Arquivo da categoria: Paraíba

Torneio dos Campeões de Futsal – 1960

PERÍODO: 25 A 29 DE MAIO DE 1960
	 05 A 07 DE AGOSTO DE 1960
LOCAL: GINÁSIO DO INSTITUTO DE EDUCAÇÃO, EM NATAL - RN

TURNO ÚNICO

25.05.1960	FLAMENGO(AL)    	4-1	CAMPINENSE(PB)
25.05.1960	BOLA PRETA(RN)  	4-3	FRANCISCO LORDA(CE)
26.05.1960	AMÉRICA(RN)     	7-2	FLAMENGO(AL)
26.05.1960	FRANCISCO LORDA(CE)	12-3	CAMPINENSE(PB)
27.05.1960	BOLA PRETA(RN)   	4-3	FLAMENGO(AL)
27.05.1960	AMÉRICA(RN)     	4-2	CAMPINENSE(PB)
28.05.1960	AMÉRICA(RN)       	4-3	BOLA PRETA(RN)
28.05.1960	FRANCISCO LORDA(CE)	10-3	FLAMENGO(AL)
29.05.1960	BOLA PRETA(RN)    	4-0	CAMPINENSE(PB)
29.05.1960	FRANCISCO LORDA(CE)	6-3	AMÉRICA(RN)

DECISÃO

05.08.1960	BOLA PRETA(RN)  	4-1	AMÉRICA(RN)
06.08.1960	FRANCISCO LORDA(CE)	5-4	BOLA PRETA (RN)
07.08.1960	FRANCISCO LORDA(CE)	9-4	AMÉRICA(RN)

CAMPEÃO - CLUBE ATLÉTICO FRANCISCO LORDA (FORTALEZA - CE)

Fonte: Diário de Natal - RN

Sport Lagoa Seca (antigo: Sport Club Campina Grande) – Lagoa Seca (PB)

O Sport Lagoa Seca é uma agremiação do Município de Lagoa Seca, localizado na Região Metropolitana de Campina Grande, estado da Paraíba. Sua população em 2016 foi estimada pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) em 27.398 habitantes, distribuídos em 109 km² de área.

O “Carneiro da Borborema” foi Fundado em 2007 (se profissionalizando em 2010), com o nome de Sport Club Campina Grande cidade de Campina Grande. A decisão de alterar o nome e mudar de cidade aconteceu no último sábado, do dia 28 de julho de 2018.

A diretoria do clube que participará do Campeonato Paraibano da Segunda Divisão desse ano, justificou as mudanças por conta de uma parceria fechada com a prefeitura de Lagoa Seca.

Além de carregar o nome da cidade vizinha de Campina Grande, o time terá como missão formar as crianças e adolescentes do município através do trabalho com o esporte. Segundo a diretoria do clube através da presidenta Khésia Suille, um centro de treinamento já está sendo construído. Khésia também relatou que o desejo de mudança é antigo.

Nosso estabelecimento na cidade de Lagoa Seca já era um desejo antigo, mas que só veio se concretizar na atual gestão municipal. O Prefeito Fábio Ramalho nos abriu as portas da cidade e tem nos dado total apoio, sabendo que essa parceria irá gerar emprego e renda para o município“, afirmou a presidente do clube, Khésia Suille.

O time terá uma sede fixa na cidade além do CT. Com a mudança o time que vai participar da Segundona do Paraibano deverá mandar seus jogos no Estádio Municipal Francisco Luiz de Seca, mais conhecido como O Titão.

Lagoa Seca terá, pela primeira vez, um clube profissional que representará a cidade na competição estadual. O elenco profissional contará com jogadores locais e deve iniciar os trabalhos visando o campeonato no próximo mês de agosto.

Breve histórico

A equipe começou como uma escolinha de futebol, atuando nas categorias sub-15, sub-17 e sub-21, tornando-se um clube profissional no ano de 2010. Seu primeiro jogo como equipe profissional foi em 27 de maio de 2012 contra o Treze, que venceu por 2 a 0. Em jogos oficiais, o debut foi em julho do mesmo ano, contra a Desportiva Guarabira, que aplicou 6 a 1 na primeira rodada do Campeonato Paraibano de Futebol.

Em 2014, teve sua primeira participação no Estadual da 1ª Divisão, como equipe convidada, juntamente com a Queimadense, para substituir Esporte e Nacional de Patos, que desistiram. Foi rebaixado, com apenas um empate e 13 derrotas, tendo o segundo pior ataque da competição (10 gols), ficando na frente apenas da Queimadense, que marcou um gol a menos.

Sofreu a maior goleada do campeonato ao perder para o CSP por 9 a 0. Seu único ponto foi conquistado em um empate de 0 a 0 contra a Queimadense na 1ª rodada. Durante a campanha, o Sport recebeu 150 mil reais de patrocínio da Prefeitura de Campina Grande.

Em 2016, a equipe firmou uma parceria com o Corinthians USA para jogar o Campeonato Paraibano da Segunda Divisão. O clube também aproveitou jogadores da equipe sub-19 do Treze. Em 18 de setembro, o Carneiro da Serra conquistou a primeira vitória de sua história ao derrotar o Serrano por 1 a 0, no Estádio Presidente Vargas, com gol marcado pelo atacante Júlio.

Terminou a primeira fase do seu grupo, o Grupo do Agreste, como 2º colocado, estando à frente do Lucena e atrás do Serrano, garantido portanto sua classificação para as Quartas. Foi eliminado pelo Nacional de Patos, empatando sem gols em casa na partida de ida, e perdendo na volta por 4 a 1.

Em 2017, a competição contou com a participação de 10 equipes, divididas em três grupos (Litoral, Agreste e Sertão). O Sport Club Campina Grande ficou no Grupo Agreste, juntamente com Perilima e Picuiense. No final, o clube terminou na liderança com 10 pontos (quatro jogos, com três vitórias e um empate; marcando nove gols, sofrendo dois, saldo de sete).

Nas Quartas de Final, no jogo de ida, o Carneiro da Serra arrancou um empate em 1 a 1, fora de casa, diante do Spartax. No jogo da volta, o Sport goleou por 3 a 0, avançando para a fase seguinte. Contudo, na Semifinal, o Sport perdeu, em casa, para a Desportiva Guarabira por 2 a 1. No jogo da volta, nova derrota por 3 a 0, dando adeus ao sonho do acesso.

 

FONTES: Wikipédia – GloboEsporte.com – Página do clube no Facebook – Homero Queiroga

Torneio Início Paraibano – 1950

DATA: 09 DE ABRIL DE 1950
LOCAL: CAMPO DO CABO BRANCO, EM JOÃO PESSOA - PB

1º JOGO	BOTAFOGO	1-0	PALMEIRAS
2º JOGO	AUTO ESPORTE	1-0	IPIRANGA
FINAL	AUTO ESPORTE	1-0	BOTAFOGO

# CAMPEÃO - AUTO ESPORTE CLUBE (JOÃO PESSOA - PB)


Fonte: Gazeta Esportiva - SP

Escudo diferente de 1991: Guarabira Esporte Clube – Guarabira (PB)

FONTE: Página no Facebook “Acervo Digital Futebol Paraibano”

Escudo dos anos 20-30: Liga Desportiva Parahybana (LDP)

O verde veio originado da extinta Liga Sportiva Parahybana de 1916. Em 1919 a 1925 criaram a Lida Desportiva Parahybana usando o Verde e Branco e as letras em negro apenas para destacar, mas, a seleção era alviverde. Durante o Campeonato Brasileiro de Seleções a Paraíba enfrentou creio que em 1925 um selecionado que usava cores semelhantes e não havia outro uniforme, tiveram que comprar outro em vermelho e branco no comercio.

Depois deste retorno a liga sofreu outro problema que já vinha se arrastando desde 1923 quando Cabo Branco e América tiveram acirramento de ânimos e convivência. Não há uma data especifica, quando o selecionado paraibano migrou de vez para o uniforme vermelho e branco, mas em 1927 ele já é chamado de seleção alvirrubro. O selecionado paraibano jamais foi tricolor, nem na época do verde, mesmo usando detalhes em preto.

Na Paraíba, sempre foi berço de grandes desenhistas, arquitetos e pintores. Então na década de 20, marcas e publicidades sempre foram bem desenhadas por aqui. Este escudo mais “sofisticado” encontrei pela primeira vez numa publicação de 1931.

Porém, é totalmente vermelho. Pelo que entendi! Já a versão rubro-negra do selecionado surge no ano de 1947. Mas, até 1950, a FPF usava algumas variações de escudos. Ora com as letras brancas e fundo totalmente vermelho, ora vermelho com as letras FPF pretas.

O que importava para o pessoal era ver a seleção nas cores rubro-negra. Não havia tanta preocupação em manter a fidelidade na padronização do escudo, já que a própria seleção mal o usava, preferindo ter apelas as letras LPF ou FPF no uniforme!

 

FONTES: Julio Cesar (Pesquisador do Futebol Paraibano) Annuario dos Desportos no Brasil

Campeonato Brasileiro de Seleções Estaduais de 1928: Sergipe 6 x 1 Parahyba

SELEÇÃO DE SERGIPE

6

X

1

SELEÇÃO DA PARAHYBA

LOCAL Estádio Arthur Morais (Campo da Graça), em Salvador (BA)
CARÁTER Campeonato Brasileiro de Seleções Estaduais de 1928
DATA Domingo, do dia 14 de Outubro de 1928
HORÁRIO 15 horas e 15 minutos
RENDA Não divulgado
ÁRBITRO Sr. Anysio Silva (Liga Bahiana)
SERGIPE Amythas; Lourenço e Alcides; Antonino, Augusto e Massú; Laudelino, Souza, Zeca, Messias e Idalino.
PARAHYBA José Miguel; José Pedro e Capelinha; Seitz, Tota e Edgard; Amaral, Vavá, Pitota, Aurélio e Guaracy.
GOLS Messias aos 20 minutos (Sergipe); Zeca aos 44 minutos (Sergipe); no 1º Tempo. Edgard aos 11 minutos (Parahyba); Zeca aos 32 minutos (Sergipe); Laudelino aos 37 minutos (Sergipe); Augusto aos 42 minutos (Sergipe); Zeca aos 43 minutos (Sergipe), no 2º Tempo.

FONTE:  O Paiz

INÉDITO!! Royal Sport Club – João Pessoa (PB): Três participações no Campeonato Paraibano, em 1918, 1919 e 1921

O Royal Sport Club foi uma agremiação efêmera da cidade de João Pessoa (PB). A sua Sede e o campo ficavam localizados na Rua Duque de Caxias, n°15, no Centro da cidade. Fundado no domingo, do dia 05 de Maio de 1918, por iniciativa de vários desportistas da elite paraibana, entre os quais Dorgival Mororó (proprietário de uma Joalheria Dorgival Mororó), Solon Machado e elementos de clubes anteriores.

Sobre as cores, o clube surgiu azul e branco (as mesmas cores do S.C. Cabo Branco, de onde vieram os jogadores reservas). Após se ausentar na temporada de 1920, no ano seguinte (1921), o Royal, já com sede e campo, retornou com as cores vermelha e branca.

A 1ª Diretoria do Royal S.C. foi constituída da seguinte forma

Presidente – Flávio Massa;

Vice-Presidente – Solon Machado;

1º Secretário – Armando Gomes;

2º Secretário – Nabal Barreto;

Tesoureiro – Dorgival Mororó;

Diretor de Esportes – Rodrigo Azevedo;

Kaptain da equipe – Walter Holmes.

 

Curiosidade: A irmandade de Royal e Cabo Branco  

É importante deixar claro que a saída dos jogadores reservas do Sport Club Cabo Branco para fundar o Royal Sport Club não pode ser considerado como uma dissidência, pois após a “separação” a relação entre os dois clubes sempre foi próxima. Mesmo após o Royal ter adquirido a sua Sede e campo e alterado suas cores, tanto os sócios do Cabo Branco quanto do Royal tinham livre acesso para freqüentarem ambos os clubes.

Primeiro jogo

O seu 1º jogo aconteceu uma semana após a fundação. No domingo, do dia 12 de Maio de 1918, o Royal enfrentou um Combinado do “Rio Negro”, formado à base de estudantes do Liceu. Apesar da extraordinária exibição de Mororó, Rossi, Floriano e Carioca, o Royal acabou derrotado, pelo placar de 1 a 0. O gol da vitória foi assinalado por Veloso, no 1º tempo.

 

Três participações no Estadual

Ao todo, participou três vezes do Campeonato Paraibano da 1ª Divisão: 1918, 1919 e 1921. Em 1923 tentou jogar, mas por atrito com a Liga Desportiva Paraibana (LDP), acabou declinando da ideia. Naquele mesmo ano disputou o certame da Liga Operária, que há pouquíssimas informações desta competição nos jornais paraibanos.

 

Curiosidades na Fundações do Royal e LSP

O futebol na Paraíba surgiu em 1908. Em 1914 foi fundado a Liga de Football da Paraíba (LFP), que organizou os campeonatos de 1914, 1915 (que não chegou a ser concluído), 1916 (que foi criado após a reorganização da Liga), 1917 (pouquíssima noticiada por causa do Turfe, que naquela época era o esporte nº 1, da Paraíba).

Em 1918, foi criada uma nova Liga Sportiva Paraibana (LSP), que só contavam com três equipes: Cabo Branco; Pytaguares e Palmeiras. Com receio de não ter competição, ocorreram algumas mobilizações a fim de reverter esse quadro.

Uma delas, aconteceu dentro do Sport Club Cabo Branco, maior clube e pessoas da elite paraibana. Então, os jogadores reservas – que faziam parte, porém quase não jogavam – decidiram montar uma equipe para disputar o Estadual de 1918. Dessa forma, foi criado o Royal (nome significa realeza). Outra equipe fundada foi o Treze Football Club.

Assim, o Estadual de 1918 (ainda teve o Rio Branco, que acabou desistindo dias antes do início da competição), foi formado por cinco clubes:

Cabo Branco;

Pytaguares;

Palmeiras;

Treze Football Club;

Royal Sport Club.

 

Estadual de 1918, não foi concluída por causa da ‘Gripe Espanhola’

A competição acabou não sendo concluída, por causa da Gripe Espanhola. Após o certame, Cabo Branco e Palmeiras ambos afirmavam ter sido campeão de 1918. No final, o título foi confirmado para o Cabo Branco.

 

Liga Desportiva Paraibana é criada em 1919

Após essa celeuma, a relação dos clubes com a LSP ficou insustentável. Dessa forma, resolveram fundar no dia 03 de Maio de 1919, a Liga Deportiva Paraibana (LDP), a fim de dar uma nova era para o futebol da Paraíba.

Reservas do S.C. Royal fundaram o São Paulo F.C.

Ainda em 1919, ocorreu outra fundação parecida com o Royal. Devido a insatisfação de vários jogadores reservas do Royal, que acabaram fundando o São Paulo Football Club, que participou de quatro edições do Campeonato Paraibano da 1ª Divisão: 1919,1920, 1921e 1922.

Em 1922, a Liga estava ativa, porém, quatro das cinco equipes filiadas, romperam com a instituição por não concordar com a administração. O fato impediu que o Campeonato fosse realizado. As quatro equipes afastadas, decidiram realizar o campeonato por conta própria.

Articulado pelas diretorias do Cabo Branco e do Pytaguares. Batizaram a competição de torneio do centenário. Em 1923, as diretorias do Cabo Branco e Royal decidiram “reorganizar” a liga e restabelecer o campeonato oficial.

Porém o Royal desistiu da competição 10 dias antes do inicio. Em 1924, o clube decide ingressar na Liga Operária sendo este o seu último registro como clube de futebol. A partir de 1925, não há mais nenhuma referência sobre a existência do Royal como clube de futebol.

FOTO & FONTE: Revista Vida Sportiva – Pesquisador e expert do Futebol Paraibano Júlio César