Esporte Clube Parames, de Jacarepaguá – Rio de Janeiro (RJ): Fundado em 1925

O Esporte Clube Parames foi uma agremiação da cidade do Rio de Janeiro (RJ). O seu campo e a Sede ficavam localizados na Rua Berdardino, s/n, e na Rua Pedro Teles, 490, ambos no Bairro da Praça Seca, em Jacarepaguá – Zona Oeste do Rio, respectivamente. O ‘Mais Querido de Jacarepaguá’ foi Fundado no dia 03 de Junho de 1925, por um grupo de jovens, liderados por Victor Parames Domingues, que emprestou o seu terreno para a construção do campo e da sede (que em seguida, passou a ser o Patrono do clube). TÍTULOS O clube paramistas foi um grande celeiro de jogadores para os grandes do Rio de Janeiro. No Campeonato Carioca da Terceira Divisão, o Parames foi vice-campeão em 1944, e, campeão em 1945. No domingo, dia 07 de setembro de 1950, faturou a bela Taça Carlos Eiras, após vencer os dois jogos contra o Diário da Noite Futebol Clube, por 6 a 3 (nos seus domínios) e 4 a 1 (no campo do Bemfica, na Rua Jockey Club (atual Licínio Cardoso), nº 42, no Bairro de São Francisco Xavier, na Zona Norte do Rio). Ainda em 1950, participou do Campeonato do Departamento Autônomo, organizado pela Federação de Metropolitana de Futebol (F.M.F.). Outro título expressivo pelo Negro verde (1956) veio sete anos depois, quando faturou a ‘I Copa da Cidade’ de 1952 (evento de futebol amador promovido pelo jornal Diário da Noite), que contou com a participação de 68 clubes da capital carioca.

O Parames chegou na grande final de forma invicta. No 1º jogo da final, enfrentou o Continental, da Gávea, no  Domingo, 28 de Dezembro de 1952, às16h30min, no Estádio do Flamengo. Arbitrado por Miguel A. Ruas (Departamento Autônomo da F.M.F.), a partida terminou empatada sem gols. Na disputa de pênaltis, o Continental venceu por 4 a 3. A partida decisiva, aconteceu na tarde do domingo, do dia 11 de janeiro de 1953, no Estádio Aniceto Moscoso, na Rua Conselheiro Galvão, em Madureira. o Parames levantou a taça ao golear do Continental por 4 a 1. Grilo abriu o placar no 1º tempo. Na etapa final, Sérgio ampliou e Grilo, novamente, fez o terceiro gol. Oldemar, contra, elevou o placar para 4 a 0. Iante, de pênalti, fez o tento de honra para o clube da Gávea. No jogo da entrega das faixas, o Parames goleou o EC Valim, do Méier por 7 a 4. O clube também faturou o tricampeonato da Região Administrativa de Jacarepaguá, em 1961, 1962 e 1963. Time-base de 1951: Antonio; Tutuca e Tião; Didico, Ivam e Quimba; Carlos, Octacilio, Harodinho, Guilherme e Haroldo. O CLUBE FECHOU ÀS PORTAS EM 1974 O mais tradicional clube de futebol que existiu em Jacarepaguá. Durou por 49 anos, quando em 1974, quando a família Parames pediu de volta o terreno onde ficava o campo e a sede, na Rua Pedro Teles, a fim de alugá-lo para o Parque de Diversões IV Centenário. Atualmente o local fica o Residencial Porto Bello e o Residencial porto Fino.     FONTES: Site WSC  – Jornal A Manhã – Diário da Noite 

Este post foi publicado em 01. Sérgio Mello, Curiosidades, Escudos, História do Futebol, Rio de Janeiro (antigo Estado do RJ) em por .

Sobre Sergio Mello

Sou jornalista, trabalho no Jornal dos Sports (atual ‘RJ Sports’), aqui no Rio de Janeiro/RJ, desde 2005. Anteriormente, trabalhei na Rádio Record e Jornal O Fluminense, de Niterói. No jornal já fiz o esporte amador, passando pelo futebol de base, Campeonatos da Terceira e Segunda Divisões, chegando a ser o setorista dos quatro grandes do Rio, Seleção Brasileira. Cobri os Jogos Pan-Americanos do Rio 2007, Eliminatórias, entre outros. Atualmente, tenho cerca de 3 mil matérias assinadas, e cubro o Flamengo e ainda faço a página dos pequenos. Também sou Benemérito do Bonsucesso Futebol Clube. E-mail para contato: sergiomellojornalismo@msn.com Facebook: https://www.facebook.com/SergioMello.RJ

2 pensou em “Esporte Clube Parames, de Jacarepaguá – Rio de Janeiro (RJ): Fundado em 1925

  1. Sergio Mello Autor do post

    Boa tarde Marcos!

    É triste ver que tantos campos e clubes pequenos desapareceram, deixando uma lacuna tantos momentos marcantes e, de certa forma, deixando os bairros que abrigaram essas agremiações órfãs.
    E quando descrevo “órfãos” não é exagero, afinal o clube não se limitava apenas as partidas de futebol, mas também um ponto de encontro dos moradores daquele bairro.

    A falta de sensibilidade corroborou para esse processo que se estende até os dias atuais, infelizmente!
    Quando pesquisei a história do Parames percebi que ali existia algo maior do que simplesmente um time. Percebi que havia uma família! E sou um contador de histórias e me sensibilizei de cara!
    Evidentemente essa história não mudará muita coisa, mas, ao menos, teremos a possibilidade dos mais jovens conhecerem um pouco a história do time, do clube e do bairro!

    E aproveitando o ensejo gostaria de pedir a você Marcos Antonio Theobaldo que se caso tiver algum material do Parames (flâmula, bandeira, fotos, documentos, etc) que compartilhasse conosco a fim de que possamos enriquecer ainda mais a história do Parames!

    Um grande Abraço!

    Sérgio Mello

  2. MARCOS ANTÔNIO THEOBALDO

    BOM DIA. MARCOS ANTONUO THEOBALDO, FILHO DE INÁCIO E SOBRINHO DE IVAN CALHEIROS , PRESIDENTE DO PARAMES FC CLUBE. COM MUITA TRISTEZA NO CORAÇÃO, ACABEI DE LER ESSA HISTÓRIA LINDÍSSIMA DO NOSSO CAMPO DE FUTEBOL PARAMRS. UM PEDAÇO DA PRAÇA SECA FOI DESTRUIDO, ATÉ HOJE COMENTAMOS COM MUITA SAUDADE O NOSSOS JOGOS INESQUECÍVEIS. GOSTEI MUITO DA REPORTAGEM. RECORDAR É VIVER. PARABÉNS. 👍

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *