Inédito!! Nordeste Athletico Club – Maceió (AL): Bicampeão do Torneio Início e três vezes vice-campeão Estadual

O Nordeste Athletico Club foi uma agremiação da cidade de Maceió (AL). Fundado na sexta-feira, do dia 15 de Janeiro de 1932, por funcionários da CFLNB (Companhia de Força e Luz Nordeste do Brasil), com o nome de Força e Luz Atlético Clube. Posteriormente, a sua nomenclatura foi alterada para Nordeste Athletico Club.

A Sede ficava localizada no edifício da empresa: Rua do Comércio, 115/ 121, no Centro de Maceió. Pode-se dizer que o Noroeste foi um modelo embrionário do “clube-empresa”, afinal contava com um grande apoio financeiro da Companhia. Fato esse, que acabou ajudando para o desenvolvimento do futebol em Maceió.

Dentro das quatro linhas, o Nordeste participou de nove edições do Campeonato Alagoano da 1ª Divisão:  1933, 1934, 1935, 1936, 1937, 1938, 1939, 1940 e 1941. O clube teve grandes momentos no futebol alagoano, como os dois títulos conquistados no Torneio Início: 1934 e 1938. Além de ter ficado com o vice-campeonato em três oportunidades: 1933, 1936 e 1937.

Dentre alguns resultados expressivos, teve a goleada em cima do CSA, na terça-feira, do dia 9 de novembro de 1937, pelo elástico placar de 9 a 3, no Campo da Avenida Mutange. A competição era válida pelo Campeonato Alagoano da 1ª Divisão, organizado pela Federação Alagoana de Desportos (FAD).

Ao longo destes anos em que disputou o Campeonato Alagoano, foram 79 partidas, com 29 vitórias, 15 empates e 35 derrotas; marcando 156 gols, sofrendo 194 tentos, com um saldo negativo de 38.

O final da década de 30 e início de 40, foi terrível. Fazendo uma analogia com a empresa que patrocinava, a agremiação sofreu um blecaute. O primeiro golpe, foi ver seus principais jogadores se transferindo para CRB e CSA. Depois o número de sócios que foi diminuindo drasticamente. Dessa forma, após o final do Campeonato Alagoano da 1ª Divisão de 1941, o Nordeste Athletico Club pediu licença a Federação Alagoana e depois fechou às portas em definitivo.

Alguns jogadores do Nordeste, identificado por Lauthenay Perdigão.

EM PÉ (esquerda para a direita): o diretor Daniel (diretor), Otávio, Mariz, Murilo, o homem de chapéu (outro diretor do clube não identificado), Luiz Gomes, um jogador não identificado, a madrinha do time, Anízio, Andrade, Otacílio Maia (presidente da CEA, hoje FAF), Waldemar Buarque (diretor).

AGACHADOS (esquerda para a direita): Pavão, Vital, Badica e Paulo.

FONTES: Rsssf Brasil – Lauthenay Perdigão – Diário de Pernambuco

Este post foi publicado em 01. Sérgio Mello, Alagoas, Carências, Curiosidades, Escudos, Fotos Históricas, História do Futebol em por .

Sobre Sergio Mello

Sou jornalista, trabalho no Jornal dos Sports (atual ‘RJ Sports’), aqui no Rio de Janeiro/RJ, desde 2005. Anteriormente, trabalhei na Rádio Record e Jornal O Fluminense, de Niterói. No jornal já fiz o esporte amador, passando pelo futebol de base, Campeonatos da Terceira e Segunda Divisões, chegando a ser o setorista dos quatro grandes do Rio, Seleção Brasileira. Cobri os Jogos Pan-Americanos do Rio 2007, Eliminatórias, entre outros. Atualmente, tenho cerca de 3 mil matérias assinadas, e cubro o Flamengo e ainda faço a página dos pequenos. Também sou Benemérito do Bonsucesso Futebol Clube. E-mail para contato: sergiomellojornalismo@msn.com Facebook: https://www.facebook.com/SergioMello.RJ

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *