Ponte Preta Futebol Clube – Jacareí (SP)

Escudo da Ponte Preta

 

No dia 31 de janeiro de 1933, um grupo de esportistas
comandados por Alfredo Schurig resolveu fundar um novo clube de futebol,
já que o “Esperança Futebol Clube” havia sido desativado. Os
entusiastas deram ao clube o nome de “Ponte Preta Futebol Clube”
inspirados que foram na ponte de madeira que ligava o centro da cidade
ao bairro do São João.

 Alfredo Schurig cedeu uma área (onde hoje se encontra parte
do Jardim Leonídia) e que anteriormente havia sido destinada ao
“Esperança”. No local construiu-se um campo de futebol dotado de lance
de arquibancadas, muros e cerquinhas de madeira ao redor do gramado.

Campo do Ponte Preta

Naquele pequeno estádio, o “Ponte Preta” conquistou muitos
campeonatos na década de 1950. Naqueles torneios, regionais e estaduais,
despontaram craques da bola como Aristeu Turci, Didi, Pascoalzinho,
Xavantes, Alemão e muitos outros.

Uma foto antes de uma batalha campal

Além das práticas desportivas, os associados e freqüentadores
(em sua maioria negros e mulatos em contraste com outros clube
elitistas da cidade) participavam também de reuniões dançantes e
recreativas em salões alugados pela cidade. O clube teve como sedes
provisórias um sobrado na esquina da rua Carlos Porto com a rua Antonio
Afonso  e também um casarão na Praça Raul Chaves. Em 1950, por lei
municipal, recebeu uma área de 4 mil metros quadrados na rua XV de
Novembro com o compromisso de iniciar obras no local, fato que não
ocorreu.  

Muitos anos depois da fundação, após uma batalha jurídica, os
herdeiros de Alfredo Schurig reintegraram a posse da área do time
alvi-negro. O time de futebol passou a treinar no campo da Liga
Jacareiense de Futebol, cujo presidente era o ponte-pretano Nicolau
Capucci.

Em 1957, o “Ponte Preta”, presidido por Joel Barreto, comprou
um terreno de 20 mil m² de propriedade de Orlando Bonano para construir
seu campo de futebol. Contudo, na década de 1970, novamente o clube
sofreu um novo revés: um decreto municipal do então prefeito Antonio
Nunes de Morais Junior quis desapropriar a área por um valor
insignificante. Iniciou-se nova batalha judicial. A Prefeitura passou a
construir as arquibancadas e já na gestão do prefeito Benedicto Sérgio
Lencioni foram feitos os muros, alambrados e a pista de atletismo.
Somente em 1984, o clube conseguiu receber de volta seu patrimônio e
voltou a crescer através de campanhas para reativação do quadro
associativo o que levou à construção das piscinas, quadras e sede
social.

Parque Aquático do Ponte Preta Futebol ClubeFonte:  Blog de Jacareí

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *