História do Campeonato de Acesso Paulista – Cap. XI

1957: O Diabo rubro é campeão!

O campeonato da 2ª Divisão do ano contou com o mesmo número de participantes do ano anterior (32), porém com a presença de novas agremiações que substituíram outras:

O Tanabi entrou no lugar do Botafogo, Avenida e Botucatuense substituíram Corinthians (Santo André) e Velo Clube, respectivamente.

A forma de disputa foi similar ao dos anos anteriores: A primeira fase com as equipes sendo divididas em 3 grupos, passando para a 2ª fase as duas melhores. Na 1ª fase os times jogavam entre si dentro dos grupos em turno e returno.

Foi um campeonato longo, durando exatamente oito meses. No transcorrer do campeonato a AD Araraquara desistiu da competição e seus jogos foram cancelados.

Classificação – 1ª fase

Série A

Colocação CLUBES PG PP J V E D GP GC S
SÃO BENTO (SOR) 30 10 20 14 2 4 60 23 37
PAULISTA (JUN) 29 11 20 13 3 4 45 25 20
ITUANO 25 15 20 10 5 5 36 22 14
ESTRELA DA SAUDE 24 16 20 9 6 5 36 29 7
GUARATINGUETÁ 22 18 20 10 2 8 48 32 16
INTERNACIONAL (LIM) 19 21 20 7 5 8 37 42 -5
BRAGANTINO 17 23 20 7 3 10 34 33 1
UNIÃO (MOG) 17 23 20 8 1 11 35 47 -12
FERROVIÁRIA (BOT) 16 24 20 6 4 10 27 53 -26
10º AVENIDA 12 28 20 3 6 11 32 48 -16
11º BOTUCATUENSE 9 31 20 3 3 14 24 60 -36
JOGOS REALIZADOS 110
GOLS ASSINALADOS 414
MÉDIA DE GOLS POR JOGO 3,8

Classificados: São Bento e Paulista

Série B

Colocação CLUBES PG PP J V E D GP GC S
AMÉRICA 28 0 14 14 0 0 43 7 36
CORINTHIANS (PP) 17 11 14 7 3 4 26 21 5
PRUDENTINA 14 14 14 6 2 6 23 27 -4
RIO PRETO 13 15 14 6 1 7 20 19 1
GARÇA 13 15 14 6 1 7 25 25 0
TUPÃ 10 18 14 4 2 8 17 27 -10
TANABI 9 19 14 4 1 9 14 29 -15
MARÍLIA 8 20 14 3 2 9 10 24 -14
JOGOS REALIZADOS 56
GOLS ASSINALADOS 178
MÉDIA DE GOLS POR JOGO 3,2

Classificados: América e Corinthians (PP)

Série C

Colocação CLUBES PG PP J V E D GP GC S
TAQUARITINGA 36 8 22 16 4 2 55 22 33
CATANDUVA 31 13 22 13 5 4 45 23 22
BARRETOS 26 18 22 11 4 7 49 39 10
BANDEIRANTES 24 20 22 10 4 8 42 39 3
JABOTICABAL 22 22 22 8 6 8 32 35 -3
COMERCIAL (RP) 21 23 22 8 5 9 35 37 -2
INTERNACIONAL (BEB) 20 24 22 7 6 9 32 36 -4
FRANCANA 20 24 22 8 4 10 39 35 4
SANJOANENSE 19 25 22 7 5 10 33 50 -17
JOGOS REALIZADOS 72
GOLS ASSINALADOS 362
MÉDIA DE GOLS POR JOGO 5,0

A AD Araraquara fez parte desse grupo e acabou desistindo da competição na 2ª rodada do returno.

Classificados: Taquaritinga e Catanduva

O “Torneio dos Finalistas” apresentou a seguinte classificação:

Colocação CLUBES PG PP J V E D GP GC S
AMÉRICA 14 6 10 6 2 2 23 9 14
SÃO BENTO (SOR) 12 8 10 6 0 4 20 16 4
CATANDUVA 11 9 10 5 1 4 14 11 3
TAQUARITINGA 11 11 10 5 1 5 15 15 0
CORINTHIANS (PP) 8 12 10 4 0 6 18 23 -5
PAULISTA (JUN) 4 16 10 2 0 8 9 25 -16
JOGOS REALIZADOS 30
GOLS ASSINALADOS 99
MÉDIA DE GOLS POR JOGO 3,3

Jogo que decidiu o título:

América 6 x 1 São Bento

Este jogo foi pela penúltima rodada do “Torneio dos Finalistas” e foi marcado por muita expectativa. O jogo da ida foi muito tumultuado, onde a torcida sorocabana hostilizou o tempo todo o árbitro da partida e o então presidente da FPF, João Mendonça Falcão que veio para assistir o jogo e tentar acalmar os sorocabanos que se julgavam perseguidos. Os americanos prometeram revide no jogo da volta.

Data: 22/12/1957

Local: Estádio “Mário Alves de Mendonça” em São José do Rio Preto

Árbitro: Stefan Walter Glanz

Renda: Cr$ 280.000,00 (aproximadamente)

Gols: Oscar (2), Dozinho (2), Leal (2) para o América.

Periquito para o São Bento.

América: Vilera; Xatara e Fogosa; Adésio, Bertolino e Ambrósio; Cuca, Leal, Dozinho, Vidal e Urias. Técnico: João Avelino Gomes.

São Bento: Ceci; Julião e Arnaldo; Zezinho, Cornélio e Escurinho; Joel, Raimundinho, Benedito, Periquito e Nelsinho. Técnico: Rui Alves de Souza (1922-?).

Ocorrência: a partida ficou paralisada durante 50 minutos devido ao temporal que desabou sobre o estádio.

Campanha do Campeão

1ª fase – Série B

1º turno 2º turno

28/04/57: América 2 x 1 Rio Preto                     14/07/57: Rio Preto 0 x 1 América

12/05/57: Prudentina 1 x 2 América                   28/07/57: América 3 x 0 Prudentina

19/05/57: América 4 x 1 Garça                            4/08/57: Garça 1 x 3 América

16/06/57: Marília 0 x 2 América                            1/09/57: América 5 x 0 Marília

23/06/57: Tupã 0 x 2 América                              8/09/57: América 3 x 0 Tupã

30/06/57: América 8 x 1 Tanabi                          15/09/57: Tanabi 0 x 2 América

07/07/57: América 3 x 1 Corinthians (PP)           29/09/57: Corinthians (PP)1 x 3 América

Torneio dos Finalistas

1º turno                                                              2º turno

27/10/57: Catanduva 2 x 2 América                      1/12/57: América 1 x 0 Catanduva

3/11/57: América 1 x 0 Taquaritinga                   8/12/57: Taquaritinga 2 x 1 América

10/11/57: Paulista 1 x 3 América                       15/12/57: América 4 x 0 Paulista

17/11/57: São Bento 1 x 0 América                    22/12/57: América 6 x 1 São Bento

24/11/57: América 2 x 0 Corinthians                   29/12/57: Corinthians 2 x 3 América

Balanço Geral: Jogos: 24; Vitórias: 21; Derrotas: 2; Empates: 1; Gols marcados: 66; Gols sofridos: 16; Saldo: 50.

Equipe base do campeão

Vilera; Xatara e Fogosa; Adésio, Bertolino e Ambrósio; Cuca, Leal, Dozinho, Vidal e Urias. Também jogaram: Paulo, Walter, Paquetá, Hudson, Aldo, Colada e Oscar. Técnico: João Avelino Gomes (1928-2006).

Destaques: Vilera com grandes atuações foi considerado o melhor goleiro do campeonato; Adhemar da Silva Xatara (1930-1998), Osvaldo Bertolino (1935), Fogosa (? – 1981) e Benedito Ambrósio (1937-) formavam uma linha de zagueiros mais do que eficientes. João Leal Neto (1937-), meio campista clássico transferiu-se mais tarde para o São Paulo; Luís Rocha Ribeiro (1934-), o Cuca, rápido e habilidoso. Dozinho, o goleador da equipe. Urias, o Orias Alves de Souza (1932-1998), ponteiro esquerdo habilidoso, mais tarde se transferiria para o Palmeiras.

Curiosidades

  • Artilheiro máximo do campeonato: Raimundinho (São Bento) com 28 gols;
  • Outros goleadores: Laerte (Taquaritinga): 24 gols, Dozinho (América): 23, e Osmar (Taquaritinga): 22; Pim (Radium): 17 gols;
  • Goleiros mais vazados na primeira fase:

Paulo (Fortaleza): 50 gols, Santão (Comercial): 43 gols, Dudizio (Radium): 39 gols, Bianco (Ferroviária – Botucatu): 37 gols, Miguel (União – Mogi): 35 gols;

  • Goleiros menos vazados na primeira fase: Vilera (América): 7 gols; Toninho (Rio Preto): 14; Walter Jorge (São Bento): 15 gols; Mão de Onça (Ituano): 22;
  • Maior goleada do campeonato: Guaratinguetá 8 x 0 Botucatuense, em 7/7/1957;
  • Equipes que se destacaram:

São Bento: Walter Jorge (Ceci); Julião e Domingos (Arnaldo); Zezinho (Bauer), Cornélio e Escurinho (Botequia); Reis (Sampaio), Raimundinho, Rodriguinho (Benedito), Periquito (Joel) (Osvaldinho) e Nelsinho. Técnico: Moacir Alves dos Santos e depois Rui Alves de Souza;

Catanduva: Badê; Can-Can (Loca) e Barros; Wilse, Cativeiro (Barcelona) e Luís Valente; Paulinho, Graciano (Luisinho), Nininho (Zé Carlos), Gaúcho (Camilo) e Alípio (Tijolinho);

Taquaritinga: Acosta (Odace) (Darci); Jamil e Atílio (Ditinho); Gioconda, Eraldo (Mário) e Nascimento (Monte); Paraguaio (Eduardinho), Laerte (Carlito), Brotério (Ceci), Osmar e Liquinho;

  • O Paulista armou uma boa equipe e no início da competição era favorita ao acesso. Na primeira até que foi bem, sendo o vice-campeão de seu grupo e na fase final faltou “gás”, o time base era esse: Sérgio (Sidnei); Mindo (Jaú) e Martinelli (Negro); Alvair, Pé de Valsa e  Bonfiglio (Alcides) (Dirceu), Castelo (Chiquinho), Tito, Juarez, Lero (Chico) e Moacyr (Paulistinha);
  • José Carlos Bauer (1925-2007), consagrado jogador do S. Paulo, cognominado de “Monstro do Maracanã”, sendo considerado um dos melhores jogadores do Mundial de 50, jogou algumas partidas pelo São Bento nesse ano;
  • Antonio Machado de Oliveira (1924-?), o Pé de Valsa, jogou com relativo sucesso no Fluminense e São Paulo. Praticamente encerraria a carreira no Paulista;
  • O ataque do S. Bento foi o mais efetivo do campeonato totalizando 80 gols. Vale a pena relembrar a linha de ataque e os respectivos gols: Reis (9), Raimundinho (28), Rodriguinho (11), Periquito (4) e Nelsinho (5);
  • Nélson Nunes (1926-?) o Nelsinho (São Bento), era sobrinho de Manuel Nunes (1895-1977) o Neco, maior jogador da história do Corinthians. Como o tio, atuou vários anos pela equipe mosqueteira;
  • O goleiro Mão de Onça (Ituano), aliás Durval de Moraes (1931-), ficaria famoso defendendo o Juventus naquele que foi o jogo em que Pelé marcou, segundo ele, o gol mais bonito de sua carreira. O jogo aconteceu no dia 2/8/1959 e valia pelo campeonato da primeira divisão;
  • A invencibilidade do América de 17 partidas foi quebrada pelo São Bento, que por sinal, foi a mesma equipe que também interrompeu a série invicta do Botafogo no ano anterior;
  • 22/12/57 – o Jogo do Capeta

Essa data sempre será lembrada pela equipe do América, pois nesse dia ao vencer o São Bento, o América se sagraria campeão do Acesso. Raimundo Pereira dos Santos (1938-2007), o Raimundinho começou a jogar no Santos, atuou também pela Ferroviária (1966), Paulista (1968) e Saad (1971) e nos deu o seguinte depoimento:

“Era uma partida decisiva para nós, pois estávamos a um ponto do América e era a penúltima rodada. O pessoal do América estava conosco entalado na garganta e com certeza iriam nos dar muito trabalho.

No jogo do turno em Sorocaba nós acabamos vencendo num jogo tumultuado. O João Mendonça Falcão, na época presidente da FPF, veio para “prestigiar” o América e acabou sendo agredido por um diretor nosso. A nossa torcida reagiu muito mau devido a presença dele no estádio. Logicamente que não receberíamos flores em Rio Preto.

Chegamos num vôo da VASP, especialmente fretado e percebemos que a “barra” não ia ser fácil na recepção do aeroporto – nenhum carro de praça quis nos levar até o hotel.

Conseguimos nos dirigir até o hotel onde não nos deixaram descansar.

Fazia uma tarde ensolarada, de repente, poucos minutos antes do início do jogo o que se viu foi a formação de uma grande nuvem escura prenunciando a chegada de uma tempestade..

Iniciada a partida, um verdadeiro dilúvio desabou. O vento era muito forte e presenciei telhas sendo arremessadas contra os torcedores. Com 30 minutos o jogo foi interrompido. Houve inundação do estádio, a geral foi abaixo e parte da arquibancada ruiu. Foram socorridas mais de 50 pessoas que apresentavam diversos ferimentos, depois de 50 minutos de paralisação o cotejo foi reiniciado.

Psicologicamente estávamos arrasados e o América…, bem eles jogaram e nos é que não entramos em campo e o resultado foi uma sonora goleada por 6 x 1″;

  • Revelação do campeonato: Raimundinho (São Bento).

America 57

Em pé da esquerda p/ direita: Ambrósio, Bertolino, Aldo, Fogosa, Vilera, Xatara e Gregório Santos.

Agachados na mesma ordem: Cuca, Leal, Dozinho, Oscar e Urias.

Trabalho inédito que contou com a colaboração do Júlio Diogo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *