Poty Sport Club – Curitiba (PR): Vice-campeão da Segundona Paranaense de 1954

O Poty Sport Club foi uma agremiação da cidade de Curitiba (PR). O “Tricolor da Galícia” ou “Bugre Galiciano” foi Fundado na quinta-feira, do dia 14 de Maio de 1925, pelos senhores: João Simões de Lima; Miguel Catalosqui; Estevam Kugut; José Ordosqui; João Kupchck; Waldomiro Kupcharck e Pedro Kupcharck.

A sua Sede e o Estádio Capitão Manoel Aranha ficavam localizados na Rua Padre Anchieta (atual Praça 29 de Março), s/n, no Bairro Campo da Galícia (atual Bairro Mercês), na Região Central de Curitiba. No local havia o campo oficial e áreas adjacentes. Além disso, tinha um casarão de madeira, com amplo salão e, no fundo, um balcão, onde serviam bebidas, era protegido por uma cerca de tábuas.

A 1ª Diretoria foi constituída da seguinte forma:

Presidente Honorário – Ângelo Zanetti;

Presidente – João Eskabron;

Vice-Presidente – Sebastião Vidal da Rocha;

1º Secretário – Estevam Katoloski;  

2º Secretário – João David de Oliveira;

1º Tesoureiro – Mariano Kataloski;

2º Tesoureiro – João Balla.

Estádio Capitão Manoel Aranha

O Estádio Capitão Manoel Aranha já existia desde o início da década de 1940, sendo conhecido por “Campo do Paulo” porque o terreno fazia parte das propriedades de Paulo Mann.

Com dívidas junta a prefeitura de Curitiba, em 1947 a família Mann repassou o terreno a municipalidade, que por sua vez, transferiu o uso do local para o Poty S. C. através da lei nº. 10 de 07 de fevereiro de 1948. Com a posse provisória do terreno, o Poty S.C. inaugurou, ainda em 1948, o seu estádio com a denominação de Estádio Capitão Manoel Aranha.

A escolha do nome foi uma homenagem ao militar do Exército Brasileiro Manoel Aranha, que também foi presidente do Clube Atlético Paranaense entre 1943 e 1945 e presidente da Federação Paranaense de Futebol em 1947.

O “Bugre Galiciano“, endividado, devolveu o estádio, no início da década de 1960, para o município e com uma nova lei, revogando a anterior, o prefeito Ivo Arzua iniciou a construção, neste exato local, da “Praça 29 de Março” (data da comemoração do aniversário de Curitiba), inaugurada em novembro de 1966 com projeto urbanístico do futuro prefeito Jaime Lerner.

 

Extinto nos anos 60

O Poty existiu até a década de 60, disputando os campeonatos amadores da Federação Paranaense de Futebol e que chegou a participar do “Torneio Curitiba”, em 1931, com clubes profissionais, juntamente com o Clube Atlético Paranaense, Coritiba Foot Ball Club, Clube Atlético Ferroviário, entre outros.

O “Tricolor da Galícia” participou algumas vezes do Campeonato Paranaense da Segunda Divisão. O seu maior feito foi o vice-campeonato da Segundona de 1954. Foi Super-Campeão de 1955.

FONTES: Wikipédia – Paraná Esportivo

Compartilhe...
Este post foi publicado em 01. Sérgio Mello, Carências, Curiosidades, Escudos, Fotos Históricas, História do Futebol, Paraná em por .

Sobre Sérgio Mello

Sou jornalista, desde 2000, formado pela FACHA. Trabalhei na Rádio Record; Jornal O Fluminense (Niterói-RJ) e Jornal dos Sports (JS), no Rio de Janeiro-RJ. No JS cobri o esporte amador, passando pelo futebol de base, Campeonatos da Terceira e Segunda Divisões, chegando a ser o setorista do América, dos quatro grandes do Rio, Seleção Brasileira. Cobri os Jogos Pan-Americanos do Rio 2007, Eliminatórias, entre outros. Também fui colunista no JS, tinha um Blog no JS. Sou Benemérito do Bonsucesso Futebol Clube. Também sou vetorizador, pesquisador e historiador do futebol brasileiro! E-mail para contato: sergiomellojornalismo@msn.com Facebook: https://www.facebook.com/SergioMello.RJ

3 pensou em “Poty Sport Club – Curitiba (PR): Vice-campeão da Segundona Paranaense de 1954

  1. Sergio Mello Autor do post

    Obrigado meu amigo Ielo!

    De fato, houveram muitos equívocos nesse período e o caminho escolhido pela prefeitura de Curitiba não foi a melhor. Creio eu que faltou sensibilidade.
    Sobre o Torneio de Curitiba, foi uma competição diferente, no qual participou o Poty S.C.

    Grande abraço

  2. Antonio Mario Ielo

    Sergio,

    Muito bom artigo, incluindo o destino da findo campo do Poty SC, hoje a turistica praça “29 de março”, que tive o privilégio de visitar e conhecer.

    Mas…. Passados 51 anos, será que foi a melhor escolha da Prefeitura de Curitiba?

    Uma das mais belas praças do Brasil ou o Clube do Poty?

    Não seria possível os dois a época, ou seja, manter o clube, transformando em um clube municipal de futebol com a pratica de outros esportes como o” Bolão”, esporte tradicional do sul, e também construir a praça em outro terreno?

    A alguns anos atrás o União Juventus, antigo Junak, também perdeu seu campo. A prefeitura de Curitiba cortou seu campo para construir uma nova rua. Estive também em visita antes da prefeitura desapropriar o campo do Junak.

    Voltando a praça 29 de março, Jaime Lerner, o famosos arquiteto e urbanista, e ex-prefeito de Curitiba, proporcionou para que o grande artista paranaense Poty Lazzarotto, projeta-se um grande painel em baixo relevo de concreto, que descreve a história de Curitiba, belísssimo….
    Foi ironia, deboche ou coincidência? Ou como sempre, a exploração imobiliária “matou” mais um clube de futebol? E todos se renderam a ela, o prefeito, o arquiteto, artista e os curitibanos.

    Tenho o Poty SC como participante do campeonato citadino de Curitiba, também considerado estadual em 1931, unica participação na 1a divisão. Seria o mesmo Torneio de Curitiba?

    Abs.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *