Memória do Futebol Potiguar – Baraúnas

Antes de ser clube de futebol, o Baraunas era um bloco de carnaval em Mossoró. Tendo à frente, o Sr. Vicente Eufrásio, o bloco de rua do bairro Doze Anos costumava ganhar os mais importantes títulos. Naquele tempo, existia uma acirrada disputa entre o Salinista (Agremiação sediada no Bairro São José) – que também tinha um time de futebol –  e o Baraúnas.  Alguns integrantes do Barúnas decidiram levar também para os gramados a rivalidade que existia na Avenida. Até então as duas maiores forças do futebol local, eram o Salinista e o Potiguar.

O nome Baraúnas foi inspirado no cacique Baraúnas, líder da tribo Monxorós, que habitava na região.

A primeira formação do Baraúnas em 1960.

Com a fundação do Esporte Clube Baraúnas, no dia 14 de Janeiro de 1960, tendo como berço a sede do Centro dos Artistas – Doze Anos, local dos grandes bailes carnavalescos do tricolor, onde hoje está  o Edifício Francisco Heronildes da Silva. Por volta das 20:00 hs, lá estavam reunidos: Alberto Mendes de Freitas (Redator do Primeiro Estatuto do Clube), Expedito Mariano de Azevedo (Vereador Expedito Bolão), Jose Raimundo Nogueira (Zé Cabeça), Francisco Martins de Medeiros (Chico Geraldo), Francisco Noberto da Silva, Manoel Sebastião Fernandes Pedrosa, Manoel Marinho Guimarães, Raimundo Dan- tas(Rene) e Zoívo Barbosa de Menezes (Primeiro Treinador), que após defi nirem as metas iniciais, declararam fundada a mais nova agremiação esportista da terra de Santa Luzia.

Em 1966, o Esporte Clube Baraúnas muda sua razão social, para Associação Cultural Esporte Clube Baraúnas. O Leão do Oeste teve grandes participações no estadual, pricnipalmente nos anos 80. Em 1987, o clube foi vice campeão do estado.

Os grandes jogadores que vestiram a camisa do Baraúnas dando muitas glórias e conquistas: Etevaldo, Cícero Ramalho, Neto, Batista, Walmir Preto, Xavier, Luciano Paraíba, Izaías, Nildo, Robinho, Índio, Maurício Pantera, Lourinho, Fausto, Nonato e Washington.�

Conquistas

Criado em 1960, o Baraúnas não demorou muito para começar a levantar troféus. Venceu o Campeonato Mossoroense cinco vezes (1961, 1962, 1963, 1967 e 1977). Título importante, porém, só veio em 2004, quando o clube levantou a taça da Copa RN.

No ano seguinte, a agremiação ganhou projeção nacional após fazer uma bela campanha na Copa do Brasil de 2005. O time de Mossoró surpreendeu os especialistas e chegou às quartas-de-final do torneio, desbancando América-MG, Vitória-BA e Vasco.

Com a base criada após a Copa do Brasil, o Baraúnas conquistou o principal título da história do clube: o Campeonato Potiguar de 2006. Em duas finais emocionantes, que terminaram 0 a 0, o Baraúnas levou o troféu em cima de seu maior rival, o Potiguar de Mossoró, por ter feito a melhor campanha do campeonato.

No ano seguinte a glória, o Leão do Norte repetiu o feito de 2004, ficando com a taça da Copa RN de 2007.

Polêmicas

No ano de 2006, quando o Baraúnas já era campeão estadual, a Justiça Desportiva do Rio Grande do Norte reverteu o título do clube, graças a uma briga nos tribunais envolvendo ABC e ASSU.

Os dois clubes pleiteavam uma vaga na semifinal do Campeonato Potiguar daquele ano, vaga esta que acabou ficando com o ABC. Porém, este seria eliminado pelo Potiguar nas semifinais. O ASSU, por sua vez, recorreu ao Superior Tribunal de Justiça Desportiva, no Rio de Janeiro, e conseguiu anular as partidas disputadas pelo ABC nas semifinais. Entretanto, após disputa em campo com o Potiguar, o ASSU também foi eliminado.

Na decisão do campeonato, a qual fora repetida após a anulação das partidas, o Baraúnas bateu novamente o Potiguar e foi o campeão.

O Baraúnas foi eliminado da Copa do Brasil de 2007 por um erro da CBF. O Baraúnas havia eliminado o Vitória; entretanto, o STJD desclassificou o clube por ter supostamente utilizado um jogador não inscrito na competição.

Posteriormente, a CBF admitiu que seu departamento de registro havia cometido um equívoco, porém sem reaver a vaga conquistada pelo Baraúnas.

Fontes: Arquivodeclubes.com, Jornal Tribuna do Norte, Baraúnas Sítio Oficial, Sítio Fúria Jovem e Wikipedia

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *