Grêmio Esportivo Fábrica da Estrêla – Raiz da Serra, atualmente em Magé (RJ): Existiu entre 1954 a 1976

O Grêmio Esportivo Fábrica da Estrêla foi uma agremiação do Município de Magé (RJ). A sua Sede e o Estádio ficavam Avenida Automóvel Clube, s/n, na Vila Inhomirim, em Raiz da Serra (atualmente em Magé). Infelizmente, nos dias atuais a sede está abandonada.

Como acontecem com diversas equipes oriundas de fábricas, a data escolhida para o seu surgimento aconteceu no Dia do Trabalhador. Para ser mais exato: Fundado no sábado, do dia 1º de Maio de 1954, por funcionários da Fábrica Estrêla (atual IMBEL: Indústria de Material Bélico do Brasil). O seu 1º Presidente foi o Major Pires Ferreira.

Nos seus dois primeiros anos de vida, a vida futebolística era simples. Trabalho na Fábrica Estrêla entre a manhã e a tarde. Ao final, os homens iam para o campo jogar. Nos finais de semana, faziam jogos com equipes da região.

Ingressou no Campeonato Citadino de Magé

Em 1955, o Grêmio Esportivo Fábrica da Estrêla debutou no Campeonato Mageense de Futebol, que contavam com o Bonfim (campeão daquele ano), Central (vice-campeão do Torneio Início), Mageense, Vila Atlético Clube, Andorinhas, Piabetá e Guarany.

Buscando intensificar os treinos e melhorar o nível dos seus jogadores, a Fábrica da Estrêla convidam clubes da cidade do Rio de Janeiro, onde pagavam o transporte. Essa estratégia atraíram diversas agremiações. Os resultados foram satisfatórios:

Domingo, no dia 15 de Abril de 1956: GE Fábrica da Estrêla 3 x 2 E.C. Lisboa, de Jacarepaguá;

Domingo, no dia

1º de Maio de 1956: Esporte Clube Cocotá  1 x 3 GE Fábrica da Estrêla (jogo realizado na Ilga do Governador);

Domingo, no dia 08 de Maio de 1956: GE Fábrica da Estrêla 5 x 2 Bola Branca;

Domingo, no dia 18 de Novembro de 1956: GE Fábrica da Estrêla 2 x 3 Sporting Clube, de Copacabana.

 

Em 1957, Fábrica Estrêla goleou Internacional por 9 a 1

No domingo, do dia 24 de Março, de 1957, nos seus domínios, o GE Fábrica da Estrêla mostrou o arsenal. O vítima não era “um cachorro morto“, mas sim o vice-campeão de Petrópolis: Sport Cub Internacional, que foi atropelado pelo impressionante placar de 9 a 0. O time atuou assim: Celso; Olio e Gago; Edgar, Canduca e Angra; Toninho, Nelsinho, Luiz, Emidio e Leal.

 

G.E. Fábrica Estrêla é vice-campeão da 3ª Zona do Campeonato Fluminense de 1957

Na Terça-feira, 26 de fevereiro de 1957, se filiou a Federação Fluminense de Desportos (FFD), a fim de disputar na esfera profissional. O fato curioso é que o clube deveria ter ingressado na 4ª Zona, contudo os clubes de Niterói vetaram, obrigando que a FFD colocasse o GE Fábrica Estrêla na Terceira Zona.

A principio, a 3ª Zona do Campeonato Fluminense de 1957 seria composto por seis equipes:

Fazenda Futebol Clube (São João de Meriti);

Nacional Futebol Clube (Duque de Caxias);

São Pedro Futebol Clube (São João de Meriti);

Nova Cidade (Nilópolis);

Brasil Industrial (Paracambi).

 

No entanto, algumas semanas antes do início da competição, o Nova Cidade, de Nilópolis e o Brasil Industrial, de Paracambi acabaram desistindo. Desta forma, o 1º Turno da 3ª Zona do Campeonato Fluminense de 1957 ficou definida assim:

Dia 09/06/57 – Fazenda x Nacional – São João de Meriti;

Dia 09/06/57 – Estrêla x São Pedro – Vila Inhomirim;

Dia 16/06/57 – Estrêla x Fazenda – Vila Inhomirim;

Dia 16/06/57 – Nacional x São Pedro – Caxias;

Dia 23/06/57 – São Pedro x Fazenda – São João de Meriti;

Dia 23/06/57 – Nacional x Estrêla – Caxias;

No terceiro jogo, para definir o campeão, no domingo, 08 de Setembro de 1957, o GE Fábrica Estrêla empatou em 1 a 1 com o Nacional, no Campo do São Pedro, em São João de Meriti. Eduardo, contra, para o Nacional; enquanto Emidio marcou para o Estrêla. Osvaldo Maio foi o árbitro da peleja.

No domingo, do dia 1º de Dezembro, de 1957, o Campeonato Fluminense, organizado pela Federação Fluminense de Desportos, da Terceira Zona, o Nacional de Duque de Caxias, levou a melhor, na série melhor de três, diante do seu maior rival: Grêmio Esportivo Fábrica da Estrêla (campeão do Primeiro Turno).

Clube muda de nome

Na sexta-feira, do dia 17 de Setembro de 1976, o clube mudou o nome para Grêmio Esportivo Estrêla. Depois, se filiou a Liga Petropolitana. No entanto, em 1978, o clube retornou a disputar o Campeonato Mageense de Futebol.

 

Time de 1956: Celso; Geyer (Gil) e Getúlio; João (Hélcio), Canduca e Tonho; Luiz, Moinha, Diquinha, Emidio (Neca) e Ílio (Rime).     

 Time de 1957: Celso (Nelson); Olio (Onofre) e Gago (Eduardo); Edgar (Darcy), Canduca (Giffoni) e Angra (Hélcio); Toninho (Manoel), Nelsinho (Zeca),  Luiz (Geir), Emidio e Leal (Walter).     

 Time de 1958: Celso; Eduardo, Gago e Darcy; Jorge e Hélcio; Rebolo, Antoninho, Chagas, Giffoni e Geir. Técnico: Tenente Soares. Diretor de Esportes: Zeca.

 

FONTES: Diário da Noite – Jornal dos Sports – A Luta Democrática – Diário de Notícias – O Fluminense

Este post foi publicado em 01. Sérgio Mello, Curiosidades, Escudos, Fotos Históricas, História do Futebol, Rio de Janeiro, Rio de Janeiro (antigo Estado do RJ) em por .

Sobre Sergio Mello

Sou jornalista, trabalho no Jornal dos Sports (atual ‘RJ Sports’), aqui no Rio de Janeiro/RJ, desde 2005. Anteriormente, trabalhei na Rádio Record e Jornal O Fluminense, de Niterói. No jornal já fiz o esporte amador, passando pelo futebol de base, Campeonatos da Terceira e Segunda Divisões, chegando a ser o setorista dos quatro grandes do Rio, Seleção Brasileira. Cobri os Jogos Pan-Americanos do Rio 2007, Eliminatórias, entre outros. Atualmente, tenho cerca de 3 mil matérias assinadas, e cubro o Flamengo e ainda faço a página dos pequenos. Também sou Benemérito do Bonsucesso Futebol Clube. E-mail para contato: sergiomellojornalismo@msn.com Facebook: https://www.facebook.com/SergioMello.RJ

2 pensou em “Grêmio Esportivo Fábrica da Estrêla – Raiz da Serra, atualmente em Magé (RJ): Existiu entre 1954 a 1976

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *