Arquivo da categoria: História do Futebol

Fotos Raras: Esporte Clube Comercial – Campo Grande (MS), Campeão estadual de 1975

EM PÉ (esquerda para a direita): Aranha, Higino Gamarra, Nandes, Henrique Pereira, Diogo e Jorge Carraro;
AGACHADOS (esquerda para a direita): Copeu, Dante, Bife, Golê e Carlinhos.
O treinador era José Carlos Bauer
EM PÉ (esquerda para a direita): Aranha, Waldir, Higino Gamarra, Henrique Pereira, Lulinha e Diogo;
AGACHADOS (esquerda para a direita): Zezé, Dante, Bife, Golê e Corisco.
O treinador era José Carlos Bauer

EM PÉ (esquerda para a direita): Aranha, Lulinha, Higino Gamarra, Henrique Pereira, Diogo e Jorge Carraro;
AGACHADOS (esquerda para a direita): Carlinhos, Juarez, Dante, Golê e Tonico.
O treinador era José Carlos Bauer

FOTOS: Acervos José Leôncio Carvalho – José Pupula da Silva – Elton da Costa Pinto

Taça Paraná de 1972: C.E.S. União Medianeirense – Medianeira (PR) foi campeão!

Campeão de 1972

A principal competição do futebol amador do estado do Paraná é a Taça Paraná, organizado pela Superintendência da Federação Paranaense de Futebol (FPF), cujo responsável era Hugo Webr.

A edição de 1972, que contou com a participação de 32 equipes, foi realizado entre o domingo, às 15 horas, do dia 1º de Outubro de 1972 ao domingo, do dia 14 de Janeiro de 1973.

As 32 equipes foram distribuídas em oito grupos, com quatro times cada, onde se enfrentaram em turno e returno, dentro das suas chaves. Apenas o campeão de cada chave, avançou para as Quartas de Final, em jogos de ida e volta.

Se as equipes estiverem empatadas nos critérios de desempate, a decisão terá prorrogação de meia hora (15 minutos cada tempo). Se persistir o empate, será no saldo de gols, persistindo a igualdade o vencedor será definido na decisão por pênaltis.

Taças em disputa

O campeão recebeu o Troféu Presidente Jofre Cabral e Silva; enquanto o vice-campeão ficou com o Troféu Acelino Grande; por fim, a equipe mais disciplinada da competição ficaria com o Troféu Disciplina

A primeira fase contou com a participação de 32 equipes, divididas em oito grupos com quatro times cada.

Grupo I
Aquidaban Futebol Clube (Nova Esperança) Associação Esportiva Floraí (Floraí) Clube Atlético Loandense (Loanda) São Carlos Futebol Clube (São Carlos do Ivaí)

1ª Rodada (1º/10/72)

CA Loandense0X0São Carlos FCLoanda
Aquidaban FC5X2AE FloraíNova Esperança

2ª Rodada (08/10/72)

Aquidaban FCXCA LoandenseNova Esperança
São Carlos FC1X1AE FloraíParanavaí

3ª Rodada (15/10/72)

CA Loandense3X0AE FloraíLoanda
São Carlos FC2X1Aquidaban FCSão Carlos do Ivaí

4ª Rodada (22/10/72)

São Carlos FCXCA LoandenseSão Carlos do Ivaí
AE FloraíXAquidaban FCFloraí

5ª Rodada (08/10/72)

CA LoandenseXAquidaban FCLoanda
AE FloraíXSão Carlos FCFloraí

6ª Rodada (15/10/72)

AE Floraí0X6CA LoandenseFloraí
Aquidaban FCWOXSão Carlos FCNova Esperança
Grupo II
Esporte Clube São João (Jandaia do Sul)        DER  de Futebol e Regatas (Campo Mourão) Sociedade Esportiva Corinthians (Londrina) Sociedade Esportiva Recreativa Sabaudia (Astorga)

1ª Rodada (1º/10/72)

SE Corinthians1X0EC São JoãoLondrina
DER FCXSER SabaudiaCampo Mourão

2ª Rodada (08/10/72)

EC São João1X0DER FCJandaia do Sul
SER SabaudiaXSE CorinthiansAstorga

3ª Rodada (15/10/72)

SE Corinthians3X1DER FCLondrina
EC São João2X2SER SabaudiaJandaia do Sul

4ª Rodada (22/10/72)

EC São JoãoXSE CorinthiansJandaia do Sul
SER SabaudiaXDER FCAstorga

5ª Rodada (29/10/72)

DER FC1X0EC São JoãoCampo Mourão
SE CorinthiansXSER SabaudiaLondrina

6ª Rodada (05/11/72)

DER FC2X0SE CorinthiansCampo Mourão
SER Sabaudia3X0EC São JoãoAstorga
Grupo III
Associação Esportiva Santa Mariana (Santa Mariana) Clube Esportivo Agroceres (Jacarezinho) Esporte Clube Santa Rita (Planaltina) Mitacunhá Esporte Clube (Rolândia)

1ª Rodada (1º/10/72)

Mitacunhá EC2X2AE Santa MarianaRolândia
CE Agroceres3X2EC Santa RitaJacarezinho

2ª Rodada (08/10/72)

EC Santa RitaXMitacunhá ECPlanaltina
CE AgroceresXAE Santa MarianaJacarezinho

3ª Rodada (15/10/72)

Mitacunhá EC2X2CE AgroceresRolândia
AE Santa Mariana7X0EC Santa RitaSanta Mariana

4ª Rodada (22/10/72)

AE Santa MarianaXMitacunhá ECSanta Mariana
EC Santa RitaXCE AgroceresPlanaltina

5ª Rodada (29/10/72)

Mitacunhá ECXEC Santa RitaRolândia
AE Santa MarianaXCE AgroceresSanta Mariana

6ª Rodada (05/11/72)

CE Agroceres1X3Mitacunhá ECJacarezinho
EC Santa Rita1X3AE Santa MarianaPlanaltina
Grupo IV
DER Atlético Clube (Piraí do Sul) Guarani Esporte Clube (Arapoti/Castro) Guarani Esporte Clube (Irati) Monofill Esporte Clube (Ponta Grossa)

1ª Rodada (1º/10/72)

Guarani de Irati1X1DER ACIrati
Guarani de Arapoti2X1Monofill ECArapoti

2ª Rodada (08/10/72)

Guarani de Arapoti2X0Guarani de IratiArapoti
DER ACXMonofill ECPiraí do Sul

3ª Rodada (15/10/72)

Guarani de ArapotiXMonofill ECArapoti
DER ACXGuarani de IratiPiraí do Sul

4ª Rodada (22/10/72)

Monofill ECXDER ACPonta Grossa
Guarani de IratiXGuarani de ArapotiIrati

5ª Rodada (29/10/72)

Monofill ECXGuarani de ArapotiPonta Grossa
DER ACXGuarani de IratiPiraí do Sul

6ª Rodada (05/11/72)

Guarani de Irati6X1DER ACIrati
Monofill EC6X1Guarani de ArapotiPonta Grossa
Grupo V
Associação Atlética 31 de Outubro (Morretes) Clube Atlético Seleto (Paranaguá) Fanático Futebol Clube (Campo Largo) SOBE Iguaçu (Curitiba)

1ª Rodada (1º/10/72)

AA 31 de Outubro1X2Fanático FCMorretes
SOBE Iguaçu3X3CA SeletoCuritiba

2ª Rodada (08/10/72)

Fanático FC0X1SOBE IguaçuCampo Largo
CA Seleto5X1AA 31 de OutubroParanaguá

3ª Rodada (15/10/72)

AA 31 de Outubro2X0SOBE IguaçuMorretes
Fanático FC6X2CA SeletoCampo Largo

4ª Rodada (22/10/72)

SOBE IguaçuXFanático FCCuritiba
AA 31 de Outubro3X1CA SeletoMorretes

5ª Rodada (29/10/72)

Fanático FCXAA 31 de OutubroCampo Largo
CA SeletoXSOBE IguaçuParanaguá

6ª Rodada (04-05/11/72)

SOBE Iguaçu6X0AA 31 de OutubroCuritiba
CA Seleto1X1Fanático FCParanaguá
Grupo VI
Sociedade Esportiva Recreativa Almirante Tamandaré (Almirante Tamandaré) Trieste Futebol Clube (Curitiba) Clube Atlético Sãomateuense (São Mateus do Sul/ União da Vitória) São Bernardo Futebol Clube (União da Vitória)

1ª Rodada (1º/10/72)

Sãomateuense0X0São Bernardo FCSão Mateus do Sul
SER Almirante Tamandaré2X1Trieste FCAlm. Tamandaré

2ª Rodada (07/10/72)

São Bernardo FC1X0SER Almirante TamandaréUnião da Vitória
Trieste FC2X1SãomateuenseCuritiba

3ª Rodada (14/10/72)

Sãomateuense1X0SER Almirante TamandaréSão Mateus do Sul
Trieste FC2X0São Bernardo FCCuritiba

4ª Rodada (22/10/72)

SER Almirante TamandaréXSão Bernardo FCPilarzinho – Curitiba
SãomateuenseXTrieste FCSão Mateus do Sul

5ª Rodada (29/10/72)

São Bernardo FCXSãomateuenseUnião da Vitória
Trieste FCXSER Almirante TamandaréCuritiba

6ª Rodada (04 e 05/11/72)

São Bernardo FC4X0Trieste FCUnião da Vitória
SER Almirante TamandaréXSãomateuensePilarzinho – Curitiba
Grupo VII
Clube Esportivo Entre Rios (Guarapuava) Clube Esportivo União (Francisco Beltrão) Comercial Esportivo Recreativo Cultural (Laranjeira do Sul) Esporte Clube Itapejara (Pato Branco)

1ª Rodada (1º/10/72)

CE Entre Rios1X1CE UniãoGuarapuava
Itapejara4X0Comercial ERCPato Branco

2ª Rodada (08/10/72)

CE União0X0ItapejaraFrancisco Beltrão
Comercial ERC4X0CE Entre RiosLaranjeira do Sul

3ª Rodada (15/10/72)

CE Entre Rios0X3ItapejaraGuarapuava
CE União1X0Comercial ERCFrancisco Beltrão

4ª Rodada (1º/10/72)

CE UniãoXCE Entre RiosFrancisco Beltrão
Comercial ERCXItapejaraLaranjeira do Sul

5ª Rodada (1º/10/72)

ItapejaraXCE UniãoPato Branco
CE Entre RiosXComercial ERCGuarapuava

6ª Rodada (15/10/72)

Itapejara0X1CE Entre RiosPato Branco
Comercial ERC1X2CE UniãoLaranjeira do Sul
Grupo VIII
Clube Esportivo Social União Medianeirense (Medianeira) Juventude Esporte Clube (Cascavel) Mariluz Atlético Clube (Mariluz) Sociedade Esportiva Aliança (Palotina)

1ª Rodada (1º/10/72)

União Medianeirense3X1SE AliançaMedianeira
Juventude EC1X0Mariluz ACCascavel

2ª Rodada (08/10/72)

SE AliançaXJuventude ECPalotina
Mariluz ACXUnião MedianeirenseMedianeira

3ª Rodada (15/10/72)

Juventude EC1X2União MedianeirenseCascavel
Mariluz AC4X1SE AliançaMariluz

4ª Rodada (22/10/72)

Juventude ECXSE AliançaCascavel
União MedianeirenseXMariluz ACMedianeira

5ª Rodada (29/10/72)

Mariluz ACXJuventude ECMariluz
SE AliançaXUnião MedianeirensePalotina

6ª Rodada (05/11/72)

União MedianeirenseXJuventude ECMedianeira
SE AliançaXMariluz ACPalotina
Vice-campeão de 1972

QUARTAS DE FINAIS – Jogos de ida (19/11/72)

União MedianeirenseXItapejaraMedianeira
DER FCXCA LoandenseCampo Mourão
Monofill ECXAE Santa MarianaPonta Grossa
Fanático FC2X0Trieste FCCampo Largo

QUARTAS DE FINAIS – Jogos de volta (26/11/72)

Itapejara3X1União Medianeirense *Pato Branco
CA Loandense2X1DER FCLoanda
AE Santa Mariana4X2Monofill ECSanta Mariana
Trieste FC2X3Fanático FCCuritiba

* Prorrogação: União 1 a 0 Itapejara

SEMIFINAIS – Jogos de ida (10/12/72)

Fanático FC1X1União MedianeirenseCampo Largo
AE Santa Mariana5X1CA LoandenseSanta Mariana

SEMIFINAIS – Jogos da volta  (17/12/72)

União Medianeirense3X1Fanático FCMedianeira
CA Loandense *2X1AE Santa MarianaLoanda

* Prorrogação: Loandense venceu o Santa Mariana

FINAL – Jogos de ida (07/01/73)

CA Loandense2X1União MedianeirenseLoanda

FINAL – Jogos da volta  (14/01/73)

União Medianeirense*2 (1)X1 (1)CA LoandenseMedianeira

* Prorrogação: empate em 1 a 1. Nos pênaltis: União Medianeirense venceu o Loandense por 3 a 2.

União Medianeirense bate o Fanático e avança para a final

Público na grande final em Medianeira

No domingo, às 15 horas, do dia 10 de dezembro de 1972, aconteceu o jogo de ida da fase semifinal da Taça Paraná de 1972. No Campo Largo, o Fanático recebeu o União Medianeirense, mas acabou ficando no empate em 1 a 1.

O árbitro foi Célio Laudelino da Silva, auxiliado por Eloir Dias e Flavis S. Mendes. A Renda foi de Cr$ 1.518,00. Os gols só saíram no segundo tempo: Ruy abriu o placar para o União, enquanto Laurinho, de pênalti, deixou tudo igual.

Fanático: Nenon; Ari, Áureo, Pedroca e Algacir; Miltinho e Gerson; João Maria, Laurinho, Djair e Djalma.

União Medianeirense: Nadir; Somis, Murilo, Ivo Brod e Dard; Toninho e Nenê; Darolt, Ruy, Pedrinho, e Renê. Técnico: Gilmar Vencatto.

Uma semana depois, o União Medianeirense decidiu a vaga na final da Taça Paraná de 1972, nos seus domínios, diante do Fanático Futebol Clube (Campo Largo), no domingo, do dia 17 de dezembro de 1972.

O primeiro tempo, terminou com vantagem de 1 a 0 para CESUM: gol assinalado por Ruy. Na etapa final, Nenê ampliou para o União. O lateral Algacir diminuiu para o Fanático, mas Murilo, numa cobrança de falta magistral, deu o golpe de misericórdia, dando números finais: União Medianeirense venceu por 3 a 1, o Fanático de Campo Largo. O árbitro foi Plínio Duas (atuação regular), e a Renda foi Cr$ 7.860,00.

União Medianeirense: Nadir; Somis, Murilo, Ivo Brod e Dard; Toninho e Nenê; Darolt, Ruy, Wanderlei, e Renê. Técnico: Gilmar Vencatto.

Fanático: Nenon; Ari, Áureo, Pedroca e Algacir; Miltinho e Gerson; João Maria, Laurinho, Djair e Djalma.

DECISÃO DA TAÇA PARANÁ

No domingo, às 15 horas, do dia 07 de Janeiro de 1973, ocorreu o 1º jogo da grande final. E Loanda, o Clube Atlético Loandense fez valer o mando de campo, e venceu o Medianeirense por 2 a 1, saindo em vantagem.

Uma semana depois, no domingo, às 15 horas, do dia 14 de Janeiro de 1973, o União Medianeirense recebeu o Clube Atlético Loandense (Loanda), precisando reverter a vantagem do adversário, que jogava pelo simples empate para ficar com o título.

O Estádio Edgar Darolt, em Medianeira, estava completamente lotado, com cerca de 8 a 10 mil pessoas, transformando o palco num verdadeiro caldeirão! A partida foi uma gangorra de emoções. O União saiu na frente, mas os visitantes, com muito brio, alcançaram o empate. Mas na base da raça, o União voltou a ficar em vantagem, vencendo por 2 a 1, no tempo regulamentar.

Com a decisão foi para a prorrogação e as fortes emoções seguiram. Muitos jogadores desgastados sofriam com câimbras e jogaram além do limite. Nesse ritmo, o Loadense marcou um gol e fez o estádio ficar num profundo silêncio. Será que era o fim para o União?

Porém, a reação começou nas arquibancadas que voltaram a gritar e incentivar o Medianeirense. A energia dos torcedores deram um “gás extra” aos jogadores que partiram com tudo.

E numa narrativa hollywoodiana, restando três minutos para o fim da prorrogação, pênalti para o União! Somis assumiu a responsabilidade. Bateu forte, sem chances para Tica! Tudo igual!

A partir daí, os jogadores visitantes ficaram visivelmente abalados! Muito choro e partiram para cima do árbitro Plínio Duenas e dos seus auxiliares Pedro Salco e Leandro Facco. A polícia entrou em campo e conteve a fúria do Loandense.

A decisão foi definida nos pênaltis! O Loandense desperdiçou os três primeiros pênatis: Nadir defendeu a primeira batida, a segunda foi para fora e a terceira voltou a defender. Já o Medianeirense perdeu a primeira batida, mas no restante todos foram parar no fundo das redes!

No final, o União Medianeirense bateu por 3 a 2, se sagrando campeão de forma inédita, levando os torcedores ao delírio!  

União Medianeirense: Nadir; Somis, Murilo, Ivo Brod e Toninho; Darci e Nenê; Ruy, Renê, Ivo Darolt e Pedrinho. Técnico: Gilmar Vencatto.

Loandense: Tica; Durinho, Tião, Anísio e Amadeu; João e Tito (Chico); Zé Home, Dontato (Artista), Jair e Tonniho.

FONTE: Diário da Tarde (PR) – Diário do Paraná (PR)

Escudos inéditos, dos anos 50 e 70: Federação Acreana de Desportos (FAD) – Rio Branco (AC)

Uniforme de 1958

A Liga Acreana de Esportes Terrestres (LAET) foi uma agremiação da cidade de Rio Branco (AC). Foi Fundada em meados de 1921, pelos presidentes de quatro clubes: Luiz Mestrinho Filho, do Rio Branco Football Club; Cap. Manoel Germiniano de Amorim. do Militar Football Club; Domingos Mirão, do Ypiranga Sport Club; e pelo presidente do Acreano Sporting Club, Armindo Silva, sucessor do presidente fundador, Arnaldo Pinho.

A criação da LAET aconteceu no 1º ano de governo do Dr. Epaminondas Tito Jácome (Foi médico sanitarista, deputado provincial e, juntamente com José Plácido de Castro, participou da Revolução Acriana, em outubro de 1902, que culminou na nacionalização daquele território. Foi o 1º governador do território do Acre, de 1º de janeiro de 1921 a 22 de junho de 1922).

O intuito da liga era dirigir e difundir os desportos de caráter amadorista em todo o Território Federal do Acre, desporto este que envolviam o Football, o basketball e o volleyball. A sua fundação ocorreu na sede no Palácio do Governo Departamental, um prédio de madeira construído em meados de 1908 pelo então prefeito Gabino Besouro para sediar a Prefeitura do Departamento do Alto Acre, ou seja, no mesmo local onde hoje se ergue majestosamente o Palácio Rio Branco.

O antigo prédio de madeira foi demolido pelo governador Hugo Carneiro na segunda-feira, do dia 28 de maio de 1928 para o início da construção do atual Palácio Rio Branco. Desse endereço, a Sede Provisória da Mentora do futebol acreano passou a ser nas dependências do Departamento de Obras e Viação, um grande prédio de madeira localizado na esquina da Avenida Getúlio Vargas com rua Benjamim Constant, (hoje Palácio das Secretarias).

Na foto vê-se o radialista Jaime Rebelo, o árbitro Odail Braga Martins, Jaime Basílio e Hugo.
Foto tirada no Parque Amazonense em 1958 por ocasião da partida entre Seleção da Federação Acreana de Desportos e São Raimundo Esporte Clube. Foto do acervo de Rui Heliandro Sá Valente.

Surge a FAD

Foi nesse novo endereço que ocorreu a alteração do nome para Federação Acreana de Desportos (FAD), já no governo territorial de José Guiomard dos Santos (1946-1950); era uma sexta-feira, dia 27 de janeiro de 1947, quando foi fundada pelos presidentes do Rio Branco Football Club, Isidoro da Cunha Pereira, pelo presidente do Fortaleza Football Club, Milton Braga Rôla, pelo presidente em exercício do Independência Futebol Clube, Dário D’Anzicourt, e pelo presidente do América Esporte Clube, Francisco José Paes.

A idealização da FAD ocorreu três anos antes de sua fundação, fruto de uma medida deliberativa do então presidente do Conselho Regional de Desportos (CRD), tenente-coronel Jefferson Ribeiro do Amaral, comandante da Polícia Militar do Território, expedida na sexta-feira, do dia 16 de junho de 1944, dando amplos poderes à comissão recém constituída para organizar a entidade fadense.

Essa comissão foi composta dos senhores Isidoro da Cunha Pereira, Antônio Fecury e os tenentes Sidney Bourguignon, Rui Medeiros de Oliveira Azevedo, e Gerardo Parente Soares.

O Conselho Regional de Desportos havia sido instalado no sábado, do dia 19 de dezembro de 1942, como um órgão consultivo do governo territorial. Sua composição inicial era formada pelo tenentecoronel Luiz Miranda Leal, presidente e comandante da Polícia Militar, pelo professor Urajá Dias Nogueira, secretário, pelo experiente advogado Mário de Oliveira, digno representante do Conselho, e ainda pelo Dr. José Valentim de Araújo, e Wilson de Almeida Aguiar.

Após esse ato, é então elaborado o estatuto para dirigir a prática esportiva em todo o Território Federal do Acre; esse estatuto só entraria em vigor após sua aprovação na primeira sessão ocorrida em 4 de maio de 1947 na Sede Provisória da FAD, sessão presidida pelo presidente do Rio Branco Football Club, Isidoro da Cunha Pereira, isso se dá porque o clube fundador mais antigo haveria de presidir os destinos da Mentora até quando da eleição e posse da primeira diretoria.

Seleção da Federação Acreana de Desportos (FAD) – 1966. Em pé, da esquerda para a direita: Coco (dirigente), Tião Lustosa, Alberto, Vianna, Benevides, Mozarino, Zezé Gouveia e Eugênio Mansour (dirigente). Agachados: Dimiro, Amílcar, Bebé, Danilo Galo e Bico-Bico. Foto/Acervo Francisco Dandão.

Primeira competição aconteceu em 1942

Mesmo assim, o Conselho Regional de Desportos, ainda em 1942, inicia uma extensa temporada futebolística de caráter oficial com a realização do Torneio Início, versão 1943, disputados nas tardes de domingos, no estádio central de Rio Branco, localizado na rua Rui Barbosa e defronte o Quartel General da Polícia Militar, hoje, a Praça Rodrigues Alves.

06/12/42AcreXDuque de Caxias
13/12/42Rio Branco FCXAssociação dos Comerciários Acreanos
20/12/42PennapolisXDuque de Caxias
27/12/42AcreXRio Branco FC
03/01/43ComerciáriosXPennapolis
10/01/43Duque de CaxiasXRio Branco FC
17/01/43AcreXComerciários
24/01/43PennapolisXRio Branco
30/01/43Duque de CaxiasXComerciários
7/02/43AcreXPennapolis

1º Presidente FAD

Tão-logo a entrada em vigor do Estatuto da Federação Acreana de Desportos (FAD), os presidentes dos quatro clubes fundadores escolheram, por voto secreto, o seu 1º Presidente, Biênio 1947/1948; o nome escolhido foi o agrônomo Francisco Custódio Freire, Diretor do Departamento da Produção.

A posse do vice-presidente fadense só aconteceu no domingo do dia 07 de setembro de 1947; o escolhido foi o Dr. Valério Caldas Magalhães, que permaneceu no cargo até a posse da nova diretoria, em 6 de fevereiro do ano subseqüente.

FAD se filiou à CBD em 1947

Foi nessa gestão que a Estatuto da Federação Acreana de Desportos solicitou em fins de julho de 1947 e obteve filiação à Confederação Brasileira de Desportos (CBD), confirmada em 31 de julho. O pedido havia sido oficializado pelo presidente Francisco Custódio Freire que obteve total apoio dos clubes filiados e ter sido o Estatuto da FAD aprovado em sessão da Mentora em 4 de maio de 1947.

A confirmação de filiação à CBD foi feita através de ofício assinado pelo 1º Secretário Manoel Furtado Oliveira, datado de 6 de agosto. O presidente sucessor do agrônomo foi o Dr. Edson Stanislau Afonso que assumiu a Mentora do futebol acreano em 6 de fevereiro de 1949 juntamente com todo o corpo diretivo da FAD.

A eleição da segunda diretoria ocorreu dia 26 de janeiro passado e foi fruto de consenso dos quatro dirigentes desportivos da capital acreana filiados a FAD. A solenidade concorrida de posse do Dr. Edson Stanislau ocorreu, às 10 horas, no auditório do Instituto de Nossa Senhora de Nazaré, oportunidade em que se fizeram presente:

o governador em exercício Major Raimundo Pinheiro de Lima, Dr. Felippe Meninéa Pereira, presidente do Conselho Regional de Desportos e secretário do Governo, Milton Braga Rôla, do Independência Futebol Clube, Francisco Paes, do América Esporte Clube, do médico Manoel Marinho Monte, e Waldemar Maciel, representante do Rio Branco Football Club, e ainda, a presença de Moura Brasil Neto, e Ubirajara Ribeiro, membros do CRD.

Foi nessa solenidade que a nova diretoria assumiu, para a gestão 1949/1950. A diretoria que assumia era composta ainda pelo Dr. Hugo Ferreira Carvalho (1º Secretário), tenente Carlos Martinho de Albuquerque (2º Secretário), Eduardo de Oliveira Nazaré (1º Tesoureiro), Milton Matos da Rocha (2º Tesoureiro).

O Conselho Superior de Legislação e Justiça foi composto pelos senhores membros efetivos magistrado Pojucam Barroso Cordeiro Ribeiro, e prof. Francisco Mariano Ribeiro e pelos suplentes Dr. Ismael Carvalho, Dr. Manoel Vargues Matoso, e por Américo Macedo.

Seleção da Federação Acreana de Desportos – 1967. Da esquerda para a direita: Benevides, Mozarino, Viana, Alberto, Zezé Gouveia, Danilo Galo, Dimiro, Bebé, Bico-Bico, Amílcar e Tião Lustosa. Foto/Acervo Antônio Benevides.

Já o Conselho Fiscal foi presidido por Alexandre dos Santos Leitão, Cristóvam Nunes, e Antonio d’Esberad Cavalcanti Rocha. A 1ª reunião ordinária de trabalho da gestão do Dr. Edson Stanislau ocorreu na quarta-feira, do dia 02 de março de 1949, oportunidade em que o mesmo, por eleição, fez a devida nomeação do Dr. Gerardo Parente Soares, e médico Manoel Marinho Monte, chefes dos departamentos Técnico, e Médico, respectivamente.

No dia seguinte, assume interinamente o vice-presidente da Mentora haja vista a urgente viagem feita pelo dirigente maior à capital Baré, Manaus, oportunidade em que iria manter contato com dirigentes para um jogo amistoso com o Nacional Fast Club a ser realizado em meados de abril daquele ano.

Com a chegada do Dr. Edson Stanislau, o presidente em exercício fadense Dr. Francisco Custódio Freire apresenta renúncia assumindo em seu lugar o Dr. José Maria Gonçalves Bastos. Em princípio de novembro daquele ano, toda a diretoria oficializa pedido de renúncia, fato já tido como certo para acontecer. Assim, em 24 de outubro é feita uma convocação urgente pelo presidente renunciante de uma Assembléia Geral Extraordinária, fato que acontece nas dependências da Sede Social do Rio Branco Football Club com as presenças da diretoria prestes a renunciar, dos dirigentes esportivos fundadores da FAD e do novo clube a ela filiada, o Fortaleza Football Club. Aceita a renúncia, nova diretoria é eleita, ficando assim, agendada sua posse no mesmo local para o dia 31 de novembro, às 11 horas da manhã. A nova diretoria, biênio 1951/1952:

Presidente – Capitão Milton Braga Rôla;

Vice-Presidente – Francisco Custódio Freire;

1º Secretário – tenente Valdemar D’Ávila Maciel;

2º Secretário – Eduardo Almada Brito;

1º Tesoureiro – Eduardo Oliveira Nazaré (reeleito);

2º Tesoureiro – Milton Matos da Rocha (reeleito);

Conselho Fiscal – Miguel de Freitas Leite, Antonio d’Esberard Cavalcanti Rocha, e Cristóvam Nunes;

Conselho Superior de Legislação e Justiça – presidido pelo Dr. Pojucam Barroso Cordeiro Ribeiro, e pelos juízes Francisco Mariano de Sá Ribeiro, e Dr. Manoel Vargues Matoso.

Diretor do Departamento Técnico – tenente Gesner Maciel de Lemos;

Diretor do Departamento Médico – Dr. Manoel Marinho Monte.

Mudança de endereço

Com a demolição do antigo barracão de madeira (onde era o Departamento de Obras e Viação) e a conseqüente inauguração do Palácio das Secretarias no domingo, do dia 14 de março de 1971, a FAD teve que mudar de endereço, indo então para uma sala cedida pela diretoria do Rio Branco Football Club no Estádio José de Melo.

Todo o acervo da Federação Acreana de Desportos nesse momento se resumia num amontoado de papéis que podia ser levado dentro de um saco com capacidade para 60kg. Vez por outra, a entidade fadense chegou a funcionar na residência do ex-presidente, Milton Braga Rôla, ou na casa do Barrinho (José da Paz Barros).

Os bens móveis, nem se falam. Em janeiro de 1974, já no governo de Francisco Wanderley Dantas, a Mentora mudou novamente de endereço, passou a funcionar numa sala – subsolo do Fórum Barão do Rio Branco, permanecendo por pouco mais de oito meses, quando então, já na administração do presidente Major Adel Derze, passou a funcionar num barracão de madeira de propriedade de jogador do Estrelão, o legendário Pedro Sepetiba; nesse barracão funcionou tempos depois a Sorveteria do Fabiano (rua Quintino Bocaiúva, N° 84, Centro).

Coube ao recém-eleito presidente Alércio Dias, sucessor de Alcides Dutra, a mudança desse endereço para uma confortável sala no primeiro andar da Sede Social da Associação Desportiva Vasco da Gama, localizada na Avenida Brasil, 563. Esse foi o penúltimo endereço da Mentora.

Sede própria inaugurada em 1987

É que foi no segundo mandato do presidente Antonio Aquino Lopes que projetou-se ter a FAD sua Sede Própria. O início das obras para a construção da nova sede foi durante o ano de 1986 e sua inauguração ocorreu numa data história para a entidade: no domingo, do dia 26 de Abril de 1987, ano do 40º aniversário de sua fundação.

A Sede Própria fica na Rua Manoel Cesário, 540, Bairro Aviário. Tem 520 metros de área quadrada, dois pisos e custou na época, Cz$ 2 milhões. Foi inaugurada com a presença do presidente da Confederação Brasileira de Futebol (CBF), Octávio Pinto Guimarães, e seu assessor, Ildo Najar, além da presença de todos os desportistas.

Seleção da Federação Acreana de Desportos (FAD) – 1979
EM PÉ (esquerda para a direita): Lécio, Chicão, Mário Sales, Pintão, Zé Augusto e Carlinhos Bigode.
AGACHADOS (esquerda para a direita): Mário Vieira, Eli, Manoelzinho, Carioca e Pistolinha

FAD é extinta para dar lugar a FFEAC

Somente na terça-feira, do dia 1º de setembro de 1987, em Assembléia Geral, com a presença dos dirigentes do Rio Branco Football Club, Independência Futebol Clube, Atlético, Acreano, Atlético Clube Juventus, São Francisco Futebol Clube, Associação Desportiva Vasco da Gama, e Andirá Esporte Clube é que houve a alteração no Estatuto da Entidade, resultado do trabalho da equipe formada pelos desportistas José Humberto Gomes Souza, Adauto Brito da Frota, José Eugênio de Leão Braga, Roberto Chaar, Antonio Nizomar dos Santos, Alzerino Paiva de Melo, Vicente de Andrade Chagas, Paulo Maia Sobrinho, desembargador Lourival Marques de Oliveira, Rivaldo Bernardo Patriota, e Aldemir Sena de Souza.

Uma das mudanças históricas do futebol do estado, foi extinção da Federação Acreana de Desportes (FAD), e o devido surgimento da nova Mentora do futebol acreano: Federação de Futebol do Estado do Acre (FFEAC).

Última mudança: sai a FFEAC e entra a FFAC

Na segunda-feira, do dia 08 de Novembro de 1999, em uma nova Assembléia Geral, com a presença dos dirigentes dos clubes acima mais Associação Desportiva Senador Guiomard ADESG, a Mentora teve nova e definitiva denominação, Federação de Futebol do Acre (FFAC).

FOTOS: Acervo de Rui Heliandro Sá Valente – Acervo de Francisco DandãoAcervo de Antônio Benevides

FONTE: Revista do Futebol Acreano (2005)

Liga Acreana de Esportes Terrestres (LAET) – Rio Branco (AC): existiu entre 1921 a 1947!

A Liga Acreana de Esportes Terrestres (LAET) foi uma agremiação da cidade de Rio Branco (AC). Foi Fundada em meados de 1921, pelos presidentes de quatro clubes: Luiz Mestrinho Filho, do Rio Branco Football Club; Cap. Manoel Germiniano de Amorim. do Militar Football Club; Domingos Mirão, do Ypiranga Sport Club; e pelo presidente do Acreano Sporting Club, Armindo Silva, sucessor do presidente fundador, Arnaldo Pinho.

A criação da LAET aconteceu no 1º ano de governo do Dr. Epaminondas Tito Jácome (Foi médico sanitarista, deputado provincial e, juntamente com José Plácido de Castro, participou da Revolução Acriana, em outubro de 1902, que culminou na nacionalização daquele território. Foi o 1º governador do território do Acre, de 1º de janeiro de 1921 a 22 de junho de 1922).

O intuito da liga era dirigir e difundir os desportos de caráter amadorista em todo o Território Federal do Acre, desporto este que envolviam o Football, o basketball e o volleyball. A sua fundação ocorreu na sede no Palácio do Governo Departamental, um prédio de madeira construído em meados de 1908 pelo então prefeito Gabino Besouro para sediar a Prefeitura do Departamento do Alto Acre, ou seja, no mesmo local onde hoje se ergue majestosamente o Palácio Rio Branco.

Foto de 1936

O antigo prédio de madeira foi demolido pelo governador Hugo Carneiro na segunda-feira, do dia 28 de maio de 1928 para o início da construção do atual Palácio Rio Branco. Desse endereço, a Sede Provisória da Mentora do futebol acreano passou a ser nas dependências do Departamento de Obras e Viação, um grande prédio de madeira localizado na esquina da Avenida Getúlio Vargas com rua Benjamim Constant, (hoje Palácio das Secretarias).

Surge a FAD

Foi nesse novo endereço que ocorreu a alteração do nome para Federação Acreana de Desportos (FAD), já no governo territorial de José Guiomard dos Santos (1946-1950); era uma sexta-feira, dia 27 de janeiro de 1947, quando foi fundada pelos presidentes do Rio Branco Football Club, Isidoro da Cunha Pereira, pelo presidente do Fortaleza Football Club, Milton Braga Rôla, pelo presidente em exercício do Independência Futebol Clube, Dário D’Anzicourt, e pelo presidente do América Esporte Clube, Francisco José Paes.

FONTE E FOTO: Revista do Futebol Acreano (2005)

Amistoso nacional de 1948: Botafogo (RJ) goleou o Inter de Porto Alegre (RS) por 6 a 2, em General Severiano!

EM PÉ (esquerda para a direita): Gerson, Oswaldo, Nilton Santos, Rubinho, Ávilla e Juvenal;
AGACHADOS (esquerda para a direita): Paraguaio, Geninho, Pirilo, Otávio e Braguinha.

No domingo, do dia 19 de Dezembro de 1948, ocorreu o encontro do Botafogo, atual Campeão Carioca de 1948, e o Sport Club Internacional, Porto Alegre/RS, Bicampeão Gaúcho de 1947-48, no Estádio General Severiano, no bairro de Botafogo, na Zona Sul do Rio. A equipe com Jayme Moreira Filho, Sergio Paiva, Waldir Amaral e Ademar Pimenta transmitiram o jogo pela Rádio Nacional.

EM PÉ (esquerda para a direita): Ivo, Nena, Maravilha, Alfeu, Viana e Abigail;
AGACHADOS (esquerda para a direita): Tesourinha, Ghizzoni, Adãozinho, Vilalba e Carlitos.

No final, o Botafogo goleou o Inter de Porto Alegre pelo placar de 6 a 2. Destaque para o alvinegro Juvenal que foi a grande figura em campo. Osvaldinho que substituiu Pirilo, demonstrou magníficas condições técnicas.

BOTAFOGO FR (RJ) 6 X 2 S.C. INTERNACIONAL (RJ)

LOCALEstádio General Severiano, no bairro de Botafogo, na Zona Sul do Rio (RJ)
CARÁTERAmistoso Nacional de 1948
DATADomingo, do dia 19 de Dezembro de 1948
HORÁRIO15 horas
RENDACr$ 108.772,00
PÚBLICONão divulgado
ÁRBITROMário Viana
BOTAFOGOOswaldo; Gerson (Marinho) e Nilton Santos (Sarno); Rubinho (Ivan), Ávilla (Berascochea) e Juvenal (Adão); Paraguaio, Geninho, Osvaldinho, Otávio e Braguinha (Reinaldo). Técnico: Zezé Moreira
INTER/RSIvo; Nena e Maravilha; Alfeu (Guizzone), Viana e Abigail; Tesourinha, Ghizzoni (Segura), Adãozinho, Vilalba (Roberto) e Carlitos. Técnico: Carlos Volante
GOLSVilalba aos 40 segundos (Inter); Juvenal aos 7 minutos (Botafogo); Otavio aos 11 e 28 minutos (Botafogo); Osvaldinho aos 22 minutos (Botafogo), no 1º Tempo. Osvaldinho aos 9 minutos (Botafogo); Adãozinho aos 12 minutos (Inter); Paraguaio aos 25 minutos (Botafogo), no 2º Tempo.

FOTOS: A Noite (RJ) – Correio da Manhã (RJ)

FONTES: Jornal dos Sports (RJ) – Correio da Manhã (RJ) – Diário de Notícias (RJ)

Foto Rara, de 1975: Colorado Esporte Clube – Curitiba (PR)

EM PÉ (esquerda para a direita): Edson Madureira, Zé Carlos, Zequinha, Negri, Nenê e Bira;

AGACHADOS (esquerda para a direita): Thirso Del Corso, Galeno, Marinho, Téia, Neo e Genau.

FOTO: Acervo de José Carlos de Oliveira (Zequinha)

Foto Rara, de 1980: Sport Club do Recife (PE)

EM PÉ (esquerda para a direita): País (goleiro), Alex, Cícero, Ramirez, Merica e Paulo Mauricio;

AGACHADOS (esquerda para a direita): Denô, Lola, Jorge Campos, Didi e Roberto.

FOTO: Acervo de Alexandre Kamianecky (nascido na Alemanha, ex-jogador do America, Sport do Recife, entre outros)

Torneio Início Amazonense da 1ª Divisão de 1973: Nacional Futebol Clube, com o craque Toninho Cerezo, foi o Campeão!

O Torneio Início do Campeonato Amazonense da 1ª Divisão de 1973, organizado pelo Departamento de Futebol Profissional da FAF (Federação Amazonense de Futebol), foi realizado no domingo, do dia 11 de Fevereiro de 1973.

Em razão do gramado do Estádio Vivaldo Lima, que estava passando por uma reforma (a previsão era para ser liberado três dias depois do torneio início), foi cogitado o torneio ser realizado no Estádio da Colina ou Parque. Porém, após muita pressão vinda dos clubes, imprensa esportiva e torcedores, as melhorias foram aceleradas e o estádio foi entregue na data do Torneio Início

EM PÉ (esquerda para a direita): Tião, Décio,  Flávio, Toninho Cerezo,  Eurico Souza e Luiz Florêncio;
AGACHADOS (esquerda para a direita): Zé Eduardo, Serginho, Ângelo, China e Reis.

Com antecipação os oito clubes definiram os cinco cobradores de pênaltis, caso houvesse a necessidade:

América Futebol Clube: Rui, Pedro, Rosimar, Nido e Amiraldo;

Associação Atlética Rodoviária: Santos, Julião, Santiago, Tadeu e Joaquim

Atlético Rio Negro Clube: Jorge Cuíca, Zé Raimundo, Ferreira, Rolinha e Casemiro;

Nacional Fast Club: Batista, Zé Carlos, Rolinha, Paulo e Almir;

Nacional Futebol Clube: Valdomiro, Newton, Toninho Cerezo, Flávio e Zé Eduardo;

Olímpico Clube: Amaro, Evandro, Nei, João Pereira e Nivaldo;

São Raimundo Esporte Clube: Adonias, Almir, Flávio, Ronildo e Paulinho;

Sul América Esporte Clube: Didel, Itagiba, Sena, Dorval e Silva.

Programa do Torneio Início

O evento teve início às 13h30min., com a concentração das equipes representativas das associações participantes, com todos os seus titulares, no gramado do Estádio Vivaldo Lima.

Na sequência, às 13h45min., teve a solenidade do hasteamento do Pavilhão Nacional, presidida pelo excelentíssimo senhor governador do estado do Amazonas, o engenheiro João Walter de Andrade, sob os acordes do  Hino Nacional Brasileiro executado pela Banda de Música da Polícia Militar do Estado do Amazonas.

Logo após, 13h50min., ocorreu o desfile das oito equipes que passaram à frente da Banda de Música do Colégio Benjamim Constant, em homenagem    às autoridades, à crônica esportiva do Rádio, do Jornal e da Televisão e ao público presente.

Às 13h59min., toque de silêncio, executado por um corneteiro da Polícia Militar do Estado do Amazonas, em homenagem à memória dos desportistas desaparecidos.

Às 14 horas, teve início da disputa do Torneio de Apresentação do Campeonato Amazonense de Futebol de 1973. Às 16h30min., teve a eleição da Rainha do Torneio, entre as candidatas apresentadas pelos oito clubes participantes. Às 16h40min., início a disputa do título do Torneio Início.

Às 17h30min., aconteceu a escolha dos Melhores do Torneio Início, pela Comissão Julgadora, integrada de representantes de todos os órgãos da Imprensa, do Rádio e da Televisão, da ACLEA, de Federação Amazonense de Futebol e do Conselho Regional de Desportos do Amazonas.  

Por fim, às 18 horas, foi a entrega dos prêmios aos eleitos pela Comissão Julgadora, inclusive, a Rainha do Torneio (a vencedora foi Laiz Cruz, do Nacional), no centro do gramado do Estádio Vivaldo Lima, em Manaus.

No final, a equipe comandada por João Lacerda Filho, Barbatana, então com 44 anos, o Nacional Futebol Clube se sagrou campeão do Torneio Início do Campeonato Amazonense da 1ª Divisão de 1973. Ao todo, foram três jogos, com uma vitória e dois empates, onde venceu na decisões por penalidades.  

Nacional com Toninho Cerezo

Um dos destaques do Naça foi o meia Toninho Cerezo, que ainda nem tinha completado 18 anos (faz aniversário no dia 21 de abril). O craque estava emprestado pelo Atlético Mineiro para adquirir experiência.

1º JOGO:

A.A. RODOVIÁRIA (AM)    0          X         1          SÃO RAIMUNDO E.C. (AM)

LOCALEstádio Vivaldo Lima, o Vivaldão, em Manaus (AM)
CARÁTERTorneio Início do Estadual da 1ª Divisão de 1973
DATADomingo, do dia 11 de Fevereiro de 1973
HORÁRIO14 horas
RENDANão divulgado
PÚBLICONão divulgado
ÁRBITROJosé Carlos Amato (FAF)
AUXILIARESTarcilo Vasconcelos (FAF) e Raimundo dos Anjos (FAF)
CARTÃO VERMELHOJedir (São Raimundo)
RODOVIÁRIAToninho; Dirlei, Joaquim, Valter e Zequinha; Mario Bacuri e Tadeu; Zezé, Santos, Julião e Santiago. Técnico: Edmilson Oliveira
SÃO RAIUMUNDODissica; Calderaro, Paulinho, Itamar e Araim; Adonias e Ademir; Jedir, Sauba; Ronildo e Flávio. Técnico: Arlindo Louchards
GOLSauba aos 4 minutos (São Raimundo), do 2º Tempo.  

2º JOGO:

ATLÉTICO RIO NEGRO (AM)     0 (3)    X         0 (4)    OLÍMPICO CLUBE (AM)

LOCALEstádio Vivaldo Lima, o Vivaldão, em Manaus (AM)
CARÁTERTorneio Início do Estadual da 1ª Divisão de 1973
DATADomingo, do dia 11 de Fevereiro de 1973
RENDANão divulgado
PÚBLICONão divulgado
ÁRBITROJulio Cesar Cosenza (FAF)
AUXILIARESOnizio Casemiro (FAF) e Guilherme Pereira (FAF)
RIO NEGROClovis; Zé Raimundo, Casemiro, Helito e Nonato; Bahia e Zé Claudio; Bolo, Jorge Cuíca, Ferreira e Rolinha. Técnico: Osvaldinho
OLÍMPICOSilvio; Nivaldo, Nei, Floriano e João Pereira; Da Silva e Amaro;  Dinho, Augusto, Edward e Evandro. Técnico: Flávio de Souza
GOLNenhum
PÊNALTISNivaldo, João Pereira, Amaro e Evandro (Olímpico); Jorge Cuíca, Ferreira e Zé Raimundo (Rio Negro).

3º JOGO:

NACIONAL FAST CLUB (AM)    0 (7)    X         0 (9)    AMÉRICA F.C. (AM)

LOCALEstádio Vivaldo Lima, o Vivaldão, em Manaus (AM)
CARÁTERTorneio Início do Estadual da 1ª Divisão de 1973
DATADomingo, do dia 11 de Fevereiro de 1973
RENDANão divulgado
PÚBLICONão divulgado
ÁRBITROAlexandre Lourenço (FAF)
AUXILIARESRaimundo Alcedies (FAF) e Odilio Mendonça (FAF)
FAST CLUBBorrachinha; Olacy, Zé Carlos, Zequinha e Almir; Barrote e Rolinha; Paulo, Batista, Nilson e Muniz. Técnico: Kurtz
AMÉRICADudu; Fernando, Paulo Santos, Grilo e Ponga; Pedro e Amiraldo; Nido, Dacio, Rui e Rosimar. Técnico: Amadeu Teixeira
GOLNenhum
PÊNALTISNido, Rui, Amiraldo e Pedro (América); Rolinha, Zé Carlos, Almir e Batista (Fast Club).
CURIOSIDADEApós o empate sem gols, nos pênaltis na primeira série terminou em 4 a 4. Na segunda série o América venceu por 5 a 3.

4º JOGO:

NACIONAL F.C. (AM)        2          X         0          SUL AMÉRICA E.C. (AM)

LOCALEstádio Vivaldo Lima, o Vivaldão, em Manaus (AM)
CARÁTERTorneio Início do Estadual da 1ª Divisão de 1973
DATADomingo, do dia 11 de Fevereiro de 1973
RENDANão divulgado
PÚBLICONão divulgado
ÁRBITROJander Cabral dos Santos (FAF)
AUXILIARESJosé Pereira Serra (FAF) e Tarcilo Vasconcelos (FAF)
NACIONALProcópio; Flávio, Fausto, Valdemiro e Luiz Florêncio; Jorginho e Toninho Cerezo; Zé Eduardo, Careca, Louro e Newton. Técnico: Barbatana
SUL AMÉRICAToinho; Mistral, Didel, Maravilha e Denival; Tapioca e Itagiba; Olair,  Sena, Dorval e Silva (Jorge). Técnico: Jandeir Cardoso
GOLSCareca aos 2 minutos (Nacional); Zé Eduardo aos 7 minutos (Nacional), no 2º Tempo.  

1ª SEMIFINAL:

SÃO RAIMUNDO E.C. (AM)         0 (4)    X         0 (3)    OLÍMPICO CLUBE (AM)

LOCALEstádio Vivaldo Lima, o Vivaldão, em Manaus (AM)
CARÁTERTorneio Início do Estadual da 1ª Divisão de 1973
DATADomingo, do dia 11 de Fevereiro de 1973
RENDANão divulgado
PÚBLICONão divulgado
ÁRBITROManuel Luiz Bastos (FAF)
AUXILIARESOnizio Casemiro (FAF) e Guilherme Pereira (FAF)
SÃO RAIUMUNDODissica; Calderaro, Paulinho, Itamar e Araim; Adonias e Ademir; Airton, Sauba; Ronildo e Flávio. Técnico: Arlindo Louchards
OLÍMPICOSilvio; Maravilha, Nei, Valdir Santos e João Pereira; Da Silva e Amaro;  Dinho, Augusto, Vandi e Evandro. Técnico: Flávio de Souza
GOLNenhum
PÊNALTISFlávio, Almir, Sauba e Adonias (São Raimundo); João Pereira, Dinho e Evandro (Olímpico).    

2ª SEMIFINAL:

NACIONAL F.C. (AM)        0 (11)  X         0 (9)    AMÉRICA F.C. (AM)

LOCALEstádio Vivaldo Lima, o Vivaldão, em Manaus (AM)
CARÁTERTorneio Início do Estadual da 1ª Divisão de 1973
DATADomingo, do dia 11 de Fevereiro de 1973
RENDANão divulgado
PÚBLICONão divulgado
ÁRBITROPaulo Bernardes (FAF)
AUXILIARESRaimundo Alcedies (FAF) e Odilio Mendonça (FAF)
NACIONALProcópio; Flávio, Fausto, Valdemiro e Luiz Florêncio; Jorginho e Toninho Cerezo; Zé Eduardo, Careca, Louro e Newton. Técnico: Barbatana
AMÉRICADudu; Fernando, Paulo Santos, Grilo e Ponga; Pedro e Amiraldo; Nido, Dacio, Rui e Rosimar. Técnico: Amadeu Teixeira
GOLSNenhum  
PÊNALTISRui e Dácio (América); Jorginho, Newton, Toninho Cerezo e Careca (Nacional).
CURIOSIDADENa 1ª série de pênaltis empate em 4 a 4. Na 2ª Série nova igualdade em 3 a 3. Na 3ª Série vitória do Naça por 4 a 2.

GRANDE FINAL:

NACIONAL F.C. (AM)        0 (4)    X         0 (3)    SÃO RAIMUNDO E.C. (AM)

LOCALEstádio Vivaldo Lima, o Vivaldão, em Manaus (AM)
CARÁTERTorneio Início do Estadual da 1ª Divisão de 1973
DATADomingo, do dia 11 de Fevereiro de 1973
HORÁRIO16 horas e 40 minutos
RENDANão divulgado
PÚBLICONão divulgado
ÁRBITROJulio Cesar Cosenza (FAF)
AUXILIARESOdilio Mendonça (FAF) e Tarcilio Vasconcelos (FAF)
NACIONALProcópio; Flávio, Fausto, Valdemiro e Luiz Florêncio; Jorginho e Toninho Cerezo; Zé Eduardo, Careca, Louro e Newton (Eurico Souza). Técnico: Barbatana
SÃO RAIUMUNDODissica; Calderaro, Paulinho, Itamar e Araim; Adonias e Ademir; Airton, Sauba; Ronildo e Flávio. Técnico: Arlindo Louchards
GOLSNenhum  
PÊNALTISJorginho, Souza, Careca e Eduardo marcaram; enquanto Toninho Cerezo desperdiçou (Nacional); Flávio, Sauba e Adonias; enquanto Almir e Paulinho perderam (São Raimundo).
CURIOSIDADEO jogo teve a duração de 40 minutos (20 minutos cada tempo)

Curiosidades

Escalação: Procópio; Flávio, Fausto, Valdemiro e Luiz Florêncio; Jorginho e Toninho Cerezo; Zé Eduardo, Careca, Louro e Newton (Eurico Souza). Técnico: Barbatana

O Nacional contava com dois jovens talentos que vieram emprestados do Atlético Mineiro: e Toninho Cerezo e Ângelo. E outro mineiro era Geraldo Souza Eurico (Eurico Souza), 21 anos, que veio por empréstimo junto ao Cruzeiro, um dia antes do Torneio Início.

Cinco dias após o título do Torneio Início, desembarcou em Manaus, o goleiro Décio, contratado junto ao Paysandu de Belém (PA). Anteriormente, teve passagens pela Tuna Luso (PA), Sport do Recife (PE) e Central Sport Club, de Barra do Piraí (RJ).     

Colaborou: Fabiano Rosa Campos

FOTO: Revista Placar

FONTE: Jornal do Commercio (AM)