Clube Atlético Pastoril – Governador Valadares (MG): Existiu entre 1950 a 1972

O Clube Atlético Pastoril foi uma agremiação da cidade de Governador Valadares (MG). No sábado, do dia 12 de Outubro de 1946, a Companhia Agropastoril Rio Doce iniciou suas atividades, e constituiu-se como uma das mais modernas fábricas de compensado do Estado de Minas Gerais.

Sete anos depois, o interesse dos valadarenses pelo futebol, somado ao rebuliço que tomou conta em todo o país pela Copa do Mundo, atraiu a atenção dos dirigentes da Companhia Agropastoril Rio Doce, de tal forma que resultou na Fundação do CAP (Clube Atlético Pastoril), em 1950.

As suas cores eram o verde e branco. O mascote do Pastoril era um ‘Leão’ e o time era conhecido como “O Leão da Baixada“, pois o seu Estádio Campo da Cia. Agro Pastoril se localizava no Bairro São Pedro, também chamado de “baixada“.

Nasce o Pastoril com ‘pinta de gente grande’

A estrutura assemelhava-se à de time profissional, já que contava com atletas de reconhecida habilidade técnica, e recebendo alguns benefícios econômicos. Construído na década de 1940, o campo localizava-se nas proximidades da serraria e possuía uma estrutura que o capacitava para receber alguns dos considerados “grandes clubes nacionais”.

Dentre eles, podemos mencionar o São Paulo Futebol Clube, Bahia, Clube de Regatas Flamengo, Clube de Regatas Vasco da Gama, Clube Atlético Mineiro e Cruzeiro Esporte Clube. Enfrentou até a Seleção do Paraguai.

O maior nome de sua história foi, sem dúvida, o jornalista Sebastião Pereira Nunes, mais conhecido como Carioca. Como jogador, ele participou de um grande momento clube na década de 50, mas precisamente no Domingo, do dia 04 de Novembro de 1956, quando empatou em 2 a 2 contra o então imbatível Botafogo, de Garrincha, Nilton Santos, Didi e Bauer, no Campo da Cobraice, próximo à Açucareira.

Jogos eram divulgados por meio de panfletos

O Clube Atlético Pastoril mobilizava um significativo número de pessoas para assistirem às partidas. De acordo com Chaves da Silva, quando o CAP ia disputar uma partida com algum clube de reconhecimento nacional, como, por exemplo, o Clube Atlético Mineiro ou o Cruzeiro Esporte Clube, a Companhia divulgava o jogo distribuindo panfletos pelos locais em que fazia entrega de compensado.

Desta forma, vinham pessoas de outras regiões, mas principalmente da cidade. O fato é que o CAP atraiu a atenção das pessoas não somente pela fama de seus adversários, mas também pelo seu bom desempenho em campeonatos regionais. Dentre os títulos conquistados, podemos citar o de campeão amador nos anos de 1955 e 1956.

Democrata x Pastoril: O “Clássico dos Clássicos”

Em Governador Valadares, o futebol praticado pelo CAP dentro da vila operária, e a rivalidade deste clube com o Esporte Clube Democrata, concorreram para uma maior influência e presença dessa atividade esportiva no cotidiano da cidade.

Nos jogos em que esses dois clubes se enfrentavam, a expectativa era de que seria um grande jogo, com a torcida comparecendo em massa. Eram considerados “clássicos”. De acordo com o radialista Luiz Alberto Coelho Teixeira:

As cores do Pastoril era verde e branca e o símbolo era o leão, e o Democrata era a pantera. (…) Então era assim, em um ano o Democrata era campeão e no outro ano era o Pastoril. Existia muita rivalidade. (…) A história que eu sei é que o Pastoril era muito querido. E até hoje [ em 2008] existem ex-pastorilenses que choram quando lembram do CAP. Seria muito bom para o Democrata se o Pastoril fosse reativado, (…) é bom ter rivalidade“.

Sobre essa rivalidade entre Democrata e Pastoril, o músico e autor do Hino do Democrata Rosenberg Petersen afirma que: “O Pastoril é um time que até hoje tem uma enorme torcida aqui em Governador Valadares, e pra cidade seria melhor fazer voltar o Pastoril. Isto porque toda cidade tem que ter no mínimo um time para fazer rivalidade, da mesma forma que tem o Atlético e Cruzeiro, e também o Internacional e Grêmio (…) Se Governador Valadares conseguisse que o Pastoril voltasse, isso aqui seria ‘um trem de doido’. Seria melhor e a torcida iria dobrar em campo, principalmente na época de um clássico. Nos jogos Pastoril X Democrata era um clássico como Cruzeiro X Atlético. Seria muito bom pra cidade“.

1969: Primeira e última participação no Mineiro da 2ª Divisão

Tentando seguir os passos do rival, o Democrata, participou do Campeonato Mineiro da Primeira Divisão (na prática equivalia a Segunda Divisão) em 1969. Isto porque, a Federação Mineira de Futebol (FMF) criar uma divisão intermediária entre a Divisão Extra e a PDP, dado o inchaço de clubes nesta última divisão – a edição de 1968 atingiu o recorde de 51 clubes, e aumentar as garantias financeiras e de infra-estrutura para participação nessa divisão.

Década de 70: Falência da fábrica decretou o fim da linha do Pastoril

No início da década de 1970, após a fábrica ter decretado falência, infelizmente, o Clube Atlético Pastoril encerrou suas atividades, e ainda neste início do século XXI, é mais lembrado do que a própria empresa à qual pertencia.

FONTES: Rsssf Brasil – Página no Facebook “Fotos antigas e atuais de Governador Valadares MG” – Livro “Território, Sociedade e Modernização – Abordagens e interdisciplinares”, de Haruf Salmen Espindola  e Jean Luiz Neves Abreu  

Este post foi publicado em 01. Sérgio Mello, 15. Vítor Dias, Curiosidades, Escudos, Fotos Históricas, História do Futebol, Minas Gerais em por .

Sobre Sergio Mello

Sou jornalista, trabalho no Jornal dos Sports (atual ‘RJ Sports’), aqui no Rio de Janeiro/RJ, desde 2005. Anteriormente, trabalhei na Rádio Record e Jornal O Fluminense, de Niterói. No jornal já fiz o esporte amador, passando pelo futebol de base, Campeonatos da Terceira e Segunda Divisões, chegando a ser o setorista dos quatro grandes do Rio, Seleção Brasileira. Cobri os Jogos Pan-Americanos do Rio 2007, Eliminatórias, entre outros. Atualmente, tenho cerca de 3 mil matérias assinadas, e cubro o Flamengo e ainda faço a página dos pequenos. Também sou Benemérito do Bonsucesso Futebol Clube. E-mail para contato: sergiomellojornalismo@msn.com Facebook: https://www.facebook.com/SergioMello.RJ

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *