Centro Aviação Naval – Rio de Janeiro (RJ): Três participações no Torneio Aberto de Football de 1935, 1936 e 1937

O Centro Aviação Naval é uma agremiação militar da cidade do Rio de Janeiro (RJ). O esporte é um fenômeno consagrado e praticado no meio militar em todo o mundo como ferramenta de preparação do corpo, como forma de competição e lazer, além de elemento de projeção do poder e força das instituições.

No Brasil, apesar de algumas atividades esportivas já serem praticadas por militares desde o século XIX, foi somente em 1915 que as Forças Armadas, até então Marinha do Brasil (MB) e Exército Brasileiro (EB), passaram a desenvolver processos de normatização das participações de seus integrantes na prática esportiva e organização de competições entre as Forças e com equipes civis.

Esta regulamentação se concretizou a partir da criação de duas entidades: Liga Militar de Football e Liga de Sports da Marinha. Este trabalho, utilizando as abordagens da História Comparada e o método de análise crítica de documentos, discute o processo de fundação das ligas esportivas
militares e suas principais preocupações e áreas de atuação nos anos iniciais de atividade (1915-1920).

A Liga Militar de Football, dedicou-se ao desenvolvimento da
modalidade que dava nome à entidade uma vez que muitos de seus integrantes já praticavam o futebol em meio civil desde o início do século XX. No entanto, nas competições entre Forças organizadas no período de análise registrou-se a participação do Exército em outras modalidades esportivas.

Já a Liga de Sports da Marinha iniciou suas atividades já contemplando
competições em diferentes esportes como Futebol, Remo, Vela, Water Polo e Natação. As duas ligas apresentavam configurações de organização similares com o corpo diretivo composto basicamente por oficiais, ficando as camadas hierárquicas mais baixas fora das ações decisivas e com possibilidade apenas de participação nas competições. A hierarquia era determinante na organização destas entidades e definia os espaços esportivos de atuação, já que pelas normativas internas indivíduos de diferentes círculos hierárquicos não poderiam participar de uma mesma competição.

Surge o Centro Aviação Naval

No meio desse crescimento, os ‘Marujos’ foi Fundado na quarta-feira, do dia 23 de Agosto de 1916. A sua Sede ficava na Base Militar da Ponta do Galeão, na Ilha do Governador. Entre os anos 20 e 30, surgiram “sucursais” do Centro Aviação Naval: Savoia 55, Galeão Club e Asas Athletico Club.

Todos com direito a constituição de diretorias, estatutos, treinamentos, jogos, excursões, etc. A partir daí, o Centro Aviação Naval montava a sua “seleção” desses clubes além dos demais soldados, lembrando que muitos jogadores serviam as forças armadas o que qualificava essas equipes.

A equipe participava dos campeonatos organizados pela Liga de Sports da Marinha (LSM).

Alguns amistosos registrados na imprensa carioca:

Domingo, dia 12 de Julho de 1931 – Aviação Naval 4 x 2 Encouraçado São Paulo, Estrada do Norte;

Quinta-feira, dia 02 de Junho de 1932 – Aviação Naval 0 x 1 Edison Athletico Club, Estrada do Norte;

Domingo, dia 07  de Outubro de 1934 – Sport Club Pracamby  1 x 2 Aviação Naval, em Paracambi.

Na esfera profissional, o Aviação Naval participou do Torneio Aberto de Football de 1935, 1936 e 1937, organizado pela Liga Carioca de Football (LCF). No sábado do dia 30 de julho de 1938, o Centro Aviação Naval realizou a sua primeira partida internacional.

O adversário foi o Exeter (formado por marinheiros ingleses), no Estádio Campos Sales, no Bairro da Tijuca, na Zona Norte do Rio. No final, melhor para os majuros brasileiros que venceram os ingleses pelo placar de 3 a 1.

 

Time de 1932: Francisco; André e Oswaldo; Moyses, Oscar e Ferreira; Raymundo, Mendonça, Daniel, Nunes e Humberto.

Time de 1936: Portugal; Osmar e Ribeiro; Veiga, Appolinario e Lima; Rocha, Fraga, Benedicto, Aldo e Ruy (Mendonça).

FONTES: Relatórios do Ministério da Marinha (RJ) – A Offensiva (RJ) – Jornal dos Sports – Centro Sportivo Virtual – Revista Fon Fon – Revista Sport Ilustrado

Deixe uma resposta