Atlético Clíper Clube – Manaus (AM)

[img:cliper_am.jpg,full,vazio]


No dia Primeiro de junho de 1952 foi fundado o Atlético Clíper Clube.

A equipe durante 43 anos foi amadora (disputando o campeonato amador da FADA até 1964) e depois da FAF (a partir de 1965) até 1995 quando adentrou no ano seguinte no campeonato de profissionais com o apoio de um grande empresário de Manaus – Janjão.

Em 1963 o Sr. Monteiro, que trabalhava como dirigente do London Bankpegou” de Aristóbulo e Aristóteles (irmãos) o comando do Time preto e amarelo que tem uma “águia” desenhada em seu escudo e por isso mesmo sendo a “mascote” do time. Na verdade o Clíper já era uma equipe bem organizada, para os padrões da época.

Monteiro soube dignificar o Clube mantendo-o nos campeonatos amadores, nas escolinhas de futebol, nos juvenis e juniores com primazia, apesar das dificuldades diversas.

O Clíper foi fundado na Rua Visconde de Porto Alegre, no Bairro da Praça 14 de janeiro (Zona sul de Manaus), próximo de onde é hoje o “Oratório” de São José, Colégio Domingos Sávio. Nesta mesma rua, trocou duas vezes de endereço.

Segundo o antigo massagista “Santinho, 80 anos” , ex- profissional do Fast Clube e irmão do ex- craque “Tapioca“, antigo lateral do Time Tricolor, este nome, que hoje chega bem próximo, etimologicamente e foneticamente falando, do Programa de Computador CLIPPER ou de CLIP, ou ainda de ECLIPSE, foi feito assim simplesmente para diferenciar pelo nome, na época, 1952, de tudo que havia de nomes de times.

Em Manaus, pois haviam nomes muito próximos, como é o caso do Nacional e do Nacional Fast Clube por exemplo. Era para ser batizado algo como já disse, de “ECLIPSE”, que às vezes faz com que o sol seja “escondido” pela lua e coisa assim… Ou seja, um nome para Diferenciar mesmo.

O Clíper chegou a ser vice-campeão amazonense em 1996 e 2002. Em 1996 foi patrocinado pelo empresário e político Janjão que ajudou a montar a equipe e inclusive, fez no primeiro jogo na estréia do campeonato, uma grande e tentadora promoção – O Sorteio de um carro 0 km, para quem comprasse ingresso.

O Clíper chegou a levar mais de 5 mil torcedores para o Vivaldo Lima, causando na época, certo impacto, pois ali havia uma ousadia para um clube que estava estreando no Profissionalismo e também num tempo de “vacas magras” no futebol do estado, quando o público nos estádios e sempre reduzido.

A equipe do Clíper treinava no Centro Social Urbano do Parque 10 (Zona centro-sul), bairro aristocrático de Manaus e por isso mesmo é vizinho do América Futebol Clube. Quando jogam, há um “novo clássico” – “O CLÁSSICO DO PARQUE 10“, que só tempo batizará.

Em 1999, o jovem empresário e treinador carioca, Oscar Conrado chegou para o Clíper atiçando sua estrutura e inaugurando um pequeno hotel para os jogadores, localizado na Zona Norte de Manaus, no populoso bairro da Cidade Nova.

Nesse ano de 99 o Clíper fez uma excelente campanha, brigando até as últimas rodadas pelo título, ficando na quarta posição, na final, abaixo somente de São Raimundo (campeão), Rio negro e Nacional. Nesse ano, Oscar, misto de treinador e empresário mandou buscar mais de 15 jogadores no sul- sudeste do Brasil, pagando aos mesmos, razoáveis salários, estadia, alimentação e assistência médica.

As categorias de base do “Águia dourada” treinam no CSU e também no campo do “Buracão” na fronteira do Parque 10 com o popular bairro da “UNIÃO“. Lá, os técnicos GESSERALDO e BETO formam os futuros craques do time preto e amarelo.

Em 2002 a “Águia Dourada” fez convênio com o Município de Itacoatiara, transferindo sua estrutura profissional inteira para a cidade de 80 mil habitantes, situada a 170 Km à Leste de Manaus, onde chega-se de carro em média por 2 horas e meia de viagem.

Nesse mesmo ano, mesmo com dificuldades, chegou ao vice-campeonato, perdendo na final para o Nacional por 3 x 2. Nesse mesmo ano conseguiu seu primeiro Título profissionalCAMPEÃO DA TAÇA AMAZONAS 2002 disputando com 6 equipes a Seletiva para o Amazonão de 2002.

Seu Hino foi idealizado em 1999 e gravado em estúdios pela SG prod. no ano 2001. É de autoria do pesquisador Daniel Sales.


SURGE O VELO DE OURO

Autor: Daniel Sales (1999)


Surge o velo de ouro à brilhar

Com a águia dourada a voar

Sobre a estrada do vulto futebol

Centenário de valor

Combinado à paixão

Clíper Clube

Tu és a esperança

Também és juventude

Clube do coração

Defesa que se agiganta

Quando o inimigo se levanta

Meio-campo estrategista

E o ataque que conquista

Nos cordéis adversários

Sua marca a deixar

Mostra meu time querido (bis)

Tua devoção para ganhar (bis)

E fazer uma nova era

A explosão dessa galera

A alegria a extasiar

Preto e amarelo

São as cores dessa garra

Dessa águia que congraça

A magia nesse dia

Voa sobre os campos do Amazonas (refrão)

Clíper clube para a vitória alcançar

Gilmar Nascimento foi eleito presidente em janeiro de 2001. O Sr. Monteiro continuou como o Presidente de Honra. Em 2004 houve novas eleições no clube.

O Clíper, por intermédio de Daniel Sales, está cadastrado na associação do Auri Negros del Mundo, sediado em Montevidéu (Uruguai), junto a times como Volta Redonda (RJ), La Coruña (Espanha) e Peñarol (Uruguai).

FONTE: site futebol do amazonas

Este post foi publicado em 18. Jorge Farah, Amazonas em por .

Sobre Jorge Farah

José Jorge Farah Neto, 53 anos, gestor desportivo, jornalista, historiador e pesquisador, criador e co-autor do Almanaque do Futebol Paulista em todas suas edições nos anos de 2000/01/02/03/04, torcedor fanático do Guarani FC de Campinas, jogador, dirigente e colecionador de jogo de botão e fã de futebol.

1 pensou em “Atlético Clíper Clube – Manaus (AM)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *