Artigo da Semana 04/2010 – História do Campeonato de Acesso Paulista – Cap. VII

1953: Noroeste vence o campeonato e sobe!

Em 1953 a FPF decidiu modificar totalmente o campeonato de Acesso. Limitou o número de participantes através de uma resolução em que para uma agremiação participar, deveria estar numa cidade com população superior a 50.000 habitantes. O campo de jogo deveria ser cercado por alambrado; a partir desse ano seria criada a 3ª Divisão.

Com essas mudanças, o campeonato ficou bem “enxuto” e contou com apenas 20 equipes, divididas em três séries. Com a desistência do Votorantim, o São Bento de Sorocaba tomou o lugar, pois a cidade atendia às exigências de população da época. O Jabaquara que havia sido rebaixado da 1ª Divisão no ano anterior deveria integrar a Divisão de Acesso. Porém não compareceu a nenhum jogo e as partidas foram anuladas. Era a famosa “jabaquarada” expressão popular usada na época quando uma agremiação perdia em campo e ganhava nos tribunais.

As duas melhores equipes de cada série se classificavam para a 2ª fase – “Torneio dos Campeões” – que apontaria a equipe que ascenderia à elite do futebol.

A classificação da 1ª fase foi a seguinte:

Série Amarela

Colocação CLUBES PG PP J V E D GP GC S
FERROVIÁRIA (ARQ) 17 7 12 7 3 2 33 13 20
BOTAFOGO 15 9 12 6 3 3 29 18 11
ARARAQUARA 15 9 12 5 5 2 33 20 13
AMÉRICA 15 9 12 5 5 2 17 8 9
FRANCANA 9 15 12 2 5 5 14 23 -9
PALMEIRAS (FRA) 7 17 12 2 3 7 15 37 -22
RIO PRETO 6 18 12 3 0 9 11 33 -22
JOGOS REALIZADOS 42
GOLS ASSINALADOS 152
MÉDIA DE GOLS POR JOGO 3,62

Classificados: Ferroviária e América, após eliminar o Botafogo e Araraquara.

Série Verde

Colocação CLUBES PG PP J V E D GP GC S
BRAGANTINO 13 7 10 6 1 3 16 12 4
PAULISTA (JUN) 13 7 10 6 1 3 14 13 1
TAUBATÉ 11 9 10 4 3 3 18 14 4
SÃO CAETANO 9 11 10 3 3 4 16 14 2
CORINTHIANS (SA) 9 15 10 3 3 6 10 15 -5
SÃO BENTO (SOR) 5 15 10 1 3 6 10 15 -5
JOGOS REALIZADOS 30
GOLS ASSINALADOS 84
MÉDIA DE GOLS POR JOGO 2,8
Classificados: Paulista e Bragantino

Série Azul

Colocação CLUBES PG PP J V E D GP GC S
NOROESTE 15 5 10 6 3 1 22 12 10
SÃO PAULO (ARÇ) 12 8 10 5 2 3 23 16 7
MARILIA 12 8 10 5 2 3 19 14 5
PIRACICABANO 10 10 10 4 2 4 21 19 19
TUPÃ 10 10 10 3 4 3 23 19 4
BAURU 1 19 10 0 1 9 9 37 -28
JOGOS REALIZADOS 42
GOLS ASSINALADOS 117
MÉDIA DE GOLS POR JOGO 2,79

Classificados: Noroeste e Marília, após eliminar o São Paulo.

O “Torneio dos Campeões” apresentou a seguinte classificação:

Colocação CLUBES PG PP J V E D GP GC S
NOROESTE 16 4 10 8 0 2 18 11 7
FERROVIÁRIA (ARQ) 13 7 10 6 1 3 27 13 14
MARÍLIA 9 11 10 4 1 5 14 17 -3
PAULISTA 8 12 10 4 0 6 14 19 -5
AMÉRICA 8 12 10 3 2 5 14 15 -1
BRAGANTINO 6 14 10 2 2 6 10 22 -12
JOGOS REALIZADOS 30
GOLS ASSINALADOS 97
MÉDIA DE GOLS POR JOGO 3,2

Pela campanha no “Torneio dos Campeões”, o Noroeste foi proclamado campeão do Acesso de 1953.

Jogo decisivo: Noroeste 2 x 0 Marília

Data: 23/5/1954

Local: Estádio “Alfredo de Castilho”

Árbitro: Abílio Ramos

Renda: Cr$ 118.240,00

Gols: Zeola e Artur (contra)

Noroeste: Sidnei; Osvaldo e Vila; Nélson Faria, Mingão e Amaro (Luís Marini); Colombo, Zeola, Brotério, Ranulfo e Luís Marini (Amaro). Técnicos: Mário Tavares Fernandes e Balbino Simões.

Marília: Aníbal; Atílio e Luís; Nélson Teixeira, Luís Valente e Artur; Hélio, Ditinho, Raulzinho, Dequinha e Cilno.

Campanha do Campeão

1ª fase – 1º turno                                                          1ª fase – 2º turno

23/11/1953: Marília 0 x 0 Noroeste                                 17/1/1954; Noroeste 3 x 1 Marília

6/12/1953: Noroeste 3 x 1 S. Paulo                               24/1/1954: S. Paulo 2 x 0 Noroeste

13/12/1953: Piracicabano 0 x 0 Noroeste                       31/1/1954: Noroeste 5 x 1 Piracicabano

27/12/1953: Tupã 1 x 1 Noroeste                                   14/2/1954: Noroeste 3 x 2 Tupã

13/1/1954: Noroeste 3 Bauru                                         21/2/1954: Bauru 3 x 4 Noroeste

2ª fase – 1º turno                                                          2ª fase – 2º turno

28/3/1954: Noroeste 4 x 2 Paulista                                2/5/1954: Paulista 0 x 1 Noroeste

4/4/1954: América 1 x 2 Noroeste                                  9/5/1954: Noroeste 1 x 0 América

11/4/1954: Noroeste 2 x 0 Ferroviária                              16/5/1954: Ferroviária 5 x 3 Noroeste

18/4/1954: Marília 1 x 2 Noroeste                                  23/5/1954: Noroeste 2 x 0 Marília

25/4/1954: Noroeste 1 x 0 Bragantino                             30/5/1954: Bragantino 3 x 0 Noroeste

Balanço Geral: Jogos: 20, Vitórias 14, Empates: 3, Derrotas: 3, Gols marcados: 40, Gols sofridos: 28, Saldo: 12.

Equipe base do campeão

Sidnei; Zulu e Vila; Nelson Faria, Mingão e Amaro; Colombo, Zeola, Brotério, Ranulfo e Luís Marini. Também jogaram: Aldo, Louro, Pelota, Tuim, Chocolate, Adolfrizes, Clóvis, Julinho, Dito, Mical, Antero, Paulinho e Mirtola. Técnicos: Balbino Simões (1918-) e depois José Pavesi, o Pepino.

Destaques: Mingão, Domingos Bainha Lopes (1924-?). Veio do Ginásio Pinhalense em 1951, como capitão era um dos veteranos e transmitia muita segurança aos mais novos. É considerado jogador símbolo do Noroeste. Amaro José dos Santos (1924-?). Militou durante um bom tempo no futebol carioca e também colaborou com a sua experiência. Ranulfo Pereira Machado (1925-?). Jogou emprestado pelo São Paulo e foi grande articulador das jogadas ofensivas do Noroeste. Brotério de Assunção (1926-1990) foi o artilheiro da equipe com 12 gols. Começou nas equipes amadoras de Sorocaba e atuou pelo Votorantim e São Bento (Sorocaba);

Agostinho Zeola (1934-?). O mais jovem da equipe e grande artilheiro, atuaria pelo Palmeiras e Juventus. José Colombo (1930-?), emprestado pelo Corinthians fez um bom campeonato, retornando logo a seguir ao seu clube de origem.

Curiosidades

  • Artilheiro máximo do campeonato: Amauri Brasilio de Araújo (1932-?), o Tec (Ferroviária – Araraquara) com 16 gols;
  • Outros goleadores: Jandir (Paulista) 13 gols, Brotério (Noroeste) 12 gols, Zé Amaro (Ferroviária), Cilno (Marília), Omar Albers (1930-?) (Ferroviária) e Zeola (Noroeste), todos com 11 gols;
  • Goleiros mais vazados na primeira fase:

Dudu (Bauru): 28 gols; Saci (Palmeiras – Franca) e Pacau (Rio Preto): 20 gols; Badê (Tupã): 19 gols;

  • Defesas menos vazadas na primeira fase:

Garito (América): 6 gols; Lourenço (Bragantino): 9 gols, Sidnei (Noroeste): 12 gols, Nicanor (Paulista) e Fia (Ferroviária): 13 gols

  • Maior goleada do campeonato: Palmeiras (Franca) 0 x 7 Ferroviária (Araraquara), em 13/12/1953;
  • Equipes que se destacaram:

Ferroviária: Fia (Ferro) (Basílio); Pierre e Pixo (Tato); Dirceu (Diógenes), Gaspar e Henrique (Elcias) (Izan); Augusto (Santo Cristo), Tec (Omar), Vaguinho (Odair Titica), Zé Amaro e Boquita. Técnicos: Caetano De Domenico e depois Aramando Renganeschi;

Marília: Tonico; Atílio e Xandu; Luiz, Valente e Artur; Doquinha (Raul), Ditinho, César, Hélio e Cilno (Vavo). Técnico: Florindo Alves Ferreira;

Paulista: Nicanor; Gaúcho (Chumbinho) e Martinelli; Léo (Pedrinho), Dalmo (Carmo) e Alcides (Artur); Agostinho, Sacadura, Jandir (Garcia), Alvair (Pinga II) (Nardo) e Moreno. Técnico: Arturzinho;

América: Garito (Barrela); Aguinaldo e Ferraciolli; Tuca, Aldo e Gamba; Amaral (Melinho), Vicente (Nelsinho), Dozinho (Miranda), Jonas (Haroldo) (Foguinho) e Urias (Osmar). Técnico: Túlio;

  • Seleção do Campeonato (1ª fase)

Fia (Ferroviária – Araraquara); Agnaldo (América) e Kelé (Botafogo); Baia (Botafogo), Aldo (América) e Nascimento (Botafogo); Colombo (Noroeste), Vaguinho (Ferroviária – Araraquara), Zé Amaro (Ferroviária – Araraquara) e Boquita (Ferroviária – Araraquara);

  • Odair “Titica” havia sido emprestado pelo Santos à Ferroviária e se esperava que com a sua experiência pudesse ajudar a equipe a vencer o campeonato. Criou caso e jogou pouco, foi devolvido ao Santos;
  • Walter Goulart da Silveira (12/9/1922-) o Santo Cristo (Ferroviária – Araraquara), também veio ajudar o time. Experiência ele tinha: Botafogo carioca, São Paulo, Fluminense, Vasco da Gama foram algumas das equipes que passou;
  • O técnico do Noroeste, José Pavesi (? -1954), faleceu no dia do jogo contra o Bragantino (24/4/54) os jogadores e a diretoria resolveram que não contrariam ninguém para substituí-lo até o término do campeonato. Balbino que atuara como técnico na primeira fase, o Sr. Mário Tavares Fernandes e mais alguns jogadores se encarregaram da função, tendo o falecido Pepino como o “treinador espiritual”;
  • No plantel do Noroeste estava Adolfrizes Novais (1925-?), jogador que havia sido campeão do interior em 1943 pelo mesmo Noroeste;
  • A Ferroviária era uma das equipes cotadas para a conquista do acesso. Armou uma boa equipe onde o destaque era o ataque que assinalou 60 gols na competição: Tec (16), Augusto (10), Vaguinho (8), Zé Amaro (11) e Boquita (9); A equipe foi mais uma vez vice – campeã;
  • Craque do Campeonato: Zé Amaro (Ferroviária – Araraquara);
  • Revelação do campeonato: Zeola (Noroeste).

Trabalho que contou com a colaboração do Júlio Diogo

Noroeste 53

Em pé, da esquerda para a direita: Nelson Faria, Mingão, Villa, Sidney, Zulu e Amaro. Abaixados, na mesma ordem: Colombo, Zeola, Brotero, Ranulfo e Luiz Marini

2 pensou em “Artigo da Semana 04/2010 – História do Campeonato de Acesso Paulista – Cap. VII

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *