Sport Club Flamengo – Recife (PE): História completa

O História do Futebol pergunta: “Você sabe quem foi o primeiro grande clube do futebol pernambucano?Santa Cruz? Náutico? Sport Recife? América? Errado! Parabéns para quem respondeu Sport Club Flamengo. O time Alvinegro dos Patativas  ou Campeão da Fidalguia foi uma agremiação da cidade do Recife (PE), sendo o 1º campeão do Campeonato Pernambucano de 1915.

HISTÓRIA

Na reunião (encerrada às 22 horas) que ocorreu na segunda-feira, do dia 20 de Abril de 1914, na Rua da Santa Cruz, 46, no Bairro da Boa Vista, pelos senhores Alcebíades Braga, Antonio Alcântara, Carlos Tavares, Cícero Loureiro, Elteredo Antunes, Francisco Alves, Francisco Braga, José Rodopiano dos Santos, Mario Santos, Patrício Moreira, Vicente e Braz Croccio, foi Fundado a agremiação que adotou como primeiro nome: Cruz Branca Foot-Ball Club. Entre outras definições ficou acertado o valor da mensalidade que seria cobrado para cada sócio: R$ 5.000,00 réis.

 

PRIMEIRA DIRETORIA

Presidente: Alcebíades Braga;

Vice-Presidente: Carlos Tavares;

1º Secretário: Braz Croccio;

2º Secretário: Elteredo Antunes;

Tesoureiro: José Rodopiano dos Santos;

Diretor de Esportes: Cícero Loureiro;

Vice-diretor de Esportes: Francisco Alves;

Procurador: Mario Santos;

Orador: Vicente Croccio;

Comissão de Finanças: Antonio Alcântara, Francisco Braga e Patrício Moreira.

ALVINEGRO HOMENAGEIA CLUBE CARIOCA E ALTERA O NOME

O nome de Cruz Branca não durou um mês. Vinte e oito dias depois da sua fundação, em Assembleia Geral, realizado no dia 18 de Maio de 1914, a diretoria decidiu aceitar a proposta feita pelo presidente Alcebíades Braga e mudou o nome para Sport Club Flamengo, em homenagem ao Clube de Regatas Flamengo.

 

FLAMENGO FOI RESPONSÁVEL PELO SANTA CRUZ SE TORNAR TRICOLOR

Apesar de grandes adversários, o grande rival do Alvinegro dos Patativas  era o Santa Cruz F.C. Tudo nasceu pelo fato de ambos terem escolhido as mesmas cores: preto e branco.

Então, a Liga Pernambucana determinou que um dos dois escolhesse novas cores. Ambos não demonstraram desejo em ceder. Mas após muita luta, o Flamengo levou a melhor e acabou sendo o responsável para que o Santa Cruz trocasse o alvinegro pelo Tricolor (vermelho, branco e preto). Da guerra nos bastidores se estendeu para os gramados, onde os jogos entre essas duas equipes era ferrenha e, muitas vezes, de partidas ríspidas.

CAMPOS DE TREINO

O Flamengo treinava no campo do Derby, e, posteriormente adquiriu o campo da Magdalena. Já nos anos 30 e 40, treinava ora no campo do América, ora na Ilha do Retiro (Campo de propriedade do Sport Recife).

 

OUTROS ESPORTES

Além do futebol, o clube também disputou o Campeonato Pernambucano de Atletismo (foi o 1º clube a adotar a modalidade em vários torneios internos), Basquete e voleibol.

 

SEDES

A sua primeira Sede ficava localizada na Rua do Cotovello (atual Rua Visconde de Goiana), 02. Em 1919, transferiu a sua sede social para a Avenida Riachuelo, 182. Na sexta-feira, do dia 31 de outubro de 1924, inaugurou a sua nova e luxuosa Sede, na Rua da Imperatriz Teresa Cristina, 257 – 2º andar.

Então, na domingo, do dia 03 de fevereiro de 1929, outra mudança. O alvinegro se mudou para o prédio situado na Rua Aurora, 309, todos os quatro locais ficavam no Bairro de Boa Vista, no Recife. Em 1935, outra mudança de rua e bairro. Desta vez para a Rua da Hora, s/n, no Bairro do Espinheiro. Dois anos depois, passou para a Rua das Pernambucanas, 167, no Bairro da Capunga, no Recife. Em 1940, mais uma mudança. Dessa vez para a Avenida Rosa e Silva, 259, nos Aflitos.

 

ALVINEGRO AJUDA A FUNDAR A LPDT

O Flamengo foi um dos fundadores, no dia 16 de junho de 1915, da Liga Sportiva Pernambucana (LSP), que mudou de nome em 1918, passando a se chamar Liga Pernambucana dos Desportos Terrestres (LPDT).

 

S.C. Flamengo de 1937

O SC Flamengo foi campeão do primeiro Campeonato Pernambucano da 1ª Divisão de 1915. Ao todo, o Alvinegro participou da elite pernambucana 31 vezes: 1915 (1º lugar), 1916 (5º lugar), 1917(4º lugar), 1918 (5º lugar), 1919 (6º lugar), 1920 (4º lugar), 1921 (6º lugar), 1922 (6º lugar), 1923 (4º lugar), 1924 (5º lugar), 1925 (4º lugar), 1926 (7º lugar), 1927 (3º lugar), 1928 (4º lugar), 1929 (6º lugar), 1930 (7º lugar), 1931 (3º lugar), 1932 (3º lugar), 1933 (8º lugar), 1934 (4º lugar), 1935 (6º lugar), 1936 (7º lugar), 1937 (7º lugar), 1938 (8º lugar), 1940 (8º lugar), 1941(7º lugar), 1943 (6º lugar), 1944 (7º lugar), 1945 (7º lugar), 1946 (7º lugar) e 1947 (5º lugar).

 

S.C. Flamengo de 1915

1º CAMPEÃO PERNAMBUCANO

No dia 12 de dezembro de 1915, com uma vitória de 3 a 1 sobre o Torre Sport Club, o Flamengo sagrava-se campeão do I Campeonato Pernambucano de Futebol, organizada pela Liga Sportiva Pernambucana.

O time-base campeão foi: Luiz Cavalcanti; Chico Alves e Rubens; Fred (Maciel), Ruy e Zezé; Waldemar, Gastão, Tayllor, Percy Fellows e Lelys.

O Jornal Diário de Pernambuco assim descreveu o título: “Encerrou-se anteontem, com a vitória do Sport Club Flamengo contra o Torre Sport Club, o campeonato da Liga Sportiva Pernambucana (LSP), instituído para o football. Depois de uma série de matchs emocionantes, que trouxeram em constante delírio o público esportivo do Recife, teve o Flamengo coroado os seus esforços e firmada a sua força dentre os seus dignos adversários nas lutas pacíficas do esporte.

O Flamengo do Recife quis ser o êmulo do seu congênere do Rio, e vencendo a tática do Santa Cruz e a tenacidade do Torre, soube guardar para si os louros da vitória – e as ‘louras medalhas’“.

ALGUNS TÍTULOS:

Campeonato Pernambucano: 1915;

Taça A Noite ‘Curso Simpatia’: 1915;

Torneio Início da LSP dos Terceiros Times: 24 de junho de 1917;

Taça dos Menores Correccionaes: 10 de março de 1918;

Tarde dos Chronistas – Taça Emoção:  27 de novembro de 1921;

Campeonato Pernambucano Segundos Quadros: 1921, 1922 e 1931;

Taça Sete de Setembro (AL): goleada de 6 a 1 em cima do CSA-AL, em 1923;

Taça Prefeitura Municipal de Fortaleza (CE): vitória por 4 a 2 em cima do América-CE, em 1924;

Vice-campeão do Torneio Início da LPDT: 1926 e 1927;

Taça Bittencourt: 1928;

Taça Festival Varzeano Sport Club: 15 de novembro de 1929;

Taça Casa Amarela: 1929;

Campeonato Pernambucano

Torneio de Verão da Cidade do Recife: 1939.

 

HINO

Ô Flamengo, ô Flamengo

Valoroso campeão!

Cheio de glórias oscila

Alvinegro pavilhão

 

Time-base de 1916: Nozinho; C. Alves e Zezé; Joquinha, Rubem e Eugenio; Waldemar, Gastão, Herothides, Mário e Miranda.

Time-base de 1918: P. Maciel; Santiago e R. Cruz; Lafayette, James e Ferreira; Alecrim, J. Silveira, Fontes, Mirandinha e Crossia.

Time-base de 1920: O. Soares; A. Lellys (Rubens) e Carmello Fontes; Adolpho Bastos (Vavá), Hero Xavier e Fernando Teixeira; J. Lecch, Gastão Bittencourt, Jeronymo Duarte (Vieira), Mirandinha e Heitor Fontes.

Time-base de 1926: Fritz; Pedro Sá e Chico Altino; Tota, Dourado e Baptista; Pilota, Cantinho, Bernardo, Miranda e Brunner.

Time-base de 1937: Alvides; Watson e Leon (Humberto); Chico, Walfrido (Tarzan) e Moura; Ayrton, Odílio (Gayozo), Damião (Capi), Vicente (Marinheiro) e Lula.

 

No dia em que “O Homem de Aço” deu prejuízo

Dentre tantas histórias do Flamengo, uma, no mínimo curiosa, ocorreu no domingo, do dia 7 de agosto de 1921. O zelador da Sede do SC Flamengo, conhecido pela alcunha de “Homem de Aço” já trabalhava há um bom tempo no clube. Então, na manhã daquele dia, como de costume foi para a Sede realizar mais um dia de labuta.

Então, após retornarem do treino, os jogadores do Flamengo foram surpreendidos com a ausência dos seus pertences (roupas e objetos de valor) e também do Zelador. Após os furtos, os jogadores foram até a Delegacia prestar queixa. O “Homem de Aço” fez a limpeza e, num piscar de olhos, desapareceu.

 

O fim do campeão de 1915

Coincidência ou não, o declínio do Sport Club Flamengo começou a partir de dezembro de 1935. Os jornais recifenses já especulavam que o clube se dissolveria. Naquele momento, a diretoria do Alvinegro dos Patativa  publicou uma nota desmentindo que o clube estaria fechando às portas.

Fato é que as campanhas seguintes até 1947 foram pífias, com o Flamengo figurando na penúltima e última colocações! Somado a brigas políticas com a Federação pernambucana e um desgaste com os principais clubes, a diretoria resolveu se afastar das competições futebolísticas.

Em 1954, o Diário de Pernambuco fez uma matéria com um ar de saudosismo para relembrar os grandes feitos do Sport Club Flamengo. Contudo, o clube seguiu no ostracismo até desaparecer definitivamente deixando saudades da briosa agremiação 1ª campeã de Futebol de Pernambuco.

 

Fontes: Diário de Pernambuco – Jornal de Recife – A Província

Este post foi publicado em 01. Sérgio Mello, Curiosidades, Escudos, Hinos de Clubes, História do Futebol, Pernambuco em por .

Sobre Sérgio Mello

Sou jornalista, desde 2000, formado pela FACHA. Trabalhei na Rádio Record; Jornal O Fluminense (Niterói-RJ) e Jornal dos Sports (JS), no Rio de Janeiro-RJ. No JS cobri o esporte amador, passando pelo futebol de base, Campeonatos da Terceira e Segunda Divisões, chegando a ser o setorista do América, dos quatro grandes do Rio, Seleção Brasileira. Cobri os Jogos Pan-Americanos do Rio 2007, Eliminatórias, entre outros. Também fui colunista no JS, tinha um Blog no JS. Sou Benemérito do Bonsucesso Futebol Clube. Também sou vetorizador, pesquisador e historiador do futebol brasileiro! E-mail para contato: sergiomellojornalismo@msn.com Facebook: https://www.facebook.com/SergioMello.RJ

2 pensou em “Sport Club Flamengo – Recife (PE): História completa

  1. Sergio Mello Autor do post

    Obrigado meu amigo Ielo.
    Mais uma história desvendada!
    Que venham outras!

    Um grande abraço!

  2. Antonio Mario Ielo

    Sergio,

    Excelente artigo!!!!!

    Digno de ser anexado ao site da Federeção Pernambucana de Futebol.

    Abs.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *