Rio Grande FC – o caçula das categorias de base da FNF

Nome: Rio Grande Futebol Clube

Cidade: Natal

Endereço: Rua Prof. Olavo montenegro, 2963 – capim Macio

Fundação: 28 de Abril de 2017

Histórico: recentemente criado, estreou no Campeonato Potiguar de 2018 disputando o estadual sub-15, classificando para a segunda fase da competição em andamento.

Situação: Amador

Campanha na 1º fase do campeonato Estadual sub-17 – 2018

2 x 1 Natal SC

0 x 3 Santa Cruz de Natal

1 x 1 ABC

2 x 2 Globo

1 x 1 Comercial

(*)Classificado para segunda fase

 

Escudo diferente, de 1945: Clube Atlético Cravinhos – Cravinhos (SP)

O Clube Atlético Cravinhos é uma agremiação centenária da cidade de Cravinhos (SP). A equipe Alvirrubra foi Fundada no dia 12 de Julho de 1906. A Sede e o  Estádio J. D. Martins (capacidade para 3200 pessoas), ficam localizados na Rua Dona Ignácia, nº 396, no Centro de Cravinho.

Após décadas disputando o Campeonato Citadino, o Cravinhos participou do Campeonato Paulista do Interior de 1944. A sua 1ª e única participação na esfera profissional, aconteceu 46 anos depois, quando disputou o Campeonato Paulista da 4ª Divisão de 1990.

A competição teve a participação de 26 clubes, dentre as quais o Andradina FC, Guarani Saltense AC, José Bonifácio EC, União Suzano AC; a AA Ranchariense, A Monte Azul, AD São Caetano, AA Severínia, entre outros clubes da época.

A equipe Alvirrubra ainda esteve presente em duas edições do Campeonato Paulista Amador: 2005 e 2006. Na 1ª edição, o Clube Atlético Cravinhos enfrentou no seu grupo: Clube Atlético Bandeirante (acabou ficando com o título de 2005); Bonfim Paulista; Orlândia; Santo Antonio da Alegria; Serrana; Brodowski Futebol Clube e o Real-Jardinópolis.

Em 2008 o Cravinhos disputou a 14º Campeonato Amador Regional 2008, organizado pela liga Brodowskiana de Futebol (filiada a Federação Paulista de Futebol).

Atualmente, o clube tem uma categoria de base muito forte na cidade, disputando vários campeonatos regionais, contra equipes do interior paulista, além de ser filiado a Liga Brodowskiana de Futebol (LBF).

FONTES: Página do clube no Facebook – Rsssf Brasil

Foto Rara, de 1964: Riograndense Futebol Clube – Santa Maria (RS)

Riograndense Futebol Clube é um clube brasileiro de futebol, da cidade de Santa Maria, no estado do Rio Grande do Sul. Fundado em 7 de maio de 1912, o Riograndense é considerado um dos 10 times mais antigos do Rio Grande do Sul.

A primeira partida interestadual do Riograndense em Santa Maria foi no dia 24 de Agosto de 1917, terminando em empate de 2 a 2 ao Guarany de Ponta Grossa, do Paraná. E sua primeira partida internacional em casa foi contra o Olympia (URU), de quem ganhou de 1 a 0.

Sua melhor colocação do clube no Campeonato Gaúcho foi em 1921, quando ficou em segundo lugar, perdendo o título para o Grêmio.

Atualmente, a Associação Amigos do Riograndense (AAR) é quem conduz as categorias de base do clube, no futebol de campo existem equipes sub-17 e sub-19, há também categorias de base no futsal, com times do sub-11, sub-17 e sub-20. Todas as categorias de base do clube disputam suas respectivas Copas Regionais e Estaduais.

Em 2016, sem recursos para reformar o seu Estádio e atender às demandas do Corpo de Bombeiros de Santa Maria, o Riograndense abandonou a Segunda Divisão do Campeonato Gaúcho. Assim, a Federação Gaúcha de Futebol o puniu o retirando de competições oficiais por dois anos.

Títulos

* O campeonato de 1913 dividido com o XV de Novembro.

FONTES: Wikipédia – Rosélio Basei

Foto Rara, de 1922-23: Grêmio Foot-Ball Santanense – Santana do Livramento (RS)

Grêmio Foot-Ball Santanense é um clube brasileiro de futebol, da cidade de Santana do Livramento, no Rio Grande do Sul. Suas cores são vermelho e branco.  O clube foi fundado numa segunda-feira, dia 11 de junho de 1913, por um grupo de jovens santanenses que costumavam se reunir na Barbearia do Ladário.

Os documentos da fundação e dos primeiros anos do velho Colorado se perderam em um incêndio em 1919 na residência do então secretário do clube, Joaquim Sanz, que guardava toda a documentação relacionada ao clube. O Grêmio Santanense manda seus jogos no Estádio Honório Nunes, que recebe este nome em homenagem ao presidente da gestão de 1915. Quando esteve a frente do clube, Nunes superou inúmeras dificuldades para manter o clube em seus primeiros anos de existência.

O uniforme do clube possui as cores alvi-rubra e o nome Grêmio, fazendo referência às duas equipes mais importantes do estado. Graças a tradição do Grêmio Santanense, com forte identidade no estado, a camisa vermelha com as mangas brancas se tornou símbolo do clube no futebol gaúcho.

É a equipe mais vitoriosa de Santana do Livramento a nível estadual onde, entre seus triunfos, consta o título de Campeão Gaúcho de 37. Também foi vice-campeão gaúcho em 1939 e 1948 e vice-campeão da Divisão de Acesso em 1991 , além de campeão da Segunda Divisão em 1967 e vice em 2000.

Depois de algumas boas campanhas nos anos 90, sendo presença constante no Gauchão, o Grêmio Santanense caiu para a Divisão de Acesso em 1998 e para a Segunda Divisãono ano seguinte. Em 2000 o clube conseguiu o acesso e retornou para a Divisão de Acesso em 2001, permanecendo nela até o ano seguinte e licenciando-se do futebol profissional em 2003.

Em 11 de junho de 2012, dia em que completou 99 anos, a câmara de Santana do Livramento realizou uma cerimônia para abrir a contagem regressiva do centenário do clube colocando em discussão a volta do colorado santanense ao profissionalismo.

FONTES: Wikipédia – Filhos de Santana – Rosélio Basei – Douglas Marcelo Rambor

Rafard Clube Atlético – Capivari (atual: Rafard)/SP: Duas edições no Estadual da 3ª Divisão

O Rafard Clube Atlético foi uma agremiação do Município de Rafard, que fica a 142 km da capital do estado de São Paulo. Com uma população de 9.004 habitantes (segundo o Censo do IBEGE de 2015), Rafard ganhou Status de município em 1965.

Já o “Elefante da Ituana” ou “RCA” foi Fundado na quarta-feira, do dia 08 de Dezembro de 1943, por meio da fusão de duas tradicionais equipes da cidade: o Elite Futebol Clube e o União Rafardense Futebol Clube.

Lembrando que o Rafard Clube Atlético nasceu a localidade ainda era um Distrito de Capivari. As suas cores:  verde, branco e preto. A sua Sede (ficava dentro da Usina Rafard) o Estádio Usina Rafard, ficavam localizados na Rua Engenho (próximo à Estação Ferroviária da antiga Estrada de Ferro Sorocabana), s/n, no Centro de Rafard.

O Estádio Usina Rafard possuía campo de futebol com muros, alambrados, refletores, marcador, vestiários, dependência para acomodar atletas, quadra de esportes e até mesmo um parquinho para as crianças. O grande rival era o Capivariano.

A 1ª competição de destaque, no qual o clube disputou foi o Campeonato Paulista do Interior, em 1946. Oito anos depois, a diretoria profissionalizou o departamento de futebol, em 1954 e até 1963, onde representou a cidade no Campeonato Paulista de Futebol.

Na esfera profissional, o Rafard C.A. participou cinco vezes das divisões de acesso do futebol de São Paulo. Esteve presente no Campeonato Paulista da Terceira Divisão: 1954 e 1959. No Campeonato Paulista da Quarta Divisão: 1960, 1961 e 1963.

 

FONTES: Wikipédia – Página no Facebook “Rfm Rafard” – O Semanário

São João Futebol Clube – Atibaia (SP): Duas edições no Estadual da 4ª Divisão de 1963 e 1965

O São João Futebol Clube (atual: São João Tênis Clube) foi uma agremiação da cidade de Atibaia (SP). A sua Sede está localizada na Praça Roberto Gomes Pedrosa, nº 38, no Bairro da Cidade Satélite, em Atibaia. Fundado no domingo, do dia 02 de Fevereiro de 1930, através da incansável luta de um apaixonado pelo esporte: Menotti Barca.

Ele reuniu os companheiros e, homenageou o clube com o nome do padroeiro da nossa cidade: São João. De acordo com a ata da fundação, a primeira assembléia foi realizada no campo de futebol situado a Caixa d’ água, pois o clube não tinha sede própria.

Confira os nomes dos Sócio-fundadores e a 1ª Diretoria:

Presidente – Menotti Barca;

Vice-Presidente – Juvenal Aguirre;

1° Secretário – Benedicto Bartholomeu;

2° Secretário – Benedito Leite;

1° Tesoureiro – Benedito Albino de Oliveira;

2° Tesoureiro – Silvano Chiochetti;

Diretor Esportivo – Thomaz Dos Reis Cardoso De Almeida;

2° Diretor Esportivo – José Pires Alvim.

 

Assim, durante muitos anos, o clube funcionou com o campo de futebol, que, segundo pessoas que vivenciaram aquela época, possuía excelente infra-estrutura, com ótimo gramado, vestiários e sala de imprensa. O clube também possuía um salão de baile na Rua José Alvim (calçadão), onde também passou a funcionar a sede social.

Em seu livro Terra de Jerônimo, Gilberto Sant’ Anna cita: ‘’(…) a pelota corria solta pelos gramados do (atual) São João Tênis Clube e Grêmio Esportivo  Atibaiense (…) O Leão e o Galo, respectivamente, revezavam-se nas vitórias, festejadas nas ruas com muito barulho’’.

 

Foto da década de 60

Duas participações na esfera profissional

Em virtude da cidade ser conhecida pelo seu excelente clima e o clube ter o melhor campo gramado da região, hospedou os principais times profissionais de futebol da divisão especial, inclusive a seleção brasileira para treinamento em suas dependências. Nas décadas de 40 e 50 o clube recebeu diversas taças em campeonatos intermunicipais, e passou por uma fase maravilhosa. Mas a população de Atibaia começou a mudar, o futebol amador  entrou em declínio e também o clube.

Em 1969, alguns inconformados com o desaparecimento do São João, resolveram transformá-lo em clube de campo, para atender os novos interesses da sociedade. Embora não tenha sido fácil, aos poucos o prestígio do clube foi se restaurando. Vieram novos sócios, novas atividades esportivas e de lazer, e o clube começa a se reerguer.

Na esfera futebolística, participou do Campeonato Paulista do Interior de 1944. Em 27 de Abril de 1963, o clube recebeu da Prefeitura de Itatiba, a importância de Cr$ 250.000,00 (duzentos e cinquenta mil cruzeiros), para a reforma da Praça de Esportes.  O motivo dessa ajuda financeira foi o fato de o São João ter disputado o Campeonato Paulista da Quarta Divisão de 1963 e 1965.

 

1971: Clube muda de nome

O Tênis, na época considerado ‘’de elite’’ foi implantado no então São João Futebol Clube pelo Sr. Ramiro Simões Lopes, um apaixonado pela modalidade esportiva. O clube passava por várias dificuldades financeiras, existia até a idéia de se lotear uma parte do clube. O então presidente, Moacyr Zanoni, resolveu apoiar o Sr. Ramiro e o novo esporte.

Como não havia dinheiro para a construção das quadras, o Sr. Ramiro passou a pedir doação de material para os amigos, e ele mesmo, com a ajuda de dois serventes, limparam o terreno. Para tanto, nada recebia, apenas o clube pagava os pedreiros. No dia 1° de maio de 1972 as duas quadras foram inauguradas e no ano seguinte a escolinha já funcionava.

O clube passa então a se chamar São João Tênis Clube, e renasce para uma nova fase. Cada diretoria, cada administração, colaborou para que o clube se transformasse no que é hoje.

FONTES & FOTO: Rsssf Brasil – Site do clube – Acervo de Claudio Lourenço de Oliveira

Esporte Clube Santana – Itapeva (SP): Três edições no Estadual da 2ª Divisão

Esporte Clube Santana é uma agremiação da cidade de Itapeva, que fica a 199 km da capital do estado de São Paulo. Fundada numa quarta-feira, do dia 20 de setembro de 1769, é conhecida carinhosamente como a “Capital dos Minérios“. conta com uma população de 94.354 habitantes.

História

1º registro da prática de futebol em Faxina (atual Itapeva) e o surgimento do primeiro time de futebol da cidade. No dia 08 de Fevereiro de 1914, nascia o Faxinense Foot-Ball Club. O jornal O Tempo (Edição nº. 631) assim noticiou:

Com esse nome fundou-se nesta cidade um club, que tem em vista o desenvolvimento do sport entre nós. A directoria ficou assim constituída:

Director: Antonio de Carvalho, Secretario: Augusto do Canto, Thesoureiro: José Ribeiro, Captain: Vandico Fleury.

O captain pede por nosso intermédio o comparecimento de todos os jogadores, hoje as 12 horas da manhã, no campo do F.F. Club, para que seja disputado um macht entre o 1° e o 2° team.

A directoria convida a todos os amantes destes sport a assistirem este grande ‘macht’ onde servirá de juiz o Sr. Gazinho Fleury”.

Nos idos anos de 1930 à 1938, por meio da dedicação de alguns abnegados jovens, dos quando Itapeva ainda se chamava Faxina Foot-Ball Club.

Surge S.C. Sant’Anna

O 1º relato sobre o surgimento de uma equipe de futebol com a denominação de Sport Club Sant’Anna foi registrado no Jornal O Progresso, na quarta-feira, do 1º de Maio de 1929. A meta da nova agremiação era de engrenar o futebol bretão na cidade.

Já não alimentávamos mais esperanças de que o futebol tornasse a se reintegrar em seus dias passados, cheio de vigor e animação, prendendo o interesse de nossa divertida mocidade. Em fins do ano transacto cahiu o popular esporte em abandono reprovável – resultado de um embate violento de paixões desencontradas- vindo até hoje nesse marasmo acabrunhante.

(…) O futebol boceja e espreguiça-se…. O sol de maio com certeza retemperou-lhe os nervos lassos. Desperta da aphathia, com cuidado de alguma recahida, e sob a acção de soros nervrosthenicos“.

A partir daí o Sport Club Sant’Anna, foi a representante da cidade de Faxina (atual Itapeva), nos embates futebolísticos contra equipes das cidades vizinhas, equipes do Paraná e da capital paulista.

Entretanto teve uma vida efêmera. Em 1933 apareceram os últimos relatos sobre o clube, com o desânimo batendo a porta a extinção da equipe foi inevitável.

Nasce o E.C. Santana

A criação da equipe se deu como, obviamente, acontecia com muitas equipes, surgidas das várzeas. Dificuldade para compra de uma bola, tão somente uma que servia para os treinos semanais e o jogo, quando acontecia aos domingos.

Um sonho ambicioso de alguns jovens amantes do futebol despertou. Refundar o clube, desta vez como uma sociedade. Sonho este que se concretizou na quarta-feira, do dia 23 de agosto de 1939, nascendo: Esporte Clube Santana.

A sua Sede do Alvinegro Santanista fica na Avenida Epaminondas Ferreira Lôbo, nº 197, no Centro de Itapeva. O Esporte Clube Santana mandava os seus jogos no Estádio dos Eucaliptos (atual: Estádio do Itapeva Clube), situado na Rua José Pinheiro de Carvalho, nº 65, no Centro de Itapeva.

Estádio Itapevense é inaugurado em 1940

Em 1940, iniciou-se o projeto de construção do seu próprio campo, denominado de Estádio Itapevense. Apesar das dificuldades materiais e pessoais, o projeto na medida do possível foi saindo do papel e tornando-se realidade, tanto que em julho de 1940 os primeiros jogos começaram a ocorrer no novo campo de futebol da cidade. Em 1947, já com o se campo, o Santana participou do Campeonato Paulista do Interior, daquele ano.

Anos Dourados

A década de 50 foi marcado por muitos avanços no Brasil, como transmissão de televisão, instalação de indústrias e eventos como a Copa do Mundo que mudaram o consumo e o comportamento brasileiro e por isso ficaram conhecidos como os “Anos Dourados”.

Nessa década o Esporte Clube Santana o também viveu os seus “anos dourados“, como, por exemplo, a sua maior série de jogos invictos. Isso ocorreu em 1955, quando chegou a 18 jogos sem saber o que era uma derrota. Durante a série encarou equipes das cidades paulistas de Itararé, Taquarituba, Capão Bonito, Itapetininga, Sorocaba, Cerquilho, São Roque, São Paulo, Bernardino de Campos, equipes locais e de Castro (PR).

A série de jogos invictos do Esporte Clube Santana foi quebrada por uma outra equipe que também estava invicto: o Clube Atlético Butantã da capital, que vinha com sua série de 43 jogos invictos. Em um jogo equilibrado e com gol no fim, a derrota por 2 a 1 encerrava a sequência invicta do time itapevense.

Outro jogo marcante da história do Esporte Clube Santana foi o amistoso contra a equipe mista do São Paulo Futebol Clube em setembro de 1959, jogo este que ocorreu em Itapeva e terminou empatado pelo placar de 3 a 3. Gols do Santana foram marcados por Eder, duas vezes e Grilo.

Anos 60: primeiros passos para a profissionalização

No inicio dos anos 60 o Esporte Clube Santana mantinha-se no amadorismo. Entretanto algumas equipes da região já estavam em um processo de semiprofissionalismo. O mesmo começava a ocorrer com a equipe itapevense.

O ano de 1962 foi um ano de surpresas e planos ousados na história do clube. Três metas foram estabelecidas naquele ano: manutenção do atual técnico Waldemar Belacosa, que tinha sido jogador profissional e jogou em várias equipes do futebol nacional, como Corinthians (SP) e Botafogo (RJ); depois a realização de um amistoso contra uma equipe da elite do futebol paulista daquela época, e por último a participação do Esporte Clube Santana no futebol profissional.

A primeira meta foi realizada com êxito: Belacosa manteve-se a frente da equipe. A segunda, a realização do amistoso contra uma equipe da elite do futebol paulista. Duas equipes estavam na mira: o Clube Atlético Juventus da capital ou XV de Piracicaba. Por fim o ficou acertada o amistoso contra a equipe piracicabana.

O amistoso ocorreu em junho de 1962, em Itapeva. E o XV veio com sua força total para o amistoso. Lembrando que o time Itapevense era amador, jogando contra uma equipe profissional com jogadores como por exemplo: Nilo (ex-Palmeiras), Fernando Sátiro (ex-São Paulo), Orlando Maia (ex-Botafogo-RJ), Waldir (ex-Corinthians), Brauner (bicampeão paulista pelo Santos), entre outros. Resultado do jogo um sonoro 8 a 1 para equipe piracicabana, em pleno campo do Santana.

A última etapa era a entrada do clube no futebol profissional. Fato este que ocorreu. E como uma bomba esta noticia foi anunciada nos jornais locais: “o Esporte Clube Santana iria disputar o Campeonato Paulista de Futebol Profissional da Terceira Divisão pela primeira vez“.

Santana debuta na Terceirona Paulista

Em julho de 1962 a equipe Itapevense estava pleiteando uma vaga junto a Federação Paulista de Futebol (FPF) para participar de seus campeonatos profissionais, em vagas deixadas por outras equipes. Tentou acessar a Segunda Divisão, entretanto, para o ano só foi possível acessar a Terceira Divisão.

O fantasma dos grandes investimentos desestimulava quem se interessava para disputa do torneio. Entretanto no ano de 1962 um fenômeno se manifestou nas cidades do sul do estado de São Paulo. As mudanças de dirigentes, novos corpos administrativos e idéias, permitiu essa nova fase no futebol regional.

Esse fenômeno se estendeu a outras cidades como: Itararé (Clube Atlético Fronteira), São Miguel Arcanjo (Esporte Clube São Miguel Arcanjo) e Capão Bonito (Ipiranga Atlético Clube) também filiaram equipes para disputa do campeonato.

Por fim o Esporte Clube Santana disputou o Campeonato Paulista da 3ª Divisão na temporada 1962-63, chegando ao octogonal final, mas sendo derrotado e terminando a competição em 8º lugar.

Já na temporada 1963-64, a equipe conseguiu acesso para disputar o Campeonato Paulista da 2ª Divisão por haver uma equipe desistente e abriu a vaga para equipe Itapevense. Nesta temporada a equipe fez sua melhor campanha finalizando o torneio na 3ª colocação.

Na temporada 1964-65, as trocas da diretoria em curto prazo de tempo prejudicaram o planejamento e desempenho da equipe cuja campanha na Segundona foi penosa, escapando do descendo nas últimas rodadas graças a vitórias importantes que deram pontos preciosos para equipe escapara da fase do rebolo.

Em 1965-66 a temporada ficou ameaçada pelos altos gastos para manter a equipe profissional e a falta de receita ameaçavam o caixa já comprometido do clube. Mesmo assim após resolver as pendências com a Federação Paulista de Futebol a equipe do Esporte Clube Santana participou do Campeonato Paulista da 2ª Divisão. Mais uma vez o desempenho da equipe não foi bom, escapando novamente do rebolo, uma vez que naquele ano esta fase não iria ocorrer.

Clube sai de cena da esfera profissional

Uma esperança surgiu na campanha da equipe da temporada de 1966-67. Com bom desempenho no 1º turno da Segundona, terminando inclusive no grupo de classificação para segunda fase.

A equipe não conseguiu manter o fôlego no returno sendo ultrapassados por outras equipes e ficando fora da fase seguinte. Assim com fim das competições profissionais o plantel da equipe foi desfeito. Ficando suspensa as atividades profissionais por tempo indeterminado. A ideia era da retomada das atividades profissionais no ano de 1970, mas isso não ocorreu.

Houve mudança no foco dos investimentos que começaram a ser voltados ao lazer e recreação dos sócios e assim findava-se os altos custos que o futebol profissional demandava.

FONTES: Acervo de Neuza Weizani – Wikipédia – Jornal O Tempo – Página do clube no Facebook: “Esporte Clube Santana – Itapeva – SP” – Blog Esporte Clube Santana

SOCIEDADE DE DESPORTOS ACARAÍ – 1957

Fundada em Março de 1937 como América Futebol Clube, na cidade de Jaraguá do Sul/SC, a Sociedade de Desportos Acaraí adotou a atual denominação em 1. de Março de 1943.

O objetivo com a troca era fugir da sombra do homônimo clube da vizinha Joinville.

Seu primeiro estádio ficava localizado na Rua Marechal Deodoro, no centro da cidade.

Sua primeira aparição no Campeonato Catarinense ocorreu em 1957, na conturbada 3a Zona (Zona Centro), onde após um início promissor, acabou perdendo folego na reta final, deixando a vaga para a Fase Semifinal do Campeonato ficar com o tradicional Ypiranga Futebol Clube de São Francisco do Sul.

A campanha nesta ocasião foi a seguinte:

CAMPEONATO CATARINENSE DE 1957

1ª FASE – 3ª ZONA – ZONA CENTRO

11/8/57

ACARAÍ  2X1 ATLÉTICO-SÃO FRANCISCO DO SUL

GOLS: Reco (Atlético São Francisco). Lino (Acaraí) e Janot (Acaraí).

25/8/57

ACARAÍ 1X0 BAEPENDI

S.D. ACARAÍ: Fio, Mario e Vergundes; Bastião, Maba e  Chico; Zezo, Edgar, Janot, Fachini e Acacio.

GOL: Acacio (Acaraí) 1T-4.

7/9/57

JUVENTUS-Rio do Sul 2X2 ACARAÍ

S.D. ACARAÍ: Fio, Vergundes e Mario; Sebastião, Wino e Edgar; Lino, Zero, Janot, Fachini e Acácio.

GOLS: Zezo (Acaraí) 1T-5, Janot (Acaraí) 2T, Nanico (Juventus) 2T-28 e Tita (Juventus) 2T-44.

22/9/57

ACARAÍ 2X4 YPIRANGA

S.D. ACARAÍ: Fio, Mario e Vergundes; Sebastião, Wino e Edgar; Lino, Zezo, Janet, Fachini e Acácio.

GOLS: Pepê (Ypiranga) 1T-36, Sebastião (Acaraí) 2T-4, Janot (Acaraí) 2T-18, Bujão (Ypiranga) 2T-27, Pepê (Ypiranga) 2T-31 e Pepê (Ypiranga) 2T-38.

20/10/57

ATLÉTICO-SF 3X1 ACARAÍ

S.D. ACARAÍ: Fio, Mario e Vergundes; Tião, Maba e Chico; Amandus, Lino, Janot, Fachini e Acácio.

GOLS: Geraldo (Atlético São Francisco) 1T-17, Daniel (Atlético São Francisco) 1T-22, Janot (S.D. Acaraí) 2T-32 e Nelson  (Atlético São Francisco) 2T-40.

3/11/57

BAEPENDI 3X2 ACARAÍ

17/11/57

ACARAÍ 1X0 JUVENTUS-Rio do Sul

1/12/57

YPIRANGA 2X0 ACARAÍ.

TIME DE 1957 – Acervo de José Caglioni.

Pesquisa de Cícero Alves Urbanski.

Fonte: jornal A Notícia/ Jornal de Joinville.