Fundação São José Esporte Clube – Duque de Caxias (RJ): Fundado por Tenório Cavalcanti, o “Homem da Capa Preta”

O Fundação São José Esporte Clube foi uma agremiação da cidade de Duque de Caxias, situada na Baixada Fluminense do Estado do Rio de Janeiro. A sua Sede e o Estádio dos Eucaliptos ficam localizados na Avenida Gomes Freire, s/n, no Bairro da Vila São José (antigo Bairro Pantanal), em Duque de Caxias.

História

Em seus últimos anos de vida o lendário Tenório Cavalcanti dedicou-se à Fundação São José e ao Educandário Maria Tenório. A razão pelo qual o “Homem da Capa Preta” criou essas instituições na Vila São José, teve um motivo nobre.

Em 1958, a cidade de Duque de Caxias foi atingida por um temporal que gerou milhares de problemas, sobretudo, na Favela do Mangue que foi arrasada, deixando mais de mil famílias desabrigadas.

Diante de tantas promessas de ajuda, apenas um homem, de fato, prometeu e ajudou: Tenório Cavalcanti. Com a sua influência, conseguiu junto ao Presidente da República, Juscelino Kubitschek, verbas federais repassadas a Legião Brasileira de Assistência (LBA).

Assim num enorme espaço no Bairro Pantanal foi construindo a Vila São José, que sete anos depois já tinha se tornado o lugar mais populoso de Caxias. Tenório Cavalcanti não parou por aí. Ajudou na construção de escolas, agremiações sociais.

Diante de tantas obras sociais, Tenório Cavalcanti foi o responsável da Fundação do clube Alviceleste da Vila, no dia 16 de Outubro de 1965. Na época, a sua Sede ficava na Rua 27 de Setembro, congregando a família dos ex-flagelados e funcionários da administração da Vila.

Apesar de tantos afazeres, o “Homem da Capa Preta” atuava como diretor do clube. Além do futebol, o clube realizavam diversos eventos como bailes e concursos para escolher a Rainha do clube.

Alguns fatos marcantes

No Campeonato Citadino de Duque de Caxias de 1967, organizado pela Liga de Desportos de Duque de Caxias, o Fundação São José fez uma campanha impecável, chegando a ficar 19 partidas sem perder um jogo.

No Campeonato Citadino de Duque de Caxias de 1973, o Alviceleste da Vila faturou o título com uma bela campanha! Foram 10 jogos, com: sete vitórias, dois empates e uma derrota; marcando 15 gols, sofrendo cinco tentos, com saldo positivo de 10.

Curiosidade

Em 1974, as Federação Carioca de Futebol e a Federação Fluminense de Desportos (que começaram a fazer uma aliança que culminou com a fusão quatro anos depois, em 29 de Setembro de 1978), iniciaram um projeto a fim de criar o Torneio de Integração, que já tinham alguns clubes confirmados: Bangu, Bonsucesso, Campo Grande, Madureira, Madureira, Portuguesa e São Cristóvão.

Para participar desta competição os clubes deveriam se profissionalizar. De Niterói os possíveis candidatos: Manufatora, Tiradentes, Agra e Espanhol. Em Duque de Caxias, dois clubes estavam cotados: Nacional e o Fundação São José.

 

Estádio dos Eucaliptos, na Vila São José

Antes mesmo desse espaço tornar-se um campo, ladeava ele a um córrego que vinha do Rio Sarapuhy, totalmente despoluído. Assim, em grandes chuvas, quando o rio transbordava, jogava peixes em centenas que se espalhavam por onde seria o campo dos Eucaliptos.

Portanto, esse local é sagrado, visto que foi batizado por peixes. À medida que o Rio Sarapuhy foi morrendo, esse fenômeno deixou de existir. Com a vinda da Vila São José, em 1959, no quesito lazer, criou-se o Campo dos Eucaliptos, visto ser essa área cheia dessas árvores de um perfume inesquecível. E ainda fizeram uma cerca branca no seu entorno, o que tornava essa nova área de esporte mais bela.

Criou-se então o time representante da Vila São José, o forte Fundação São José Esporte Clube. Grandes jogadores passaram por lá: Carlinhos Rosquinha, Neném Piranha, Paulinho Binha, Pardal, Haroldo, Lamparina, Ximbica, o goleiro Zé Áureo, entre outros.

Ganhar do Fundação no campo dos eucaliptos era quase impossível. O campo ficava lotado aos domingos. O adversário tremia. Até o infanto-juvenil do Clube de Regatas Vasco da Gama foi abatido em 1973, num categórico 3 a 0 só no primeiro tempo. A famosa Rádio Difusora de Caxias fazia transmissões no local.

XXX
O estádio deu lugar ao CIEPs, nos anos 80

Nos anos 80, o Governador Leonel Brizola acolheu um projeto cultural sugerido por Darcy Ribeiro e implantou os Centros Integrados de Educação Pública (CIEPs), mais conhecidos por “Brizolões“. O local escolhido foi justamente o Estádios dos Eucaliptos, criando uma ironia: dando vida a educação e matando o principal local de lazer da região.

A partir daí a Vila São José ficou desprovida desse lazer essencial. Como um prêmio de consolação construíram os “7 Campos“, onde antigamente estavam os campos do Brasil e do Cerâmica, no Pantanal, Morro do Sossego.

Contudo, a ex-presidente da república Dilma Rousseff acabou com os “7 Campos“, criando no local “Minha casa, minha vida“, deixando o Bairro São José órfão de um campo de futebol.

 

Time de 1966: Lula; Valito, Juca e Careca; Reco e Ximbica; Lamparina, Joaquim, Joãozinho, Válter e Miltinho.

Time base de 1967: Lula; Valito (Joaquim), Juca (Nequinha), Itamar (Erli) e Zé Maria; Osmi (Paulinho) e Bolão; Ximbica, Válter (Chico), Joãozinho (Macau) e Duca (Lamparina).

Time de 1968: Lula; Braga, Juca, Duca e Lamparina; Bolão e Válter; Paulinho, Gafu, Joãozinho e Nino.

Time base de 1973: Cebola (Zé Áureo); Carlinhos (Robson), Gilson, Bolão (Dias) e Domingos (Valdeci); Batista (Carlos Augusto), Jorge Davi (Sendas) e Paulinho (Lutércio); Almir (Arnaldo), Pardal (Morais ou Silva) e Melro (Jorginho). Técnico: Carlos Ramos de Souza, ‘Lelê’

 

PS: Uma detalhe que é importante citar. Em 1954, Tenório Cavalcanti fundou o jornal Luta Democrática, que usaria como ferramenta de propaganda política, especialmente para atacar desafetos e adversários, entre eles Getúlio Vargas. O jornal, de forte apelo sensacionalista, chegou a ser o terceiro maior do Rio de Janeiro nos anos 60. Por isso, que o clube ganhou tanto espaço neste veículo, nos ajudando a poder contar uma boa história.

FONTES: A Luta Democrática – Dias de São José – Jornal do Brasil – O Fluminense

Compartilhe...

5 pensou em “Fundação São José Esporte Clube – Duque de Caxias (RJ): Fundado por Tenório Cavalcanti, o “Homem da Capa Preta”

  1. Claudio Aragao

    De fato, botar um CIEP em cima da única opção de lazer da Vila São José foi um crime. E os prefeitos nunca ligaram mesmo pra nossa comunidade. À época dava pra, numa terra do correio, fazer 50 CIEPS. Hoje, lá, existe a Vila Fraternidade, comunidade carente…

  2. Claudio Aragao

    A verdade é que depois que Dr.Tenório se foi, nos vimos abandonados. Foram retirados todos os benefícios por ele conseguidos pra nossa Vila São José. E, de fato, nenhum Prefeito nunca olhou por nós. Botar um CIEP em cima do úncio campo de futebol e a última opção de lazer do povo da Vila São José foi um crime. Tempos depois a área do Correio (onde daria pra fazer 50 CIEPS), foi invadida e temos uma comunidade lá Vila Fraternidade, vivendo em condições precárias. A má vontade com a Vila São José impressiona.

  3. Sergio Mello Autor do post

    Ielo…

    Mudando de assunto!

    Encontrei um clube que estava Filiado em 1939, na Federação Pernambucana de Desportos.

    Até aí nada de mais! A questão é: o nome do time era Globo Sport Club, do Recife.

    Nessa matéria há dez escudos dos clubes filiados de 1939, inclusive, o distintivo da Associação Suburbana dos Desportos Terrestres (ASDT), que organizava o Campeonato, que ora chamavam de Suburbano e ora de Segunda Divisão!

    Resumo da ópera!
    Apesar do Globo Sport Club jamais ter participado da elite de Pernambuco, estava filiado, consta o escudo e apto a participar!

    A minha pergunta é: O que vc sabe desta agremiação?

    Abs.

  4. Sergio Mello Autor do post

    Meu amigo Ielo,

    Depois que publiquei essa matéria, alguns caxienses me disseram que a construção do CIEPs e depois conjuntos habitacionais não foram problemas. Muito pelo contrário.
    O que causou indignação é que, segundo eles, a região contava com espaços até maiores, mas a escolha foram justamente nos campos! Isso que causou irritação!
    Atualmente o Bairro não dispões de nenhum campo e, sequer há alguma promessa de que seja construída outra!
    Diante do descaso que este país atravessa… Acho que por enquanto a Vila São José continuará sem. Infelizmente!

    Abs.

  5. Antonio Mario Ielo

    Sergio e amigos,

    Muito bom artigo sobre o Fundação São José EC.

    Como consta no PS, o texto foi extraído de Jornal “parcial” referente aos posturas politica da época, assim acrescento, sem nenhuma intenção de polemizar as questões politicas partidárias:

    1. As decisão de escolha do local para construção do projeto educacional do governo estadual do Centro Integrado de Educação Pública (CIEP) é de responsabilidade do prefeito do município, não sitado na reportagem, que ao meu ver não foi correta, além de perder uma área de lazer importante para o bairro, construiu em local possível de alagamento.

    2. Da mesma forma ocorreu com a construção do projeto habitacional do governo federal “Minha casa, minha vida“, pois quem aprova o empreendimento é o prefeito, também não sitado na reportagem. E ao meu ver também não foi correta, pelos mesmos motivos, perda de área de lazer em local de possível alagamento. O que precisa ser verificado na região é se na época não haveria outras áreas disponíveis para implantação destes projetos.

    Abs.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *