirinha FC (Curitiba)
2007CA Loandense (Loanda)Combate Barreirinha FC (Curitiba)
2008AE São Manoel (São Manoel)ACE Urano (Curitiba)
2009ACE Urano (Curitiba)Associação Atlética Recreativa Rondon (Rondon)
2010AE São Manoel (São Manoel)Colombo FC (Colombo)
2011Internacional EC (Campo Largo)EC Ana Terra (Colombo)
2012Internacional EC (Campo Largo)União Operário ER (Laranjeiras Sul)
2013Internacional EC (Campo Largo)SOBE Iguaçu (Curitiba)
2014Bandeirantes EC (Colombo)Fanático FC (Campo Largo)
2015Fanático FC (Campo Largo)Bandeirantes EC (Colombo)
2016Fanático FC (Campo Largo)Internacional EC (Campo Largo)
2017Fanático FC (Campo Largo)SOBE Iguaçu (Curitiba)
2018SOBE Iguaçu (Curitiba)Atalanta FC (São José dos Pinhais)
2019SOBE Iguaçu (Curitiba)Trieste FC (Curitiba)

RANKING DOS CAMPEÕES

CLUBESCIDADESTÍTULOSANOS
Trieste FCCuritiba101965, 1966, 1969, 1970, 1971, 1984, 1985, 1988, 1990 e 2006
Fanático FCCampo Largo091968, 1976, 1978, 1979, 1983, 1986, 2015, 2016 e  e 2017
Internacional ECCampo Largo061980, 1981, 1996, 2011, 2012 e 2013
Combate Barreirinha FCCuritiba061997, 1998, 1999, 2000, 2002 e 2005
SOBE IguaçuCuritiba031973, 2018 e 2019
Vila Fanny FCCuritiba021989 e 1991
AE São ManoelSão Manoel do Paraná022008 e 2010
Bandeirantes ECColombo012014
ACE UranoCuritiba012009
CA LoandenseLoanda012007
GER MadeiritGuarapuava012004
AER Engenheiro BeltrãoEngenheiro Beltrão012003
SBR Colombo ECColombo012001
Ipiranga FCPalmeira011995
Pitanga ECPitanga011994
EC FlóridaNova Esperança011993
AA PalmeiraPalmeira011992
EC Sete de SetembroDois Vizinhos011987
GE CaramuruChopinzinho011982
Demafra FCParanavaí011977
XV de Novembro FCLondrina011975
CER AymoréMatelândia011974
CES União MedianeirenseMedianeira011972
SC CorinthiansLondrina011967
Ferroviário ECUnião da Vitória011964
CA Monte AlegreTelêmaco Borba011962
REAL ECCampo Largo011960

COLABOROU: Rodrigo S. Oliveira

FONTES: Wikipédia -Nelson Schepiura “Futebol do Paraná: 100 anos de história”, de Heriberto Ivan Machado e Levi Mulford Chrestenzen – Federação Paranaense de Futebol – Sidney Barbosa – Diário da Tarde (PR) – Correios de Notícias (PR) – pesquisador Laércio Becker – Diário do Paraná (PR)

Escudos Raros, de 1948 e 1951: Nacional Atlético Clube – Rolândia (PR)

escudo de 1948

Nacional Atlético Clube (NAC) é uma agremiação do Município de Rolândia, que fica a 399 km da capital (Curitiba) do Paraná. A localidade ganhou status de município em 30 de dezembro de 1943, e conta com uma população de 67.383 habitantes, segundo o IBGE/2020.

O “Guerreiro do Norte” foi Fundado na segunda-feira, do dia 28 de Abril de 1947, por onze amigos o 1º clube de futebol de Rolândia. Em seus primeiros anos, o NAC atraía torcedores de cidades vizinhas, como Londrina. As suas cores é o azul celeste e branco. A sua Sede social está localizado na Avenida Presidente Bernardes, nº 786, no Centro de Rolândia (PR).

Em suas primeiras participações no Campeonato Paranaense, a equipe ficou restrita à Zona Norte, não se classificando para as fases seguintes. Mesmo assim foi durante alguns anos a principal equipe de futebol da região Norte Novo.

Isso acontecia pelos amistosos com grandes equipes do Rio de Janeiro, São Paulo, atraía público das cidades vizinhas e até do interior paulista e do Mato Grosso do Sul. O Nacional inspirou alguns desportistas de Londrina e formarem o Londrina F.R. em 1956.

1º amistoso contra uma equipe profissional

1ª partida amistosa contra uma equipe profissional deu-se em 1948, sendo derrotado pelo Britânia de Curitiba, pelo placar de 6 a 0. Faltava experiência aos jogadores do Naça, que mesmo sendo goleados mostraram muita disposição e amor à camisa.

Naquela tarde o Nacional teve a seguinte formação: Tarzan; Bil, Gradim, Brito e Zé Austino, Pinheirinho, Lula e Valdevino; Odair, Joãozinho e Neta.

1º Título veio em 1948

Em 1948 foi campeão regional vencendo o GERAde Apucarana por 5 a 1. O Nacional conquistou o titulo regional com a seguinte formação: Gustavo; Bil e Neta; Zé Remédio, Pixo e Pinheirinho; Valdevino, Lula, Aquino, Ary e Walter.

Para chegar ao título, o Nacional, além de bater o GERA, de Apucarana; o temível Mandaguari; o SERA, de ArapongasLavoura e outras.

Em 1949, o Nacional vence o esquadrão da Esportiva de Jacarezinho. O famoso time da Esportiva tinha como maior atração o goleiro Muca, que mais tarde fez sucesso na Portuguesa de Desportos. Escalação do NacionalZico; Juve e Portela; Joãozinho, Hugo e Albertinho; Horácio, Pedrinho, Zé Pelota, Zé Ribeiro e Walter. Atuavam ainda: Naldemar Pesenti, Emory, Guilherme Bocatti, Maneco Lemos,Barrica e Luis Liberatti.

Vice-campeão Estadual de 1949

Com a participação de São PauloOperárioAtléticoBancários e União (todos de Londrina)Guarany de CambéEsporte JandaiaSete de Setembro, de IbiporãSERA de Arapongas e GERA de Apucarana, o Nacional mostrou sua força com a seguinte formação: Adalberto; Gradim e Bil; Geraldo, Orlando e Pinheirinho; Baixinho, Lula,Donalson, Olavo e Valter. Atuaram no campeonato: Aquino, Zico, Brito, Hugo, Juve, Valdevino, Joãozinho e Galdino.

Essa equipe jogava por música sob a regência do competente técnico Waldemar de Barros.

1º Campeão Profissional do Norte do Paraná

escudo de 1951

Sob a presidência do advogado Dr. José Luciano de Andrade, o Nacional de Rolândia foi profissionalizada em 1950. A maior conquista do Nacional foi o título de 1º campeão de futebol profissional do Norte do Paraná. Para começar a mostrar sua força, venceu o Torneio Início de forma invicta.

As equipes participantes do certame regional foram: Guarany de CambeEstrela do Norte, de Ibiporã, XV de NovembroAtlético e Vasco de LondrinaJaguapitã Esporte ClubeGERA de ApucaranaBela Vista do ParaísoLavoura de Arapongas.

Nacional aplicou sonoras goleadas na maioria das equipes, chegando a assinalar 1.211 gols, tomando apenas 22. Os artilheiros foramDonalson, com 37, Carlinhos, 26 e Niquinho com 20.

A principal formação esteve assim constituída: Costinha; Bil e Lengruber; Chocolate, Nego e Dum; Niquinho, Ryan, Donalson, Nelinho e Carlinhos. Atuaram ainda Casnock, Walter, Galdino, Joãozinho, Juve Brun.

Foto de 1951

O 1º jogo interestadual foi em 1951

Jogando amistosamente contra a equipe do São Cristóvão do Rio de Janeiro, o Nacional venceu por 2 a 1, com a seguinte formação: Haga; Lengruber e Bil; Tuca, Chocolate e Dum; Pirilo, Niquinho, Casnock, Nelinho e Carlinhos.

Nesse mesmo ano de 1951, o Nacional realizou amistosos contra as equipes do Corinthians Paulista, venceu a primeira por 2 a 1 e perdeu a segunda por 5 a 1.

Depois empatou com o Atlético Mineiro por 2 a 2, e perdeu para a Sociedade Esportiva Palmeiras por 5 a 0. Em 1952, enfrentou em Rolândia, os esquadrões do Vasco da GamaSantos F.C.Atlético MineiroPortuguesa de DesportosPortuguesa Santista e São Paulo F.C.

Disputou o Campeonato Paranaense de Profissionais de 1951, no qual tiveram os seguintes clubes participantes: Associação Atlética Cambaraense (Cambará), Associação Esportiva Recreativa Jandaiense (Jandaia do Sul), Bela Vista Futebol Clube (Bela Vista do Paraíso), Esporte Clube Recreativo Operário (Londrina), Guarany Esporte Clube (Cambé), Lavoura Futebol Clube (Arapongas), Nacional Atlético Clube (Rolândia) e São Paulo Futebol Clube (Londrina).

Estádio Municipal Olímpico Erich Georg

Estádio Municipal Olímpico Erich Georg (Capacidade para 2.050 pessoas)

Homenagem póstuma ao saudoso desportista Erich Georg, que faleceu em um acidente rodoviário quando se encontrava a serviço de seu querido Nacional. Outro dirigente que marcou época: Carlos Meisen.

Após sua gestão o NAC ficou inativo por longos anos, reiniciando suas atividades com o presidente Cezar de Silvio. Seguindo-se: Ermelindo B. Duarte, o popular Linha RetaJoão UssoSanto Silva e Sérgio Gagliotti, e outros abnegados do futebol rolandense.

Em 1952, foi inaugurado o sistema de iluminação do Estádio, sob a presidência de Waldemar Georg e Ernesto Franceschini, vice.

O grande evento esportivo atraiu um grande público para presenciar a partida entre o Nacional e o Clube Atlético Paranaense, que havia acabado de conquistar o título estadual. O Nacional não se intimidou com a fama do esquadrão da capital e impôs uma goleada de 4 a 0.

Colaborou: Rodrigo S. Oliveira

FONTES: Wikipédia – Página do clube no Facebook – Museu Histórico de Rolândia – Página no Facebook “Acervo Futebol Paranaense de Profissionais – Clubes do interior”

Inédito!! Aymoré Sport Club – Curitiba (PR): disputou o Campeonato Suburbano de 1919

O Aymoré Sport Club foi uma agremiação da cidade de Curitiba (PR). Sobre a Fundação deste clube foi encontrado três datas: Fundado no domingo, do dia 18 de Abril de 1915; Fundado na quarta-feira, do dia 28 de Abril de 1915; Fundado na segunda-feira, do dia 24 de Maio de 1915.

A sua Sede estava localizada na Rua Riachuelo, nº 65, no Centro de Curitiba. As suas cores: verde e branco. Um clube voltando para os eventos sociais, enveredou no futebol bretão, uma vez, no final dos anos 10.

Sede do clube nos anos 10

O Aymoré disputou o Campeonato Suburbano de Curitiba em 1919, organizado pela Liga Sportiva Municipal (LSM). Na ocasião, dez clubes curitibanos participaram da competição:

Americano Sport Club;

Aymoré Sport Club;

Bello Horizonte;

Brasil Sport Club;

Elite Football Club;

Paraná Sport Club;

Pinheiro Sport Club;

Tiradentes Football Club;

Torino Sport Club;

Ypiranga Football Club.

A Liga Sportiva Municipal (LSM), foi Fundado no domingo, do dia 20 de Maio de 1917, na Sede da Sociedade Beneficente dos Trabalhadores, na Herva Matte. Os cinco clubes fundadores foram os seguintes: EsperançaBotafogoGuaranyBello HorizonteVilla Izabel. Generoso Nascimento Teixeira foi o 1º Presidente da LSM.

Nos veículos de comunicação, algumas matérias relacionadas ao Aymoré (eventos sociais) até 1926. A partir daí não foi encontrado mais nada desta briosa agremiação curitibana.

Colaborou: Rodrigo S. Oliveira

Imagem: Luís Venke Dyminski

FONTES: A República (PR) – Diário da Tarde (PR) – O Estado do Paraná (PR) – O Dia (PR) – Commercio do Paraná (PR) – Google Maps

Escudo Raro dos anos 70: Umuarama Futebol Clube – Umuarama (PR)

Umuarama Futebol Clube foi uma agremiação da cidade de Umuarama (PR). O “Tigrão da Baixada” foi Fundado na quinta-feira, do dia 25 de Novembro de 1971. A mascote era um índiozinho.

A sua Sede administrativa ficava situado na Estrada Serra dos Dourados, s/n – Lote 27, no Centro de Umuarama. A equipe mandava os seus jogos no Estádio Municipal Lucio Pipino, o “Gigante da Baixada“.

atacante Vaquinha

Amistosos contra alguns gigantes do país, em Umuarama

Umuarama x S.E. Palmeiras/SP

Na terça-feira, do dia 26 de Junho de 1973, o Umuarama recebeu o Palmeiras, em amistoso nacional, no Estádio Gigante da Baixada. O time alviverde paulista venceu por 1 a 0, gol de Fedato aos 40 minutos do 1º tempo. O Árbitro foiCélio Laudelino da Silva (PR). A Renda foi de Cr$ 50 mil cruzeiros.

Umuarama: Leonel; Alonso, Virgílio, Bô e Beto; Nenê (Jairo) e Índio; Paulo Borges (Darci), Jaime, Joãozinho e China.                                               

Palmeiras: Raul Marcel; Eurico, João Carlos, Zeca e Celso; Dudu e Ademir da Guia; Edu Bala, Mílton (Ronaldo), César Maluco (Pio) e Fedato. Técnico: Oswaldo Brandão.

Umuarama x S.C. Corinthians/SP

Em amistoso nacional, às 21h30min., da quarta-feira, no dia 05 de Dezembro de 1973, o Umuarama Corinthians (SP) empataram em 1 a 1. Vaguinho abriu o placar para o Timão, enquanto Índio deixou tudo igual para o delírio da torcida presente, no Gigante da Baixada. O Estádio lotado e uma Renda de Cr$ 138 mil cruzeiros. Pela partida o clube paulista recebeu uma cota de 62 mil cruzeiros, livre de despesas.

Corinthians: Ado; Zé Maria,Laércio, Vagner e Wladimir; Tião e Zé Roberto; Vaguinho, Adãozinho, Roberto e Marco Antônio. Técnico: Dorival Knipel, “Yustrich”. Desfalques: Rivellino não jogou por estar com uma lesão no braço direito; enquanto Lance estava com o joelho machucado.   

recorte da revista Placar

Umuarama x C.R. Flamengo/RJ

Na quinta-feira, do dia 18 de Abril de 1974, em amistoso nacional, o Umuarama venceu o Flamengo (RJ) por 1 a 0, no Estádio Gigante da Baixada. O gol da vitória saiu aos 34 minutos da fase final por intermédio de Afonso Pinto. A Renda foi de cerca de 90 mil cruzeiros. Afonso Oliveira foi o árbitro da partida.

Umuarama: Léo; Alunino, Virgilio (Tomé), Bô e Beto; Nenê e Índio; Afonso Pinto, Darci, Laranjal e Jaime.

Flamengo: Cantarelle; Aluísio, Rondinelli, Luís Carlos e Rodrigues Neto (Nei); Liminha (Paulinho) e Zé Mário; Paulinho (Doval), Zico (Geraldo Assoviador), Dadá Maravilha e Arílson (Julinho). Técnico: Jouber.

Umuarama x Santos F.C./SP

No final da década de 80, o Umuarama enfrentou, em amistoso, o Santos Futebol Clube (SP) duas vezes: no domingo, do dia 27 de Janeiro de 1988, o “Tigrão da Baixada” venceu o Peixe por 2 a 0; enquanto na quarta-feira, do dia 1ª de Fevereiro de 1989, a partida terminou empatada em 1 a 1. Ambos os jogos foram realizados no Estádio Municipal Lucio Pipino, o Gigante da Baixada.

No Campeonato Paranaense da 1ª Divisão, o “Tigrão da Baixada” participou de 10 edições: 1973, 1974, 1975, 1976, 1977, 1978, 1979, 1980, 1989 e 1990. Esteve presente na Taça Norte de 1973 e no Torneio da Morte de 1979.

Time da década de 70 – EM PÉ (Esquerda para a direita): Zuring (técnico), Aluísio, Leonel, Virgílio, Nenê, Bô, Tomé e João Turuca;
AGACHADOS (Esquerda para a direita): Afonso, Darci, Vaquinha, Índio e Jaime Pepino.

Vice-campeão em 1986

A principal conquista da equipe foi ser vice-campeã do Campeonato Paranaense da Segunda Divisão de 1986, organizado pela Federação Paranaense de Futebol (FPF), perdendo o título para o Pato Branco Esporte Clube. O Umuarama Futebol Clube acabou sendo extinto na década de 90.

Desenho do uniforme, escudo e texto: Sérgio Mello

Colaborou: Rodrigo S. Oliveira

FONTES: Wikipédia – Diário da Tarde (PR) – Acervo Santista – Futebol 80 – Jornal dos Sports – Revista Placar

Maringá Atlético Clube – Maringá (PR): Campeão Estadual da 2ª Divisão de 1989

O Maringá Atlético Clube foi uma efêmera agremiação da cidade de Maringá (PR). A história do clube tem relação com a paixão pelo futebol de Elnio Silveira Pohlmann. O desportista fundou o Grêmio de Esportes Maringá, popular “Apucarana“, nome histórico e folclórico do futebol paranaense.

Já foi diretor do Grêmio de Esportes Maringá e, posteriormente, Fundou na terça-feira, do dia 03 de Janeiro de 1989, o Maringá Atlético Clube, o MAC. A sua Sede administrativa ficava situada na Rua Santos Dumont, nº 2.675/ Sala 06 / 2º Andar, no bairro Zona 01, em Maringá (PR).

Suas cores correspondem a bandeira da cidade de Maringá: branco, amarelo e vermelho. A mascote era o Cachorro! A equipe mandava os seus jogos no Estádio Regional Willie Davids, com capacidade para 16 mil pessoas.

Campeão da Segunda Divisão Paranaense de 1989

O MAC debutou na esfera profissional ainda em 1989, quando disputou o Campeonato Paranaense da 2ª Divisão, organizado pela Federação Paranaense de Futebol (FPF). E, de cara, faturou o título inédito!

A competição contou com a participação de 22 clubes, divididos em quatro grupos (três chaves com seis equipes e um com quatro times). O MAC ficou na “Chave Norte” juntamente com:

Arapongas Esporte Clube (Arapongas),Sociedade Esportiva e Recreativa Japurá (Japurá), Nacional Atlético Clube (Rolândia), Jandaia Esporte Clube (Jandaia do Sul) e Clube Atlético Cambé (Cambé).

Na 1º Fase, o MAC terminou na 2ª colocação, com 14 pontos em 10 jogos: sete vitórias e três derrotas; marcando 24 gols e sofrendo 12, com um saldo positivo de 12.

Avançaram para a 2ª Fase, o MAC, Japurá e Arapongas, que se enfrentaram em turno e returno. No final, o Maringá terminou com o mesmo número de pontos do Arapongas, mas ficou em 2º lugar no saldo de gols: foram oito pontos em seis jogos; duas vitórias e quatro empates; marcando seis gols e sofrendo três, um saldo de três.   

Na 3ª Fase, o Maringá ficou na Chave C, com o Comercial Esporte Clube (Ubiratan) e Clube Esportivo Caxias (Palmas). O MAC terminou na 1ª posição com Seis pontos em quatro jogos: duas vitórias e dois empates; marcando nove gols e sofrendo quatro, com um saldo positivo de cinco.

Com isso, o time avançou para as Semifinais. No jogo de ida, domingo, do dia 19 de novembro de 1989, o MAC venceu, em casa, o União Operário Esporte Recreativo (Laranjeiras do Sul)pelo placar de 3 a 0.   

No jogo da volta, domingo, do dia 26 de novembro de 1989, o MAC arrancou empate em 1 a 1, fora de casa, com o União Operário Esporte Recreativo (Laranjeiras do Sul), avançando para a grande final.

No 1º jogo da decisão, domingo, do dia 03 de dezembro de 1989, o MAC foi até Arapongas e bateu o time da casa pelo placar de 2 a 1. No jogo final, domingo, do dia 10 de dezembro de 1989, o Maringá Atlético Clube voltou a vencer o Arapongas Esporte Clube (Arapongas), por 1 a 0, se sagrando campeão Paranaense da Segunda Divisão pela 1ª vez na sua curta história!

No total, a campanha do MAC foi a seguinte: 35 pontos em 24 jogos: 14 vitórias, 07 empates e 03 derrotas; marcando 46 gols e sofrendo 21, com um saldo positivo de 25.

Debuta na Elite do futebol da Paraná sem perder para os grandes

O título rendeu ao MAC o direito de jogar pela vez no Campeonato Paranaense da 1ª Divisão de 1990. A competição contou com a  participação de 22 clubes, divididos em dois grupos Azul e Branco.     

O Maringá Atlético Clube ficou no Grupo Azul, terminando na 9ª colocação com 17 pontos, em 21 jogos, foram cinco vitórias, sete empates e nove derrotas; marcando 17 gols e sofrendo 17, com saldo zero. No geral, o MAC ficou na 14ª posição.

Um fato, no mínimo, curioso, foi que o Maringá enfrentou os quatro grandes do estado e não perdeu. Foi uma vitória e três empates: no domingo, do dia 04 de fevereiro de 1990, venceu o Londrina por 1 a 0, no Estádio Willie Davids.

No domingo, do dia 04 de Março, empatou com o Coritiba em 0 a 0, no Estádio Couto Pereira; No quarta-feira, do dia 14 de Março, outro empate, dessa vez com o Paraná Clube em 0 a 0, no Estádio Willie Davids. No sexta-feira, do dia 25 de Maio, ficou no empate sem gols, com o Athletico Paranaense, no Estádio Joaquim Américo.

Estadual de 1991, clube abandona após três rodadas

O MAC teve uma participação melancólica no Campeonato Paranaense da 1ª Divisão de 1991. A competição teve a presença de 24 equipes. O Maringá Atlético, estava no Grupo A, começou bem. Estreou, no domingo, do dia 24 de fevereiro, empatando, em casa, em 1 a 1 com o Apucarana.  

Pela segunda rodada, no domingo, do dia 3 de março, perdeu, fora de casa, pelo placar de 1 a 0 para o Campo Mourão. Na 3ª rodada, na sexta-feira, do dia 8 de março, o Maringá Atlético recebeu o Paranavaí e venceu por 2 a 0.

Após esse jogo, a diretoria do Maringá Atlético tomou uma decisão radical e comunicou a Federação Paranaense de Futebol (FPF), que o clube estava desistindo do campeonato.

A FPF decidiu anular os seus jogos e o clube foi automaticamente rebaixado para o Campeonato Paranaense da Segunda Divisão. No final do ano, mais precisamente no dia 10 de dezembro de 1991, a direção informou que o clube estava fechando às portas para nunca mais retornar.

DESENHO DOS ESCUDOS, UNIFORMES E TEXTO: Sérgio Mello

COLABOROU: Rodrigo S. Oliveira

FOTOS: Museu dos Esportes

FONTES: Wikpédia – Arquivos de Levi Mulford Chrestenzen