Santos Atlético Clube – São Gonçalo (RJ): O esquecido campeão Citadino de 1968

O Santos Atlético Clube foi uma agremiação da cidade São Gonçalo (RJ). “O Alvinegro Gonçalense” foi Fundado na quinta-feira, no dia 27 de Junho de 1963, Rua Cel. Moreira César, nº 7, no Centro de São Gonçalo (RJ). O 1º Presidente foi o Sr. Herlon Leigb Pinto.

A festa de fundação aconteceu no sábado, do dia 29 de junho, na Avenida Lima (ao lado do campo do Tamoio Futebol Clube), no Centro de São Gonçalo. Posteriormente, o clube fixou a sua Sede no bairro de Porto da Pedra.  

Título inédito regado à polêmica

A grande e a maior polêmica da história do Santos aconteceu no ano de 1968. Na sua sexta participação no Campeonato Citadino de São Gonçalo, organizado pela Liga Gonçalense de Desportos (LGD), o clube chegou na penúltima rodada do certamente com dois pontos de vantagem em relação ao Clube Esportivo Mauá

E, para apimentar a penúltima partida seriam entre os dois candidatos ao título. Dessa forma a situação era:

Caso o Santos fosse o vencedor, abriria quatro pontos de vantagem e se sagraria campeão! Mas se o Mauá conquistasse a vitória, igualaria em número de pontos e deixaria a definição do título para a última rodada.

dentro de campo, o Mauá venceu por 2 a 0. No entanto, a diretoria cometeu um deslize e escalou um jogador que estava suspenso. No dia seguinte o Santos já entrou pedindo os pontos na junta disciplinar esportiva. O Mauá resolveu “melar” o campeonato e antecipou as obras que faria em seu estádio, deixando o campeonato sem campo para a última rodada (isso mesmo: o estádio do Mauá era o único disponível).

O Santos ganhou os pontos, o Mauá recorreu na CBD, e só em 1970 o assunto foi encerrado e o Santos Atlético Clube pode gritar, enfim, ‘Campeão‘. Lembrando que em razão dessa polêmica a última rodada do Campeonato Gonçalense de 1968, que não alteraria mais nada, jamais aconteceu.

Goleada e base da Seleção de São Gonçalo

Realizado no dia 17 de Julho de 1968

Posteriormente, o Santos realizou diversos jogos amistosos, como a excursão até Macaé, para encarar o Americano local. No domingo, do dia 21 de julho de 1968, goleou por 5 a 0. Os gols foram assinalados por Géo e Pinto (duas vezes cada) e Mário Lúcio. Santos: Américo; Pelé, Oberdan, Paulinho e Icê; Mazinho e Anísio; Mario Lúcio, Colored, Pinto e Gêo.

Vivendo uma grande fase, o Santos cedeu sete jogadores para a Seleção Gonçalense, do técnico Dilon, que enfrentaria a Seleção de Itaboraí, no domingo, do dia 28 de julho de 1968.   

No domingo, do dia 11 de Agosto de 1968, quando venceu o Fortaleza de São Gonçalo pelo placar de 1 a 0, no campo do Mauá. O gol saiu na fase final, por intermédio de Wilson, que entrara na vaga de Eduardo. O árbitro da partida foi Nilton Viana de Abreu.

Santos: Oton; Icê, Oberdan, José Maria e Paulinho; Mazinho e Colored; Cotô, Mario Lúcio, Gêo e Eduardo (Wilson). Fortaleza: Júlio; Carlinhos (Tião), Jorginho, Benê e Carlinhos II; Roldão e Antônio; Baba, Maurício, Cherret e Arnaldo.    

No dia 25 de Setembro de 1968

A década de 70, aconteceu o declínio da agremiação. Após três anos inativo, o Santos deu o seu último suspiro ao disputar o Campeonato Citadino de São Gonçalo em 1978.

  FONTES: O Fluminense (RJ) – Auriel de Almeida 

Compartilhe...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *