Inédito!! Club Athletico Mutondo – São Gonçalo (RJ): 1º Campeão Citadino Gonçalense de 1920

O Club Athletico Mutondo foi uma agremiação da cidade de São Gonçalo (RJ). Localizado na região metropolitana, fica a 25 km da capital,  São Gonçalo é o 2º mais populoso do Estado do Rio (só perdendo para a cidade do Rio), com 1.077.687 habitantes (segundo o IBGE/2016).

A história começou, na sexta-feira, do dia 6 de abril de 1918, nos salões da Liga Sportiva Fluminense (LSF), na Rua Visconde do Rio Branco, nº 453, no Centro de Niterói, quando foi eleita a nova diretoria do Club Athletico Cubango, que também era vermelho e branco.

Após cumprir o mandato de duas temporadas Ramiro dos Reis Nunes (assumiu em 12 de outubro de 1916), deixava o cargo e passava a atuar como 1º Secretário, enquanto o Dr. João Alberto Baptista Serrão (que era como o 2º Secretário), o substituiu na presidência.

Oito meses depois, ocorreu uma dissidência no clube niteroiense e parte desse grupo, liderados por Ramiro dos Reis Nunes (o idealizador), Dr. João Alberto Baptista Serrão, Nicola Marroco, Coronel Vicente de Lima Cleto, Galdino da Silveira Filho resolveram criar uma nova agremiação.

Então, o “Club Alvirrubro” foi Fundado no Sábado, do dia 21 de Dezembro de 1918. Após oficializar a fundação, foi definido a Diretoria, que teve como 1º Presidente Dr. João Alberto Baptista Serrão. As cores escolhidas: vermelho e branco.

Por razões profissionais, Ramiro dos Reis teve que deixar a presidência, sendo substituído pelo Dr. Luiz Palmier. No entanto, o mesmo problema que fez abandonar o cargo, também determinou a saída do segundo.

Desta forma, num curto espaço de tempo, entrou Vicente de Lima Cleto para ocupar o restante do mandato da presidência do Mutondo. Durante esse período, o tesoureiro Nicola Marroco ajudou no desenvolvimento da nova agremiação gonçalense.

A Praça de Esportes fica situado na Rua Dr. Alfredo Backer, nº 2, no Bairro de Alcântara (atual Mutondo), em São Gonçalo. No local atualmente, há um conjunto habitacional. Já a sua Sede Social ficava localizada na Rua Dr. Nilo Peçanha, nº 56, no Centro de São Gonçalo.

Mutondo ajudo a fundar a Liga Sportiva Gonçalense

Em março de 1919, solicitou filiação a Liga Sportiva Fluminense (LSF). No mesmo ano, o Mutondo ajudou a Fundar a 1ª liga de futebol em São Gonçalo, denominada Liga Sportiva Gonçalense, que o Sr. Raudolpho Matta como 1º presidente. A LSG por cinco temporadas até ter sido desfiliada pela Liga Sportiva Fluminense em 1924, por conta de uma grave crise na administração, acabando sendo extinta.

 

Preparação para disputar o Citadino de 1920

No domingo, do dia 1º de Fevereiro de 1920, o Club Athletico Mutondo enfrentou, amistosamente, o Sport Club Corinthians, na Praça de Esportes, na Rua Dr. Alfredo Backer, nº 2, em São Gonçalo. Duas observações: o resultado dessa partida não foi encontrado e por fim, não foi confirmado que essa agremiação era a paulista, pois no Rio existiam algumas equipes homônimas.

Foi noticiado no Jornal O Fluminense, que o Club Athletico Cubango, de Niterói entraria na secretária da Liga Sportiva Fluminense (LSF) o pedido de filiação, na quinta-feira, do dia 11 de março de 1920, onde apresentava como Campo oficial o stadium do Mutondo.

Em São Gonçalo, no domingo, do dia 10 de Abril de 1920, em partida amistosa, o Mutondo goleou o Ararigboia de Niterói, pelo placar de 6 a 1.  Na preliminar, o Canto do Rio venceu o Odeon por 3 a 1.

O Campeonato Gonçalense de 1920 contou com a participação de sete clubes:

Club Athletico Mutondo (presidente Vicente de Lima Cleto);

Sociedade Gonçalense de Desportos (presidente Manaucto Pereira dos Santos);

Parahyba Football Club (presidente José Corrêa e Mello) ;

Tamoyo Football Club (presidente Hugalino Pereira Lima Guimarães) ;

Carioca Football Club

Wisth Football Club

Coqueiro Football Club.

Bicampeão Gonçalense

No Campeonato Citadino de São Gonçalo, o Mutondo levantou a taça duas vezes: 1920 e 1922. O ano de 1920 não foi fácil. Vivendo uma forte crise social, o Mutondo superou as adversidades e faturou o título do Campeonato Municipal, organizado pela Liga Sportiva Gonçalense (LSG).

Em 1921, por motivos de indisciplina com a Liga  não disputou o certame. Retornou em 1922, onde os Mutondenses voltaram a conquistar o título, em dose dupla: campeão nos 1º e 3º Quadros. O Carioca Football Club ou Tamoyo ficou com o caneco do 2º Quadros.

 

No Domingo, no dia 29 de Maio de 1921, foi realizado o  Torneio Início de São Gonçalo, na Praça de Esportes do Mutondo.

1º jogo: Parahyba x Carioca (árbitro: Sylvio Fernandes)

2º jogo: Mutondo x Porto Novo (árbitro: Annibal Lemos)

3º jogo: Tamoyo x Gonçalense (árbitro: Osório Moreira)

5º jogo: vencedor do 2º x vencedor do 3º (árbitro: Francisco Ojeda)

6º jogo: vencedor do 4º x vencedor do 5º (árbitro: definido no local).

PS: Não encontrado os resultados.

 

Ainda em 1921, uma crise se instalou na LGF, e alguns clubes se desligaram da entidade: Wisth Football Club, Mutondo, Parahyba Football Club e Sociedade Gonçalense de Desportos. Apenas o Porto Novo, Carioca Football Club e Tamoyo Football Club, não se rebelaram.

 

Mutondo enfrentou o Vasco duas vezes

Pela 1ª vez em solo gonçalense, um clube carioca da Liga Metropolitana de Desportos Terrestres (LMDT). Então, no domingo, do dia 13 de fevereiro de 1921, o 2º Quadros do Vasco da Gama enfrentou o Mutondo, às 16 horas, em São Gonçalo. A escalação do Vasco foi a seguinte: Cavallier; Ernani Van Erven e Alcino; Djalma, Dino (Cap.) e Borges; Godoy, Adão, Carlos Netto e Pederneiras. Reservas: Heitor, Carlinhos e Homero. Desse time apenas dois titulares: Adão e Ernani Van Erven.

Na quarta-feira, do dia 24 de agosto de 1921, no campo do Clube de Regatas Vasco da Gama, na Rua Barão de Itapagipe, no Bairro do Rio Comprido, no Rio, às 15 horas, foi realizado um treino contra o Mutondo. Infelizmente, não há registros dos resultados. Até nos site oficial do Vasco não há o resultado desses jogos.

 

Mutondo venceu o Canto do Rio

No domingo, do dia 19 de Abril de 1936, o Mutondo derrotou a forte equipe do Canto do Rio, de Niterói, pelo placar de 3 a 2. O amistoso, organizado pela Associação Gonçalense de Esportes Athleticos (AGEA), foi realizado no Estádio da Rua Alberto Torres, em São Gonçalo.

Os gols foram assinalados por Almir, Waldemar e Josino, enquanto Gury e Daniel marcaram para o Cantusca. A partida foi arbitrada por Jayme Portugal Affonso.

O time atuou com: Aristheu; Odilon e Cezar; Neguinho, Almir e Gama; Jorge (Josino), Castro, Campista, Waldemar e Esperidião.

O Canto do Rio: Amarilio (Nagib); Julio e Mirosco; Walter, Samuel e Hilo; Levy, Daniel, Gury, Djalma e Jayme.  

 

Time base de 1919: Odorico (Ary); Scaffa (Gastão ou Manna) e Homero (Alcindo); Dino (Tide), Tavares (Alcebíades) e Horacio (Delphim ou Laerte); Lydio (Japyr), Mazzarelli (Walter), Heitor (Seraphim ou Charutinho Moreira), Costa (Cecy ou Faria) e J. Alves (Queiroz ou Dario).

Time base de 1920: Ary; Jobel (Lydio) e Serra I (Neir); Villas (Miguel), Epaminondas (Segaldas) e Martins (Pino); Carlos, Queiroz, Lomelino (Braz), Serra II (Heitor) e Catita (Hugo).

Time base de 1921: Ary; Lopes (Sorrão) e Homero (Anysio); Bahica (Pareto), Epaminondas (Porfírio) e Moreira (Oswaldo); Tide (Bulhões), Cabral (Heitor), Meudo (Dutra), Leon (Euclydes) e João (Oscar).

Time base de 1922: Nelson Silva; Virgilio Pequeno e Luiz Battes Vieira; Gambiarra, Marques e Charutinho Moreira; Saraco Paré (Cap.), José Leiterinho, Alexandre Cabralzinho, Nestor Castringola e Manoel Mendonça (Manoel Meira-Garrafa).

Time base de 1936: Aristheu; Odilon e Cezar; Neguinho, Almir e Gávea; Jorge (Josino), Castro, Campista, Waldemar e Esperidião.  

FONTES: O Paiz – Ilustração Fluminense – O Fluminense – O Jornal – Correio da Manhã – A Noite – Gazeta de Notícias – O Imparcial – Jornal do Brasil – Luciano Campos Tardock

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *