Arquivo do Autor: Sérgio Mello

Sobre Sérgio Mello

Sou jornalista, desde 2000, formado pela FACHA. Trabalhei na Rádio Record; Jornal O Fluminense (Niterói-RJ) e Jornal dos Sports (JS), no Rio de Janeiro-RJ. No JS cobri o esporte amador, passando pelo futebol de base, Campeonatos da Terceira e Segunda Divisões, chegando a ser o setorista do América, dos quatro grandes do Rio, Seleção Brasileira. Cobri os Jogos Pan-Americanos do Rio 2007, Eliminatórias, entre outros. Também fui colunista no JS, tinha um Blog no JS. Sou Benemérito do Bonsucesso Futebol Clube. Também sou vetorizador, pesquisador e historiador do futebol brasileiro! E-mail para contato: sergiomellojornalismo@msn.com Facebook: https://www.facebook.com/SergioMello.RJ

Operário Futebol Clube – Porto Velho (RO): Campeão da Segunda Divisão de 1984

O Operário Futebol Clube foi uma agremiação da cidade de Porto Velho (RO). O “Alvirrubro Porto-Velhense” foi Fundado em 1975, na capital do estado de Rondônia. Foi vice-campeão da Segunda Divisão em 1983, e no ano, seguinte se sagrou campeão, garantindo assim, o acesso para a Primeira Divisão.

FONTE: Jornal Alto Madeira (RO)  

Compartilhe...

Faleiro Futebol Clube – Rio de Janeiro (RJ): Dois anos sem conjugar o verbo ‘perder’

O Faleiro Futebol Clube foi uma agremiação da cidade do Rio de Janeiro (RJ). Foi Fundado no dia 10 de Outubro de 1926, por um grupo de abnegados desportistas residentes à Rua Faleiros, no Largo dos Pilares e tendo a frente a figura do Sr. Alfredo Antonio Parara, surgiu uma “pelada” que recebeu ao batismo o nome de Faleiros Football Club, sendo escolhida as cores vermelha e branca para representá-lo.

Logo no início, criaram um lema: “Quem vestir a camisa do Faleiro, terá que lutar até a morte“.

Jogadores que atuaram na Europa

Um dos maiores orgulhos do Faleiro, aconteceu em 1949 a 1951, Nelson Garcia e Waldemar Garcia, dois irmãos que atuavam em suas fileiras, estiveram na Europa onde brilharam defendendo as cores do Vila Nova Famalicão Futebol Clube, de Portugal.

Além desses dois, outros atletas se destacaram no Manufatura Nacional de Porcelana Futebol Clube: Bidu, Coca, Wilson, Nêgo, Sargento Osmar e Mesquita, na década de 50.

Entre 1949 a 1951, o Faleiro não perdeu para ninguém

A campanha invicta do Faleiro no período de 1949 a 1951, foi das mais brilhantes tendo disputado 74 partidas, com 66 vitórias e oito empates; consignando 296 gols pró (média de 4 gols por jogo), 36 tentos contra (0,5 gol por partida) e um saldo positivo de 260. Um aproveitamento de 94,6%.

Campeão Torneio Suburbano de 1948

Até 1952, o principal título significativo do grêmio alvirrubro Faleirense, aconteceu em maio de 1948, ao levantar a taça do “Torneio Suburbano“, sendo campeão de Inhaúma, promovido pelo confrades do jornal “Correio da Manhã“.

Amistosos importantes

No domingo, do dia 02 de Julho de 1950, o Faleiro enfrentou amistosamente com o Ceres Futebol Clube, no campo da Rua Chita, em Bangu, na zona oeste do Rio.

Em 18 de setembro de 1955, excursionou a Cataguases (MG), onde enfrentou o Operário Futebol Clube. E, em 15 de novembro de 1955, se deslocou até Volta Redonda (RJ), onde jogou contra o Guarani Futebol Clube. Infelizmente não foi encontrado o resultado dessa peleja.

 Praça de Esportes inaugurado

Na tarde de domingo, do dia 1º de Junho de 1952, foi inaugurado a sua Praça de Esportes, na Rua José dos Reis, nº 774, no Bairro do Engenho de Dentro, com uma partida amistosa, às 16 horas, entre o Faleiro e o Esporte Clube A Manhã (composto por funcionários do Jornal A Manhã). No final, o veículo de comunicação venceu pelo placar de 3 a 1, e ficou com o Troféu, oferecido pelo ‘Casa Nair’. Na preliminar, o Milionários  de Pilares venceu o Guanabara F.C. por 2 a 1

A Manhã: China (Alfredo); Adelino e M. Brandão; Biguá, Manoel e Cláudio; Osvaldinho, Pernambuco, Bidinho e Sestado.

Faleiro: Carlinhos; Artur e Paulinho; Valtinho, Alemão e Bibi; Arubinha (Luiz), Valdemar, Sedeque, Adolfo e Alcides.

Após a partida a diretoria do Faleiros homenageou a imprensa e os clubes co-irmãos, oferecendo um pedaço de bolo de aniversário carinhosamente confeccionado e servido pela gentilíssima senhorita Maria José Gomes dos Santos, presidente do Departamento Feminino do clube aniversariante

Por meio da Lei nº 24, na quinta-feira, do dia 15 de Dezembro de 1960, assinado pelo presidente da Assembléia Legislativa do Estado da Guanabara, José Bonifácio Diniz de Andrada, o Faleiro Futebol Clube foi considerado de Utilidade Pública.

FONTES: A Manhã (RJ) – Jornal dos Sports – Diário da Noite (RJ)

Compartilhe...

Esporte Clube Jardim – Jardim (MS): Disputou o Estadual da 2ª Divisão de 2001

O Esporte Clube Jardim é uma agremiação do Município de Jardim, no estado de Mato Grosso do Sul. Com uma população de 24.484 habitantes (segundo o censo IBGE de 2011), a localidade está a 259 km da capital (Campo Grande). Jardim foi criado em 14 de maio de 1946 e emancipado em 11 de dezembro de 1953.

Por falar no ano em que Jardim surgiu, o clube também foi Fundado em 1946, por um grupo de amigos que, se tornaram sócios fundadores, naquela época. Dessa forma, se tornando o 1º clube social do município.

A ideia inicial, era promover eventos da alta sociedade e militares jardinenses. Com o adventos dos “Bailes”, o número de sócios foi crescendo. Com novas Diretorias formadas por homens de negócios que na época investiam em Jardim ou trabalhavam na CER-3.

Ocorreram bailes sociais de primeira linha, trajados de palito completo, assim como Baile de debutantes, formaturas e outros, da melhor qualidade, com bandas do Paraná e interior de São Paulo, que faziam das noites jardinenses, as melhores dos anos.

Os carnavais com blocos e belas fantasiadas, “regado” por ótimas bandas esquentavam as noites tradicionais naquela época, que hoje, infelizmente, não existem mais.

 Sua 1ª Sede está localizada na Avenida Duque de Caxias, nº 415, no Centro. Já sua Sede administrativa fica situado na Rua Graça Aranha, nº 68, no Bairro Cohab Aeroporto. A Sede atual fica na Rua Tenente Ary Rodrigues, nº 415, no bairro de 9º Becnst.

Time de 1978, que enfrentou o Vasco

Um momento que marcou a vida da agremiação, aconteceu no domingo, do dia 15 de Janeiro de 1978, quando o Esporte Clube Jardim derrotou o time juvenil do Clube de Regatas Vasco da Gama/ RJ, po 1 a 0, no Estádio Município Major Costa (Capacidade para 2.500 pessoas), em Jardim (MS). A renda deste jogo foi revertida para a Casa do Garoto local.

E.C. Jardim (1990)
Em pé (esquerda para a direita):
Totó, Toninho  Catuaba, Carlinhos Grubert, Argeu e Gilberto;
Agachados (esquerda para a direita):
Pelezinho, Mário Nelson, Lori, Esquerdinha, Ivan Bugre e Djalma.

Na esfera profissional, a primeira e única participação, aconteceu há 19 anos. O Esporte Clube Jardim disputou o Campeonato Sul-Mato-Grossense da Segunda Divisão de 2001, organizado pela Federação Matogrossense de Futebol (FMF).

O Estádio Município Major Costa (Capacidade para 2.500 pessoas), em Jardim (MS).

A competição contou com a participação de 12 equipes, divididos em três grupos de quatro:

GRUPO A  

Clube Atlético Iguatemi (Iguatemi);

Esporte Clube Águia Negra (Rio Brilhante);

Nova Andradina Futebol Clube (Nova Andradina);

Triângulo Esporte Clube (Nova Andradina).

GRUPO B  

Bonito Futebol Clube (Bonito);

Esporte Clube Jardim (Jardim);

Novo Horizonte (Três Lagoas);

Vila São Bento (Sidrolândia).

GRUPO B  

Coxim Atlético Clube (Coxim);

Esporte Clube Campo Grande (Campo Grande);

Liga Rio-Verdense (Rio Verde de Mato Grosso);

Rio Negro Futebol Clube (Rio Negro);

No final, o Águia Negra foi o grande campeão, enquanto o Coxim ficou com o vice-campeonato da Segundona.

FONTES: Acervo Fotográfico Ten. Cel. Jaime Ribeiro – Wikipédia – Página do clube no Facebook – Rsssf Brasil.

Colaboração: jornalista e pesquisador Felipe Feitosa

Compartilhe...

Dourados Futebol Clube – Dourados (MS): Disputou três edições da 1ª Divisão do Estadual

O Dourados Futebol Clube foi uma agremiação da cidade de Dourados (MS). A sua Sede ficava situada na Av. Marcelino Pires, nº 5.326, no Bairro Cabeceira Alegre, em Dourados.

Em Março de 1991, após a fusão entre o Ubiratan Esporte Clube e o Clube Atlético Douradense nascia o Dourados Futebol Clube. Após se filiar a Federação de Futebol de Mato Grosso do Sul (FFMS), a equipe esteve presente em três edições do Campeonato Sul-Mato-Grossense da 1ª Divisão: 1991, 1992 e 1994. Após a última participação no Estadual, a fusão foi desfeita e o Dourados virou história.

FONTES: site FutebolMS – Mercado Livre – Cássio Siqueira

Compartilhe...

Inédito!! Esporte Clube Paulista – Bebedouro (SP): Fundado em 1925

O Esporte Clube Paulista foi uma agremiação da cidade de Bebedouro (SP). Fundado na quarta-feira, do dia 20 de Maio de 1925, por funcionários da Cia. Paulista de Estrada de Ferro. As suas cores eram o azul marinho, celeste e branco. 

Um breve histórico desta agremiação: Campeão Citadino de 1942. No mesmo ano estava inscrito para disputar o Campeonato Paulista do Interior daquele ano (1942), porém em outubro desistiu de participar do certamente. Campeonato Paulista do Interior de 1942, 1945, 1946, 1947 e 1948.

Em 1938, já estava filiado a Liga de Futebol do Estado de São Paulo. Em março de 1950, foram iniciados as obras da construção da piscina, localizado na Rua São João, Centro, Bebedouro, SP, terreno doado pelo major Cícero de Carvalho

FONTES: Jornal de Notícias (SP) – Correio Paulistano (SP) – Página no Facebook: “Estação Ferroviária de Bebedouro-SP”

Compartilhe...

Vianense Futebol Clube – Niterói (RJ): Fundado em 1938

O Vianense Futebol Clube foi uma agremiação da cidade de Niterói (RJ). O Alvicelestefoi Fundado na terça-feira, do dia 09 de Agosto de 1938. A sua Praça de Esportes (que ficou conhecido popularmente como ‘Campo do Vianense’), ficava próximo ao Estaleiro Guanabara (que ficava na Rua Barão do Amazonas), na Rua Santa Clara, s/n, no Bairro Ponta da Areia, em Niterói.

Na esfera futebolística, o Vianense participou tanto do Torneio Início quanto do Campeonato Niteroiense da Segunda Categoria, organizado pela Federação Fluminense de Desportos (FFD), nos anos de 1941, 1942, 1943, 1944 e 1945.

Em maio de 1948, se filiou no Departamento Niteroiense de Football (DNF). Disputou o Torneio Início e o Campeonato Niteroiense da Categoria Popular, nos anos de 1948 e 1949.

Em 1950, a competição mudou a nomenclatura, passando a se chamar Campeonato Niteroiense da Segunda Categoria. Nesse ano duas situações aconteceram na vida do Vianense: 1º o clube foi declarado utilidade pública, em junho. Em novembro, acabou se indispondo com a Liga e acabou desligado do Departamento Niteroiense de Football (DNF).

Esse problema foi determinante para que a diretoria do Vianense se afastasse do futebol. A partir de 1952, passou a dar ênfase ao atletismo, sobretudo, as corridas de rua, como por exemplo: São Silvestre, realizado anualmente no final do ano, na capital paulista.

Craques do Vianense

O clube ajudou e inspirou no surgimento de craques, como Milton Copolilo (Flamengo), Jair Marinho (Fluminense) deram os seus primeiros passos no Vianense. Ali também surgiu os irmãos Lemos: Cesar Maluco, Luizinho Tombo e Caio Cambalhota.

Campo do Vianense: da grama ao concreto

Em 1965, já sem nenhuma atividade, o ‘Campo do Vianense’ passou a ser tutelado pelo Esporte Clube Costeira. Em setembro de 1980, o presidente do Costeira, Sebastião Barbosa entrou em contato com o dono do campo, José Duarte Oliveira que na época residia em São Paulo. O acordo parecia eminente, uma vez que além do valor, o proprietário só exigiu que o estádio tivesse o seu nome. Exigência essa que a diretoria não se opôs.

Porém, a notícia despertou o interesse e uma Cooperativa da Cidade entrou na disputa, a fim de adquirir o ‘Campo do Vianense’ para construir um conjunto habitacional no local.   Na foto acima, a linha na cor amarela demarca aonde ficava o ‘Campo do Vianense’.

O último evento no ‘Campo do Vianense’ aconteceu no sábado, do dia 29 de agosto de 1981, quando ocorreu o Torneio Início dos Bancários de Niterói. Depois, o dono acabou aceitando a oferta da construtora de Cr$ 280 milhões (duzentos e oitenta milhões de cruzeiros) pelo campo. Fim da linha do ‘Campo do Vianense’ que se transformou em quatro blocos de edifícios.

 Time de 1950: Chiquinho; Gato e Julio; Vitoriano, Julinho e Haroldo; Popinha, Peru, Quintanilha, Vevé e Nelson.

 

 FONTES: A Tribuna (RJ) – Jornal dos Sports – Diário de Notícias (RJ) – Gazeta de Notícias (RJ) – Imprensa Popular (RJ) – O Fluminense – Última Hora (RJ) – A Noite – Diário de Notícias – Arquivo Público do Estado de São Paulo (Memória Pública)

Compartilhe...

Semeando Cidadania F.C. – Rio de Janeiro (RJ): Três edições na 3ª Divisão do Rio

O Semeando Cidadania Futebol Clube Ltda. foi uma agremiação efêmera da cidade do Rio de Janeiro (RJ). O “Tricolor de Rio das Pedras” foi Fundado na quarta-feira, do dia 23 de Agosto de 2006. Ressaltando que a data oficial de fundação é: quinta-feira, do dia 7 de setembro de 2006. No escudo a caricatura do político ao centro.

A sua Sede administrativa ficava localizado na Estrada do Capenha, nº 1.127 / Bloco IV / Ap. 103 – Pechincha – Zona Oeste do Rio. As suas cores: azul, vermelho e branco. A equipe mandava os seus jogos no Estádio Eustáquio Marques, em Curicica.

Criado em 1996, o projeto de inclusão social voltado para os jovens da favela de Rio das Pedras, a principal base política do ex-vereador Josinaldo Francisco da Cruz, o ‘Nadinho de Rio das Pedras’, na região de Jacarepaguá, Zona Oeste do Rio de Janeiro.

Uma década depois, Nadinho fundou o clube, onde era presidente e acionista majoritário, dono de 80% das cotas, mas tinha outros dois sócios: o ex-assessor parlamentar Renato Telles e o advogado João Gilberto Demercian Filho.

Filiou-se à Federação de Futebol do Estado do Rio de Janeiro (FERJ) e se inscreveu para disputar ainda naquele ano para disputar o Campeonato Carioca da 3ª Divisão em 2006. Na sua estreia acabou ficando em 4º lugar na sua chave. Posição esta que não foi suficiente para avançar de fase.

Time posado de 2007

Em 2007, voltou a jogar a Terceirona do Rio, é obteve a 2ª colocação no seu grupo, se classificando para a seguinte. Na segunda fase, ficou em 2º lugar, só atrás do Campo Grande Atlético Clube.

Na terceira fase, o Semeando Cidadania terminou na 3ª posição, atrás de Aperibeense Futebol Clube e Teresópolis Futebol Clube, sendo eliminado da competição.

Em 2008, não conseguiu repetir as atuações da temporada anterior e acabou caindo logo na primeira fase, ao ficar em último lugar na sua chave. O ano de 2009 foi péssimo duplamente para o clube.

Primeiro, pediu licença da FERJ por conta da falta de recursos e pela sequência de competições, proveniente da passagem de todas as divisões dos Estaduais para o primeiro semestre.

Depois veio o golpe fatal, quando na tarde da quarta-feira, do dia 10 de junho de 2009, o ex-vereador Josinaldo Francisco da Cruz, o Nadinho de Rio das Pedras, foi assassinado. Com isso, apesar das tentativas de manter a agremiação em atividade, tempos depois foi colocado um ponto final na efêmera passagem do Semeando Cidadania Futebol Clube.

 

FONTES: Jornal dos Sports – EmpresasRJ.com (CNPJ) – Federação de Futebol do Estado do Rio de Janeiro (FERJ) – Wikipédia – SRZD

FOTO: Paulo Roberto Rodrigues

Compartilhe...

Inédito!!! Noroeste Sport Club – Porto Velho do Estado do Amazonas (atual Rondônia): Fundado em 1923

O Noroeste Sport Club foi uma agremiação da cidade de Porto Velho (RO). O “Rubro-negro Porto-Velhense” foi Fundado na segunda-feira, do dia 1º de Janeiro de 1923, com o nome de Club Jararaca.

A Sede provisória ficava localizada na Avenida Sete de Setembro, nº 12 – Centro de Porto Velho. Já a sua Praça de Esportes foi inaugurada na sexta-feira do dia 12 de Outubro de 1923.

O clube sobrevivia por meio de realizações de bailes de carnaval, danças de salão, que eram realizados no Hotel Brasil. E também o clube realizava leilões variados.

O Noroeste disputou o Campeonato Citadino de Porto Velho, organizado pela Liga Desportiva Porto-Velhense (LDP), nos anos de 1923, 1924, 1925 e 1926. Nessas edições, contou com as seguintes agremiações: Brazil Sport Club, Noroeste Sport Club, União Sportiva Porto-Velhense (Fundado em 1916) e Ypiranga Sport Club (Fundado em 1919).

A cada ano, as competições (Campeonato Citadino e Torneio Início) recebiam o nome de uma personalidade local. Por exemplo, em 1925, a competição recebeu o nome de Taça Paulo Saldanha (coronel e desportista da cidade). As quatro equipes citadas acima estiveram presente nas competições até a década de 40.

 

Time base de 1923: Oliveira (Maicy); Grijalva e Maurício; Carlyle, Serapião e Ferreira; Azevedo, Carola, Lauro, Antonio e Pombinha.

Time base de 1925: Bensabath; Mundico e Antonio; Lincoln, Narciso e Palácio; Telmo, Lauro, Repolho, Carroussel e Joaquim.

Time base de 1926: Lindolpho (Bensabath); João (Ângelo) e Marques; Severino (Ciclysta), Lauro (Petronillo) e Trindade (Carlos); Zezinho (Carvalho), Repolho, Durval (Saavedra), Pombinha e Boy.

 Porto Velho, antes Estado do Amazonas 

Esclarecendo que na sexta-feira, do dia 02 de outubro de 1914, Porto Velho (atual capital de Rondônia) foi oficializado como Município pelo Estado do Amazonas, que na época a localidade fazia parte.

Em 1943, foi desmembrado do Amazonas assim como o Município de Lábrea e, juntamente com os Municípios Guajará-Mirim e Santo Antônio do Alto Madeira, desmembrados do Mato Grosso, passou a constituir o Território Federal do Guaporé, sendo sua capital.

Em 1945, após diversas reivindicações do Estado do Amazonas neste sentido, o Município de Lábrea foi devolvido ao Amazonas e o Município de Santo Antônio do Alto Madeira foi extinto, passando a integrar Porto Velho, sendo este e Guajará-Mirim os únicos municípios que compunham o Território Federal do Guaporé que, em 1956 passou a ser denominado Rondônia, e veio a ser elevado à categoria de Estado em 4 de janeiro de 1982.

 

FONTES: Prefeitura de Porto Velho/RO – Wikipédia – Alto Madeira (RO)

Compartilhe...