Histórias de Lauro Soncini

Lauro Soncini (foto), já falecido, narrava jogo do Avaí em Itajaí, na década de 1960, no estádio do Barroso. Um torcedor surge na cabine e ameaça o narrador com um revólver:

– Diz aí que as praias de Itajaí são mais bonitas do que as praias da Capital.

Soncini não perdeu tempo:

– Torcida catarinense, aqui da cabine eu vejo algumas praias de Itajaí, e como são lindas, mais bonitas do que essas aí de Florianópolis.

O torcedor passou o jogo todo fazendo exigências. Tudo era mais bonito e melhor em Itajaí. A cidade, os times, as praças… Pouco se falava do jogo. Luiz Osnildo Martinelli, que estava de plantão na rádio naquele dia, percebeu que havia alguma coisa errada. Comentarista e repórter não falavam. O homem do revólver proibiu chamar alguém, só o Lauro Soncini falava.

Martinelli ligou para Camilo Mussi, ex-presidente do Barroso, e contou-lhe a história. Mussi foi ao estádio. Ao entrar na cabine, ficou apavorado com o tamanho do revólver.

– O que queres aqui? Fica quieto no teu canto e não abre a boca – ameaçou o visitante.

A história terminou na delegacia, onde descobriu-se que a arma era de brinquedo.

Fonte: DC

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *