Caramuru Esporte Clube – Castro (PR): Doze participações no Estadual

O Caramuru Esporte Clube foi uma agremiação do Município de Castro (PR). Às margens do Rio Iapó, foi fundado ocorreu em 19 de março de 1778, a localidade fica a 159 km da capital (Curitiba). A “Cidade do Leite” possui uma população de 71.484 habitantes (segundo o censo do IBGE/2019).

O “Leão do Iapó” foi Fundado na quinta-feira, do dia 19 de Abril de 1917, com o nome de Caramuru Sport Club.

Foto rara de 1919

Em outubro de 1957, instalou a sua sub-sede social na Rua XV de Novembro, nº 39, no Centro de Curitiba. Em 18 de Junho de 1960, a sua Sede estava situada na Rua Nunes Machado, nº 130, no bairro de Bom Jesus, em Curitiba.

A equipe mandava os seus jogos no Estádio Municipal Lulo Nunes (Capacidade: 5 mil pessoas), localizado na Rua Cel, Vital Martins de Oliveira, s/n, na Vila Rio Branco, em Castro. Após sofrer remodelações, como a colocação dos refletores, em 1981, o estádio ganhou o nome de Centenário.

O Caramuru disputou os torneios organizados pela Liga Amadora de Ponta Grossa. Na segunda-feira, do dia 11 de Abril de 1955, a Federação Paranaense de Futebol (FPF), aceitou e inscreveu o Caramuru para integrar a Divisão Extra de Profissionais do Paranaense, na vaga do S.E.F. Juventus, que se licenciou. 

Foto da década de 40

Disputou até 1965. A sua melhor posição aconteceu em 1959, quando terminou a primeira fase em 2º lugar (13 vitórias, dois empates e cinco derrotas) e a segunda fase em 4º lugar (duas vitórias, um empate e três derrotas), e 3º colocado no geral. Destaque para as vitórias sobre o Coritiba (2 a 1) e Athletico Paranaense (3 a 0), ambas em Curitiba!

Uma curiosidade dessa temporada memorável, foi que o Bellini, zagueiro e capitão da Seleção Brasileira na Copa de 1958, entregou o troféu, uma vez que ele estava de passagem com o Vasco da Gama em Curitiba.    

Foto de 1959, ano em que o Caramuru terminou o Estadual em 3º lugar, no geral

O Leão do Iapó ainda disputou o Paranaense 1971, época em que participou da loteria esportiva e teve seu símbolo destacado pela revista Placar como time de botão. A agremiação foi reorganizado e Fundado na segunda-feira, do dia 26 de Junho de 1989, como: “Caramuru Futebol Clube“. Em 1991, retornou ao futebol profissional.

Em 1993, voltou a disputar a elite estadual, onde fez um primeiro turno irregular, mas recuperou-se no segundo, fazendo grande campanha. Destaque para os empates em casa com o Operário de Ponta Grossa (2 a 2, sofrendo gol de empate nos acréscimos, em incrível falha do goleiro, diante de 1.972 pagantes) e com o Coritiba (0 a 0, para 2.026 pagantes).

Foto dos anos 60

COLABORAÇÃO: Rodrigo Santana

Desenhos dos escudos e uniformes: Sérgio Mello

FONTES:  O Dia (PR) – G1.Globo (Time de futebol de Castro faz 100 anos e relembra jogo histórico) – Central Palece Hotel/ Castro-PR – Diário da Tarde (PR) – Diário do Paraná

FOTOS: Acervo de José Pedro Naisser – Jornal de Castro 

Este post foi publicado em 01. Sérgio Mello, Carências, Curiosidades, Escudos, Fotos Históricas, História do Futebol, Paraná em por .

Sobre Sérgio Mello

Sou jornalista, desde 2000, formado pela FACHA. Trabalhei na Rádio Record; Jornal O Fluminense (Niterói-RJ) e Jornal dos Sports (JS), no Rio de Janeiro-RJ. No JS cobri o esporte amador, passando pelo futebol de base, Campeonatos da Terceira e Segunda Divisões, chegando a ser o setorista do América, dos quatro grandes do Rio, Seleção Brasileira. Cobri os Jogos Pan-Americanos do Rio 2007, Eliminatórias, entre outros. Também fui colunista no JS, tinha um Blog no JS. Sou Benemérito do Bonsucesso Futebol Clube. Também sou vetorizador, pesquisador e historiador do futebol brasileiro! E-mail para contato: sergiomellojornalismo@msn.com Facebook: https://www.facebook.com/SergioMello.RJ

4 pensou em “Caramuru Esporte Clube – Castro (PR): Doze participações no Estadual

  1. Sérgio Mello Autor do post

    Olá Camila, boa tarde.
    Me mande todo material que vc dispõe que agregarei na história do clube.
    Att.

  2. Camila Henrique

    Bom dia! Em nenhum momento eu vejo em documentários, postagens, algo que fale do Roberto Henrique, presidente do Caramuru, meu pai, falecido em 1990. Tenho a carteirinha de presidente do Caramuru até hoje. Nesse mesmo ano o time inteiro fez uma homenagem pra ele no seu funeral, pois o mesmo lutou para que o time estivesse na posição em que deixou. Arquivos, fotos e tudo mais, sumiram, mas isso nem vem ao caso, fico muito triste, pois quando falam em Caramuru poucos mencionam o nome dele, dá para contar nos dedos quem lembra dele. Fizeram a reinauguração do estádio e com o perdão da palavra, cagaram pra nós, porque ficamos sabendo só depois, vimos em fotos. Um homem íntegro, que lutou praticamente sozinho pelo Caramuru ser esquecido assim… Quando mencionado acima, em 1993, quando volta a disputar na elite estadual, foi graças à ele, mas creio eu que só os jogadores lembram disso, porque a história faz questão de esquecer.

  3. Sérgio Mello Autor do post

    Olá Antônio, bom dia!
    O material que disponho sobre a agremiação foi toda postada. Não tenho as escalações. Para tal precisaria pesquisar novamente. Rs
    Att.

  4. Antonio Bohatch

    Olá Sérgio Mello.
    Caso disponha da escalação do Caramuru na década de 1950 e 1960, solicitaria o obséquio de enviar-me. Fico imensamente grato.
    Desde a década de 1950 fui torcedor do grande Caramuru Esporte Clube da cidade de Castro, conhecida como “A Capital do leite”. Conheço dois dos integrantes do “Leão do Iapó”, como era conhecido o Caramuru: Newton Bartolomeu dos Santos, centro campista com magnífico preparo físico e técnico, e o Menarim alto, magro e que jogava muito bem na defesa. Com o Newton Santos fomos colegas do Curso de Agronomia da U.F.PR, formados em 1965. Até hoje temos boa amizade. Reside atualmente em Campinas, SP. O Menarim formou-se em Veterinária também na U.F.PR em 1962. Boas lembranças dos bons tempos de acadêmico do curso de Agronomia. Newton Santos e Menarim, além de vários outros colegas defendiam os Cursos de Agronomia e Veterinária nos campeonatos universitários de então.
    Caso
    Minha mãe Martha Pauliv Bohatch nasceu em 22 de abril de 1917, dois dias depois da fundação do “Leão do Iapó” como era conhecido. Meu também falecido pai, viveu durante muitos anos em Castro onde conheceu minha mãe, Meu pai, Waldomiro Bohatch militar do Exército Brasileiro, tendo assentado praça no 5º Esquadrão de Cavalaria Mecanizada, na década de 1930 tendo sido transferido após para Curitiba.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.