Seleção Brasileira: a história dessa foto rara de 1963!

Uniforme de treino

A CBD (Confederação Brasileira de Desportos), por meio do técnico Aymoré Moreira convocou 29 jogadores, na terça-feira, do dia 05 de Fevereiro de 1963, para o Sul-Americano da Bolívia (atual Copa América), que transcorreu entre os dias 10 a 31 de março daquele ano.

O chefe da delegação Canarinho foi Edgar Leite de Castro; secretário, Edson de Oliveira; delegado, Abílio de Almeida; médico e supervisor, Hilton Gosling; técnico, Aymoré Moreira; assistente, Mario Celso de Abreu, o Marão; dentista, Mário Trigo; massagista, Eduardo Santana, “Pai Santana”; sapateiro e cozinheiro, Aristides; roupeiro e almoxarife, Ubirajara Ferreira.    

 A relação dos jogadores convocados:

Mineiros: Marcial (goleiro, Atlético-MG); Procópio (zagueiro, Atlético-MG); Massinha (lateral-direito, Cruzeiro); Geraldino (lateral-esquerdo, Cruzeiro); Hilton Oliveira (ponta-esquerda, Cruzeiro); Rossi (atacante, Cruzeiro); Luís Carlos (atacante, Cruzeiro); Amauri (cabeça-de-área, Cruzeiro); Marco Antonio (atacante, América Mineiro); Ari (América Mineiro); Nerival (meia, Cruzeiro); Fifi (meia-atacante, Atlético-MG).

Cariocas: Ubirajara (goleiro, Bangu); Mario Tito (zagueiro, Bangu); Itamar (lateral-esquerdo, America); Jorge (lateral-direito, America); Altamiro (atacante, São Cristóvão).

Paulistas: Henrique (goleiro, Corinthians); Ferrari (lateral-esquerdo, Palmeiras); Tarciso (zagueiro, Palmeiras); Píter (zagueiro, Comercial de Ribeirão Preto); Ílton Vaccari (meia, Guarani); Almir da Silva (atacante, Taubaté); Tião Macalé (meia, Guarani); Joaquinzinho (Juventus); e Oswaldo (atacante, Guarani)

Gaúchos: Flávio Minuano (atacante, Internacional); Cláudio Danni (zagueiro, Internacional).

Seleção Brasileira de Futebol (1963)
EM PÉ (esquerda para a direita): Henrique (Corinthians/SP), Jorge (America/RJ), Mario Tito (Bangu/RJ), Ílton Vaccari (Guarani/SP), Píter (Comercial-SP) e Itamar (Madureira);
AGACHADOS (esquerda para a direita): Altamiro (São Cristóvão/RJ), Flávio Minuano (Inter/RS), Joaquinzinho (Juventus/SP), Tião Macalé (Guarani/SP), Oswaldo (Guarani/SP) e  “Pai” Santana (massagista).

O treinador no Sul-Americano foi Mario Celso, o ‘Marão’, tendo Aymoré Moreira na supervisão.

Os convocados se apresentaram no domingo, do dia 10 de Fevereiro de 1963, na Sede da CBD, de onde seguiram para a Colônia de Férias do SESC, em Venda Nova, em Belo Horizonte/MG para o início dos treinos.

Curiosidade

Na lista apresentada pela CBD, o lateral-esquerdo Itamar, constava como jogador do Madureira Atlético Clube, porém, um mês antes da convocação o atleta tinha sido vendido para o America Football Club

No sábado, do dia 02 de Fevereiro de 1963, a diretoria do Tricolor Suburbano recebeu o valor de Cr$ 3 milhões e mais os passes de dois jogadores: Nai e Domingos e o direito de escolher outro jogador do elenco do America, caso Domingos não quisesse se transferir para Conselheiro Galvão.  

Segundo o contrato firmado, O America pagou a Itamar Cr$ 1 milhão, a título de luvas, e mais um salário mensal de Cr$ 70 mil. 

Sobre a foto: Brasil A x Cruzeiro e Brasil B x Atlético-MG  

Na tarde da segunda-feira, do dia 18 de Fevereiro de 1963, a Seleção Brasileira foi divida entre A (titulares) e B (reservas). Então, a Seleção A enfrentou o Cruzeiro, empatando em 1 a 1. Já a Seleção B jogou e venceu o Atlético Mineiro pelo placar de 3 a 1.

Estádio Juscelino Kubitschek de Oliveira, no bairro Barro Preto, em BH

Ambos os jogos-treinos, foram realizados no Estádio Juscelino Kubitschek de Oliveira (capacidade para 15 mil pessoas, de propriedade do Cruzeiro), no bairro Barro Preto, em Belo Horizonte.

Um público regular, que gerou uma Renda de Cr$ 336.600,00, com ingresso vendidos a Cr$ 100,00.

O ensaio constou de quatro etapas, a primeira e terceira reservada a Seleção A x Cruzeiro e as demais para a Seleção B x Atlético-MG.

1ª Etapa

Na primeira fase, que teve a duração de 30 minutos, Seleção A e Cruzeiro empataram em um tento, com gols de Ari para o Escrete Canarinho aos 10 minutos, em jogada individual, iludiu vários adversários, terminando por passar por Norival e chutar, sem defesa para Tonho. Em seguida, após boa troca de passes entre Elmo e Emerson, culminou com ótimo lançamento para Antoninho que marcou para Raposa.

2ª Etapa

Depois, foi à vez da Seleção B x Atlético-MG, que durou meia-hora, sem abertura de contagem.   

3ª Etapa

Retornaram a Seleção A e Cruzeiro, por mais 30 minutos, o melhor momento foi um pênalti a favor do Brasil, aos 8 minutos, mas que o goleiro Mussula voou, espalmando para escanteio. O placar permaneceu inalterado, ficando em 1 a 1.

4ª Etapa

Para finalizar, mais meia-hora para Seleção B x Atlético-MG. Logo aos 5 minutos, o Brasil abriu o placar. Joaquinzinho fez excelente passe para Altamiro que driblou o goleiro e colocou  a bola rente a trave.

Aos 26 minutos, Oswaldo escapou pela direita e deu passe para Flávio Minuano, que se aproveitou da indecisão de Bueno para marcar o segundo da Seleção.  

Dois minutos depois, era a vez de Flávio Minuano fazer ótimo lançamento para Joaquinzinho que tocou na saída do arqueiro atleticano. Nos acréscimos, Mario Jorge deu chute fraco, mas o goleiro Ubirajara falhou, permitindo o gol de honra do Galo.

Treinador gostou do que viu

O técnico Aymoré Moreira não pode contar com o zagueiro Procópio Cardoso, Almir e Luís Carlos, todos lesionados. O treinador gostou do desempenho: “Pouco a pouco, vamos armando a seleção ideal“, completou Aymoré, que no dia seguinte dispensou o meia Fifi, do Atlético-MG, por não ter se apresentado juntamente com os demais atletas.

Sul-Americano de 1963: Brasil faz campanha ruim

Apesar da satisfação de Aymoré Moreira, o desempenho no Sul-Americano de Futebol, na Bolívia, foi decepcionante. Sete países participaram do torneio onde se enfrentaram em turno único.

A Seleção Brasileira terminou na 4ª posição, com cinco pontos em seis jogos: duas vitórias, um empate e três derrotas; marcando 12 gols, sofrendo 13 e um saldo negativo de um. A campeã invicta foi a Bolívia (11 pontos), com o Paraguai em segundo (nove), e a Argentina na 3ª colocação (sete).

SELEÇÃO BRASILEIRA ‘A’        1          X         1          CRUZEIRO (MG)

LOCALEstádio Juscelino Kubitschek de Oliveira, no bairro Barro Preto, em Belo Horizonte/MG
CARÁTERJogo-treino
DATASegunda-feira, do dia 18 de Fevereiro de 1963
RENDACr$ 336.600,00
PÚBLICO3.366 pagantes
ÁRBITROGraça Filho (FMF – Federação Mineira de Futebol)
AUXILIARESJosé do Patrocínio (FMF) e Lúcio Alves (FMF)
BRASIL AMarcial (Henrique); Massinha, William, Cláudio e Geraldino; Ílton Vaccari e Amauri; Nerival, Rossi, Marco Antônio e Ari. Técnico: Aymoré Moreira
CRUZEIROTonho (Mussula); Juca, Raul (Vavá), Benito Fantoni (Dilsinho) e Jairo; Nuno e Nelsinho (Raul); Antoninho, Elmo, Émerson (Dirceu) e Norival. Técnico: Leonízio Fantoni, ‘Niginho’
GOLSAri aos 10 minutos (Brasil); Antoninho aos 11 minutos (Cruzeiro), no 1º Tempo

SELEÇÃO BRASILEIRA ‘B’        3          X         1          ATLÉTICO MINEIRO (MG)

LOCALEstádio Juscelino Kubitschek de Oliveira, no bairro Barro Preto, em Belo Horizonte/MG
CARÁTERJogo-treino
DATASegunda-feira, do dia 18 de Fevereiro de 1963
RENDACr$ 336.600,00
PÚBLICO3.366 pagantes
ÁRBITROGraça Filho (FMF – Federação Mineira de Futebol)
AUXILIARESJosé do Patrocínio (FMF) e Lúcio Alves (FMF)
BRASIL BHenrique (Ubirajara); Jorge, Mario Tito, Píter e Itamar; Ílton Viccari e Tião Macalé; Altamiro, Joaquinzinho, Flávio Minuano e Oswaldo.
ATLÉTICO-MGFábio; Coelho, Eduardo, Bueno e Klébis; Dinar (Zico) e Fifi (Afonsinho); Toninho (Maurício), Nilson (Carlinhos), Mário Jorge e Noêmio. Técnico: Wilson de Oliveira
GOLSAltamiro aos 5 minutos (Brasil); Flávio Minuano aos 26 minutos (Brasil); Joaquinzinho aos 28 minutos (Brasil); Mário Jorge aos 37 minutos (Atlético-MG), no 2º Tempo.

Pesquisa, texto e redesenho do escudo e uniforme: Sérgio Mello

FOTO: Acervo de Memória Setembrina (@setedesetembrofcbh)

FONTES: Jornal dos Sports – Diário de Notícias (RJ) – Correio da Manhã (RJ)

1º Campeonato Suburbano de Rio Branco (AC): Atlético Acreano foi o campeão de 1951

Atlético Acreano o 1º Campeão Suburbano de 1951

Em 1951, a Liga Suburbana de Desportos (LSD), realizou o 1º Campeonato Citadino da Liga Menor, que teve o Atlético Acreano como o 1º campeão. A classificação final ficou assim: 

1º lugar – Atlético Acreano (dois pontos perdidos);

2º lugar – Rodoviário Esporte Clube e Seis de Agosto Esporte Clube (ambos com três pontos perdidos);

4º lugar – Botafogo Futebol Clube (quatro pontos perdidos);

5º lugar – Nacional Futebol Clube (oito pontos perdidos);

6º lugar – Palmeiras Futebol Clube (10 pontos perdidos).

EM PÉ (esquerda para a direita):Valdemar Maciel, Zé Cláudio, Edimburgo, Pedrito, Benedito e Reinaldo;
 AGACHADOS (esquerda para a direita): Fernando Diógenes, Aldemar, Rivaldo Patriota, Félix e Cidico.

FOTO: Acervo Francisco Dandão

FONTES: A Reforma (AC) – O Acre (AC) – O Rebate (AC) – O Liberal (AC) – O Juruá (AC)

Lista de clubes do estado do Acre, entre as décadas de 10 a 60

Fazendo um somatório dos clubes futebol Acreano, entre as pesquisas nos jornais do estado e mais com a lista que disponibilizei em 2018, cheguei num levantamento de 68 clubes.   

Abaixo a lista de clubes que encontrei nos jornais acreanos, devidamente citados ‘em fontes‘. Além disso, a Fundação em 1921, da Liga Acreana de Esportes Terrestres (LAET), existiu até o início da década de 30, que era a entidade responsável em organizar os esportes em geral (inclusive o futebol).

Na terça-feira, do dia 21 de Janeiro de 1947, foi criada a Federação Acreana de Desportos (FAD). Nos anos 50, que cuidava do futebol amador era a Liga Suburbana de Desportos (LSD), que na prática equivalia a uma Segunda Divisão.

DECADÁ DE 10

CLUBESFUNDAÇÃOCIDADECORESALCUNHA
Acreano Sporting ClubPor Mario de OliveiraRio Branco  
Associação Athletica Acreana Rio BrancoRubro-anil 
Associação Athletica Militar Rio BrancoAlvianil 
Catuaba Sport Club1920Rio Branco  
Rio Branco Football Club08/06/1919Rio BrancoalvirrubroEstrelão
Ypiranga Sport ClubPor Jayme Plácido de Paiva e MelloRio Branco  

DECADÁ DE 20

CLUBESFUNDAÇÃOCIDADECORESALCUNHA
6 de Agosto Futebol Clube 1929Rua 6 de Agosto, s/n – Seis de Agosto – Rio BrancoVermelho, branco e azul 
Náuas Esporte Clube1923Cruzeiro do Sul  
Parahyba Football Club Tarauacá  
Rio Negro Athletico Club1922Rio Branco  
Sociedade Sportiva e Dramática Tarauacaense16/08/1925 Tarauacá S.S.D.T.
Tarauacá Football Club TarauacáAlviverdeT.F.C.

DECADÁ DE 30

CLUBESFUNDAÇÃOCIDADECORESALCUNHA
America Football Club1935Rio BrancoAlvirrubro 
Comercial Sport Club1939Rio Branco  
Empreza Football Club1930Rio Branco  
Independência Sportiva Rio Branco  
Mercantil Football Club Rio Branco  
Militar Foot-Ball Club1938Rio Branco  
Pennapolis Sport Club1930Rio Branco  
Usina Acreana Football Club Rio Branco  

DECADÁ DE 40

CLUBESFUNDAÇÃOCIDADECORESALCUNHA
Acriano Futebol Clube1943Rodrigues Alves  
America Esporte Clube06/08/1946Rio BrancoAlvirrubroDiabos Rubros
Botafogo Football Club Rio BrancoAlvinegro 
Duque de Caxias Sport Club1942Rio Branco  
Fortaleza Football Club1946Rio BrancoVermelho, branco e azul 
Independência Football Club02/08/1946Rio BrancoVermelho, branco e verde 
Juruá Esporte Clube1941Cruzeiro do SulRubro-negro 
Satélite Club1947Rio Branco  
Sport Club Brasília BrasiléiaÁureo-verde 

DECADÁ DE 50

CLUBESFUNDAÇÃOCIDADECORESALCUNHA
15 de Novembro Rio Branco 15 de Novembro
7 de Julho Rio Branco  
Associação Atlética Acreana1959Rio Branco  
Associação Desportiva Vasco da Gama28/06/52Rio BrancoAlvinegro 
Acre Esporte Clube Tarauacá  
Atlético Acreano1952Bairro Quinze – Rio BrancoAlvianil 
Bangu Rio Branco  
Bosque Rio Branco  
Boulevard Futebol ClubeInício de 50Bairro Quinze – Rio BrancoAlvianil 
Brasil Esporte Athletic1950Rio Branco  
Brasília Futebol Clube Tarauacá  
Canto do Rio Rio Branco  
Gaúcho Rio Branco  
Imperial Futebol Clube1950Rio Branco Rapazes da Faixa Azul
Morro Rio Branco  
Murú Futebol Clube Tarauacá  
Nacional Futebol Clube Rio Branco  
Palmeiras Futebol Clube Rio Branco  
Pantanal Futebol Clube Rio BrancoAlviverde 
Plácido de Castro Rio Branco  
Rodoviário Esporte Clube Rio Branco Rubro-negro Acreano
União Esporte Clube1958Rio BrancoRubro-negro 
Veteranos Esporte Clube Rio Branco  
Ypiranga Futebol Clube1950Rio Branco  
Vila Ivonete Futebol Clube1951Rio Branco  

DECADÁ DE 60

CLUBESFUNDAÇÃOCIDADECORESALCUNHA
Andirá Esporte Clube1964Rio Brancoalvinegro 
Amapá Futebol Clube1969Rio Branco  
América Futebol Clube Cruzeiro do Sul  
Aratucho Futebol Clube Cruzeiro do Sul  
Atlético Clube Juventus15/08/1966Rio Branco  
Atlético Môa Cruzeiro do Sul  
Associação Atlética Cruzeiro do Sul Cruzeiro do Sul  
Esporte Clube Fronteira04/04/1962Plácido de Castro  
Floresta Futebol Clube1965Senador Guiomard  
Grêmio Atlético Sampaio1964Rio Branco  
Grêmio Esportivo Acreano1965Sena Madureira  
Grêmio Machado de Assis Cruzeiro do Sul  
Internacional Sport Club1968Rio Branco  
São Francisco Futebol Clube1967Rio Branco  

PS: Importante! Caso você possua algum material dessas equipes, mesmo extintas, como fotos, documentos, flâmulas, compartilhem conosco para que possamos contar um pouco da histórias dessas agremiações acreanas. Contamos com a ajuda de vocês!

FONTES: A Reforma (AC) – O Acre (AC) – O Rebate (AC) – O Liberal (AC) – O Juruá (AC)

Torneio Início de 1956 – Cruzeiro do Sul (AC): Juruá Esporte Clube foi o grande campeão!

O Jornal O Juruá (AC), assim destacou o título do Juruá Esporte Clube:

Sob o patrocínio da LCD (Liga Cruzeirense de Desportos), realizou-se no domingo, do dia 03 de Junho, o Torneio Início de futebol de 1956, tendo participado do mesmo, todos os clubes filiados. Foi sem dúvida uma grande tarde esportiva, uma das maiores já verificadas na cidade de Cruzeiro do Sul/AC.

Os resultados do Torneio início foram esses:

1º Jogo

Juruá0 (2)X0 (0)Cruzeiro do SulEscanteios: 2 x 0

2º Jogo

Náuas1X0Atlético MôaEscanteios: 0 x 1

3º Jogo

Juruá2X1GrêmioEscanteios: 1 x 0

FINAL

Juruá1X1NáuasPênaltis: 3 x 2
Foto de 1958

Com esses resultados, o Juruá Esporte Clube foi proclamado Campeão do Torneio Início de Futebol de Cruzeiro do Sul de 1956.

FOTO: Acervo de José Orcy Nogueira Jucá

FONTE:O Juruá (AC)

Inédito!! Aymoré Sport Club – Curitiba (PR): disputou o Campeonato Suburbano de 1919

O Aymoré Sport Club foi uma agremiação da cidade de Curitiba (PR). Sobre a Fundação deste clube foi encontrado três datas: Fundado no domingo, do dia 18 de Abril de 1915; Fundado na quarta-feira, do dia 28 de Abril de 1915; Fundado na segunda-feira, do dia 24 de Maio de 1915.

A sua Sede estava localizada na Rua Riachuelo, nº 65, no Centro de Curitiba. As suas cores: verde e branco. Um clube voltando para os eventos sociais, enveredou no futebol bretão, uma vez, no final dos anos 10.

Sede do clube nos anos 10

O Aymoré disputou o Campeonato Suburbano de Curitiba em 1919, organizado pela Liga Sportiva Municipal (LSM). Na ocasião, dez clubes curitibanos participaram da competição:

Americano Sport Club;

Aymoré Sport Club;

Bello Horizonte;

Brasil Sport Club;

Elite Football Club;

Paraná Sport Club;

Pinheiro Sport Club;

Tiradentes Football Club;

Torino Sport Club;

Ypiranga Football Club.

A Liga Sportiva Municipal (LSM), foi Fundado no domingo, do dia 20 de Maio de 1917, na Sede da Sociedade Beneficente dos Trabalhadores, na Herva Matte. Os cinco clubes fundadores foram os seguintes: EsperançaBotafogoGuaranyBello HorizonteVilla Izabel. Generoso Nascimento Teixeira foi o 1º Presidente da LSM.

Nos veículos de comunicação, algumas matérias relacionadas ao Aymoré (eventos sociais) até 1926. A partir daí não foi encontrado mais nada desta briosa agremiação curitibana.

Colaborou: Rodrigo S. Oliveira

Imagem: Luís Venke Dyminski

FONTES: A República (PR) – Diário da Tarde (PR) – O Estado do Paraná (PR) – O Dia (PR) – Commercio do Paraná (PR) – Google Maps

Escudo de 1968: Paysandu Athletico Club – Rio de Janeiro (RJ), Campeão Carioca de 1912

O Paysandu Athletico Club é uma agremiação da cidade do Rio de Janeiro (RJ). A sua Sede social atual está localizada na Avenida Afrânio de Melo Franco, nº 330, no bairro do Leblon, na Zona Sul do Rio (RJ).

Breve história do clube

1885 – A 2ª metade do século XIX foi marcada pela entrada do Brasil na era industrial e, consequentemente, também pela forte presença de imigrantes europeus, atraídos pelas novas oportunidades de uma economia em grande expansão. Graças a uma série de acordos entre Brasil e Inglaterra, podemos destacar o grande número de imigrantes ingleses, que desfrutavam de condições extremamente favoráveis para se estabelecer por estes lados. Porém, longe de sua terra natal era grande a saudade da família, dos amigos, de sua cultura e de seus hábitos – dois deles determinantes para a nossa história: o hábito de freqüentar os “social clubs” e, principalmente, o de praticar esportes, ambos inexistentes no Brasil daquela época.

Nasce o Rio Cricket

1872 – Na quinta-feira, do dia 15 de agosto de 1872, um grupo de jovens ingleses apaixonados pela prática de esportes funda o que seria a primeira semente do Paissandu Atlético Clube: uma agremiação chamada Rio Cricket Club, num terreno alugado na Rua Berquó (atual General Polidoro), em Botafogo, onde criaram um “ground” para a prática do cricket, esporte amplamente difundido na Inglaterra.

Mudança do nome: Paysandu Cricket Club

1880 – Devido às limitações do terreno, que não permitia a prática de outros esportes, e temendo que o crescimento da região acabasse com o campo, no ano de 1880 o clube muda-se para um terreno alugado na Rua Paysandu, nº 159/203/215, no bairro do Flamengo, na zona sul do Rio. O espaço, de propriedade do Conde D’Eu, estava localizado exatamente em frente à sua residência com a Princesa Isabel. É neste terreno da Rua Paysandu que o Clube ganha sustentação e passa a chamar-se Paysandu Cricket Club, em homenagem à sua nova localização. Na nova sede, o ground de cricket ganha uma pista de corrida em toda a sua volta, o que permite a prática de esportes atléticos. Outras importantes melhorias foram a construção de quadras de tênis e de um pavilhão para abrigar as senhoras que vinham assistir aos jogos, dentre elas a Princesa Isabel, que, grande apreciadora da prática de esportes, era presença constante nos jogos e campeonatos.

Chega ao Rio a 1ª bola e depois clube estreia no Estadual

1898 – Oscar Cox, filho de um dos fundadores do Clube traz da Suíça a 1ª bola de futebol para o Rio de Janeiro. Em 1906, debutou no Campeonato Carioca da 1ª Divisão, terminando com em 2º lugar. Em 1907, fechou a competição na 3ª colocação. Em 1908 e 1911, acabou na 5ª e 4ª posições, respectivamente.

Em 1912, o Paysandu se tornou o 1º e único time inglês a ser campeão carioca de futebol, conquistando a “Taça Colombo“. Anos mais tarde, o Clube muda novamente seu nome para Paysandu Athletic Club.

Clube é obrigado a trocar de bairro

1932 – Após a queda do Império e as sucessivas mudanças de propriedade do terreno, o Paissandu é obrigado a deixar o local onde havia passado seus últimos 50 anos e procurar um novo espaço para sua sede. Graças à boa vontade e à simpatia pelo esporte, a Light & Powers aluga a um preço bastante amigável um terreno de sua propriedade na Rua Siqueira Campos, em Copacabana, que passa a sediar o Clube. Porém, o tamanho do terreno era sensivelmente menor do que o antigo, fazendo com o clube se limitasse à prática de tênis e do bowls.

Novamente foi obrigado a mudar de Sede

1952 – Light & Powers vende o terreno da Rua Siqueira Campos e novamente o Clube perde a sua sede. Os sócios passam a utilizar a Embaixada Britânica para praticar esportes, e a Christ Church, em Botafogo, para suas reuniões administrativas.

Inauguração da atual Sede

1953 – Após um período de total indefinição, finalmente a então Prefeitura do Distrito Federal cede o terreno da Avenida Afrânio de Melo Franco, onde ainda hoje está o Clube. Apesar de ser uma área bastante privilegiada, trazia também grandes desafios. À primeira vista mal poderia ser considerado terreno, tamanha era a quantidade de água que precisava ser aterrada. Os vizinhos também eram bastante diferentes dos de hoje. De um lado, a Favela da Praia do Pinto, do outro, a Favela de Ilha das Dragas. E para todo lugar que se olhasse, lixo e mais lixo.

1956 – Na segunda-feira, do dia 31 de dezembro, após quatro anos sem sede, o Clube é finalmente reinaugurado. A princípio conta apenas com um barracão, onde ficavam um bar, sala de estar e salão de jogos. Ao longo do tempo foram sendo construídas as quadras de tênis, vestiários, o gramado do bowls e a piscina.

1963 – O Paysandu Athletic Club inaugura sua nova sede social, no bairro do Leblon, projetada por Rolf Hütner e inspirada nas formas de Oscar Niemeyer. Com a nova sede, a vida social do clube ganha nova vida. Com o passar os anos, o nome em inglês se aportuguesou: Paissandu Atlético Clube, nada mais brasileiro e carioca.

Caneca de 1968

O 1º Campeonato Carioca o Paysandu ficou com o vice

O 1º Campeonato Carioca de 1906, foi organizado por seis clubes:  Paysandu, Fluminense, Rio Cricket, Botafogo, Bangu e Football and Athletic. Na ocasião, o Paysandu preferiu jogar no campo da Rua Guanabara, do Fluminense, em detrimento do campo da Rua Paysandu, que era usado apenas para treinos e amistosos. Ao final do campeonato de 1906, o Paysandu foi vice-campeão, terminando a competição quatro pontos atrás do Fluminense.

Campeão Campeonato Carioca da 2ª Divisão em 1910

Nos campeonatos seguintes, o Paysandu não obteve muito sucesso. Chegou a jogar o Campeonato Carioca da 2ª Divisão em 1909 e 1910, sendo campeão do certame no segundo ano. Porém, sua maior glória viria em 1912.

Paissandu Atlético Clube/Divulgação

Título Inédito no Campeonato Carioca de 1912

Em 1912 marcou o primeiro duelo da dupla Fla-Flu, além da saída do Botafogo da Liga Metropolitana de Sports Athléticos, que se filiou à Associação de Football do Rio de Janeiro. Porém, na competição organizada pela LMSA, que era a mais forte, o título ficou com o Paysandu Cricket Club. Além do time da azul e branco, Mangueira, São Cristóvão, Fluminense, Bangu, Flamengo, America e Rio Cricket também disputaram o certame.

Várias vitórias foram marcantes, como os 5 a 0 no Fluminense. O Bangu foi goleado duas vezes, 10 a 1 e 6 a 0. Já nos jogos contra o Mangueira, dois verdadeiros massacres, 12 a 0 e 11 a 1. No domingo, do dia 20 de outubro de 1912, o Paysandu venceu o Fluminense por 4 a 2 e conquistou a taça, ficando dois pontos à frente do Flamengo, o vice-campeão.

O time base do campeão era o seguinte: Coggin; Pullen e Smart; Wood, Tom Robinson e Maclntyre; Monk, Sidney Pullen, Robinson, Leslie Pullen e Martin. Todos descendentes de ingleses.

A campanha de 1912 foi a seguinte: 14 jogos disputados, com 11 vitórias, dois empates e apenas uma derrota (1 a 0 para o América, em 28 de julho, ainda no 1º turno); marcando incríveis 64 gols, sofrendo 13, ficando com o saldo positivo de 51 gols.

FOTO de 1907
EM PÉ (esquerda para a direita): W. Murray, C.F. Cruikshank e H.C. Pullen;
AGACHADOS (esquerda para a direita): H. Wood, J. Robinson e H.B. Freeland;
SENTADOS (esquerda para a direita): J.P. Hampshire, Wildine, Calvier, L. Yeats e C.C. Robinson.
CLUBESPGJVEDGPGCSG
1ºPaysandu C.C. (Campeão)241411216413+51
2ºC.R. Flamengo221410226516+49
3ºAmerica F.C.20149233716+21
4ºRio Cricket Club17147342919+10
5ºFluminense F.C.16147252725+2
Bangu A.C.51421112451-27
6ºSão Cristóvão A.C.51421111046-36
8ºS.C. Mangueira31411121079-69
Classificação Final do Campeonato Carioca da 1ª Divisão de 1912

Para se ter noção da façanha alcançada pelo Paysandu, até hoje, mais de 100 anos depois que o torneio começou a ser disputado, somente dois clubes conseguiram o título estadual no futebol, além dos quatro grandes, América e Bangu: o Paysandu, em 1912, e o São Cristóvão, em 1926.

1914, muda o nome e abandona o futebol   

O futebol do clube não durou muito tempo, apesar do título. O clube abandona a prática oficial do esporte bretão em 1914, e passa a se chamar Paysandu Athletic Club. Com o fim do futebol o campo da Rua do Paysandu foi alugado pelo Flamengo. Confira como terminou a classificação final do Campeonato Carioca de 1914:

PosTimePGJVEDGPGSSG
1ºCR Flamengo19128312415+9
2ºAmerica FC17128133010+20
Botafogo FC17127322412+12
4ºFluminense FC16127233617+19
5ºRio Cricket Club6123092535-10
6São Cristóvão AC5121381541-26
7Paysandu AC4121291236-24

Em suma, no futebol, o Paysandu participou das primeiras edições do Campeonato Carioca da 1ª Divisão, em sete oportunidades: 1906, 1907, 1908, 191119121913 e 1914. No Campeonato Carioca da 2ª Divisão, foram duas participações: 1909 e 1910.

Dias atuais

Atualmente, o clube se intitula Paissandu Atlético Clube, onde é comum a prática de esportes como tênis, squash, bowls, dentre outros esportes. Também possuí áreas de lazer como: Piscina, Sauna, Restaurantes, Salão de Beleza, Massagens e muito mais.

Em 2006, especialmente, o clube voltou a disputar uma partida de futebol após quase 92 anos, nos jogos comemorativos dos 105 anos do futebol no estado do Rio (realizados na sede do Rio Cricket).

Por não possuir mais departamento de futebol ou jogadores, o clube pegou “emprestado” o time principal do Tombense Futebol Clube, de Minas Gerais, que gentilmente cedeu jogadores para a partida especial. O Paissandu venceu o Rio Cricket por 2 a 1.

FOTOS: Acervo de Auriel de Almeida (caneca) – Acervo do Paissandu ACLivro “Paissandu Atlético Clube: pioneiro do esporte no Rio de Janeiro, 2001”

FONTES: Wikipédia – livro “Paissandu Atlético Clube: pioneiro do esporte no Rio de Janeiro, 2001”, dos autores Vitor e Patrícia Iorio – Site oficial do clube

Inédito!! Associação Athletica Forluminas – Belo Horizonte (MG): fundado no início da década de 30

A Associação Athletica Forluminas foi uma agremiação da cidade de Belo Horizonte (MG). A sua Sede (1932) ficava na Avenida Affonso Penna, nº 1.734, no bairro de Boa Viagem, em Belo Horizonte (MG). Fundado por funcionários da Companhia Fôrça e Luz de Minas Gerais (FORLUMINAS), no início da década de 30.

O Forluminas, no ano seguinte ao seu surgimento, se sagrou campeão Mineiro Amadorista de 1933. No domingo, do dia 17 de fevereiro de 1935, o Villa Nova, então campeão Mineiro da 1ª Divisão, goleou o Forluminas pelo placar de 7 a 0, em Nova Lima.

Em 1935, disputou a Sub-Divisão, com a participação do Sete de Setembro, Forluminas, Commercial, Graphico, Carlos Prates e Fluminense.

Em 05 de Agosto de 1939, A Federação Brasileira de Futebol comunicou que o Forluminas estava oficialmente filiado a Associação Mineira de Esportes (AME).

Mascote da A.A. Forluminas

No início da década de 40, disputou o Departamento Amadorista de Futebol, de Belo Horizonte. No começo dos anos 60, a agremiação alterou o seu nome, passando se chamar: Esporte Clube Forluminas.   

Pesquisa, texto, Desenho do escudo, mascote e uniforme: Sérgio Mello

FOTO: Sport Illustrado (RJ)

FONTES: Jornal dos Sports (RJ) – A Noite (RJ) – Diário da Noite (RJ) – Sport Ilustrado (RJ) – O Jornal (RJ) – A Manhã (RJ) – Correio da Manhã (RJ) – Almanak Laemmert : Administrativo, Mercantil e Industrial (RJ)

Associação Atlética Scarpa – Sorocaba (SP): Fundado em 1930

O Associação Atlética Scarpa foi uma agremiação da cidade de Sorocaba (SP). Fundado no domingo, do dia 12 de Outubro de 1930, com o nome de Clube Atlético Britânia. Doze anos depois (1942), o nome foi alterado para Clube Atlético Botafogo.

No entanto, três anos se passaram (1945), e novamente a diretoria mudou a nomenclatura para “Associação Atlética Scarpa“. Faturou os títulos do Torneio Início e do Campeonato Citadino de 1946.

Time posado na década de 50

No ano seguinte (1946), o Scarpa foi Campeão do Torneio Início (vencendo o Fortaleza, na final, pelo placar de 2 a 0) e depois, entre 24 de Março e 30 de Março de 1947, disputou a 11º Campeonato Citadino, da Liga Sorocaba de Futebol (LISOFU) de 1946, se sagrando campeão. O Clube Atlético Votorantim ficou com o vice-campeonato.

Praça de Esportes

FONTES E FOTOS: Wikipédia – Acervo de José Fernando Vieira – Brasilbook