Inédito!! Energia Circular Sport Club – Salvador (BA): Vice-campeão Baiano da 1ª Divisão, em 1934

O Energia Circular Sport Club foi uma agremiação da cidade de Salvador (BA). O “Alviverde” foi Fundado na terça-feira, do dia 08 de Março de 1932, por alguns desportistas idealistas, das Companhias Linha Circular e Energia Electrica, dentre os quais o Dr. Lourenço Costa, os senhores Almir Pato, Otto Hilter, Edenval Vieira da Silva, William Crocker, entre outros.

Inaugurada a nova Sede

Na terça-feira, do dia 06 de Novembro de 1934, foi inaugurado a nova Sede, instalado num magnífico edifício cedido pela Companhia de Energia Electrica da Bahia, situada na Avenida Leovigildo Filgueiras, nº 17 (Terreo), no bairro Garcia, na região do centro da cidade de Salvador.

Na solenidade, compareceram os senhores representantes das autoridades federais, estaduais e municipais, jornalistas, esportistas, etc. Presidiu a inauguração o Sr. Anísio Massorra, diretor das Companhias Linha Circular e Energia Electrica, que discursou a importância dessa etapa do clube.

Felicitamos vos pelo arrojo do vosso plano e concitamos-vos a prosseguirdes com o mesmo afán, com a mesma coragem, com o mesmo desprendimento e confiança que até agora manifestastes, Não se trata mais de um clube esportivo – o vosso programa diz – trata-se de uma instituição dum elevado alcance social. Senhores directores do Energia Circular Sport Club, fizestes bem, correspondestes brilhantemente à confiança dos vossos consórcios, entre os quais o Sr. Wilcox e eu temos a honra de figurar, e se já não as tivesse diria que merecestes a nossa admiração e a nossa estima. Senhores sócios do Energia Circular Sport Club vós também sócios dignos de aplausos. Sem o vosso concurso, os vossos directores muito pouco realizariam. Continuai a presta-lhe o vosso apoio, que assim fareis um bem a vós, o que é mais nobre, fareis um bem a outros. Tivemos ocasião de ler o vosso hymno, cheio de força, cheio de esperança, cheio de entusiasmo, cheio de dedicação à vossa bandeira, verde e branca. Aproveito-me do final de seu estribilho para terminar as nossas palavras: ‘Verde e branco para a glória haveis sempre de marchar’“, discursou Anísio Massorra.

Energia é filiado em 1932

Na sexta-feira, do dia 06 de Maio de 1932, a Liga Bahiana de Desportos Terrestres (LBDT), mandou um oficio a Confederação Brasileira de Desportos (CBD), comunicando que filiou mais duas equipes: Antarctica Football Club e Energia Circular Sport Club.

Clube debuta na Elite do Futebol Baiano

Na sua estreia no Campeonato Baiano da 1ª Divisão de 1932, que contou com dez times em turno único, o Energia terminou na 8ª colocação: nove jogos e seis pontos. Foram três vitórias e seis derrotas; 27 gols pró, 23 tentos contra e um saldo positivo de quatro.  Destaques para a goleada em cima do Guarany Sport Club por 8 a 0, no dia 5 de Junho de 1932; triunfo diante do Sport Club Vitória por 4 a 2, no dia 31 de Julho de 1932.

Quarto lugar em 1933

Na sua segunda participação no Campeonato Baiano da 1ª Divisão de 1933, que contou com dez times em turno único, o Energia terminou na 4ª posição: 12 jogos e 11 pontos. Foram quatro vitórias, três empates e cinco derrotas; 29 gols pró, 11 tentos contra e um saldo positivo de 18.  

Destaques para a goleada em cima do Guarany Sport Club por 11 a 1, no dia 25 de Maio de 1933; triunfo diante do Sport Club Bahia por 3 a 2, n a noite do dia 8 de Junho de 1933, no Estádio Arthur Morais, na Graça. Uma curiosidade nesse jogo foi a presença de dois árbitros: Oswaldo de Souza e Genebaldo Figueiredo, um em cada tempo.

Vice-campeão Baiano de 1934

Na sua 3ª participação no Campeonato Baiano da 1ª Divisão de 1934, o Energia fez a sua melhor campanha, terminando na 2ª colocação (Bahia foi campeão com 16 pontos): 12 jogos e 15 pontos. Foram seis vitórias, três empates e três derrotas; 31 gols pró, 27 tentos contra e um saldo positivo de quatro.  

Destaques para o triunfo diante do Sport Club Ypiranga por 3 a 1, no dia 17 de Junho de 1934; vitória em cima do Sport Club Bahia por 3 a 2, no dia 22 de Novembro de 1934; goleada em cima do Sport Club Ypiranga por 6 a 1, no dia 2 de Dezembro de 1934.

Após o ápice veio a queda em 1935

Na sua 4ª participação no Campeonato Baiano da 1ª Divisão de 1935, o Energia fez a sua pior campanha, terminando em 8º e último lugar: 14 jogos e 09 pontos. Foram quatro vitórias, um empate e nove derrotas; 30 gols pró, 54 tentos contra e um saldo negativo de 24.  

Apesar da campanha decepcionante, o Energia Circular conseguiu alguns destaques: vitória diante do Sport Club Bahia por 2 a 1, no dia 12 de Dezembro de 1935; triunfo diante do Sport Club Vitória por 5 a 3, no dia 29 de Dezembro de 1935.

Nessa temporada, a Liga Bahiana tinha reativado o Campeonato da Segunda Divisão (a sua última edição aconteceu em 1923). Pelo regulamento da entidade máxima do futebol baiano, o campeão tinha o direto de enfrentar o último colocado para definir o participante da temporada seguinte na Elite Baiana!

Com isso, o Energia Circular enfrentou o São Pedro Football Club (campeão da Segundona, numa melhor de três jogos. No final, o Alviverde acabou rebaixado.  

Campeão Invicto da Segundona de 1936

Na temporada seguinte, a modesta agremiação disputou o Campeonato da 1ª Categoria de Amadores (Segunda Divisão) de 1936. Fez uma campanha invicta, se sagrando campeão.

Dessa forma, teve o direto de lutar pelo acesso diante do Fluminense Foot-Ball Club (último colocado na 1ª Divisão), numa melhor de três. No entanto, o Energia não obteve êxito e seguiu na Segundona.

Diretoria de 1953

Bicampeão Invicto e com direto ao acesso

No Campeonato da 1ª Categoria de Amadores (Segunda Divisão) de 1937, o time alviverde estreou em Junho de 1937, ao golear o Guarany por 4 a 1. Nos Segundos Quadros, também venceu pelo placar de 2 a 0.  No final, novamente voltou a conquistar o título, sem perder nenhum jogo.

Novamente decidiu o acesso contra o Fluminense Foot-Ball Club (último colocado na 1ª Divisão), numa melhor de três. E, desse vez, o Energia conquistou o acesso para Elite do Futebol Baiano.

Excursão à Aracaju/SE

Após faturar o título o clube viajou para Aracaju (SE), a fim de realizar três jogos:

na tarde de sábado, no dia 30 de Outubro de 1937, jogou contra o Palestra/Sergipe; na tarde de domingo, no dia 31 de Outubro de 1937, enfrentou o Sport Club Sergipe; na segunda-feira, no dia 1º de Novembro de 1937, encarou o Cotinguiba Sport Club.

Delegação foi composta assim: Dr. Synval Vieira da Silva (presidente); acadêmico José Vieira da Silva (Secretário); Edenival Vieira da Silva (técnico). E os jogadores – Menezes e Tijolo (goleiros); Regalia, Luiz e Brandão (zagueiros); Parella, Nonô, Aloysio e Palmier (médios); Mundinho, Caixão, Pedro Braz, João Caboclo e Aureliano (atacantes).

Após o bicampeonato invicto, o clube retorna à 1ª Divisão

O jornal Correio da Manhã/RJ noticiou – no domingo, do dia 08 de Maio de 1938 – que o Energia Circular poderia ingressar na Elite do Futebol Baiano: “Com a retirada do Fluminense Football Club, da Liga Bahiana de Desportos Terrestres (LBDT), firmou-se na 1ª Divisão o Energia Circular, que há dois anos vem ocupando a liderança do Campeonato da Segunda Divisão. Sabendo-se que o Energia nunca foi derrotado em jogos de campeonato pelo Sport Club Bahia, campeão do Torneio Início de 1938, e o clube que apresentou melhor conjunto, aguarda-se com vivo interesse o prélio entre as duas fortes          equipes, pois já o povo passou a considerar o Energia com o “Espantalho do Bahia“.

Nesse período, o dirigente do alto escalão do Energia, estaria se preparando para viajar ao Rio e São Paulo, a fim de tratar de contratações de grandes jogadores para reforçar o time. Além disso, o clube estava fazendo melhoramentos nas arquibancadas do seu estádio, considerado um dos melhores do futebol baiano.  

Energia fica em 5º lugar em 1938

Na sua 5ª participação no Campeonato Baiano da 1ª Divisão de 1938, num total de sete equipes em turno, o Energia fez terminou na 5ª posição: em seis jogos e três pontos. Foram uma vitória, um empate e quatro derrotas; 16 gols pró, 30 tentos contra e um saldo negativo de 14.

Os pontos conquistados foram a vitória em cima do Yankee Football Club por 3 a 2, no dia 9 de Junho de 1938; e o empate diante do Sport Club Vitória em 2 a 2, no dia 24 de Julho de 1938

Time posado de 1952/53

Vice-campeão de 1939

O time retornou a disputar o Campeonato da 1ª Categoria de Amadores (Segunda Divisão), em 1939. No final, acabou com o vice-campeonato ao perder o título para a Associação Desportiva Guarany.

Energia fatura o 3º titulo na Segundona

Na temporada seguinte, veio o terceiro título do Energia Circular no Campeonato da 1ª Categoria de Amadores (Segunda Divisão), em 1940. Porém, na disputa pelo acesso enfrentou o Botafogo Sport Club (último lugar na 1ª Divisão). No entanto, acabou perdendo os dois jogos: 4 a 2 e 3 a 0, e permanecendo na Segunda Divisão.

Com isso, o Energia Circular jogou o Campeonato da 1ª Categoria de Amadores (Segunda Divisão), em 1941, sem conseguir o título. A partir daí, que se sabe é: em 1942, a entidade máxima extinguiu a Segunda Divisão, só retornando anos depois. O A Alviverde foi vice-campeão de amadores em 1952, dois pontos a menos que o Vitória (campeão).

matéria de 1953

Colaborou: Rodrigo S. Oliveira

Recorte do escudo: Ubiratan Brito

Desenho do escudo, uniforme, pesquisa e texto: Sérgio Mello

FONTES: Jornal do Commercio (RJ) – Jornal do Commercio (AM) – Almanak Laemmert : Administrativo, Mercantil e Industrial (RJ) – O Imparcial (BA) – Gazeta de Notícias (RJ) – Correio da Manhã (RJ) – Jornal dos Sports (RJ) – Rsssf Brasil – O Momento (BA) – Unica : quinzenario illustrado : mundanismo, esportes, cinema, actualidades (BA)

Este post foi publicado em 01. Sérgio Mello, Bahia, Carências, Curiosidades, Escudos, Fotos Históricas, História do Futebol em por .

Sobre Sérgio Mello

Sou jornalista, desde 2000, formado pela FACHA. Trabalhei na Rádio Record; Jornal O Fluminense (Niterói-RJ) e Jornal dos Sports (JS), no Rio de Janeiro-RJ. No JS cobri o esporte amador, passando pelo futebol de base, Campeonatos da Terceira e Segunda Divisões, chegando a ser o setorista do América, dos quatro grandes do Rio, Seleção Brasileira. Cobri os Jogos Pan-Americanos do Rio 2007, Eliminatórias, entre outros. Também fui colunista no JS, tinha um Blog no JS. Sou Benemérito do Bonsucesso Futebol Clube. Também sou vetorizador, pesquisador e historiador do futebol brasileiro! E-mail para contato: sergiomellojornalismo@msn.com Facebook: https://www.facebook.com/SergioMello.RJ

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.