História do Futebol: cidade de Nova Friburgo (RJ)

Bandeira da cidade de Nova Friburgo (RJ)

Foi no decorrer do século XIX que os ingleses começaram a normatizar as disputas por um objeto redondo, começando a transformar o que era um simples jogo em esporte, submetido a regras universais.

O que fazer com a bola? Na Rugby School, os jogadores carregavam-na com as mãos, rumo ao adversário, e daí nasceu o rugby, em 1846; já na Eton, eram os pés que deviam controlá-la, fazendo o dribbling, e do chute na bola surgiria o football.

Em 1863, surge a association football, passando os clubes a se submeterem às regras comuns e a uma entidade dirigente, a Football Association. Por fim, fundada em 1904, a fundação da FIFA (Federal International Football Association), profissionaliza esse esporte.

Os ingleses, além dos tecidos e das estradas de ferro que exportavam para alguns países, levam no pacote o futebol. No século XIX, tinham grande influência sobre o Brasil, fruto de séculos de colonialismo sobre Portugal e, por isso, esse esporte logo ganhou adeptos entre os brasileiros da elite.

Nas resenhas esportivas dos jornais, a terminologia era inglesa: sport, team, match, corner, scratchman, placard, club. Ganhando legitimidade social, passou a suplantar o turfe e o ciclismo. Mas a bola de futebol caiu igualmente nos pés das camadas populares. Embora não fizessem parte dos seletos clubes ou freqüentassem colégios privados, o futebol é praticado nos terrenos baldios pela arraia miúda.

Desconhecendo ainda as regras estritas desse novo esporte, nasce o “pega” entre os populares, com chutes fortes, pontapés, corridas loucas atrás da bola, uma verdadeira “pelada”. O jornal A Paz, de 1913, noticiou o 1º clube de futebol em Nova Friburgo: Friburgo Football Club, formado por rapazes da elite da cidade.

Conquista a classe popular e no ano seguinte é criado o Esperança Futebol Clube, formado por operários da cidade. Em 1925, surge o Clube Sírio-Libanês, patrocinado pela colônia de libaneses. Surgem divergências dentro Friburgo Football Club e os dissidentes formam em 1921, o Fluminense Atlético Clube. Serão estas quatro equipes que irão formar a Liga Friburguense de Desportos, fomentando os campeonatos na cidade.

O futebol se dissemina em Nova Friburgo e começam a surgir os times de bairro, da Segunda Divisão da cidade:

Esporte Clube de Santa Luiza (Cônego);

Esporte Clube São Pedro (Duas Pedras);

Amparo Futebol Clube;

Futebol Clube Conselheiro Paulino;

Serrano Futebol Clube (Olaria);

Esporte Clube Vilage;

Esporte Clube Saudade;

Esporte Clube Filó (fundado em 1940);

Flamenguinho;

América Futebol Clube, alguns com existência efêmera, a exemplo do Esporte Clube Brasil, que durou apenas nove meses. O que mantinha estes clubes era o mecenato, a exemplo das famílias Guinle, Sertã e Spinelli.

Por exemplo, César Guinle doou a área onde é hoje o campo do Friburguense Atlético Clube, homenageando seu pai, Eduardo Guinle, com o nome do estádio. O então prefeito César Guinle doou tanto propriedades particulares como áreas pertencentes à municipalidade para diversos clubes.

A família Sertã doou o terreno do atual estádio do Nova Friburgo Futebol Clube. Nessa época, os jogadores não recebiam remuneração, no máximo o “bicho”, um prêmio obtido pelos clubes com a renda dos jogos. Quando se desejava contratar um bom jogador, um “cobra”, oferecia-lhe um bom emprego e trazia-o para o time do ofertante.

O futebol, sempre depois da missa de domingo, era a forma de sociabilidade de homens, mulheres e crianças. Ângelo Ruiz nos informa que “os rapazes da cidade logo abraçaram o futebol, pois já estavam fartos de pic-nics, bailes, namoros melosos e outros passatempos da época.

Em 1979, o futebol em Nova Friburgo se profissionaliza. Promove a fusão do Fluminense com o Serrano e torna-se o Friburguense Atlético Clube. No entanto, a profissionalização extingue os demais clubes de futebol, pois os campeonatos da cidade ficam desarticulados.

O Friburgo Futebol Clube, o “primo rico do futebol friburguense”, se fundiu com o Esperança dando origem ao Nova Friburgo Futebol Clube, em 16 de setembro de 1979. Este clube conta atualmente com um expressivo patrimônio.

Porém, o seu maior dote, o time de futebol, não existe mais. Até 1950, o futebol de Nova Friburgo foi cercado de tensões entre classes sociais e étnicas.

Quando o Friburgo Futebol Clube passou a aceitar membros das classes populares e negros, um grupo se desligou do clube e fundou o Fluminense Futebol Clube. Mas o preconceito racial era um fenômeno nacional.

Em 1907, a Liga Metropolitana de Sports Atléticos, do Rio de Janeiro, enviou aos seus associados um comunicado que informava que a sua diretoria, por unanimidade de votos, resolvera que não seriam registrados “como amadores nesta liga as pessoas de cor”.  Por esses fatos, percebe-se que nem sempre havia fairplay no futebol brasileiro.

FONTE: Janaína Botelho é professora de História do Direito na Universidade Candido Mendes e autora de diversos livros sobre a história de Nova Friburgo

http://acervo.avozdaserra.com.br/colunas/historia-e-memoria/a-historia-do-futebol-em-nova-friburgo

Compartilhe...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *